História Paixão Obsessiva - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Afrodite de Peixes, Aiolia de Leão, Camus de Aquário, Dégel de Aquário, Dohko de Libra, Écarlate de Escorpião, Hilda de Polaris, Jabu de Unicórnio, Kardia de Escorpião, Miro de Escorpião, Mu de Áries, Pandora, Saga de Gêmeos, Shaka de Virgem, Shura de Capricórnio, Siegfried de Doube, Sonia de Escorpião
Tags Camus×milo Degel×kardia
Visualizações 76
Palavras 2.753
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 23 - A inconsonância


Fanfic / Fanfiction Paixão Obsessiva - Capítulo 23 - A inconsonância

Aquela semana estava passando tão lentamente que Camus estava incomodado havia passado a conta os dias nos dedos para suas férias, depois da conversa com o enfermeiro Jabú. Porém ao invés de ser afastar do hospital, estava mais próximo do que nunca, fazendo suas desnecessária horas extras para ocupar sua mente embaraçada. Enquanto Milo havia ignorado o conselho de Camus, a sua voltar aos campos tinha começado, treinando todos os dias arduamente para o jogo final, abrindo mão de quase todo seus tempo livre. Milo não estudavam, não tinha mais vida social nem mesmo atenção para seu namorado estava dando nessas ultimas duas semanas.

Refeitório 17hrs A.M

Na mesa estava Camus,Saga, Shura conversando sobre uma inauguração de uma boate no centro da cidade. Os amigos tentava convencer um certo doutorzinho, acompanha-se eles para se divertir um pouco.

-Vamos Camus será bom para você! Disse saga com insistência.

-Ele tiene razón, usted está para criar raiz nesse hospital! -Comentou Shura dando um longo suspiro.

-Vocês têm razão estou precisando desestressar um pouco curtir a vida.

-É uma boate com som ambiente, calma, padrão e bem reservado. -Explicou Saga usando sua eloquência.

Interessante! -Hesitou quase aceitado

-Vamos logo a boate deve ser a sua cara Camus, da logo essa chance!

-Ok vocês me convenceram, eu vou nessa inauguração. Concorda Camus vendo Shura é Saga trocando um sorriso cúmplice.

-Então depois do expediente nós iremos para lá. -Disse Shura saindo da mesa junto com Saga deixando o ruivo sozinho.

Após ver os amigos indo embora sentiu uma saudades alucinante de Milo, sentiu o celular vibra no bolso do jaleco e no visor aparecendo a foto do amado, a foto da qual ele mais gostavam, à foto que ele roubou do quadro de Milo e guardou no seu livro preferido, acordou de seus devaneios e atender a ligação de Milo.

-Alô?

-Oi Camy, tudo bem com você ?- A voz máscula de Milo soou como uma melodia para seus ouvidos.

-Estou bem sim é você mon amour? Perguntou esboçado um sorriso bobo

-Melhor agora! Falou ele faceiro

-Posso dizer o mesmo, já que estou tendo saudades de você.

-Não creio que Camus Blake, admitiu que está sentido saudades de mim.

- Sinta se privilegiado por isso rsrs

- Rsrs eu irei visitar você nesse domingo, você vai está trabalhando?

- Eu estou esse fim de semana todo de folga rsrs

- Você parece que gosta mais desse hospital do que de mim! Brincar Milo rindo.

-Idiota..Eu vou aguardar você, o que você vai fazer hoje a noite?

-Eu vou ficar estudando para prova de semana que vem e você?

-Nossa você está realmente focado nos estudos, isso é bom! -Elogiou ele orgulhoso.

-Assim você esquece a bobagem de futebol americano, eu vou ficar em casa lendo um bom livro. - Mentiu Camus para evitar um interrogatório do namorado que tinha um ciúmes ferino.

Eu preciso desligar minha mãe está me chamado, amo você Camy.

-Também preciso desligar falta dois minutos para o meu intervalo terminar, eu também amo você.

-Te mando mensagem depois tchau! Diz Milo encerrando a ligação e Camus voltando ao trabalho.

Capadócia 08:00hrs A.M

O céu azul e límpido, pássaros cantando as nuvens passando lentamente pelo céu, onde podia observar a quantidade de balões no céu. Porém o objetivo de Degel e Kardia era achar a igreja escondida de Saklı Kilise, uma surpreendente atração, um dos principais pontos turísticos de Göreme. E logo no começo do caminho ele encontrando uma caverna amplas, bem iluminada pela luz solar, com várias entrada, igual um labirinto sendo um pouco perigoso.

-Nossa ainda estamos muito longe! -Comentou Degel lendo o mapa

- Eu estou quase desistindo de encontrar essa "Igreja Escondida" esse caminho é bastante sinuoso. -Reclamar Kardia descendo uma escada estreita, ajudando Degel a descer.

-Não vamos até o fim agora Kardia! Afirmar com convicção e Kardia encontrando algo mais a frente.

-Olha uma igreja Degel...Aqui! -Admirado segurando nas barras de ferro de um portão velho e corroído pelo tempo.

-Kardia essa é a igreja escondida de Saklı Kilise, achamos é aqui. -Comemorar feliz abraçado o escorpiano e explorados alguns túneis esconderijo, até conseguir entrar na igreja. Era uma caverna rupestre entre suas colunas era igual um arco com as paredes de rochas no tom de creme com algumas partes escura.

-Agora que estamos aqui, o que faremos? -Questiona olhando para os lados e não vendo nada além das gravuras nas paredes, da qual não significam necessariamente nada para ele.

-Eu tenho uma ideia do que fazer. -Responde Degel enlaçado os braços no pescoço do namorado, fitando seu olhar afiado dando um beijo de língua capaz de tirar todo ar do pulmão.

- A sua ideia foi totalmente aprovada! Confirma Kardia se pegado com Degel na parte escura da caverna, vendo o namorado ficar de joelho abrindo o zíper da calça do escorpiano, tirando seu membro para fora e abocanhando sem pudor alguns chupando com vigor sustentando um olhar sexual com Kardia e o membro dele ficando rígido, empurrando Degel na parede da caverna.

-Me fode!!! - Pediu Degel fazendo uma cara de pidão, empinado sua bunda para Kardia, que não resistiu ao pedido. Na mesma hora Kardia abaixou a calça do namorado lubrificado a fenda do amado em um beijo grego, depois enfiado seu membro avantajado com toda sua força na fenda molhada e cheia de tesão, somente para ouvir os gemido alto do namorado. Ambos estava indo a loucura naquele vai e vem de papai e mamãe delicioso.

-Eu vou gozar Degel! -Avisou Kardia gemendo de prazer, que empurrou ele na hora, tirando uma toalha de piquenique de dentro da sua bolsa, estendendo no fazendo Kardia ,deita na toalha e Degel montando encima dele, e ficado no sobe e desce, e Kardia batia na  bunda de Degel que, não fazia corpo mole perante as reboladas, fazendo Kardia gozar na camisinha dentro dele.

Boate 21:00hrs P.M

Ao chegar na boate Camus tomando um susto pois a boate era totalmente ao contrário do que seus amigos havia dito. A maioria do público era jovem, a música eletrônica no último volume com show pirotécnico de fumaça colorida e os Barman distribuído sorrisos e boa energia através da interação com o seu público. Impressionado com suas habilidades incrível de serviço de bar, usado mágica, pirofagia e flair para o entretenimento do público.

-Eu acho que não estarmos na boate certa!

-É claro que estamos, mas não podíamos falar a verdade senão você não viria não é?

-Têm razão Saga, então somente nós resta curtir!!!

 -Quién es usted, e onde está el Camus? -Desdenha Shura surpreso com a reação do amigo e Saga trazendo três taça de champanhe para brindar, fizeram o brinde e depois indo dança. E Camus aproveitado para relaxar, dançando no meio da pista com os amigos, bebendo rindo descontraído como nunca antes. Porém no meio das densas cortinas de fumaça colorida, no meio de toda aquela loucura. Camus esbarrando em alguem e derrubado sua bebida na blusa do rapaz e quando a névoa baixou Camus viu que o rapaz era nada mais, nada menos  que Milo seu namorado, os dois se entreolham o tanto assustado e surpresos.

- Milo, o que você faz aqui? -Pergunta Camus surpreso e incrédulo, antes mesmo do jovem responder, Freya se aproximar um tanto eufórica sob efeito do álcool dizendo animada sem nota a presença do médico.

-Eu achei você, o time de futebol está atrás da estrela da festa o Capitão!!! -Os olhos de Milo arregalou diante de tamanha  confissão, os olhos de Camus estava irado.

-Freya eu não posso falar agora, estou ocupado! -Disse ele afastando a garota e olhando para o namorado dizendo com a voz falhada. -Eu posso explicar Camy!!!

-Eu espero que sim, pois eu quero muito ouvir as suas desculpas, já que você mentiu para mim! - O semblante alegre do aquariano ficou frio como nunca, Milo, tinha presenciado antes e engolido a seco.

-Foi por uma boa causa Camus, pois eu sabia que você ia surtar. -Responde com a voz um pouco falhada pelo nervosismo.

-Agora eu entendo o motivo do seu afastamento Milo. -Diz Camus com frieza, encarando o namorado.

-Camus eu não mentir, eu somente omitir e você também não perguntou nada! -Afirmou Milo tentando sobressai da situação. -Porém você também mentiu dizendo que ia ler um bom livro, mas está aqui é posso sabe com quem? -Questionar ciumento olhando para o Ruivo.

-Vou usar as suas palavras, eu somente omitir a verdade, porque minha intenção era ficar em casa. -Responde Camus com deboche e Milo ficando um pouco irritado.

-Foi mal eu vacilei ocultado a verdade de você, mas isso não é nada demais Camus!

-O problema é esse Milo, você agora somente me ver, na nossa condição de parceiros, mas querendo ou não ainda  sou o seu médico,  você está tomando remédio e bebendo...Você está louco!! -Questionar revoltado e incrédulo mas principalmente muito preocupado.

-Eu não tomei o remédio desde de ontem para não fazer mal. -Argumentar e se complicando mais ainda com o ruivo que tinha o semblante chocado levado as mãos no cabelo.

-Milo você não têm juízo, age igual uma criança. -Repelir Camus frustrado somente de lembrar da agonia que havia sido ver ele, passando por um tratamento rigoroso.

Saklı Kilise -Capadócia 11hrs A.M

Degel Pov’s

Ficamos os dois deitados um bom tempo até que recuperamos, eu havia realizado o meu fetiche de transar em um lugar inusitado, mas o meu membro implorava por algo a mais, eu queria possuir Kardia uma outra vez, comecei excitado ele outra vez, com beijos e carícia.

-Eu queria te pedir algo! -Sussurro em seu ouvido sexual.

-Acho que sei, o que é. -Respondeu ele com firmeza, agarrado os cabelos da minha nuca, nossas respirações ásperas se encontrado devido a aproximação dos rostos.

-Quero te fode mais uma vez...Posso Mestre? -Pediu manhoso roçando o seu membro rígido, nas nádega macias e roliças de Kardia sentindo o membro do mais velho pulsar em sua mão enquanto estava lhe masturbado.

-Humrum, HUMMMM que tesão!!! -Confirmou Kardia quase inaudível sentindo eu coloca a minha glande,  na pequena fenda. Já  preparada e tirando , fazendo o seu ânus arder de tesão em dor e prazer.

Então o corpo de Kardia se acostumando, com meu pênis dentro. E quando notei, já estava tudo dentro, estocado bem devagar e tirando isso me deixavam muito excitado, sentir meu membro entrando CM por CM dentro dele que gemia loucamente. O tesão aumentado para ambos os lados e comecei a estocar com força e vontade, fazendo chegarmos ao orgasmo juntos e intensamente.

-Nossa estou tão cansado que eu poderia dormir, aqui mesmo. -Falei deitado sobre a costa dele, que tinha a respiração ofegante.

-Eu também estou mas precisamos voltar, está ficando tarde. -Levanta pegado suas roupas e vestindo. -Eu estou com fome, vamos logo fazer esse piquenique no lago!

-Relaxa, o lago é mais embaixo, podemos tomar banho fazer o piquenique e mais a frente, alugamos um cavalo para chegar no hotel. - Disse pegado minha mochila e descendo a colina junto dele.

-Nós já estamos aqui mesmo, andamos para caralho, andar mais um pouco não faz mal, mesmo após uma rapidinha. -Responde malicioso olhando para mim, que sentir as maçã da minha face corar. Chegado ao lago fomos logo nós despindo e pulando na água gelada, fizermos o nosso piquenique, aproveitando para outra aventura, após o terceiro round de rapidinha, nós secamos e alugamos dois cavalos para chegar até à pousada em Göreme, chegamos na pousada nós jogando na cama e dormindo, essa estavam sendo as melhores férias da minha vida.

Boate 22: 15hrs P.M

Então uma bela moça de preto pele morena com seus charmosos cabelos rosas, que acompanhavam o desfecho do casal de longe, tomando um drink sensualmente pelo canudinho, resolveu indagar sobre a situação.

-Quem é você para julgar uma mentira Dr.Blake? -Desafiado Camus com olhar, naquele momento a treta estava lançada no ar.

-Do que você está falando Sônia? -Perguntou Milo impaciente vendo sua irmã encarar, seu namorado com tanta audácia, deixando o escorpiano com pé atrás.

-Pensem bem nas mentiras da qual vai contar Sônia, pois creio eu que ninguém deve mais acreditar em você. -Respondeu Camus com simplicidade, encarando ela.

O clima era pesado é tenso os três estava em uma parte mais reservada da boate, onde a música não era alta, assim não tinha tantas pessoas. Os três se entreolham mas com um olhar diferente, os olhos azuis de Milo expressava que ainda estava perdido, nas palavras de Sônia, que tinha um olhar vingativo e ferino e Camus que tinha o olhar sério de sempre. Freya como sempre tentavam tirar Sônia dali em vão, pois a rosada estava determinada à acabar com Camus.

-Camus não lhe contou, mas eu conto! -Prosseguiu virado para o irmão e olhando no fundo de seus olhos dizendo com tanta convicção que até mesmo ela acreditou, no que dizia: -Eu e Camus passamos um mês, nos encontrando todas as tarde na escondidas...No apartamento dele, eu quero quer ele ouse a negar.

-É claro que ele vai, pois eu tenho certeza que isso é men... -No momento em que Milo ia dizer a palavra mentira, foi interrompido por outra palavra vinda de Camus.

-É verdade Sônia não está mentindo, mas não foi bem assim como ela está insinuando! Admitiu ele sendo sincero sem medo das consequências, pois havia passado da hora de contar a verdade para Milo.

-O que diabo você estava fazendo com esse demônio de saia, todas as tardes Camus Blake??? -Exclamou Milo ficando com raiva fazendo suas veia ficar expostas.

-A sua irmã se aproveitou da minha condição financeira, para se infiltrar na minha vida...Inventou uma historinha de aula de francês, mas ela é tão estúpida que nem se esforçou para manter o disfarce que não sabia falar francês.

-Isso não livra você, Camy você me traiu quando escondeu essa insanidade de mim.

-Eu somente aceitei porque eu queria ter fazer uma surpresa, mas as horas extras acabavam com meus tempos e me deixar longe de você.

-Sinceramente eu não estou triste com essa palhaçada de vocês, muito pelo contrário estou com ódio!!! -Vociferar Milo encarando os dois, Sônia fazendo cara de cão sem dono e Camus tentando contornar o seu erro.

-Agora eu não posso esconder uma verdade, mas você pode ne?

-Milo uma coisa não têm nada a ver com a outra. -Responde Camus nervoso e Sônia aproveitando para jogar o veneno.

-Irmão eu estava cega igual a você, mas eu acordei a tempo por isso eu dei incentivo para voltar ao campos...Pois Dr.Blake somente deseja controlar você!

-Eu posso sabe quem lhe deu essa petulância e liberdade para falar assim da minha pessoa? -Indagar indignado virando Sônia para o seu lado de maneira bruta.

-É verdade!!! Você me iludiu, me tratou bem, me deu presente etc para me descartar como uma peça de um jogo. -Disse Sônia revoltada. -Você me levou naquele centro de patinação no gelo para esfregar na minha cara o quanto eu era TROUXA! -Fala exasperante alterando a voz e os olhos enchendo de lágrimas.

-Agora tudo faz sentido, o porque dela está lá...Aproveitado o momento eu quero sabe de quem é a porra daquela tornozeleira que está na sua casa? -Pergunta Milo com ciúmes misturando com frustação.

-Aquela tornozeleira é da Bevely que caiu eu simplesmente peguei, mas eu até entreguei para ela! -Explica Camus com uma falsa calmaria de dar inveja.

-Têm certeza? -Questionar sério.

-Total certeza! -Diz com firmeza.

-Milo você não vai cair nesse papinho furado do Camus não é ? -Comenta ao ver os dois se aproximando de maneira brandar.

-Camus não presta, ele é falso, mentiroso e ardiloso e você, não passar de um babaca do qual ele brinca...Dizia ela descontrolada partindo para apelação sentindo o álcool fazer efeito e Milo sem pestanejar dando um tapa no rosto com força fazendo os lábios dela partir e o sangue escorrer.

-Mantenham sua língua venenosas atrás de seus dentes  cobra! -Avisou Milo rangendo os dentes de ódio de sua irmã que sorriu para ele debochada.

-A verdade dói mas precisar ser dita, você não passar de um capacho otário ! - E recebendo outro tapa do outro lado de Camus, que a tempo desejavam por isso. Mas no momento que ele bateu, Milo aproveitou para fugir e Camus seguido ele chamado o seu nome, mas foi em vão, Milo tinha acabado de entrar em um táxi e indo embora deixando Camus sem sabe o  que fazer.


Notas Finais


Espero que tenha gostado do cap, águas turbulentas vão chegar.

Beijinhos a todos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...