História Palácio das Memórias - Capítulo 14


Escrita por: ~, ~Fran_jongdae e ~satansooppa

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Chanbaek, Kaisoo, Palácio Das Memorias
Visualizações 48
Palavras 2.717
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Lemon, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Frase do dia : Não busque a felicidade fora, mas sim dentro de você, caso contrário nunca a encontrará.
Olha quem voltou com essa ultima porta..
Boa leitura a todos!!!

Capítulo 14 - Quarta porta - FELICIDADE


Fanfic / Fanfiction Palácio das Memórias - Capítulo 14 - Quarta porta - FELICIDADE

Quando a ultima porta foi revelada tinha uma frase

Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho.

Era uma porta totalmente diferente, parecia uma cabana antiga como das férias de verão, onde você toma chocolate quente e lê um bom livro em frente à uma lareira. Tinha dois enormes sofás cheios de travesseiros e uma cozinha rustica e confortável. Eu tinha uma palavra que resumia aquele ambiente SIMPLICIDADE. Acho que a felicidade é assim...

No dicionário significa:

fe·li·ci·da·de

1. Estado de espírito de quem se encontra alegre ou satisfeito; alegria, contentamento, fortúnio, júbilo.

 2. Acontecimento ou situação feliz ou alegre, sorte, sucesso, ventura.

 

- Sejam bem vindos – Um rapaz alto e com um olhar sedutor surgiu da enorme cozinha e aquele cheiro...

- Parece a comida da sua mãe Kyung- Baek fala de olhos fechados.  

- Acho que já sabem quem eu sou e não precisamos de uma apresentação formal, formalidade é chata – O deus fala rindo – Podem me chamar de Lay e, por favor, se sintam a vontade. Mi Casa es su Casa...

- Eu não sei o que dizer – Baek fala sentando – Você é tão gentil

- Não se engane... – Lay fala bebericando seu chá – Peguem uma xicara, daqui a pouco irei servi a comida... Então comecem, por favor. Baek, você tem alguma coisa a dizer?

- Sim – Baek fala deixando a xícara na mesinha de centro – Eu quero me redimir com você Soo

- Deixe o ressentimento para trás, ressentimento cansa muito – Lay fala olhando suas unhas- Perdoe-me, continue.

- Eu sei que tudo que eu fiz nesse um ano foi pro seu próprio bem. Quando eu acordei da cirurgia, o Suho estava do meu lado e disse que a gente precisava conversar

Flashback On – Baekhyun

- Ainda bem que você está vivo – Suho apareceu no meu campo de visão e seu rosto estava abatido.

- O que aconteceu? Por que eu estou assim?- Perguntei tentando sair na maca

- Sinto muito, mas terá que ficar em observação por um tempo – Suho falou pegando minha mão. – Mas não é isso que eu tenho que falar. – Ele respirou bem fundo e ficou uns minutos observando a vida fora da janela e voltou a me olhar – O Kyungsoo sofreu um colapso.

- C-Como assim?

- Um colapso mental é devido ao estresse incontrolável. Existem outras causas que podem desencadear um colapso nervoso, como certos medicamentos abusam de substâncias tóxicas (drogas) ou álcool e recordar certas lembranças ou situações estressantes emocionalmente. A falta de sono ou eventos negativos da vida (separações, morte de alguém próximo, problemas financeiros…) completam a lista de possíveis causas de uma avaria. Quando Kyungsoo viu você naquela maca, seu sistema de defesa entrou em ação e criou uma vida paralela. Primeiro achamos que ele estava tendo alucinações que cria percepções falsas ou erradas da realidade, Mas esse choque destrancou a Esquizofrenia. Suho me deu um folheto explicando a doença.

A esquizofrenia apresenta várias manifestações, afetando diversas áreas do funcionamento psíquico.  Os principais sintomas são:

 

1. Delírios: são ideias falsas das quais o paciente tem convicção absoluta. Por exemplo, ele se acha perseguido ou observado por câmeras escondidas, acredita que os vizinhos ou as pessoas que passam na rua querem lhe fazer mal.

 

2. Alucinações: são percepções falsas dos órgãos dos sentidos. As alucinações mais comuns na esquizofrenia são as auditivas, em forma de vozes. O paciente ouve vozes que falam sobre ele, ou que acompanham suas atividades com comentários. Muitas vezes essas vozes dão ordens de como agir em determinada circunstancia. Outras formas de alucinação, como visuais, táteis ou olfativas podem ocorrer também na esquizofrenia.

 

3. Alterações do pensamento: as ideias podem se tornar confusas, desorganizadas ou desconexas, tornando o discurso do paciente difícil de compreender. Muitas vezes o paciente tem a convicção de que seus pensamentos podem ser lidos por outras pessoas, ou que pensamentos são roubados de sua mente ou inseridos nela.

 

4. Alterações da afetividade: muitos pacientes tem uma perda da capacidade de reagir emocionalmente às circunstancias, ficando indiferente e sem expressão afetiva. Outras vezes o paciente apresenta reações afetivas que são incongruentes, inadequadas em relação ao contexto em que se encontra. Torna-se pueril e se comporta de modo excêntrico ou indiferente ao ambiente que o cerca.

 

5. Diminuição da motivação: o paciente perde a vontade, fica desanimado e apático, não sendo mais capaz de enfrentar as tarefas do dia a dia. Quase não conversa, fica isolado e retraído socialmente.

- E-eu... – Suho me interrompeu – É melhor guardamos isso pra gente... O grau do nosso amigo é fraco, porém preocupante. Precisamos conversar com Chanyeol e explicar tudo...

Flashback Off

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

-Tudo o que você faz, um dia volta pra você. E se você fizer o mal, com o mal mais tarde você vai ter de viver. – Lay fala tomando seu chá e nos tirou do transe momentâneo – Eu fiz vocês verem o que realmente aconteceu, mas isso não quer dizer que foi algo certo.

- Eu preciso de um tempo – Falei indo para cozinha e escuto a voz da minha mãe

- Kyung meu amor, venha  que a mesa já está pronta – Ela estava com o seu avental florido e o cabelo com um coque frouxo e um sorriso acolhedor.

- Omma, o que eu fiz??

-Só as grandes paixões são capazes de grandes ações. - Ela falava do outro lado da mesa – Baek não é seu verdadeiro amor meu filho, abra seus olhos o tempo passa rápido e quando você perceber estará igual a mim...  Fora desse mundo...

Meus olhos começaram a encher de agua e meu coração começou a ficar em um ritmo descompassado e fraco...

-Meu coração tem que explorar. Não me sinto incapaz de um amor casto, severo e puro. Era medo e não era medo, era dó e não era dó, era vaidade e não era vaidade, enfim, era amor sem amor, e tudo isso dava uma combinação assaz complexa e vaga, eu não entendia como eles foram capazes de fazer tudo isso... Eu não nasci para situações tão complexas. Era-me preciso enterrar magnificamente o meu amor. Sim, eu me faço de forte, mas já chorei no meu quarto, em silêncio, a porta fechada, travesseiro no rosto, chorei por dentro, sofri. Mas sabe o que tudo isso resultou? Nada, é preciso aprender a crescer, viver, ser ‘gente grande’ e enfrentar os próprios problemas.

- Meu pequeno, aqueles que amamos nunca morrem, apenas partem antes de nós. – Assim minha mãe sumiu e senti uma mão em meu ombro

- Kyungsoo, venha comigo, por favor – Lay estendeu sua mão.

Atravessamos a cozinha e todos sumiram e estava somente eu e o deus. Comecei a sentir uma insegurança fora do comum e logo me vejo numa maca apagado e ao meu lado estava Suho.

- Isso que realmente aconteceu? – Foi uma pergunta retorica, mas Lay respondeu.

- Infelizmente sim – Ele me olhava com um olhar triste – Sua história é tão triste e bonita.

- Bonita? – pergunto confuso.

- Sim. Mesmo com toda a mentira, você tem varias pessoas que te amam e querem o seu bem, eu sei que quando a seus pais morreram você virou um menino solitário e a única companhia era sua mente... Olhe o seu passado meu filho e veja o quão sortudo seu presente está sendo. O amor eterno não existe. Mesmo a mais forte paixão tem o seu tempo de vida. Chega seu dia, se acaba, nasce outro amor. Por isso mesmo o amor é eterno. Porque se renova. Terminam as paixões, o amor permanece. – Lay me deixa sozinho naquela sala e deixo uma lagrima sair sem me importar.

-Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro. – Suho falou fazendo carinho nos meus cabelos - É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer, porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo.

- O que isso significa? – Fui tirado e logo estava na sala com meus amigos e o deus

- O passeio foi prestativo? – Lay pergunta e logo se responde- Creio que sim, olhe seu rosto está mais vivo! E você meu filho? – Lay fala olhando para Jongin – Está calado há muito tempo

- Estou absorvendo as coisas – Jongin fala brincando com a xicara

- Nunca fique calado, abra sua mente. Quem cala, consente – Lay se levanta e senta ao lado de Jongin e pega a sua mão – Eu sinto a sua infelicidade, eu sinto o seu coração quebrado...

- Mas eu fiz pelo motivo certo... Né? – Jongin fala olhando nos olhos de Lay

- Fazer algo errado pelo motivo certo, ainda é errado... – O deus fala tocando no rosto do moreno - O ser humano gosta de complicar as coisas, é só uma brisa, quem sabe ela bagunce teu cabelo, quem sabe te acaricie o rosto, quem sabe, quem sabe…

- O que isso significa? – Jongin pergunta

- Saberá o que eu digo em breve... Nem tudo é claro na vida. No momento eu quero saber do seu interior, está muito danificado.

- Eu estou morto por dentro – Jongin fala – Meu coração não sabe mais o que é o certo e o errado, não sabe mais em quem confiar, não sei amar, eu só sei o que não sei...

- O perdão nasce da mudança. Quando o passivo não se dispõe mais a viver determinada situação, ele perdoa a si mesmo junto com o autor da desarmonia. Dando a oportunidade do mesmo refletir em seu erro, mesmo que assim não o faça... Se permita, se perdoe se doe, se valorize – Lay chama Jongin e o mesmo o segue. - Desapegue-se de títulos. O apego pelas criações humanas ou "divinas" tem por consequência o aprisionamento em coleiras do ego, que por fim limitam a própria existência. Diga-me o que ver – O deus aponta para enorme janela

- Um enorme jardim, com rosas de varias cores, uma cachoeira pequena e... E um menino.

- Um menino?- Baek e eu falamos juntos

- Ele se parece comigo... – Jongin fala olhando para janela

- E o que esse menino tem na mão? – O deus pergunta

- Um passarinho – Jongin fala com uma voz de choro – E ele está muito machucado. Eu me lembro desse dia, eu achei o passarinho caído e corri pra ajudar e logo meu pai me bateu e disse que aquele bicho deveria ter morrido, por isso que caiu, pois os fracos sempre caem e devem morrer...

- Que horror – Baek fala baixo e eu consigo ouvir

- A passagem de pessoas com más atitudes vêm com o propósito de nos ensinar a não ser como elas em seus erros. Seu pai está aprendendo da pior maneira e você tem que pegar essa experiência e se erguer – Lay enxuga as lagrimas do moreno. - Às vezes, nossa vida é colocada de cabeça para baixo, para que possamos aprender a viver de cabeça para cima. Quando viemos ao mundo, aprendemos que devemos amar uns aos outros. Viemos para amar nossos pais, nossos irmãos, nossos próximos e até mesmo aqueles que nos querem e nos desejam o mal, ou seja, amar até mesmo os nossos inimigos. Mais vale aceitar a situação como é do que começar a pensar que deveria ser diferente. Se não o fazemos, começamos a julgar a circunstância ou as pessoas envolvidas. De repente, tudo o que dizem ou como se comportam nos irrita e passamos a querer controlar o que está fora das nossas possibilidades.

Aceitar o que acontece em nossas vidas significa reconhecer que a única coisa que podemos mudar de verdade somos nós próprios. Mudando as nossas reações, podemos melhorar muito a nossa relação com os outros e, consequentemente, conosco mesmos. – Lay fala nos olhando – Bom, vamos comer?

- Sim – Respondemos em uníssono

-Lembre-se: Não viva para que a sua presença seja notada, mas para que a sua falta seja sentida. Os homens pensam que possuem uma mente, mas é a mente que os possui. A verdade é que todo mundo vai te machucar. Você apenas tem que encontrar aqueles pelos quais vale a pena sofrer. – Lay fala nos olhando e logo pegando o vinho – Servidos?!

-Podemos acreditar que tudo que a vida nos oferecerá no futuro é repetir o que fizemos ontem e hoje. Mas, se prestarmos atenção, vamos nos dar conta de que nenhum dia é igual a outro. Cada manhã traz uma benção escondida, uma benção que só serve para esse dia e que não se pode guardar nem desaproveitar. Se não usamos este milagre hoje, ele vai se perder. Este milagre está nos detalhes do cotidiano, é preciso viver cada minuto porque ali encontramos a saída de nossas confusões, a alegria de nossos bons momentos, a pista correta para a decisão que tomaremos. Nunca podemos deixar que cada dia pareça igual ao anterior porque todos os dias são diferentes, porque estamos em constante processo de mudança. O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos. A cobiça envenenou a alma dos homens... Levantou no mundo as muralhas do ódio... E tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e morticínios.

Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria. Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco.

Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido. Nem sempre podemos confiar nas aparências à educação e a vivência do mundo pode dar o verniz dessas qualidades.

Quantas há cuja fingida bondade nada mais é do que uma máscara para o exterior, uma roupagem, cuja aparência bem talhada e calculada disfaça as deformidades escondidas! O mundo está repleto de pessoas que têm o sorriso nos lábios e o veneno no coração; que são mansas sobre as condições de nada nos machucar, mas... Que mordem à menor contrariedade, cuja língua dourada, quando falam face a face, se transforma em dardo envenenado, quando estão por detrás. São pessoas benignas por fora e que tiranos, domésticos, fazem sua família e seus subordinados sofrer com o peso de seu orgulho e de sua tirania, querendo compensar assim o constrangimento a que submetem fora de casa, querem pelo menos ser temidos pelos que não podem resistir-lhes. Sua vaidade alegra-se por poder dizer; "Aqui eu mando e sou obedecido"; sem se lembrar de que poderiam acrescentar com mais razão; "E sou detestado".

- Eu estou sem palavras – Baek começou – Você é tão leve e ao mesmo tempo tão seguro

-Eu não sou homem que recuse elogios. Amo-os, eles fazem bem à alma e até ao corpo. As melhores digestões da minha vida são as dos jantares em que sou brindado. - Lay fala bebendo o vinho

- Guardarei isso – Baek fala rindo

- Eu também – Falei levantando a taça – A FELICIDADE!

A FELICIDADE!!

- Você está em todo lugar? – Baek pergunta – Quero dizer, os ricos sempre tem a ‘’felicidade’’

-Para mim, um homem é um homem, isto apenas! Meço seu valor por seus atos, por seus sentimentos, nunca por sua posição social. Pertença ele às mais altas camadas da sociedade, se age mal, se é egoísta e negligente de sua dignidade, é, a meus olhos, inferior ao trabalhador que procede corretamente, e eu aperto mais cordialmente a mão de um homem humilde, cujo coração estou a ouvir, do que a de um potentado cujo peito emudeceu. A primeira me aquece, a segunda me enregela. A felicidade depende das qualidades próprias do indivíduo e não do estado material do meio em que se acha.

- O  tempo de vocês acabou e eu espero que nessa busca do conhecimento interior, vocês tenham se encontrado. Não quero que perdoem fácil, mas quero que pense com cuidado e lembre-se de quem realmente estão com raiva. Se é de você mesmo ou do seu amigo. O que faz andar o barco não é a vela enfunada, mas o vento que não se vê... Pois a  paz do coração é o paraíso dos homens.


Notas Finais


Felicidade é o estado de quem é feliz, uma sensação de bem estar e contentamento, que pode ocorrer por diversos motivos.
A felicidade é um momento durável de satisfação, onde o indivíduo se sente plenamente feliz e realizado, um momento onde não há nenhum tipo de sofrimento.
Bom gente essa foi a nossa ultima porta
A A A AA A A A A A A A acabou bebês :( estamos num misto de sentimentos inexplicável, agradeço a vocês por terem nos acompanhado e peço desculpas pelos dias de atraso sksksksk guardamos cada um no coração (Mas a vontade é guardar num pote rs)❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...