História Paixão e Poder - Universos opostos (Camren - G!P) - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally Brooke, Ariana Grande, Bea Miller, Cake, Camila Cabello, Camren, Camren G!p, Cara Delevingne, Demi Lovato, Dinah Jane, Fifth Harmony, Hailee Steinfeld, Justin Bieber, Kendall Jenner, Larry, Lauren G!p, Lauren Jauregui, Lucy Vives, Niall Horan, Normani Kordei, Norminah, Vercy, Vercy G!p, Vero, Vero G!p, Veronica Iglesias, Zayn Malik
Visualizações 2.339
Palavras 2.861
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, pessoinhas!!!
Voltei com mais um capítulozinho...
Vamos lá, espero que gostem e desculpem qualquer erro!

Capítulo 26 - Vingança?


Fanfic / Fanfiction Paixão e Poder - Universos opostos (Camren - G!P) - Capítulo 26 - Vingança?

HORAS MAIS TARDE ...

22:15hrs

"Uma reação chamada “consequência” nos aguarda cada vez que realizamos uma ação. Não há excessões." - Lelouch

Pov. Keana Marie

Retoquei meu batom e o guardei na minha bolsa de mão juntamente com o pequeno espelho que acabei de usar.

Peguei meu celular encima da cama e mandei mensagem pra Florência, minha melhor amiga, avisando que já estava pronta e indo pro Pub onde marquei de me encontrar com alguns amigos.

Se a idiota da Lauren não tivesse resolvido brincar de "supervisora de playground" com aquela merdinha, nós estaríamos indo juntas como de costume.

Minha vontade é de denunciar ela ao conselho de medicina e à quem mais fosse possível e depois ficar de longe, vendo o circo pegar fogo.

Sorte dela que o Michael não me deixou cumprir com as ameaças que fiz alegando que isso iria prejudicar não só sua filhinha como a família toda também. E querendo ou não, eu não posso passar por cima da palavra dele, se fizer perco o único apoio que tenho naquela família toda. Isso porque a irmã chata da Lauren não gosta de mim, quando tinha o desprazer de estar no mesmo lugar com ela e minha namorada, a idiotinha faltava passar uma fita adesiva prendendo ela na irmã, só pra que eu não pudesse me aproximar. E com a Clara nem posso contar, aquela lá faz tudo o que a Lauren quer, se dúvidar vai até contra o próprio marido em defesa da filha.

Mas pode deixar... Eu conheço a Lauren. Quando ela perceber o que está perdendo vai voltar correndo pra mim.

Tenha dó, quando uma criança tem mais poder que eu pra enlouquecer a Lauren na cama? Tenho certeza que quando ela provar daquela coisa insignificante vai ver que não foi nada do que imaginava e aí ela vai ver só o que eu vou fazer.

Ela vai comer na minha mão... Ah, se vai!

...

Desço até o estacionamento do meu prédio, desativo o alarme do meu carro ouvindo o som ecoar pelo estacionamento.

Estava andando distraída e só vi um carro preto adentrar o lugar, apressei meus passos pois o carro vinha acelerado em minha direção.

Assim que parei do lado do meu Porsche, o outro carro parou ao lado.

Nem tive tempo de raciocinar, ela saiu do mesmo batendo a porta com força e veio as pressas até mim.

- O que você... Aiii! _ Meu coração acelera e eu perco a fala quando minhas costas batem com força contra a lateral do meu carro.

- Sentiu a minha falta? _ Ela me encara com ódio, pensei que iria tomar uma surra e já estava prestes à gritar por socorro mas fico totalmente perdida quando ela abre um sorriso cínico e me beija de surpresa me fazendo deixar minha bolsa cair.

O beijo estava longe de ser suave, ao contrário, Lauren parecia querer arrancar os meus lábios. Sua mão adentrou os cabelos da minha nuca e grunhi quando ela puxou com posse. Sua língua explorava a minha boca e eu não consegui não me entregar à ela, Lauren consegue me deixar completamente louca só com um beijo.

Mas mesmo assim eu estava confusa.

Ela deveria estar possessa comigo, ou não?

Sinto meus pulmões reclamarem pela falta de ar, mas ao que parece ela não iria parar tão cedo então eu preciso fazer. Coloquei minhas mãos em seu peito e à empurrei de leve, o suficiente pra olhar pra ela.

- O que foi... isso? _ Tento controlar minha respiração e ela se aproximou novamente, mordendo meu lábio inferior. 

- Lauren, você ficou louca?

- Fiquei. Fiquei louca quando quis tirar você da minha vida. _ Olha fixamente em meus olhos, os dela estavam em um verde escuro.

- Oi? _ À encaro incrédula. Espera aí. Eu estou mesmo ouvindo isso?

- Eu nem sei onde estava com a minha cabeça. Você ter ido no meu apartamento e dito aquelas coisas me fez repensar no que eu estava fazendo. Keana... Aquela menina não pode ser comparada com você. _ Ela diz com convicção, seus olhos não fugiam dos meus nem por um segundo, ela parecia sincera mas eu podia jurar que havia ódio bem no fundo deles.

Ou era por mim, ou por aquela garota infantil.

Talvez ela esteja jogando comigo.

- Isso é sério, Lauren? Se estiver brincando comigo eu...

- Não estou! Vamos sair daqui? Vamos subir? _ Pergunta não me deixando falar e morde meu lábio inferior novamente, dessa vez pude sentir o gosto de sangue em minha boca. Me fazendo de imediato gemer involuntariamente pela dor. - Quero me redimir pelo o que te fiz.

- Eu não posso! _ Digo sôfrega, ainda sentindo o efeito da mordida. - Vou sair com meus amigos.

- Vai mesmo fazer isso? Achei que me quisesse de volta. _ Fala me olhando como uma criança manhosa e ao mesmo tempo desapontada. Não vou negar que é espantoso o modo como ela muda de comportamento com tamanha naturalidade.

No entanto... Também não vou negar o quanto isso me excita.

...

Fomos entre beijos e amassos desde o elevador até o a porta do meu apartamento.

Lauren mal me deixou pegar minhas chaves porque ficava me agarrando, virei de costas pra ela recebendo beijos e mordidas em meu pescoço enquanto tentava abrir a porta, e quando depois de algum tempo com dificuldade consegui fazer ela praticamente me empurrou pra dentro, trancando a porta assim que passou por ela.

- Você me deixa louca, sabia? _ Falo dando um passo pra mais perto dela que sorri de um jeito prepotente antes de me puxar pela cintura com posse. - Você vai fazer comigo tudo o que disse no elevador? Vai fazer bem gostoso?

- Você nem imagina o quanto. _ Aperta meu maxilar entre sua mão e olha dentro dos meus olhos antes de me beijar calmamente, envolvi minhas mãos em seu pescoço e ela abraçou minha cintura. O beijo que começou lento foi tomando uma outra proporção até se tornar furioso, senti meu corpo ser levado pra trás e não tardou pra que eu sentisse minhas pernas tocando o sofá, Lauren separou nossos lábios e me empurrou contra o mesmo, me fazendo sentar e bater as costas sem nenhuma sutileza.

- Adoro quando você é bruta. Torna tudo mais gostoso! _ Dei um sorriso safado e puxei sua mão, trazendo seu corpo pra mais perto. Ela espalmou suas mãos no encosto do sofá, nossos rostos praticamente colados, minha respiração mais descompassada que a dela.

- Você gosta, é? _ Seus olhos brilhavam de um jeito que nunca vi antes. Sorri e assenti ao mesmo tempo que mordia meu lábio inferior.

- Quero que comece logo!

- Será um prazer... _ Passa as pontas dos dedos pelo meu rosto enquanto observa com atenção o trajeto feito por eles. Quando volta a me encarar sua expressão tranquila vai dando espaço para um sorriso diabólico, macabro.

Nem tive tempo de sentir mais do frio que surgia em minha espinha, a ardência infernal no lado esquerdo do meu rosto foi bem maior.

- O QUE É ISSO, LAUREN? _ Sinto meus olhos arderem conforme passo a mão no lugar.

- O que é isso? _ Me empurra com brutalidade quando tento sair de perto dela. - Isso é pra você aprender a não se meter mais no meu caminho.

- AIII!!! _ Grito de dor quando ela acerta o outro lado do meu rosto, usando às costas da mão direita. Começo a chorar de pavor e dor e ela me empurra mais uma vez, dessa vez pro lado, me fazendo deitar no sofá pra que ela pudesse ficar como está agora, encima de mim, com o joelho esquerdo entre minhas pernas enquanto suas mãos apertavam meu pescoço. - ME LARGA!

- VAGABUNDA, DESGRAÇADA! É ISSO QUE VOCÊ É. _ Gritou estridente. - Pensou mesmo que a merda que me fez iria ficar sem troco? _ Me aperta mais me deixando sem fôlego. Eu podia ver o ódio transbordar nos olhos dela. - Você enlouqueceu? Aparecer no meu apartamento e dizer aquelas babaquices na frente da Camila. Quem você pensa que é pra me ameaçar, hem sua estúpida?

- L-auren.

- Ah... Keana, você não passa de uma cadela. Eu vou acabar com você. _ Rosna ainda mais possessa.

- Lauren vo-cê v-ai me ma-atar. _ Aperto seus pulsos com toda a força que ainda me restava e ela sorri, concordando com a cabeça.

- Como adivinhou? _ Senti uma pressão em minha cabeça e pescoço. Ela ficava me olhando admirada, parecendo fascinada pela cena.

Sabia que não demoraria longos segundos pra que eu perdesse os sentidos. Mas por alguma razão Lauren me soltou e saiu de cima de mim.

Levei minhas mãos em automático até meu pescoço enquanto tossia repetidàs vezes quase me sufocando sozinha por conta também do choro. - Como é que você consegue ser tão imbecil? _ Me olha sorrindo debochada. - Sério, me diz porque não dá pra acreditar. - Eu já estava no chão, encolhida, desejando estar à quilômetros de distância dela. - Meu Deus, você é burra demais. E além de burra ainda é idiota. Acreditou mesmo em tudo o que te falei? _ Balança a cabeça em negação.

- Foi mais fácil do que esperava... O legal é que as câmeras do prédio registraram a sua empolgação toda comigo. _ Solta um risinho cínico. - Agora todos vão saber que seus gritos e possíveis hematomas não passaram do resultado de uma noite longa de sexo selvagem. _ Então foi por isso que ela fez tudo isso, estava atuando o tempo todo. - Confesso que me senti um pouco mal tendo que mentir lá embaixo. Porque...Sabe quando que você vai ser melhor que a Camila? _ Me olha com expectativa. Talvez esperando mesmo por uma resposta minha. - Nunca!

- Cof! Cof! Você é... Doente!

- Sou! Eu sou doente, sim! _ Vem possessa pra cima de mim e me segura pelos ombros, em seguida ela me levanta do chão com força e facilidade, me jogando sentada no sofá novamente. - E você já sabe o que eu vim fazer, não sabe? _ Aproxima seu rosto do meu. - Eu vim aqui te mandar pro inferno. _ Sussurra olhando dentro dos meus olhos. - E sabe como vou fazer isso? _ Não respondi, o medo que se instalou em mim é tamanho que já chegava ao ponto de me paralisar. E a situação só piorou quando ela levou a mão pra trás das costas e tirou de lá uma espécie de canivete preto. Só de ver aquilo meu corpo começou a tremer e gelar. Mas de alguma forma me despertou. - Olha só, bonito né?

- Me deixa em paz! _ Peço vendo ela girar aquilo em sua mão. Mas ela parece pouco se importar com o que eu digo.

- Pena que daqui a pouco vai estar todo sujo com sangue de vadia imunda. _ Olha pra mim e sorri sutilmente, como se suas palavras fossem normais. - Mas antes, eu vou te dar uma surra, que é pra te ensinar uma lição. _ Puxa com força os cabelos da minha nuca me arrancando um gemido alto enquanto ela me levanta. _ Você não faz sequer idéia da intensidade do ódio que estou sentindo por você.

- Você tá m-e machucando, Lauren!

- Pensei que não se importasse com isso, minha querida. _ Passa o objeto frio metálico em meu rosto, como se passa manteiga em um pão. - Não se preocupa, meu amor. Eu vou fazer gostoso, como prometi.

- Para com isso! POR FAVOR! _ Crio forças não sei de onde pra empurrá-la e saio correndo pro meu quarto, mas antes que eu pudesse fechar a porta ela chega no meu encalço e me empurra por trás, com o impacto caio direto sobre o tapete branco felpudo. Lauren mais uma vez vem pra cima de mim, me virando pra cima, tento me esquivar dela me debatendo entre seu aperto que ficava cada vez mais forte e ela só ria, se divertindo com a situação. Eu gritava mas não adiantava, ela não iria parar, muito pelo contrário, meus gritos pareciam à instigar ainda mais. - ME SOLTA, LAUREN! _ Ela segura minhas mãos acima da minha cabeça e as prende ali apenas usando uma delas. A outra ficou livre pra me acertar mais um tapa estalado. Gritei e recebi mais um, agora sentindo o gosto de sangue invadir minha boca.

- Vai me ameaçar outra vez, vadia? VAI?

- NÃO! Eu não fiz nada do que disse que faria, eu juro que não fiz! _ Falo apavorada. - Eu não fiz nada!

- Ah, eu já sei que não fez. Você não seria tão demente pra ir contra o meu pai. Mas se não fosse por ele, aí sim, eu sei muito bem que você já teria cumprido suas ameaças. _ Fala e eu nego freneticamente com a cabeça. - Mas isso aqui é só por ter dito que faria. _ Aperta sem piedade meu maxilar, voltei a chorar no mesmo instante. - Você não vai viver pra uma segunda chance.

- NÃO! NÃO FAZ ISSO COMIGO, LAUREN! _ Grito desesperada ao ver ela pegar novamente o canivete. - POR FAVOR!

- NUNCA MAIS! Ouviu bem? Nunca mais se intrometa na minha vida, muito menos volte a me procurar. _ Toca a ponta do objeto em meu pescoço me fazendo ficar imóvel. - Porque eu juro que não vou ter um pingo de piedade de você sua piranha safada.

- Eu pr-prometo... _ Minha voz falha enquanto sinto ela subir a mão, agora passando o metal pontiagudo pelo meu rosto.

- Eu juro que se você não fizer o que estou mandando vou voltar aqui ou te encontro seja lá aonde você esteja e corto todinha essa sua carinha bonita, vou fazer um estrago tão grande que nem mesmo o melhor cirurgião plástico vai conseguir concertar.

- Juro q-ue não vou faz-zer nada. Eu juro pra você, Lauren! _ Puxo todo o ar que consigo até meus pulmões e solto um soluço.

Ela fica me olhando, um olhar frio e sem resquício nenhum de arrependimento. Pelo contrário, ela respirava fundo e forte, parecendo se controlar pra não fazer coisa pior. - Por favor... _ Sussurro implorando.

Sinto a pressão nos meus pulsos cessarem de uma vez e ela sai de cima de mim.

Leva a mão pra trás e me sinto um pouco aliviada quando ela troca o canivete pelo celular. Me levanto também e ela me lança um olhar mortal avisando pra eu não sair. Então resolvo não afrontá-la e me sento na ponta da cama.

Chorava silenciosamente passando as mãos em meu rosto. Os dois lados queimavam como o inferno.

Ela se aproxima de mim novamente.

- Você se lembra disso? _ Sorri virando o visor do celular pra mim.

VÍDEO PLAY

- Vai, isso minha vadia, chupa bem gostoso vai!! _ Meus olhos se arregalaram quando vi do que se tratava, era um vídeo íntimo nosso.

Estávamos no quarto de hóspedes do apartamento dela, ela estava ajoelhada encima da cama e eu em sua frente, abaixada chupando ela.

Foi na última vez que transamos e apenas o meu rosto aparecia no vídeo.

Eu gemia enquanto ela agarrava meus cabelos e forçava minha cabeça contra seu pau, movimentando seu quadril para frente.Não demorou muitas investidas pra que ela gozasse na minha boca, afundando seu pau no fundo da minha garganta me fazendo engasgar enquanto engolia tudo.

- Porra! Aah.. _ A voz dela soa rouca e intensa por conta do orgasmo alcançado.Dou um sorriso satisfeito e passo minha língua por todo seu comprimento até não sobrar nenhum resquício de sêmen.

Escalei seu corpo e o som de beijo é ouvido.

- Agora é a minha vez... Quero que faça a sua vadia gozar. _ Falo sensualmente e logo uma risada dela soa no vídeo.

Nessa hora Lauren afasta o aparelho da minha vista quando sua voz soou novamente no vídeo. O mesmo ainda não tinha acabado quando ela o encerrou e guardou o aparelho no bolso de trás da calça.

- O que você vai fazer?

- Eu? Não pretendo fazer nada. Mas se isso que acabou de acontecer sair daqui, esse vídeo vai parar em todos os sites pornôs que eu encontrar e claro... Sua família vai receber a pré-estreia. Inclusive seu paizinho. Faço questão que ele seja o primeiro à ver a filhinha dele em ação.

Acha que vai ser muito vergonhoso pra reputação da sua família? _ Finge inocência. - Porque pra minha não vai, afinal, meu rosto não aparece e eu só vou precisar tirar o som do vídeo antes de postar. _ Um sorriso de satisfação brilhava em seu rosto. Ela se vira, dá um passo depois volta a me encarar. - E nem pense em ir até a delegacia dar uma de esperta porque eu vou saber no mesmo instante. Além do mais já dei queixa do roubo do meu celular então... Caso algum maldoso encontre e resolva pôr esse vídeo na internet a culpa não tem porque ser minha, não acha?_ Sorri com cinismo. - Tudo depende de você minha querida. _ Pisca pra mim antes de se virar novamente, saindo da minha vista me deixando ouvir seu assobio tranqüilo soar pelo apartamento.

- Doente... Eu te odeio Lauren Jauregui! Eu te odeio. _ Rosno carregada de ódio enquanto mais lágrimas desciam pelo meu rosto.

(...)


Notas Finais


E aí??? Acham que a Lauren pegou muito pesado?
> Se tudo der certo volto ainda hoje! Até logo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...