1. Spirit Fanfics >
  2. Palpite >
  3. Pensamentos conectados

História Palpite - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente, finalmente entramos em quarentena aqui no RS e com essa folga do trabalho, conseguirei atualizar as fanfic e conciliar com meu TCC.
Boa leitura!

Capítulo 14 - Pensamentos conectados


 

Mesmo com a partida de Law, os ânimos não pareciam se acalmar.

Nami, Usopp, Chopper, Brook e Franky tentavam de todas as formas me convencer a mudar de ideia e deixar esse plano suicida de lado.

Luffy e Sanji me davam palavras encorajadoras, demonstrando que estariam lá independesse do que fosse.

Já Zoro...

Lembro com exatidão quando ele levantou, antes mesmo da partida de Law naquele dia e sem falar ou expressar reação, deixou o cômodo e todo alvoroço para trás.

Já se foi mais de um mês e embora ele esteja agindo exatamente da mesma forma de sempre, sinto relutância em suas atitudes, principalmente as voltadas a mim.

É como se déssemos um passo para frente e três para trás toda vez que tentássemos uma aproximação e isso é indiscutivelmente frustrante.

Nami me aconselhou a dar-lhe um tempo, mas a verdade é que eu estava chateada, frustrada e a última coisa que queria era partir com esse clima pesado entre nós.

Diversas vezes sinto que fiz tudo errado e estraguei as coisas que pareciam estar florescendo entre nós, mas por outro lado, sei também que esse não é o melhor momento para deixar meu coração vencer, até por que ele está dividido.

Um lado quer ficar e dissipar o mal-entendido com Zoro, o outro quer partir e ajudar Luffy em seu sonho.

Zoro com certeza está magoado, mesmo buscando se manter neutro, mas eu preciso fazer isso, preciso fazer por que quero ajudar Luffy, quero que meu capitão se torne rei, nem que com isso, eu arrisque minha vida.

- Sem sono? – Pergunta Nami se aproximando de mim. Já é noite alta e já fazem algumas seguidas que fico na vigia, completamente sem interesse de tentar dormir.

- Sim. – Respondo de forma simples.

- Amanhã chegaremos a uma ilha e poderemos descansar algum pouco em terra firme. Como está se sentindo? – Me pergunta.

- Acho que bem. – A verdade é que não sei direito.

- Está mentindo. – Nami me observa. – E eu sei o motivo para ficar assim.

- Queria que Law nos desse algum retorno logo. – Tento ignorar o rumo que Nami quer que o assunto siga. – Assim conseguiria me preparar melhor, essa espera está me matando.

- Estamos falando de uma base do governo mundial, não é fácil assim obter informações seguras. Quando Law as tiver ele fará contato, mas até lá, você precisa se resolver com Zoro. – Como ser sutil não adiantou, Nami partiu para a ação direta.

- Não acho uma boa ideia até termos uma confirmação. – A verdade é que estava me esquivando, não queria deixar Zoro mais magoado do que já estava. Eu guardei em meu coração as palavras de Luffy.

“Seja lá o que estiver pensando, apenas seja verdadeira com o Zoro.”

E se eu fosse verdadeira agora, sinto que o despedaçaria.

- E se Law disser que sim, o Poneglyph está lá e você precisa partir de imediato? E se o Poneglyph não estiver lá e tudo isso estiver te consumindo e consumindo Zoro sem necessidade? – Ela respirou fundo. – Luffy andou conversando com Zoro e eu com Luffy, ele me disse que Zoro está se protegendo, apenas. Todo mundo notou o afastamento repentino dele mesmo que ele tente agir normalmente, todos sabem que tem a ver com você. – Voltou a respirar de forma profunda. – E se o pior acontecer e tivermos que entrar em uma batalha contra o governo, Zoro precisa estar focado Robin e ele só estará, se perceber que tudo que sente por você não foi um engano, não foi em vão. Mesmo que você não corresponda seus sentimentos, vocês são companheiros, isso nunca irá mudar e um companheiro defende o outro até o fim, desde que seus pensamentos estejam conectados.

- Eu... – Mordo o lábio inferior. – Eu não sei o que sinto.

 A ruiva me encarou com um sorrisinho brincando nos lábios.

- Então eu vou te ajudar, vamos fazer o seguinte: Quero que pense em Law agora. – Ela escora-se ao parapeito, pensativa. – Me diga o que sente.

A encarei e fiz uma careta.

- Vamos lá Robin, feche os olhos e me diga o que sente, vai te ajudar! Serio!

Meio contrariada, acato as ordens de Nami e fecho os olhos.

Começo a pensar nos momentos em que passei com Law, na forma como seu interesse em história me encanta, em como ele sorria de uma maneira discreta quando estava surpreso, nervoso ou feliz.

Ele tinha um tipo de risada contida para cada uma das situações e isso me faz sorrir também.

E principalmente lembro-me de como conseguimos trabalhar bem juntos.

- Sinto que o conheço bem, que formamos uma boa dupla. A maneira como ele gosta de história me fascina. – Digo em meio a um sorrisinho sem graça.

- Ok, agora pense em Luffy, Usopp, Sanji... Nossos companheiros e me diga o que sente.

Começo a refletir sobre todos os momentos, as bagunças e as aventuras, a maneira livre como vivemos e a forma desorganizada em que construímos nossos laços.

Com isso, me permito sorrir de uma forma maior.

- Formamos um bando tão estranho, mas que ao mesmo tempo se encaixa de uma maneira tão certa, não é? – Nami concorda e então continua.

- Agora, pense em Zoro.

E isso me trás uma sensação completamente diferente das anteriores. Sinto um revirar nada sutil em meu estomago, que se torna um arrepio que envolve meu corpo, deixando minha pele arrepiada.

Com ele era diferente e meu coração começava a bater mais rápido sem permissão.

Por isso, a hipótese de ir para longe do bando me travava tanto.

- Eu sinto que meu coração se aquece de uma maneira diferente. – Comento e Nami me olha em expectativa. – Não sei explicar, mas estou arrepiada. – Digo e ela então abre um grande sorriso.

- Está ai a resposta que procura. – Diz de forma alegre. – Quando você fala do Law ou de nossos companheiros, não existe esse brilho no seu olhar Robin. Você os vê como ótimos amigos, mas apenas isso.

- Isso então responde alguma coisa? – Pergunto ainda meio perdida.

- Isso responde tudo, Robin. – Ela abre um sorriso ainda maior. – Incrível que você sendo tão inteligente é tão devagar nesse quesito.

Não a respondo, sei que é verdade.

Eu nem percebido que Zoro gostava de mim havia até ele mesmo jogar isso na minha cara.

Como então esperar, que eu percebesse sozinha que já retribuía o sentimento?

- Bom, eu fico de vigia agora. – Ela diz. – Eu já te ajudei como podia, agora você tem mais o que fazer nesse momento.

Arqueio minha sobrancelha enquanto Nami aponta para o ninho do corvo.

(...)

P.O.V ZORO

É quase madrugada, mas estou com a adrenalina tão em alta devido aos treinos que venho fazendo, que novamente não consigo dormir.

Sento-me no chão, cruzo os braços e respiro fundo, tentando relaxar, mas isso não da certo.

Frustrado, levanto e vou até a janela, passando as mãos no rosto.

Pensei que levar meu corpo ao extremo ajudaria a dormir e também a expulsar certos pensamentos inoportunos, mas nada parece adiantar.

Robin.

Por que ela quer fazer tamanha loucura? Por que ir com ele até uma sede do governo mundial? Por quê?

Por mais que eu entenda e compartilhe de seu sentimento de querer tornar Luffy o rei dos piratas, agir dessa forma é totalmente equivocado e também imprudente.

Só que Robin sempre foi assim, ela sempre foi imprudente e seria errado querer que justo agora, ela mudasse. 

Se aquele médico estupido confirmar a localização do Poneglyph Robin irá partir com ele.

Saber que eu nem estarei por perto para o caso de algo dar errado é ainda pior.

Isso me aborrece mais que qualquer outra coisa.

Quando pensei estar avançando em relação a nós dois, foi como se um balde de agua fria tivesse sido jogado em cima de mim. Foi como se Law gritasse que estava um passo a frente e que levaria Robin para longe.

Eu odiei essa sensação.

E pode parecer bobo, mas o medo que tenho, é que Robin perceba que aquele desgraçado tem muito mais atrativos do que eu, que parta para essa missão e nunca mais volte, que não volte por perceber que seu lugar é ao lado de Law, ou por que algo deu tão terrivelmente errado durante a missão que só pensar nessa possibilidade me deixa maluco.

Isso me deixa aflito, assustado, preocupado e todas as baboseiras que pensei não ser possível sentir por causa de alguém.

Luffy diz que estou exagerando, criando ideias mirabolantes sem nem pensar no fato de que só terei alguma certeza falando com Robin.

Mas se eu falar com ela e minhas suspeitas serem reais, será ainda pior.

Por isso tenho treinado tanto e embora até Sanji viesse me dar lição de moral dizendo que a escolha é da Robin e que não entende meu comportamento, eu não consigo mudar de atitude.

- Precisamos conversar. – Meus músculos retraem.

Durante esse ultimo mês, eu me mantive o mais neutro que consegui em relação a Robin.

 E Robin pareceu entender esse meu apelo silencioso por distancia, mas pelo que parece ela resolveu mudar drasticamente de atitude.

Viro em sua direção, o ninho está banhado pela luz da lua e a silhueta de Robin se aproxima, vencendo a penumbra e parando ao meu lado.

- E precisa ser agora, Zoro. 


Notas Finais


Dica: Aproveitem ao máximo os próximos capítulos, pois vi a previsão do tempo e ela diz que vem uma treta grande por ai.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...