História Pandora - Namkook - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Drama, Fluffy, Jungkook, Namjoon, Namkook, Romance, Superação
Visualizações 109
Palavras 1.812
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


eu sumi mano ;-;
o bloqueio criativo manda oi kk
e MEU DEUS ESTAMOS QUASE NOS 100 FAVORITOS EU TO BERRANDOOOOOOOOOOOO

Capítulo 21 - 21


CAPÍTULO XXI

Vários dias depois, na manhã do aniversário dos gêmeos, Jungkook acorda quando o alarme de incêndio dispara. O som manda Jungkook para fora da cama, fazendo-o entrar em pânico quando ele percebe que Namjoon não estava dormindo ao seu lado. O apartamento cheira à óleo queimado, e uma fina névoa de fumaça se infiltra no ar, queimando na traqueia de Jungkook.

“Namjoon!” Jungkook grita.

Um palavrão ecoa da cozinha e Namjoon emerge, balançando um pano de prato no alarme de fumaça para fazê-lo parar de apitar.

“Me desculpa”, Namjoon diz, com o rosto vermelho e exasperado. “Eu estava –” ele suspira aliviado quando o alarme de fumaça para de soar. “Eu estava tentando preparar o café da manhã, mas acabei queimando tudo... e ainda te acordei. Me desculpa.”

O pânico se liquefaz em alívio. Jungkook anda até Namjoon, passando a mão pelos seus cabelos e beijando seu queixo. “Você me assustou.”

“Eu...” Namjoon começa, mas sua voz morre, “...peço desculpas. Eu queria fazer algo legal.”

“Bom dia”

Jungkook se vira e vê Taehyung de pijama, esfregando o sono de seus olhos. Taehyung descansa a mão no ombro de Jungkook e o aperta antes de olhar para Namjoon. “Você quer ajuda para limpar?”

Os olhos de Namjoon se inclinam para o chão, e sua resposta é direcionada ao linóleo. “Se quiser...”

Jungkook abre a boca para dizer a Namjoon para relaxar, e que não foi culpa dele, mas seu irmão já havia desaparecido com ele na cozinha. Assim, Jungkook entra na sala e se joga no sofá. Jimin está acordado, ainda de pijamas como seu namorado, com óculos pesados na ponta do nariz e um livro aberto, no colchão de ar em frente a ele.

Jimin olha para cima, sorrindo. “Feliz aniversário”

Jungkook muda de lugar, inconscientemente desconfortável. “Uh, obrigado.”

Deus, ele odeia o seu aniversário.

Quando Taehyung e Namjoon terminam de limpar a bagunça do café da manhã aniquilado, Jungkook tenta convencê-los a deixa-lo cozinhar seu próprio café da manhã, algo que ambos se recusam a deixar. Ele é novamente designado para o sofá, onde ele tenta ler, mas fica irritado por não poder fazer nada por si mesmo. Ele só está completando dezenove. Não é como se ele estivesse completando oitenta.

Mas eles acabam cozinhando bacon e omelete e, honestamente, quem pode dizer não a isso?

No começo, Jungkook só queria assistir televisão e tomar uma cerveja ou duas e, talvez, terminar a noite com um barulhento jogo de cartas e uma sessão de carícias com Namjoon na cama antes de dormir, mas todos insistiram em leva-lo para almoçar fora e tomar sorvete. Se torna muito menos divertido quando Taehyung, inexplicavelmente, consegue chapéus de festa em cone, colocando um na cabeça de todos, inclusive na de Jungkook, sem permissão.

Na verdade, Jungkook não sabe o que fazer, ou pensar. Seokjin está na padaria, mas Namjoon, Tae e Jimin estão concentrados nele, tentando deixa-lo feliz (mesmo que não estejam fazendo isso do jeito que Jungkook gostaria), e celebrando seu nascimento. É estranho ter todo o foco nele, até porque este não é apenas o seu aniversário, mas o de Taehyung também.

Quando eles puxam Jungkook para dentro de uma loja de discos, Jungkook finalmente perde o controle da situação.

“Eu preciso ir ao banheiro”, ele murmura, mas em vez da porta do banheiro, ele se joga pela saída traseira da loja, e arranca o chapéu de papelão fino da cabeça. Ele o joga na lixeira e revira os bolsos da jaqueta para pegar seus cigarros. Ele não fuma há algum tempo, mas ele ainda tem dois nesse maço, e pretende detoná-los o mais rápido que puder.

Jungkook acende um, e exala antes de sentar no meio-fio.

Isso não deveria incomoda-lo tanto, afinal quase todo mundo ficaria feliz em ter um dia só para eles, mas ele não. Na verdade, ele não sabe se jamais o fará. Suas mãos tremem quando ele leva o cigarro aos lábios, e ele passa as mãos no rosto, pressionando a palma das mãos nos olhos.

Ele tenta pensar no último aniversário feliz que ele teve, e deseja que algo de sua adolescência surgisse em sua mente. Mas ele acaba pensando na lembrança enevoada e alegre de seu aniversário de quatro anos. Ele se lembra de ter amigos, se lembra de flâmulas e capas de super-heróis que sua mãe costurou para todos eles. Mas na maioria das vezes ele apenas se lembra de sua mãe, trazendo o bolo grande, sorrindo e cantando a plenos pulmões. De repente, seu peito dói com o peso do quanto ele sente a falta dela em sua vida. Quase quinze anos se passaram, mas tudo o que Jungkook gostaria era de ter sua mãe perto dele mais uma vez.

Quando ele e Taehyung olhavam as fotos antigas na casa de seu tio, Taehyung sempre dizia como a mãe deles era tão bonita, mas Jungkook achava que o que a tornava tão especial não era a beleza, e sim sua força, sua coragem, bem mais corajosa do que qualquer pessoa que ele conheceu desde então.

Em um de seus momentos mais lúcidos, seu pai contou a Jungkook uma história de como sua mãe havia sido abordada quando estava grávida de oito meses. Ele contou como ela torceu o pulso, por conta do impacto do soco que deu no homem que tentou assalta-la.

“Kook?”

Jungkook olha por cima de seu ombro e vê Namjoon a alguns passos atrás dele. Taehyung e Jimin não estão em nenhum lugar à vista.

“Oi...”

“Você sumiu”, Namjoon começa. “Estávamos preocupados”.

“Então já podem parar, ok? Eu não estou me sentindo bem, hyung. Eu não gosto do meu aniversário, e eu nunca vou gostar.”

“Pelo amor de deus, Jungkook, estamos apenas tentando fazer algo de bom para você”, Namjoon responde. “Você não disse o que queria para o seu aniversário, então Taehyung pensou que comida e música seria o melhor plano de ação. Você está sendo um idiota com ele, hoje também é o aniversário dele, esqueceu?”

Isso faz com que o estomago de Jungkook se revire. Ele não queria, mas é claro que decepcionou seu irmão. É claro que ele fodeu com alguma coisa quando as pessoas estavam tentando fazer ele feliz. Jungkook agita a ponta do cigarro para o chão e o esmaga na sola da bota. Ele empurra os dedos em volta dos cabelos, mas não sabe o que dizer.

Namjoon se senta ao seu lado, “Existe alguma coisa que eu possa fazer, para te fazer se sentir melhor?”

Jungkook estuda o rosto de Namjoon por uns segundos, e depois grunhe. “Sim...”

Um pequeno sorriso aparece no rosto de Namjoon, e ele dá um curto aceno antes de se inclinar, tocando seus lábios sobre os de Jungkook. Ele sabe que provavelmente sua boca não tem um sabor muito agradável agora – provavelmente algo como sorvete de chocolate misturado com tabaco, mas Namjoon tem um gosto incrível. Ele pegou um chiclete de hortelã de Jimin mais cedo quando ele ofereceu, e Jungkook parece não obter o suficiente desse sabor em sua língua.

“Melhor?”

Jungkook sorri de canto, assentindo com a cabeça. Eles se levantam e voltam para a loja, Jungkook murmurando um pedido de desculpas a Taehyung, que em troca lhe diz que está tudo bem, e lança um olhar especulativo para Namjoon, como se perguntasse como você fez isso? Jungkook até deixa Taehyung comprar algumas fitas de The Cranberries para ele sem reclamar, e pensa em como seria bom ter um toca-discos quando ele estiver morando em um lugar estável e puder se dar ao luxo de ter algo legal como isto. Ele sempre quis uma coleção de discos de vinil, e lembra de sentar no porão de seu tio, tocar os discos que ele tinha e cantar junto com seus artistas favoritos.

Ele havia esquecido que costumava fazer isso.

Quando eles saem da loja de discos, eles voltam para o apartamento de Seokjin. O ar cheira como o céu quando eles adentram, como balcão de padaria de manhã cedo, e frutas, e açúcar, todos se misturando em um aroma perfeito que faz o estômago de Jungkook roncar, clamando para que ele fosse até a cozinha.

Seokjin está no centro de tudo, ainda usando o avental de trabalho, que agora está coberto de farinha e manchas azul-púrpura. Os balcões da cozinha não parecem melhores.

“Eai”, ele cumprimenta com um sorriso meio torto, “Feliz aniversário, Kook e Taehyung. Um passarinho andou sussurrando que torta de mirtilo é uma das suas favoritas.”

Jungkook se vira para Taehyung, que encolhe os ombros.

“Huh, obrigado, hyung.”

Eles não fazem Jungkook usar outro chapéu idiota quando a torta esfria do calor do forno, mas eles o fazem sentar na mesa da cozinha e enfiar duas velas (ambas de cera, uma azul e outra vermelha) entre o recheio lilás do topo da torta.

Jimin fotografa Taehyung e Jungkook enquanto eles sopram as velas, tirando fotos em seu iPhone extravagante. Jungkook ainda aparece com um hematoma no olho, apesar de ter diminuído significativamente, e ele parece feliz.

Seokjin corta a torta e serve com sorvete de baunilha. O calor da massa e o frescor do sorvete fazem a mistura perfeita. Claro, eles todos estão olhando para ele, e ainda o submeteram a uma rodada de ‘Parabéns Para Você’, mas a torta é incrível e a companhia ainda melhor.

Por insistência de Jungkook, ele lava a louça antes de assistir aos episódios IV e V de Star Wars. Durante o ultimo filme, Namjoon adormece no ombro de Jungkook, e ele apenas passa um braço em torno do mais velho. Ele acorda quando os créditos finais rolam, e segue Jungkook para o quarto – deles.

Quando estão na cama, Namjoon diz: “Eu sei que você não queria um presente, mas...”

Jungkook geme em desgosto, “Mas, hyung...”

“É muito simples, e até meio prático”, Namjoon explica e o entrega um pedaço branco de papel ligeiramente dobrado.

Jungkook olha por cima do papel. “Joonie...”

Ele está certo. É prático. Jungkook olha para o papel novamente, analisando rapidamente as informações escritas. Então Namjoon realmente havia marcado uma consulta laboratorial para ele, e ele adorou isso.

Jungkook fecha o espaço entre eles para envolver seus braços em torno de Namjoon. No começo, tudo o que ele quer fazer é abraça-lo, mas então Namjoon beija a testa de Jungkook. Quando ele vai para sua bochecha, Jungkook vira a cabeça e rouba um beijo nos lábios, um sorriso surpreso e suave aparecendo no rosto de Namjoon.

Ele inicia então algo que ele sabe que é bom, e desliza sob as cobertas. Com suas mãos firmes, ele puxa as roupas de Namjoon para baixo de seus quadris, e afasta suas coxas. Um pouco desajeitadamente, e uma pequena quebra de tempo pela busca de um preservativo depois, Jungkook o engole por inteiro, arrancando muito mais do que só um simples gemido de seus lábios.


Notas Finais


acho q virou vicio terminar os capitulos assim hehe
KKKKKKK


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...