História Pão Francês - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai
Tags Baekyeol, Chanbaek, Kaisoo
Visualizações 16
Palavras 2.241
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


NOVAAAAAA

espero que gostem!!!

Capítulo 1 - Um novo amigo.


Lá estava eu novamente, comprando pãozinhos gostosos e quentinhos para minha veinha linda, vulgo mamãe.
Todos os dias, às cinco horas da tarde ela me pede para comprar "o pãozinho fofinho da padaria do seu João", é assim que ela fala.
Minha mãe tem 94 anos, ela tem Alzheimer. Eu me culpo todos os dias por não ter falado tudo o que eu quis. Eu até falo, falo todos os dias. Mas como ela não lembra mais de mim e não sabe quem eu sou, ela praticamente "não liga".
Desde que ela teve essa doença minha vida começou a abaixar. Não arranjava ninguém. Eu estava completamente desnutrido de um namorado.
Meu nome é Baekhyun. Tenho 20 anos e minha rotina todos os dias é ficar em casa assistindo TV com minha mãezinha, mexendo no celular e ir na padaria do seu João comprar o pãozinho delicioso que ele faz e mais outras coisas gostosas.
Eu moro somente com minha mãe, meu pai nos abandonou quando descobrimos a doença. Uma noite ele saiu do quarto com duas malas grandes, disse que iria em um bar romar algumas cervejas e já voltava. Achei estranho ele estar levando malas para um bar, mas como eu estava cuidando da minha mãe - Dona Inês, como todos a chamavam - eu não liguei muito.
Antes de passar pela podta e fecha-la, ele disse que eu tinha capacidade de cuida-la e que estava fazendo isso pelo nosso bem. Fechou a porta e eu comecei a raciocinar e pensar sobre o motivo de ele ter falado aquilo. Juntei todos os pontos e levantei do sofá indo diretamente ao seu quarto, abri o guarda-roupa e caiu a fixa. Suas roupas não estavam lá, ele tinha nos abandonado. Pelo menos deixou uma quantia de dinheiro que dava pra se alimentar e viver bem.

Faço medicina veterinária, consegui om o dinheiro que meu pai deixou, peguei a metade. Mamãe antes de ter a doença sempre dizia que se eu tivesse alguma oportunidade, era prs mim fazer alguma faculdade que eu me interessava. Eu amo os animais. Temos 4 gatos, 2 cachorros e um coelho. Não é atoa que eu escolhi a medicina veterinária.

Estava contando meu dinheiro enquanto eu ia em direção à padaria, ficava mais ou menos umas 4 quadras da minha casa. Eu tenho 20 reais. Quero comprar uns 12 pães e com o dinheiro que sobrar algumas gostosuras.

Cheguei na padaria, estava cheia como sempre. E como sempre também, seu João alegrando o dia das pessoas com seu jeito gentil cantando sua musiquinha "Quem quer pão ? Vem comprar com o seu João!". Toda hora, toda vez que alguém aparece ele canta essa músic. E por incrível que pareça ela não enjoava.
Me enfiei na fila e esperei até minha vez. Enquanto isso fiquei observando as belezuras que tinham na vitrine. Pão de queijo, sonho, empadinha, pastelzinho. Tudo de bom.

- O que deseja?

Chegou minha vez e estranhei seu João não cantar a musiquinha, eu era praticamente um dos seus clientes favorito. Percebi que a voz não era a mesma, era.... grossa. A de seu João é um pouco fina, ele ja tem mais ou menos uns 70 anos. Me virei e vi um homem alto, de cabelos vermelhos, - muito vermelho - orelhas grandes e bonito. 

Hum... Seu João tinha contratado um novo trabalhador? 

Não liguei muito e me pronunciei.

- 12 pães, por favor. - Falei e sorri.

- Pra já baixinho! - Falou e eu franzi o cenho.

Baixinho? Mas o que.

- Baixinho? Eu não sou baixinho! Tenho 1,69 de altura. - Falei birrento. 

- Mais baixo que eu é. - Falou pegando os pães colocando em um saco e rindo.

Revirei os olhos.

- Aqui. - Falou e me entregou o saco cheio. - Mais alguma coisa? 

- O que você tem tanto de bão' aí? - Falei.

- Seu João fez umas empadinhas de frango com palmito hoje. Tem folhado, pão de queijo também.

- Pode ser tudo isso que você falou, 5 de cada. - Falei

- Pra já! - Falou e sorriu. Sorri também, não sei o porque.

 

- Aqui

- Obrigado meu parceiro! - Falei brincando pegando as sacolas de sua mão. Eram muitas.

- Deu 16 reais. - Falou.

Dei meu vintão pra ele e ele me deu troco de 4 reais.

- Ooooooooi meu fio! Como você está? - Seu João gritou saindo de dentro da cozinha limpando as mãos no seu avental.

- Ooi seu João! Estou bem e você? - Falei dando um abração nele.

- To bem fio, como tá a linda Inês? - Falou.

Eu shippo minha mãe com o seu João. Sei lá... Eles combinam muito, pra mim. Os dois tem cabelos branquinhos como a neve, pele branquinha e usam óculos de vovózinhos. 

- Ela está bem seu João, bem faceira, ela ama seus pães fresquinhos! - Falei e sorri.

- Que bom Baekhyun! Diz para ela que isso - Me entregou um pote de paçoquinhas - é especialmente pra ela, mesmo que ela não se lembre de mim. Claro, você pode comer também! - Falou e riu.

- Ok seu João! Obrigado, ela agradecerá também. - Falei e dei um abraço de despedida.

Seu João viu que eu estava todo atrapalhado com tanta sacola nas mãos.

- Chanyeol meu filho, ajude Baekhyun a levar as comidas para casa, ele mora muito longe fio. - Seu João falou para o homem que me atendeu.

- Tá bom seu João, vou tirar o avental e já vou. - O homem falou já tirando o avental.

- Fale isso para Baekhyun. Ele pode estar com pressa Chanyeol. - Seu João falou indo para a cozinha.

- Ei, posso tirar o avental primeiro? - Falou muito próximo de meu rosto.

Me afastei.

- Claro, não estou com pressa, só tá doendo um pouco meus dedos. - Falei e ri.

Correu para a cozinha e logo voltou.

Ele usava uma camisa branca com a sigla P.S.J - Padaria do seu João, fofo - e uma calça preta.

- Me dê algumas. - Falou pegando algumas sacolas, quase todas, fiquei só com a do pão de queijo e da empadinha.


- Obrigado. - Falei e fomos.

 

 


- Seu nome é Baekhyun? - Falou enquanto andávamos


- Sim! Prazer, Byun Baekhyun, e o seu é Chanyeol? - Falei divertido.

- Simmm, Park Chanyeol, prazer é todo meu! - Falou divertido também. - Quantos anos você tem? 

- Tenho 20, é eu sei, não parece. - Falei e ri.

Foi para minha frente e me parou me olhando de cims a baixo.

- 20????? Parece que tem 15! - Falou e riu, ri também.

- Eu disse! Todos falam isso! E você? Tem quantos anos?

- Tenho 20 também! Você cuida bem da sua pele, né? - Falou voltando a ficar ao meu lado e seguindo novamente.

- Sim, eu adoro cuidar de mim mesmo. Tenho muitos produtos em casa. - Falei. - Ah, e você tem cara de 20 mesmo.

- E eu aqui com essa cara cheia de cravinhos. - Falou e abaixou a cabeça.

Parei de fitar a estrada, olhei para ele e coloquei minha mão em seu rosto.

- Não está tão ruim assim! So deve lavar bem o rosto com um sabonete antisséptico e depois passar protetor antes de sair de casa. - Falei passando a minha mão em seu rosto.

Ele ficou me olhando, dentro dos meus olhos. Parecia que estava apaixonado por mim.

Tirei minha mão rápido e fiquei olhando para ele com uma cara assustada.

Balançou a cabeça.

- Desculpa. - Falou e começou a rir. - O que você falou mesmo?


- Falei que não está tão ruim assim. Só deve lavar bem o rosto com um sabonete antisséptico e depois passar protetor antes de sair de casa. 

- Ah sim! minha mãe tem um sabonete desse!

 


Conversamos sobre um monte de coisa.

 

- Baixinho, você estuda ou trabalha? - Chanyeol me perguntou.

- Ei! Eu já disse que eu não sou baixinho! - Falei birrento empurrando-o.

- Calma - Falou cambaleando e rindo. - Caralho! Você tem bastante força hein!?

- Tenho, não é atoa que eu faço exercícios em casa com pesinhos.

- Hummmm, Baekhyun saudável... Mas olha, você não me respondeu. - Falou Chanyeol me olhando.

- Faço faculdade de medicina veterinária. 

- Nooossa! Que legal! - Falou bobo.

- Você só trabalha ali na padaria ou faz mais alguma coisa? - Perguntei.

- Por enquanto estou só na padaria. Resolvi trabalhar ali pra ganhar um dinheiro pra entrar em uma faculdade também. - Falou.

- Qual você se interessa? - Falei animado.

- Medicina. Gosto de cuidar das pessoas, aconchegar. Acho que é um bom início.

- Uau, é mesmo, tomara que você consiga o dinheiro. - Falei.

Estávamos quase chegando, acho qje faltavam 4 metros para chegar.

- Por quê você decidiu fazer medicina veterinária? - Perguntou.

- Eu amo os animais, adoro cuidar deles, eles são minha família praticamente. Tenho 4 gatos, 2 cachorros e 1 coelho em casa.

- Caralho! Posso ver? - Falou e eu assenti.

Chagamos e entramos.

- Ooooi! Quem é? - Mamãe gritou da sala. Ela estava assistindo Caldeirão do Hulk, só deu de ouvir "CALDEIRÃOOOOOOO".

-Sou eu mãe! Baekhyun! - Falei tirando o calçado e Chanyeol fazendo o mesmo.

Vi ela vindo, ela usa cadeira de rodas, parte de seus membros já não funcionavam mais.

- Oi... Quem é você? - Mamãe me perguntou. 


Sempre que eu voltava pra casa de algum lugar, até mesmo sair do banheiro ela me perguntava quem eu era. Isso me acabava por dentro. Minha mãe não lembrava mais de mim.

- Mãe, sou eu, seu filho! - Falei e dei um abraço nela. 

- Filho? - Mamãe falou. Parou um pouco e voltou. - Oi filho, como você tá? 

Eu sabia que ela ainda não me reconhecia, mas como as outras vezes eu fazia o mesmo, por que não fazer agora?

- Estou bem mãezinha! E a senhora? - Falei olhando para Chanyeol que tinha dua expressão de "AWNNNNNNN"

- Eu? eu to bem... To bem? - Falou e eu ri.

- Você sempre está bem minha rainha! - Falei. - Mamãe, este é Chanyeol, um trabalhador da padaria que a senhora gosta! Ele veio me ajudar a trazer as comidas.

- Oi Chanyeol, como você vai rapaz bunito'? - Falou segurando sua mão e puxando (quase o derrubando) para dar um beijo em seu rosto.


Minha mãe é tão dócil com as pessoas....


- Olá Dona Inês! Eu vou indo bem e a senhora???? - Falou dando um sorrisão. Parecia que ele adorava idosos.

 


Nós três conversamos muito, - ainda na porta da entrada - até que eu me lembrei do pote de paçoquinhas.


- Mamãe! Seu João pediu para trazer uma coisinha pra senhora! - Falei tirando a paçoca da sacola.


- Seu João? Quem é seu João? - Falou confusa.

- O dono da sua padaria preferida, mamãe!

- Seu João? Seu Jo... Ah, o seu João! - Mamãe falou. Ela não sabia quem era.

- Isso mamãe. 


Dei o pote e ela abriu um sorriso largo. 


- UUUUUUUUH, EU ADORO ISSO! - Mamãe falou me fazendo sorrir e lacrimejar.

Ver minha mãe tão alegre assim me deu vontade até de chorar.

Como seu João sabia que ela gostava tanto de paçoquinha?

 

Entramos e deixamos as sacolas em cima da mesa da cozinha.


- Fio, pode ficar aqui em casa, Baek vai fazer uma janta incrível pra nós! - Mamãe falou para Chanyeol.

- Não, não senhora! Tenho que voltar ao trabalho, meu chefe já deve estar preocupadíssimo. - Chanyeol falou segurando as mãos dela.

- Ok então! Amanhã venha! Baekhyun está precisando de alguém pra dar uns beijos! - Mamãe falou e eu arregalei os olhos.

- Mamãe, vou acompanhar Chanyeol até a porta, ok? - Falei o empurrando.

Fechei a porta e ele começou a rir.

- Sua mãe é um amor Baekhyun! - Falou. - Eu adoro idosos, eles são cuidadosos e fofos. 

Sorri.

- Deu pra perceber! - Falei.

Ele sorriu.

 

Ficou um silêncio incomodativo.


- Ér... Boa noite então! - Estava escurecendo já. - E obrigado por ter me ajudado! - Falei.

- Boa noite! De nada, quando precisar eu to aqui! - Falou. - Ah, você pode me passar seu número? Gostei de você, a gente pode se tornar amigos, se você quiser.

- Claro, por que não? - Falei e passei o número.

- Ei, antes de eu ir... Posso te chamar de baixinho? - Falou e eu o empurrei.

- Tá, vai! Mas lembre-se que eu não sou baixinho! Só um pouco mais baixo que você. - Falei cruzando os braços.

- Um pouco?! - Falou e riu. - Eu tenho 1,84 de altura baixinho, é muito mais baixo do que eu! 

- Tá, pare de se gabar com sua altura.

Nós dois rimos e ele saiu pelo portão.

- Cuide bem de sua mãe, ela é preciosa! - Gritou do portão. - Tchau! 

- Tchau! Vai direito!

Entrei em casa e deu o barulhinho de mensagem. 

Vi a foto e percebi que era Chanyeol.


18:50: Oi baixinho! Sou eu Chanyeol!


Salvei seu contato como "Chan". Dou muitos apelidos para meus amigos.


Sim, agora estou considerando Chanyeol meu amigo. Minha mãe agradece, parece que ela gostou muito dele. Ainda bem.

 


Notas Finais


AAAAAAA ESPERO QUE TENHAM GOSTADOOOOOO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...