História Paixão Inesperada - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oiie, aqui é a Lore e eu queria, antes de tudo, avisar que está é a minha primeira fanfic. Estou meio insegura e não sei se alguém vai gostar, mas cá estou eu tentando. Bem, aproveitem! <3

Capítulo 1 - Nova cidade, novo começo


Fanfic / Fanfiction Paixão Inesperada - Capítulo 1 - Nova cidade, novo começo

Andava distraidamente pelo meu novo apartamento, olhando e observando cada detalhe dele. Estava fascinada em como ele era espaçoso e iluminado, apesar de todas as caixas com coisas empacotadas por sua extensão. 


"Uau!"


Afetuosamente passei as mãos pelas paredes, fui de cômodo em cômodo e os analisei sentindo uma grande euforia. Devo ter feito isso por pelo menos uns trinta minutos até parar próxima a porta de entrada para ter uma visão panorâmica do lugar e me dar por satisfeita. 

Suspirei triunfante me dirigindo às caixas papelão amontoadas e comecei a abri-las e desempacotar as minhas coisas.

Abri cada uma lentamente, pûs todos os meus pertences em seus devidos lugares e, depois de muito esforço e dedicação, quase tudo estava organizado.

Quase tudo, exceto por uma última e solitária caixa cuidadosamente acomodada próxima a uma janela. Me levantei preguiçosamente, atordoada pelo exercício da mudança. Quando a abri, entretanto, me senti nostálgica. Alguns dos meus brinquedos de infância, albuns de quando eu era bem pequena e, por fim, um porta retrato muito especial para mim. 

O ergui, me sentindo subitamente agarrada por um sentimento de profunda tristeza, e não pude evitar de chorar.


" Droga, estou parecendo uma criança... "


Após organizar tudo, mesmo toda suada fui em direção ao meu quarto e me joguei na cama, estava exausta.

Não pude aproveitar nem cinco minutos de descanso, logo meu celular começou a tocar irritantemente em cima da cômoda ao meu lado.

Levantei o braço e peguei o aparelho que não parava de vibrar, atendi e pûs no ouvido, sem sequer tirar a cabeça do travesseiro.


- Alô...? - Minha voz saiu como um resmungo. 

- Oi Saku, sou eu, Orochimaru.

- Tio? - Abruptamente me levantei, me sentindo animada.

- Quem mais seria? Hahaha como estão as coisas aí?

- Ahn... estão bem. Acabei de organizar o apartamento, acredita que nem precisou de faxina? Estava todo limpo! Ah tio, você não sabe como eu estou feliz e...

- Você me parece bem empolgada, hein? Isso é bom.


Corei.


- Erm, s-sim, eu acho. Mas estou meio triste sentido sua falta.

- Ora, não fale assim querida, senão eu choro. - ele riu de novo.


Corei mais ainda, sentindo meu rosto vermelho como uma pimenta. 


- Poxa tio, não brinque com isso! 

- Sim, sim, não fique brava.

- Mas então, como estão as coisas no hospital? 

- Estão como sempre. O Kabuto continua excêntrico, o Jiraya fica me amolando e a...- Ele hesitou. - e a Tsunade, eu acho que ela está bem, como sempre...


Eu tossi falsamente. 


- B-bem, e você, como está? 

- Por que isso, de repente?

- Não posso me importar com você?

- Claro que pode. Eu estou bem, mas o trabalho no hospital está me sobrecarregando. Ah, e não é só isso. Me chamaram para trabalhar temporariamente em um laboratório durante a manhã, e amanhã eu tenho hora extra.

- Por Deus, você pirou?! Rapaz, você só tem coragem de fazer essas coisas quando eu estou longe. Você sabe que não pode trabalhar tanto assim. 

- Você tem razão, me desculpe.

- Tudo bem, só tente se concentrar em uma coisa por vez e arrumar algum tempo para si. Vou desligar agora okay? 

- Okay, tchau, boa noite Sakura.


Meu coração se esquentou com a despedida. 

Orochimaru não era meu tio de verdade, mas a distância entre nossas idades era grande, por isso eu sempre tive o costume de chamá-lo de tio. 

Ele foi uma das poucas pessoas que verdadeiramente se importaram comigo. Ele me acolheu, me apoiou quando eu precisei e me deu carinho e atenção. 

Quando eu era pequena, nutria uma grande admiração por ele, era algo como "eu quero ser como essa pessoa", mas, durante os últimos dois anos que estive com ele, esse sentimento amadureceu e cresceu sem que eu tivesse controle, e agora estou completamente apaixonada. Ele foi o meu primeiro amor. E não, ele não faz ideia, e nem podia fazer.

Eu sempre soube, ele só queria ser algo como uma figura paterna para mim mas, eu não sei como isso aconteceu, eu tenho sentimentos por ele. Não é recíproco, mas eu estou feliz só de poder falar com ele.


" Como eu sou simples, sou uma idiota. "


Sentia meus olhos arderem, e lágrimas ameaçavam cair novamente.

Acho que não chorei porque minha barriga doía muito em protesto, e roncava loucamente. 


- Eu não posso ficar nessa fossa para sempre, posso?


Me levantei e olhei o relógio. Eram onze horas da noite mas, como agora eu estava em Tokyo, provavelmente encontraria alguma loja de conveniência que estivesse aberta e eu poderia comprar algo para comer. 


Notas Finais


Olá... novamente? Bem, espero que vocês tenham gostado do primeiro capítulo dessa fic.
Pretendo atualiza-la com bastante frequência e, quando eu tiver feito mais de um capítulo, estabelecerei uma data de lançamento ou apenas publicarei tudo de vez.
Enjoy 💕🐼


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...