1. Spirit Fanfics >
  2. Palavras de Caetano

História Palavras de Caetano


Escrita por:


Fanfic / Fanfiction Palavras de Caetano
Sinopse:
Bernardo (Baekhyun), está num dia de fossa revivendo memórias dolorosas e, fazendo um bico cantando num barzinho, dedica "Você não me ensinou a te esquecer" ao seu primeiro amor, Caio (Chanyeol), sem saber que o ex-namorado está entre os clientes, comemorando uma boa notícia com os amigos, e o reconheceu desde a primeira música.
Iniciado
Atualizada
Idioma Português
Visualizações 908
Favoritos 324
Comentários 41
Listas de Leitura 138
Palavras 20.617
Concluído Sim
Categorias EXO
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Do Kyung-soo (D.O), Oh Se-hun (Sehun), Park Chan-yeol (Chanyeol), Personagens Originais
Tags Amor De Infancia, Baekyeol, Brasil!au, Chanbaek, Dramaromance, Fluffy, Mpb, Reconciliação

NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: LGBT, Musical (Songfic), Romântico / Shoujo, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de difamar ou violar as imagens dos artistas.

Lista de Capítulos

Capítulo
Palavras
1.
Você não me ensinou a te esquecer
41
908
20.617

Gostou da História? Compartilhe!

Comentários em Destaque

Postado por mcbadliar
Capítulo 1 - Você não me ensinou a te esquecer
Usuário: mcbadliar
Usuário
Então, eu li Palavras de Caetano há alguns dias e tava esperando achar as palavras certas pra vir aqui comentar, queria encher vcs de detalhes sobre o quanto eu amei essa fic mas sinceramente, não sei se em algum momento eu vou conseguir descrever o que eu senti lendo ela. Pra começar, eu fui escutar a playlist enquanto lia e além de ela me lembrar muito a minha infância e adolescencia de quando eu escutava muito mpb, ela também fez com que eu sentisse mais a historia, nao sei se vcs me entendem, cada música que tocava era como se tudo se encaixasse: a letra, a melodia, o que os personagens estavam sentido...acho que posso dizer que foi uma experiencia mágica!
Sobre os personagens, meu deus, que incríveis! Sério. Eles não poderiam ser mais ¿realistas?. Essa coisa de "história mal resolvida" e "amores do passado" sempre me pegam de jeito, sabem? E ver o jeito que eles se sentiam e como reagiam foi incrivel, principalmente pq vcs fizeram questao de mostrar como os dois acabaram errando e tudo por puro medo. Medo do futuro e medo de não ter um ao outro. Muito obrigada meninas, por deixarem isso claro.
Eu acho que fiquei quase tao apreensiva quanto eles quando a historia ia passando, só de saber que o Caio tava ali, ecutando tudo o que o Bernardo tava falando, e no final...meu deus, foi quase como se ninguém quisesse que acabasse. Não sei se foi essa a intenção mas a impressão que eu tive foi que os meninos não queriam se separar naquele momento e vcs não quisessem parar de escrever, assim como eu, e eu tenho certeza que vários leitores, tambem nao queriam parar de ler.
Parabéns, meninas, espero que eu tenha conseguido passar pelo menos um pouco do tanto que eu gostei de ler.
Postado por parkchoibae
Capítulo 1 - Você não me ensinou a te esquecer
Usuário: parkchoibae
Usuário
Hoje finalmente tomei coragem para ler Palavras de Caetano e ainda bem que esperei, pois no fundo eu sabia que não tava preparada pra ler tão abruptamente.
Agora que consegui, to cheia de palavras entaladas que gostaria de colocar pra fora. Tem um bom tempo que eu terminei de ler, mas demorei pra deixar um comentário pq não estava me sentindo pronta. Acho que é praticamente impossível “estar pronta” para dizer o que quero, mas vou tentar falar algumas coisas pq vocês duas merecem minhas palavras e eu gostaria de abrir o meu coração também.
Kel, desde que você começou a soltar spoilers no twitter eu fiquei um pouco mexida, sabe? No fundo eu conseguia sentir que era uma história pra deixar o leitor na fossa kkkk não imaginei que fosse ser tão intenso, no entanto.
Quando li a sinopse pela primeira vez uma nostalgia estranha tomou conta do meu peito, pois lembrei do meu primeiro amor. Nenhum dos dois sabe tocar instrumentos (eu acho que hoje em dia ele continua não sabendo e eu só me arrisquei uma vez tendo algumas aulas de teclado que não foram pra frente, então...) mas de alguma maneira senti familiaridade entre as nossas histórias.
Quando eu comecei a ler entendi o porquê. Apesar de não conhecer o meu ex desde quando éramos muito jovens como aconteceu com o Bernardo e o Caio, nós até que nos conhecemos bem cedo. Esse ano faço 20 anos e ele fez 19 agora, mas nos conhecemos quando tínhamos 12. Ele foi uma das primeiras pessoas que me acolheu quando eu saí do interior e fui morar na capital e logo ele se tornou o meu melhor amigo por longos anos, até que a amizade se tornou amor, mas demoramos muito pra admitir qualquer coisa, na época com 16 anos, entrando no Ensino Médio.
A história do Bernardo e do Caio em alguns momentos foi bem semelhante à nossa: namoramos um tempo escondidos por conta dos nossos pais, nossos encontros sempre se resumiam em idas ao cinema e sair com amigos em comum, estudávamos juntos e tudo.
Mas um dia tudo acaba, certo? E o nosso relacionamento acabou de um jeito bem feio, doloroso e triste. Muitas coisas foram ditas e acho que até hoje os dois se arrependem apesar de tudo estar resolvido. Hoje em dia estudamos na mesma Universidade, cursos diferentes, mas próximos. Nos reencontramos e não guardamos mais mágoas um do outro, mas também não somos mais amigos, apenas nos respeitamos. Os dois mudaram bastante, e tá tudo bem.
Lendo a história do Bê e do Caio eu mal percebi, mas em algum momento comecei a chorar inundada de lembranças e tocada pela história dos dois, até que só parei de chorar quando li a última palavra do capítulo. Amei o que vocês fizeram, tudo tão sútil e delicado, certamente vocês depositaram muito carinho em cada mínimo detalhe, deu pra sentir.
Foi ótimo me conectar com a história linda que vocês desenvolveram, de verdade. Fiquei grata por cada coisinha, principalmente o repertório escolhido. Durante o meu choro eu até consegui cantar um pouquinho junto ao Bê. Fiquei muito tocada tbm quando vocês mencionaram Codinome Beija-flor; é minha música favorita e eu SEMPRE choro nos primeiros três segundos dela (sim, logo na parte instrumental), inclusive tenho algumas histórias engraçadas com ela, mas isso não vem ao caso kkkk sou muito tagarela, perdão.

Caramba, estou muito feliz, nostálgica e grata. Só queria que vocês soubessem que despertaram sentimentos bons em mim hoje. Apesar de não estar mais com meu ex e atualmente sermos apenas conhecidos, no fundo a certeza de que ele foi meu primeiro amor permanece, assim como as boas memórias que tenho com ele. E ler essa história me fez perceber que tá tudo bem também pensar assim. Aprendemos muito um com o outro e amores não duram para sempre.

Mas espero que o amor do Bernardo e do Caio dure sim.

Obrigada por tudo, meninas.
Amei cada segundo.
Beijos e desculpa o desabafo! 💗 até a próxima.
Postado por dustlights
Capítulo 1 - Você não me ensinou a te esquecer
Usuário: dustlights
Usuário
Sabe, demorei para deixar um comentário porque essa história me deixou pensando bastante. Ainda confesso não cheguei em termos comigo mesmo sobre o que eu queria falar para vocês, mas eu queria poder falar alguma coisa, só para deixar marcado aqui minhas impressões. Acho que comentar, como eu estava falando sobre com uma amiga minha mais cedo, também é um ato de carinho. Você sentar e dedicar um tempo ali, pra escolher palavras doces e de apreço pra alguém, sabe? Queria poder fazer um carinho em vocês duas. Da minha maneira. Então vamos lá.

Hm, o que dizer? Essa é a primeira brasil au que eu leio do fandom. E sinceramente? Já é a minha coisa favorita. Acho que algo sobre ver eles nessa minha realidade, mesmo não morando exatamente em Minas Gerais, mas ainda assim, muito mais próximo das minhas raízes do que qualquer outro universo em que pudessemos colocar esses dois, foi uma experiência e tanto. Acho que muitas vezes eu cheguei a me desvencilhar completamente do Chanyeol e do Baekhyun que eu tenho na minha cabeça, mesmo que eu tente muito fazer isso em qualquer tipo de história, ou até mesmo quando eu escrevo... Não sei... Dessa vez, foi diferente. Me fez lembrar do quanto eu aprecio a literatura brasileira, essa coisa bem nossa, bem canarinho...e nada mais poderia fechar tudo tão bem quanto ter uma coletânea completa de mpb acompanhando de fundo. Não sei. Gostei. Quero mais. Estou viciada e por pouco me dá aquela saudade de ler tudo de novo. Experimentar as coisas outra vez. E com certeza vou fazer em algum momento, quando minha agenda não estiver tão lotada.

Sobre as músicas... Eu me senti navegando..divagando....com todas. Eu amei como tudo ficou tão conectado com a história dos dois. Eu me senti completamente imensamente contemplada pelo Bernardo. Pelo canto chorado dele. Lembrei de mim, inúmeras vezes, nos momentos em que as mesmas músicas me fizeram cantar sobre amores passados, sobre coisas que eu não esqueci, só deixei pendente. Por mais que a situação de ser uma cantora de bar (e daí pra sorte de qualquer pessoa que gosta de sair no sábado a noite pra ouvir um sambinha e tomar uma breja) nunca tenha acontecido comigo. Eu chorei com ele, eu ri com as piadas dele. Eu quase abri uma cerveja eu mesma, pra ouvir ele cantar na minha cabeça, enquanto eu cantarolaza os trechinhos que vocês deixaram aqui. Teria aberto se não tivesse lido a fanfic às oito da manhã numa quinta-feira. Me marcou demais. E nesse momento de quarentena só queria poder sair pra um barzinho eu mesma, chorar por quem já há muito tempo foi embora e eu nem sabia mais que sentia saudade. E eu li todas as palavras em voz alta. Mesmo minha garganta reclamando um pouco no final porque realmente são MUITAS palavras. Não quis perder o som de nenhuma. De verdade, quis ouvir música delas.

Esse Bernardo me marcou. Eu me vi tanto nele. No quão humano ele é. E por isso falha e por isso falhou com quem mais pensou amar no passado. Eu gosto tanto de personagens assim. Confesso que talvez até por um egocentrismo meu. De querer a todo custo me ver em outra pessoa e sei lá, me sentir menos sozinha, menos culpada de ser errada e como Kid Abelha cantou um dia, ser errante. Acho que nessas circunstâncias e por isso fiquei tanto a pensar nessa história depois que acabei, tudo que eu posso pedir é que, como o Bernardo, eu tenha coragem pra desabafar tudo um dia, mesmo que pra isso eu precise colocar um album da Adriana Calcanhotto, só pra me dar aquele empurrãozinho. Mas sabe, acho que seria bom, se pra quem eu dedicasse Devolva-me, de fato, me ouvisse. Mas não, não devolvesse o retrato, não, que por favor pedisse pra continuar com ele. Que por favor pedisse pra gente tirar outras fotos. Acho que to divagando de novo..... A culpa é de vocês.

O Caio. Ai ai, o Caio. Achei ele doce, como nem sei se poderia ser, para o próprio bem dele. Achei ingênuo e que ele perdoou tudo muito rápido. Talvez nem tão rápido porque anos se passaram. Mas acho que o amor faz a gente ser assim mesmo, esquecer da gente, esquecer de dor, olhar pra frente, pras possibilidades e pras vontades. Eu espero que dê tudo certo dessa vez. Que a distância e que o sentir falta tenha ensinado pra eles o quão é complicado se deixar amar uma pessoa, o quanto exige da gente pureza, bondade... Essa ingenuidade do Caio e essa vontade de querer perdoar. Ele é de ouro, e apesar de não parecer nada comigo, talvez seja por isso que me apaixonei tanto por ele, do jeitinho que o Bernardo se apaixonou.

E quando ele pediu Por Enquanto. Somente a minha canção favorita de todo o planeta terra. O fato de eu sempre ter escutado essa música como uma despedida. Aquele tchauzinho de ladinho que você dá pra pessoa quando o trem tá passando. Ou aquele último abraço de obrigado pelas férias que eu pude tomar de mim mesmo e da minha solidão quando você tava juntinho mas agora eu tenho que ir. É também a música dos meus pais. Eles quem me apresentaram na verdade e pra eles, essa música conta todo o amor deles. Eu nunca consegui entender, porque na minha cabeça de menina solitária que já deixou muita gente entrar e todas elas assistiu partir, só poderia significar uma música de despedida. E meus pais estão juntos até hoje, mais de 25 anos depois, sem nunca dar tchau sem a certeza de um olá daqui algumas horas. Acho que agora, lendo essa história, eu finalmente pude ver o que de Por Enquanto tem de recomeço. Eles se despediram sim, das mágoas, do passado, do que ficou naquele ano que Caio ainda tava em Itaúna. Mas isso não quer dizer que precisavam se despedir de tudo, ou que o espaço que abriram na vida não poderia ser ocupado por coisas novas. Acho que amar também tem um pouco disso agora, pequenas despedidas, de brigas, desavenças, alguns sonhos pessoais, algumas manias, defeitos. Mas a gente sempre vai dando espaço pra outras crescerem, o reconciliar, os sonhos compartilhados, as vítorias, coisa assim. Obrigada por trazerem um significado novo pra minha música favorita. Não vou nunca me esquecer.

Acho que já falei demais e não falei absolutamente nada né? Bom...... Brigada, de verdade. Por criarem algo tão bonito. Com o que a gente tem de mais bonito na nossa música. Brigada por falarem de esperança e de piedade e de segundas chances. De saudade. Me tocou, dum jeito eu sentia mt falta de ser tocada por uma história. Não preciso me estender muito sobre o talento de cada uma de vocês.............vcs bem sabem. E eu aprecio muito. Admiro muito.

Vou me despedir usando as palavras de Ivan Lins, porque quero dar uma de Bernardo hoje e eu fiquei pensando nessa música adoidada enquanto lia sobre ele. Lembra de mim! / Dos beijos que escrevi / Nos muros a giz / Os mais bonitos / Continuam por lá / Documentando / Que alguém foi feliz. / Lembra de mim / Se existe um pouco / De prazer em sofrer / Querer te ver / Talvez eu fosse capaz / Perto daqui / Ou tarde demais...

Vou me lembrar dos dois, de vocês e do que senti na manhã de quinta-feira quando tomei coragem de ler Palavras de Caetano.
Postado por YueSan
Capítulo 1 - Você não me ensinou a te esquecer
Usuário: YueSan
Usuário
Nossa, eu tô completamente destruída depois disso. Não sei, acho que a MPB tem um jeitinho especial de acabar com a gente e vocês se aproveitaram muito bem pra aumentar o estrago. Eu tô completamente encantada por essa história, tô há um tempo já esperando por ela, mas não foi nada como eu imaginava. Foi muito melhor. Sei lá, não consigo parar de chorar, tô muito mexida ainda hahahahah. Essa foi uma das histórias mais completas que já li. Não sei bem se intensa, ou profunda, se encaixaria aqui, acho que completa é o melhor. É também como eu me sinto depois de ler.

Eu só não queria acabar de ler nunca, cada vez que via que tava mais próximo do fim eu ficava triste. Sério, como superar esses personagens? Essa história perfeita? Um capítulo e tô tão apegada que não sei o que fazer da minha vida depois disso.

Pude me reconhecer em muitos momentos, em muitas escolhas. Sou uma pessoa que remoe muito os arrependimentos. Que sempre pensa o que podia ter sido feito de diferente. E essa história traz a esperança de novas chances, apesar dos pesares. Ver eles nessa transição de não só perdoarem um ao outro, mas perdoarem a si mesmos e entender que tudo é experiência, que tudo é aprendizado e construção, se você encarar assim, foi acalentador. Me sinto super acolhida, emocionada e satisfeita depois disso. Parece que tá tudo certo e que tudo vai dar certo.

Eu amei como vocês narraram a história, o passado intercalando com o presente, as músicas no meio de tudo. Amei esses dois bobos apaixonados um pelo outro, foi incrível como vocês me fizeram sentir como se eu estivesse na pele deles. E é uma história tão real, tão possível. A transição das músicas foi simplesmente genial, terminar com Por Enquanto fechou a história maravilhosamente bem, porque ao mesmo tempo que tem uma certa melancolia na música, ela também me dá a sensação de esperança? E sei lá, foi perfeito. Eu tô muito apaixonada mesmo, só tenho a agradecer por isso, a esse suspiro de luz em tempos obscuros. Essa vai ficar guardada no coração. Obrigada mesmo 💙