História Paixão por acidente (ADAPTADA) - Capítulo 52


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Lauren Jauregui
Visualizações 244
Palavras 2.298
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 52 - Capítulo 52


 

- Posso trazer às senhoras algo de beberem para começar? - A garçonete lhes perguntou. As três mulheres estavam sentadas na mesa, Taylor sentada sozinha em um lado. Camila abriu sua boca, mas antes que pudesse pronunciar um som, Lauren falou.

- Café neste lado e para ela chá... limão, sem creme. Estaremos prontas para pedir quando a senhorita voltar.

- Volto em seguida com suas bebidas.

- Já sabe o que vai querer? - A executiva perguntou sem levantar o olhar de seu menu. Deu um suave toque por de baixo da mesa em Camila para que ela soubesse que a pergunta era dirigida a ela.

- Hum... - Explorou o menu, observando com grande alarme os preços abaixo no lado direito. Seis dólares e cinquenta centavos por dois ovos e pão? Dois e noventa e cinco pelo café? Seu apetite reduziu em proporções diretas aos preços - Acho que realmente não estou tão faminta. Talvez só uma torrada e café.

- Oh não, Mila - Taylor disse - Tem que provar seus ovos Benedict. É o melhor de Albany, lhe juro.

- Não, estarei bem com as torradas, tenho certeza - Sabia sem precisar olhar que era a receptora de uma inquisitiva olhada de Lauren. Talvez se esqueça de meu estômago se queixando antes. A garçonete voltou com suas bebidas e quando haviam sido servidas olhou na expectativa a Lauren.

Com um assentimento de sua cabeça, a mulher de cabelos negros indicou a Camila.

- Ela tomará dois ovos, com pão torrado, picadinho de carne de alcatra e batatas fritas. Eu tomarei o mesmo exceto que quero bacon em vez de picadinho e meus ovos devem estar bem cozidos. Taylor?

- Tomarei uns waffes belgas com morango e creme.

- Correto, lhes trarei sua comida logo - Camila olhava para Lauren de boca aberta.

- Disse que estaria bem com uma torrada.

- Taylor, você nos dá licença por um momento, por favor?

- Claro, Laur. Na verdade preciso mesmo ir ao toalete - Pegou sua bolsa e abandonou a mesa.

- Por que disse isso? - Não havia acusação no tom da jovem, só curiosidade.

- Por que mentiu sobre não ter fome? - Lauren contradisse - Olhe para mim. Diga-me que só deseja uma torrada e que o preço não tinha a ver com isto - Sua mão direita se deslizou por baixo da mesa e começou a acariciar a coxa esquerda de Camila - Entendo que pensa em quanto tudo custa. Desejaria que não fizesse isto, mas sei que faz. Também sei que não vou me sentar aqui e deixar que coma só uma torrada no café da manhã - Uma mão menor agarrou a sua debaixo da mesa e a apertou.

- Ok, obrigada - Camila se inclinou mais próxima - Na verdade, o picadinho e os ovos soam maravilhosos.

- Você os amará, confie em mim.

Um curto tempo depois Camila limpava o prato com o último pedaço de pão torrado enquanto as duas irmãs conversavam. O assunto atual era impostos, e para alguém que sempre acostumada à maneira fácil, era um assunto com o que se sentia penosamente fora do lugar. As mulheres Jauregui, por outro lado, haviam conversando durante toda a comida sobre isenções e vazios legais. Camila sorriu e comeu tranquilamente, escutando os ricos tons, mas não as palavras de sua alta companheira. Então excluiu completamente a Taylor, passou por alto seu nome a primeira vez que foi mencionada.

- Desculpe, o que?

- Acho que a estamos cansando, Taylor - Lauren riu quando viu o rubor culpado cobrir a pele clara do rosto de Camila.

- Disse que Wendy precisa de qualquer recibo que você tenha para seus impostos - Vendo a confusa olhada de Camila, Taylor explicou - Wendy é nossa contadora. Ela fará seu imposto de renda, mas acho que está lhe faltando algum papel. Só tem seu W-2 de Jauregui.

- Bem, só tenho o de Money Slashex. Não levarei muito tempo para preencher passei pouco tempo ali. Por que teria uma declaração de renda de Jauregui? Lauren só decidiu me dar o trabalho com sua secretária a pouco tempo.

- Oops - Lauren disse - Posso explicar - Virou sua cadeira para poder ficar de frente para Camila. O curto banco e suas pernas longas significou que seu joelho acabaria apoiado sobre a coxa - Lembra quando lhe pedi para assinar todos aqueles formulários para que nós pudéssemos fazer o seguro? Você está na lista de funcionários desde então.

- Quer dizer que não sabia que estava recebendo um salário cada semana? - Taylor perguntou. A ainda impressionada Camila balançou a cabeça - Você assinou uma autorização direta para o depósito para o crédito. Preencheu um W-4 para suas isenções.

- Não me lembro do que assinei. Estava no hospital e com toda essa dor de matar...

- Lauren não lhe disse o que você estava assinando? - Agora foi a vez da executiva ficar ruborizada.

- Bem... - Olhou para Camila - Quando você estava no hospital, tudo o que podia pensar era em assegurar-me de que tivesse o melhor cuidado.

- Sei que me disse que era agora funcionaria de Jauregui Corp. Não pensei que queria dizer que na verdade receberia um salário - Discretamente colocou sua mão no joelho de Lauren.

- Deve haver centenas de dólares ali dentro.

- Não pago a meus trabalhadores migalha de salário como Money Slasher. Pago um salário real. Por isso as pessoas com habilidade e talento não nos deixam depois de alguns anos e entra em alguma outra firma.

- Laur não posso ficar com esse dinheiro. Não o ganhei. Não posso só devolvê-lo ou algo assim? - Isso ganhou uma risada de ambas Jauregui - O que?

- Mila querida, tem alguma ideia de quanto papel teria envolvido em fazer algo assim? - Taylor riu levemente outra vez - Isso é impossível.

- O dinheiro é seu, Camz - Lauren acrescentou - Desculpe não ter mencionado antes. Honestamente não pensei nessas coisas como cheques e você por certo não precisou de nenhum dinheiro.

- Está bem. Podemos falar sobre isso em algum outro momento - Camila levantou a xícara de café a seus lábios, mentalmente decidindo a que instituições beneficentes daria o dinheiro senão pudesse convencer a Lauren que o devolvesse.

- Falando de mais tarde - A executiva olhou em seu relógio - Melhor irmos.

- Espera - Taylor colocou sua mão através da mesa, rogando a sua irmã permanecer onde estava. A morena olhou para Camila com tal serenidade que fez que o pulso da jovem mulher se acelerasse com nervosismo - Só quero lhe dizer algo antes que vamos embora - Lambeu os lábios e deu uma olhada rápida em sua irmã mais velha antes de continuar – Mila, amo muito minha irmã, com Chris morto, bem... Isto me ajudou a perceber o quanto estava sendo injusta com ela. Nunca a vi tão feliz quanto agora que está com você.

- Taylor não me envergonhe - Lauren falou de maneira brincalhona embora o calor se levantasse em suas orelhas.

- Oh você fique tranquila não vou falar sobre a vez em que você pegou o carro de papai para um passeio secreto e foi detida pela policia - A irmã mais jovem avisou - Agora, como estava dizendo antes que fosse grosseiramente interrompida, ela é feliz e isso é o que importa - Pegou a conta e deu uma olhada antes de passá-la através da mesa para sua irmã - Sua vez. Trinta e oito e seis para a gorjeta.

- Obrigada, sabe que odeio calcular isso - Lauren abriu a bolsa e tirou sua carteira, passando através de vários cartões plásticos até que encontrou o que procurava. Poucos minutos depois a conta foi paga e estavam paradas junto a seus veículos, que estavam estacionados um ao lado do outro - Tenho que deixar Camila e então lhe encontrarei na casa de mamãe - Lauren disse quando desarmou o alarme e abriu a porta do passageiro.

- Ok, não demore muito – A mais nova virou até Camila - Foi agradável que tenha nos acompanhado para o café.

- Obrigada por ter me convidado – Respondeu - E obrigada pelo que disse lá dentro... com respeito a que ela merecia ser feliz.

- Sim, sim, todo mundo é feliz - Lauren disse com um fingido grunhido - Exceto mamãe, que vai ter um ataque se não chegarmos logo.

- Estava sendo séria - Camila disse, golpeando o braço da alta mulher.

- Eu também - Olhou sua irmã mais jovem - Taylor, aprecio o que você disse ali dentro... assim como o que disse a noite.

- Acredita que dirão algo se duas irmãs se abraçam em público?

- Você realmente se preocupa com o que digam? - Lauren contradisse. Elas se abraçaram, para surpresa de Camila, Taylor lhe deu um rápido abraço. Despediram-se e estavam logo sobre a rodovia.

Depois de ser deixada em casa, Camila se encontrou sem nada para fazer. Lauren com certeza não voltaria tão cedo. Andou ao redor, vagando dentro e fora de cada quarto no primeiro piso. Então seus olhos seguiram as escadas. A curiosidade conseguiu o melhor dela e assim colocou as muletas na parte inferior da escada. Embora já estivesse estado no dormitório de Lauren antes, esta era a primeira vez que realmente o olhava. Este era bastante grande para um apartamento inteiro. Um acolchoado banco situado debaixo de uma impressionante janela. Uma porta aberta ao lado conduzia ao banheiro privado e a jovem mulher fez uma anotação mental para visitá-lo mais tarde. Camila viu que sua amiga tinha não uma, mas duas penteadeiras assim como o incrível closet. Um espelho de corpo inteiro embutido combinando com a madeira situada em uma ponta. Uma cabeceira, com luzes e entrecolúnio, complementada por uma cama King size. Havia criados-mudos de ambos os lados também. Sobre a parede oposta à cama estava uma versão menor do centro de entretenimento do andar de baixo. Camila abriu as portas para revelar uma coleção de vídeos de Lauren e um DVD. Seus olhos repassaram aos familiares títulos em busca de algo interessante para ver. Fileiras de fitas que não tinham caixas ou etiquetas nos costados. Pegou uma e olhou o título.

“Lauren, não sabia que tinha este tipo de fitas”.

Sorriu e colocou o DVD. Colocou as almofadas na cama se sentou para ver seu primeiro filme de adultos.

Para sua surpresa, havia realmente um argumento para o filme. Camila não prestou atenção ao título, mas calculou rapidamente que era sobre duas amantes femininas que são separadas dentro de uma cela por um cruel guarda. A primeira cena de sexo apareceu rapidamente e os olhos castanhos se dilataram ao ver duas mulheres nuas se beijando. Os beijos eram lentos, suaves como os que dividia com Lauren. Então seus beijos mudaram. Chegaram a ser mais apaixonados e uma mulher começou a gemer quando a outra apertou seu mamilo. De repente os sonhos de Camila tinham outra dimensão acrescentada a eles quando tentou imaginar Lauren fazendo o mesmo som.

Olhou as duas mulheres começarem seus atos de prazer e imaginava cada um deles sendo feitos com sua companheira. A excitação foi imediata, mas mais do que isso era outra sensação, uma muito mais importante. As mulheres na tela fizeram que Camila se dera conta que isto era mais do que um ato físico. Mesmo sendo atrizes interpretando um papel, cada toque era terno, quase amando. Entre os gemidos e os gritos havia repetidas declarações de amor de uma a outra. Por isso é que chamam fazer amor, se deu conta talvez pela primeira vez. Agora entendia o que estava negando a Lauren... E o que Lauren estava negando a si mesma honrando sua promessa a seu pai. Desligou o DVD, Camila se sentou e olhou fixamente a tela azul durante vários longos minutos enquanto as últimas peças do quebra-cabeça caíram em seu lugar.

*

- Provará as costelas de porco? - Lauren perguntou, colando um sorriso a seus lábios com satisfação - Disse-lhe que não há nada como uma boa comida chinesa.

- Não ainda não provei - Camila respondeu reservada, seus olhos não abandonaram do prato o conteúdo que estava sendo empurrado ao redor sem objetivo por seu garfo.

- Deveria. Os roletes de ovos estão muito bons. Absolutamente nada de gordura.

- Humm, humm - O brócolis e o porco sofreram mais trocas.

- Camz, aconteceu algo? Você está silenciosa desde que cheguei em casa.

- Lauren posso lhe perguntar algo?

- Qualquer coisa, sabe disso.

- Se nunca tivesse feito aquela promessa a seu pai... se nada tivesse sido para você um obstáculo... gostaria... – A jovem mulher mexeu sua cabeça e levantou seus olhos com medo da incerteza em seu olhar - Nós poderíamos ser amantes? - Lauren se colocou de pé.

- Acho que terminamos de comer. Vamos a sala e falaremos. Cuidarei dos pratos mais tarde.

- Sim, isso seria melhor - Camila concordou, levantando-se em seu pé bom. Sim, você e eu nos envolvendo juntas no sofá... - Lo? Se importaria se fossemos ao dormitório? Quero dizer, nós podemos ver televisão ali dentro, correto?

Campainhas de advertência e os apitos explodiram na cabeça de Lauren e esta engoliu em seco meditando.

- Humm... Tem certeza? - Considerando o tema da discussão, não estava completamente certa que deitarem juntas na cama era uma ideia sensata.

- Sim - E com essa palavra dita em voz alta, Camila percebeu que sim, realmente estava certa... Sobre tudo. Uma vez dentro do quarto, Camila reclinou as muletas contra a parede e pacientemente se equilibrou em seu pé bom.

- Quer se trocar primeiro? - Lauren perguntou enquanto baixava os lençóis.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...