1. Spirit Fanfics >
  2. Paixão inesperada - Jikook >
  3. Cap 22

História Paixão inesperada - Jikook - Capítulo 23


Escrita por:


Capítulo 23 - Cap 22


Fui direto para a casa de minha família, nós passaríamos mais uma semana em Busan antes de voltar de vez para Seul. Eu teria que contar isso a Jimin não queria que ele ficasse magoado, terei que convencer ele a voltar comigo para Seul, apesar de termos um passado ruim lá, voltaremos como um casal cheio de amor e vida.

- Pensando na morte da bezerra irmãozinho? - Ouvi Minseok falar e se aproximar.

- Não, apenas pensando em como irei levar Jimin junto comigo para Seul.

- Simples, fale que se ele não for você sumirá.

- Tá doido, Minseok? - Perguntei afoito. - Você não sabe o quanto ele sofreu sem mim ao lado dele durante esses quatro anos, ele cuidou das crianças sozinho, além de suportar o desprezo de pessoas idiotas só pelo simples fato de ter filhos fora do casamento.

- Oh. - Foi a única coisa que ouvi de sua boca.

- E você que marcou um ômega sem ao menos se importa com o que ele iria sentir quando fosse embora. - Falei e vi o mesmo me encarar.

- Olhe aqui, eu sei que ele ficou bem, até por que vi ele saindo com o bebê e com outro de alfa. - Minseok disse com certa raiva.

- Ok já chega desse tipo de assunto, onde está o appa e a omma? - Perguntei e ele se sentou no sofá.

- Eles saíram, falaram que iriam encontra com Junghyun no shopping. - Apenas o respondi com um " Ah tá " e me encaminhei para a cozinha.

Fiz um Lámen para eu comer, perguntei ao meu irmão se queria um também ele apenas recusou e continuou assistindo, eu pensei muito em como iria convencer Jimin a me acompanhar na volta para Seul, eu estava me tornando presente para meus filhos e para o meu atual namorado, não abriria mão disso nunca.

Deu o horário de buscar o meus filhotinhos na escola, eles com certeza iram estranhar, mas farei eles se acostumarem pois isso vai se tornar natural.

Peguei minha coisas e a chave do carro, eles ficaram na casa dos meus pais, até por que quero que ele fiquem mais tempo por lá, meus pais estão apaixonados e isso para eles se tornará cada vez melhor.

Assim que cheguei na frente da escola, vi que tinha muitas crianças com seus pais, ou até mesmo esperando eles, desci do carro e atravessei a rua até chegar em frente a escola.

- Appa!! - Vi Hyun vir até mim e pular em meu colo.

- Olá meu bem, onde está seus irmãos? - Pergunto a ele.

- Eles estão brincando lá atrás, tem várias crianças lá. - Quando ele me falou isso imediatamente fui atrás dos meus filhos. - Ali papai! - apontou para uma roda feita pelas crianças, vi Eun no meio junto com Dae-Ho.

- Dae-Ho! - Chamei pelo mesmo chamando a atenção da crianças e dos meus bebês. - Venha, vamos para casa?

Ele veio correndo em minha direção puxando com ele a pequena ômega.

- Appa, eles estavam falando coisas feias a Eun, só por que ela não quis brincar. - Fez uma carinha emburrada.

- Falarei com a diretora, ok? - Perguntei e me agachei a sua frente.

- Ok. - Peguei Eun no colo e levei os três até a diretoria.

- Olá senhor, o que deseja? - Disse a beta.

- Então senhora, vim aqui relatar que Eun está sofrendo bullying de seus colegas e eu não admitirei isso, não quero ver meus filhos mal por conta disso. - Disse eu a olhando nos olhos, enquanto a ômega em meu colo escondia seu rosto na curvatura de meu pescoço.

Eu vi apenas a mesma me olhar confusa, não entendi certamente o motivo.

- O senhor disse ser pai dos trigêmeos? - A mesma falou com um tom que não consegui descrever.

- Sim, porque da pergunta?

- Geralmente o senhor Park era pai solteiro, ele vinha sempre buscar as crianças, se não era ele, era seu irmão. - Respondeu.

- Eu estava em uma viajem para fora do país, então só soube que ele tinha as crianças quando voltei para Busan. - A mesma apenas balançou a cabeça em compreensão.

Resolvi o problema das crianças e voltei para casa de minha mãe.

Chegando em frente a casa vi carros estacionados, provavelmente Junghyun teria vindo para cá com o seus filhos. Desci do carro e tirei as crianças vendo elas correrem para dentro da mesma.

Entrei na casa e já ouvia vozes.

- Omma?! - Chamei meio incerto.

Me aproximei da sala, assim que entrei na mesma vi um homem mais velho, também vi uma moça.

- Jungkook, essa é a senhorita Yeoreum, Choi Yeoreum. - Apenas acenti e sorri para a mesma.

- Prazer em conhecê-lo Jungkook. - Ela estende a mão e eu a aperto.

Vi minha mãe se levantar e ir em direção a cozinha, eu a segui talvez eu teria alguns questionamentos.

- Omma, o que eles estão fazendo aqui? É algum tipo de proposta? - Perguntei a mais velha.

- Achei ela uma boa pretendente. - Eu arregalei meus olhos e a mesma gargalhou. - Para o seu irmão. - Suspirei aliviado.

- Fiquei preocupado. - Vi que a mesma iria sair da cozinha. - Ah, omma, eu pedi Jimin em namoro. - Ela sorriu e me desejou felicidades, eu não sei explicar o quanto a amo.

- Onde está Junghyun? - Ela saiu da cozinha perguntando por meu irmão, comigo atrás dela.

- Ele provavelmente está lá fora, ficou apaixonado de ter mais crianças para ele cuidar. - Disse meu pai sorrindo.

- Depois eu que sou o babão. - Disse e me acomode no sofá.

- Eu não tive essa sorte, só tive Yeoreum por perto. - Falou o homem mais velho, eu olhei a moça que estava sentada na poltrona e achei ele muito parecida com uma pessoa. 


Notas Finais


Com quem será que ela se parece hein??

E quem será o homem misterioso??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...