1. Spirit Fanfics >
  2. Palette ( jikook ) >
  3. Nine!

História Palette ( jikook ) - Capítulo 11


Escrita por:


Capítulo 11 - Nine!


Min Yoongi estava bem longe de ser a pessoa mais sociável de todas, principalmente quando estava em um ambiente que fugia da sua rotina, e com pessoas falantes, como Minho.

O CEO da empresa da frente não parava de falar desde que entraram no convidativo restaurante de comida italiana, seu assunto sempre girava em torno do casamento com a funcionária de cabelos roxos e amiga de Park Jimin - quem além de tudo, deveria ser o assunto central daquele encontro.

Mas Yoongi só podia esperar a presença do outro amigo, que, por coincidência, acabava de atravessar a porta principal do estabelecimento e caminhava na direção dos dois, sentando ao lado do acinzentado logo depois de cumprimentar o Lee.

- Já estava achando que não apareceria, não aguentava ficar mais nenhum minuto sozinho com esse papagaio. . .- murmurou para o colega, olhando de soslaio para o homem de regata no outro lado da mesa.

- Não se preocupe, já estou aqui. . .- Jeongguk respondeu na mesma altura, puxando o cardápio do local que estava no canto da mesa, intocável, Yoongi havia achado melhor esperar o outro antes de pedir qualquer coisa, sabia como o saeng era fresco para comida. - O que desejam? Está por minha conta. . .

- Ah, eu estava pensando em começar com alguns petiscos. . .- Minho, sem pedir sequer licença, puxou o cardápio das mãos alheias, buscando pela página que desejava. - Está aqui, Bruschetta, confiem em mim, são deliciosos. . .

JungKook pegou o cardápio de volta, dando uma olhada para o prato indicado; realmente pareciam apetitosos.

- O que acha, Min?

- Tanto faz, aceito qualquer coisa. . .- o acinzentado se espreguiçava na cadeira, não ligando quando um alto estalo assustou o rapaz sentado na sua frente. - Será que as bebidas são boas?

O Jeon entregou o cardápio para o amigo interessado assim que sentiu o celular vibrar; era Namjoon.

O Kim tinha preferido ficar no lado de fora tomando um ar, na verdade ele contava que aquele encontro não durasse muito, mas algo que tinha avistado no outro lado da rua lhe fez ligar para o amigo imediatamente.

- O que foi? - JungKook franzia o cenho, sem paciência. - Achei que quisesse ficar ai fora. .

- Eu estou bem, já avistei uma barraquinha de tacos no final da rua e uma sorveteria, pode demorar o quanto quiser, mas, também teve outra coisa que eu notei. . .

- Uhm. . .- murmurou para o outro prosseguisse.

- Está bem, além de comidas deliciosas, também vi o tal Park Jimin se escondendo atrás de um arbusto, e parece que ele saiu de lá todo se coçando. . .- dava de notar o tom risonho na voz do diretor, o que fez Jeon rolar os olhos, jogando a cabeça para trás e deitando-a sobre o encosto de madeira. - Será que ele está se escondendo de você. . .

JungKook mordiscou os lábios, também se perguntava isso.

- Já saberemos. . .- disse ao ver Minho chamar pelo garçom. - Já iremos pedir, pode ir comer alguns tacos e guarde um sorvete de potinho para mim. . .

- Sim, senhor. . - e então a ligação foi encerrada.

JungKook guardou o celular de volta no bolso e ajustou a postura na cadeira, sorrindo gentil quando o garçom se aproximou.

Era um jovem muito bonito, de rosto marcante e olhos alegres, mesmo que fosse seu trabalho sorrir a todo instante, estava na cara que o garoto gostava de esbanjar seu belo par de dentes brilhantes. Os fios arruivados era destacado pelo uniforme colorido e justo, era um rapaz bem bonito.

E não havia sido apenas JungKook o único a notar isso.

- No que posso ajudar? - o garoto reforçava seu sorriso, tirando do bolso do avental avermelhado.

O pequeno movimento havia feito seus braços se destacarem cobertos pela manga do uniforme, o que fez a boca de Min Yoongi se encher d'água.

Como alguém podia parecer tão adorável, mas ter um físico claramente invejável?

Wow. Yoongi adoraria se aconchegar naqueles bíceps.

Enquanto cavalgava sem pena naquele homem.

Céus. . .

- Qual será o pedido dos senhores? - e aquele sotaque italiano? Céus! Estava na presença de um europeu? Como pode todos os seus fetiches juntos em um só ser?

- Uhm, vamos querer alguns petiscos para começar, poderia nos trazer duas bandejas disso aqui? - Minho mostrava no cardápio o que desejava, olhando para o colega de olhar vidrado. - E você, Yoongi? Qual bebida escolheu?

- Ah, nós temos uma cartela de vinho excelente, gostariam de dar uma olhada? - o garçom dividia seu olhar entre os três rapazes sentados a mesa, demorando um pouco mais quando encontrou os semelhantes daquele rapaz de cabelos acinzentados e boca entreaberta. Adorável.

- Uhm, não precisa. . .- JungKook tentou responder pelo amigo. - Se tiver, traga três garrafas de soju, não queremos um banquete. . .

- Ah, sim, senhor. . .- o rapaz juntou o cardápio que lhe era estendido, curvando-se em respeito, mas antes de sair, completou; Se precisarem, me chamem, meu nome é Hoseok. . - e então puxou do bolso esquerdo ao lado do seu peito um cartãozinho com a logo do restaurante e seu nome estampado.

Quando o rapaz já se encontrava bem longe, foi quando Yoongi acordou do seu transe, quase que caindo da cadeira quando se assustou com as caras maliciosas que os outros dois lhe direcionavam.

- O-o que estão olhando? - fingiu estar irritado, apertando a gravata ao redor do colarinho.

- Você estava babando. . - JungKook gargalhava enquanto zombava do rapaz. - Tú quase assuntou o garoto, hyung. .

- Hum, não sei do que está falando. . - cruzou os braços rente ao corpo, emburrado.

Mas no fundo, Min Yoongi pensava em uma forma de sempre ter aquele garoto em sua mesa, nem que, para isso precisasse comprar todo o estoque do restaurante.

🎨



Namjoon não acreditava no que via quando se aproximou da barraquinha de tacos no final da rua, o empresário precisou tirar seus óculos de sol para cair na real.

- Jhonny? - chamou pelo rapaz, este que prontamente reconheceu o seu nome sendo chamado por aquela voz tão já conhecida. - É você mesmo?

Namjoon se aproximou mais da barraquinha, recebendo um aceno do chefe.

- Olá Namjoon, não esperava te encontrar por aqui. . - o rapaz desamarrava o avental atrás do corpo, o deixando de qualquer jeito sobre a bancada, se curvando sobre o balcão para se tornar mais próximo do amigo. - O que te traz até o centro?

- Ah, estou acompanhando um amigo. . - sorriu sentando-se em um dos banquinhos dispostos ali, aceitando a latinha de cerveja que o outro lhe estendeu. - Não sabia que estava trabalhando daqui, desistiu da confeitaria em Busan?

- Meus pais decidiram fechar para abrir uma franquia de fast food, agora estou aqui. . .- o outro também encontrou uma forma de se sentar na bancada logo abaixo do balcão, abrindo a sua própria latinha de cerveja.

- Uhm, e tem vendido muito?

- O bastante para agradar meus pais, você sabe que eles são bem exigentes. . .Não me deixariam voltar para casa sem ter faturado pelo menos vinte mil wons no dia. . .- rolou os olhos, tomando um gole da bebida.

Conversar com Jhonny era algo que o empresário apreciava por cada minuto, ainda mais se estivessem acompanhados de uma boa bebida em um dia agradável como aquele.

Já fazia tempo que não se viam desde que Namjoon voltou para Seul despois de passar uma temporada em Busan para cuidar dos negócios da Cypher, vamos dizer que os dois se tornaram mais do que apenas companheiros de bebida durante aqueles seis meses.

Mas agora, tudo que restava era um linda e pura amizade, e estava bem claro entre os dois.

Mas infelizmente não era bem assim que pareciar ser para um certo cozinheiro que deixava uma loja de temperos naquele exato momento.

SeokJin havia acompanhado o patrão e o diretor no carro até alguns quarteirões antes da empresa, havia pedido para Daechi estacionar em frente a uma papelaria para comprar um kit de canetas que vinha almejando já fazia semanas, e acabou ficando por lá mesmo, aproveitando aquela tarde para passear pelo centro e gastar o salário do mês passado que mofava na última gaveta da cômoda do seu quartinho nos fundos do apartamento.

Agora mesmo, saía de um corredor de lojas ligadas a gastronomia, desejando atualizar a geladeira dos Jeon enquanto ainda podia, mas ao deixar a última vendinha com mais duas sacolas em mãos, avistou Namjoon sentado em uma barraquinha enquanto batia papo com um rapaz.

Talvez fosse o sol quente sobre a sua cabeça, ou o fato de ainda não ter almoçado, tendo apenas experimentado um monte de besteiras enquanto andava pelo centro, mas uma baita vontade de devorar um taco inteiro sozinho havia lhe atingido em cheio, tanto que não ligou quando passou a trombar nas pessoas que passavam e acabavam batendo em suas sacolas, apenas queria se aproximar.

- Sim, eu lembro, eles eram bem unidos, têm os vistos com frequência? - foi a última coisa que Namjoon disse antes de ser pêgo de surpresa  por um corpo mole cair sobre si. - Ãh? SeokJin?

- Oi, eu vou querer um taco de carne moída com bastante molho, por favor. . .- dizia já sem fôlego, batendo seu punho sobre o balcão enquanto tentava se livrar das sacolas na outra mão, acabando por apenas largar tudo no chão da calçada. - E uma soju, a mais forte que tiver. . .

- Sim, senhor. . - Jhonny se curvou diante o novo cliente, sorrindo contido para Namjoon, antes de se virar para preparar o pedido.

SeokJin parecia pálido para os olhos de Namjoon, estava mole e quase caía para o lado, se não fosse pelo corpo maior talvez já teria caído. Estava completamente diferente do rapaz que viu mais cedo, menos vivido e mais cansado, chegava a estar até bronzeado. O Kim se perguntava se Jin estaria voltando de um passeio no deserto.

- Você pingando. . .- tentou afastar o rosto febril que respingava suor em sua camisa social. - Limpe-se ou irá ficar doente. . .

- Uhm, acho que não tem nada aver. . .- o cozinheiro disse, ajustando a postura no banco de madeira e puxando alguns guardanapos de um suporte acoplado ao balcão. - O que está fazendo aqui? Achei que fosse com o senhor Jeon. . .

- Achei melhor esperar aqui fora. . .

- Uhm, então veio dar em cima daquele pobre rapaz. . .- SeokJin era direto na maioria do tempo, principalmente quando estava prestes a entrar em colapso. Realmente não havia sido uma boa ideia caminhar no sol vestindo um moletom quase duas vezes o seu tamanho. - Que feio Namjoon, irei contar para Jeon assim que voltarmos para casa. .

Namjoon rolous os olhos, puxando os guardanapos das mãos alheias, os dobrando corretamente, puxando delicadamente o rosto de SeokJin, se aproximando do mesmo para poder passar os papais.

- Não precisa, Jhonny é um velho amigo. . .

- Uhm, um velho ficante, você quis dizer. .

- É, talvez. . - sorriu ladino, terminando de limpar a oleosidade em excesso no rosto alheio, jogando os guardanapos em um lixinho pendurado no balcão, voltando a encarar o outro de mais de perto. - O que você está fazendo aqui?

SeokJin odiava quando sussurravam tão perto assim de si, sentia-se sufocado, especialmente quando era Kim Namjoon.

- Não te interessa. . .- sorriu simples antes de afastar as mãos do outro e ajustar novamente a postura, apoiando os cotovelos no balcão. - Onde está JungKook?

Namjoon riu soprado, também apoiando-se no balcão de madeira, mas também ponto seu rosto entras as mãos grandes, e veiudas. SeokJin gostava de adicionar essa característica.

- Em um almoço de negócios em um restaurante italiano aqui perto. . - respondeu em um suspiro, encarando o amigo de soslaio.

- No Buon sapore? - SeokJin perguntou, erguendo uma das sobrancelhas quando obteve um aceno que confirmação. - Uhm, é um bom lugar, conheço alguém que trabalha lá. . .

- Uhm. .

Era incrível como as conversas entre eles sempre eram resumidas a pequenas perguntas, curtas respostas e murmúrios. Se ouvisse de longe, certamente achariam que um estava incomodando o outro.

Mas a verdade era que SeokJin não sabia como manter uma conversa com um homem como Namjoon, alguém totalmente ligado ao mundo dos negócios e administrações, era apenas um mísero cozinheiro que, pelo menos, tivera a sorte de fazer uma boa faculdade de gastronomia e ser contratado por uma família rica.

O assunto sempre morria na quinta frase, e então o silêncio se apossava do local, até algum outro empregado, ou uma das crianças aparecer e chamar por SeokJin, ou Jeongguk procurando pelo amigo.

Mas daquela vez, um cheiro delicioso é que havia chamado a atenção de Jin.

- Wow. . .- dizia admirado, olhando atentamente para o prato de comida a sua frente. - Parece estar apetitoso. .

- Provavelmente. . - o garoto sorriu do outro lado do balcão, voltando a se sentar como estava minutos atrás. - Você teve sorte que ainda sobrava algumas massas no formo, está quentinho. .

Jhonny também serviu a garrafinha de soju, esta, que foi rapidamente alcançada pelas mãos ansiosas do Kim e o líquido despejado em um copinho de drink servido.

Era o almoço que o cozinheiro sonhava desde que chegou ao centro. Amava comida de rua, mesmo que no fundo tivesse medo de voltar para casa com alguma infecção, mas pela cara daquele taco, a única coisa que voltaria para casa  era com alguns quilos a mais.

- Pode comer o quanto quiser, Jin, deixe que eu pago. . .- Namjoon já puxava a carteira do bolso traseiro da calça social, puxando algumas notas de grande valor e as jogando sobre o balcão.

- Vocês se conhecem? - o dono da barraquinha perguntou enquanto juntava as notas e as guardava no bolso do avental.

- SeokJin trabalha para Jeongguk, ele é o cozinheiro principal da família Jeon. . .- o outro ao seu lado sorria tímido enquanto tentava mastigar a carna na boca.

- Ah, então estou de frente a um ótimo cozinheiro, certo? - sorriu, servindo mais um pouco de soju para o cliente. - JungKook não contrataria qualquer um. .

- É, acho que sim. . .- Namjoon sorria quando abraçou o outro de lado, atravessando o braço sobre os ombros largos, puxando-o para si. - SeokJin é bom no que faz, a sua Carbonara é a melhor que já comi!

- Uhm. . - murmurou, sorrindo gentil para o rapaz que parecia quase engasgar com as palavras do Kim. - Imagino que sim. . .

SeokJin não demorou muito até ter devorado completamente o prato típico mexicano, chegando  a lamber os lábios em deleite quando o cozinheiro se virava para por a louça na pia. Namjoon não conseguiu não rir com aquela cena, era realmente adorável.

Depois de terminar com a garrafinha de bebida, Jin juntou suas sacolas jogadas no chão e pulou do banquinho de madeira.

- Bom, acho melhor eu ir, já atrapalhei demais a conversa de vocês dois. . . .- disse, virando-se para Namjoon. - Quando Jeongguk voltar, avise que estarei dando uma olhada por ai. . .

- Uhm, okay, mas não desligue o celular, assim que aqui terminar irei te ligar, Daechi não sabe adivinhar ainda onde as pessoas estão. . .- sorriu, deixando suas covinhas salientes a amostra, o que fez os olhinhos do cozinheiro amigo brilharem, antes que este se curva-se em respeito e fosse de distanciando da barraquinha.

- Então, ele cozinha melhor do que eu? - Jhonny voltou a se sentar próximo ao balcão, agora, com mais duas latinhas de cerveja nas mãos, estendendo uma ao companheiro.

- Uhum, SeokJin é formado em gastronomia e fez um curso no exterior de confeitaria. .

- Está insinuando que eu sou inexperiente, hein? - tentou acertar um soco no braço alheio, mas Namjoon desviou. - Eu fiz faculdade, okay?

- De contabilidade. . .- O Kim rolou os olhos, tomando um gole da cerveja. - E eu não estou insinuando nada, você apenas perguntou. . .

- Não é só porque ele fez todas essas coisas, conheço dezenas de cozinheiros que trabalharam fora e fizeram não quantos curos e a comida é horrível!

- Esse é ponto. . - Jhonny encarou-o com o cenho franzido, levando a latinha de bebida até a boca. - SeokJin só precisou concluir a faculdade e fazer um curso para ser um excelente cozinheiro. . .

O dona da barraquinha rolou os olhos, começando a se sentir irritado.

- Eu não devia ter abrido minha boca. . .




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...