1. Spirit Fanfics >
  2. Papai Kook >
  3. Julgamento pt 3...

História Papai Kook - Capítulo 29


Escrita por:


Notas do Autor


Oii gente, primeiramente agradeço por todos que estão torcendo por minha recuperação 💜 Agradeço também a todos que estão acompanhando, espero melhorar cada dia mais pra continuar escrevendo pra vocês 🙏

Esse capítulo tá grandinho porque eu não quis cortar e ter que fazer outro de julgamento, espero que não fiquem entediados e gostem do capítulo, quero ver vocês ansiosos para o próximo 🌸

Capítulo 29 - Julgamento pt 3...


Fanfic / Fanfiction Papai Kook - Capítulo 29 - Julgamento pt 3...

Jungkook conhecia bem aquele homem que agora fazia seu juramento, reconheceu seu rosto quando estava saindo caminho ao tribunal. Desde o dia que conheceu Mina soube que aquele homem era seu amante, mas nunca iria se importar já que nunca se importou com suas traições, mas Jungkook sabia bem que ele era e sua cabeça girava tendo a certeza que não aguentaria outra pessoa o acusando de tanta monstruosidade, porque era isso que o amante de Mina faria já que esteve ao lado dela por tantos anos. Na cabeça de Jungkook aquele homem acabaria consigo como a maioria naquele julgamento estava fazendo.

— Kim HyunJoong, pode nos confirmar se realmente era amante de Jeon Mina? E por quanto tempo foi seu amante?

— Protesto. — O promotor levantou-se deixando claro para Taehyung que estava nervoso. — Excelentíssimo, Kim HyunJoong ainda está aguardando para ser julgado sobre a morte de Jeon Mina. Não tem nenhuma razão para ele está aqui. Este julgamento é sobre Jeon Jungkook e não sobre a morte de Jeon Mina.

— Excelentíssimo, tem todas as razões para que Kim HyunJoong esteja aqui. — Taehyung queria rir do desespero do promotor, mas manteve sua postura. — Kim HyunJoong além de amante foi realmente um dos únicos a acompanhar tudo que envolve os Jeon's já que era o confidente de Jeon Mina.

— Protesto negado. Por favor Kim HyunJoong, responda.

— Sim. Eu comecei a me relacionar com a Mina um pouco antes do dia em que ela conheceu o Jeon, então eles casaram e eu passei a ser seu amante até o dia de sua morte.

— Pode nos dizer se Mina falava sobre a relação entre ela e Jungkook para você?

— Claro. Ela reclamava todos os dias o fato de não terem uma relação realmente. Mina odiava o fato de que desde o casamento nunca tiveram relações sexuais. — Taehyung sorriu e todo o júri parecia surpreso.

— Está nos dizendo que Jeon Mina e Jeon Jungkook não tinham relações sexuais em seu casamento?

— Sim, eles não tinham uma vida de casados. Enquanto estava comigo ela sempre ria da vida tediosa e sem sexo do Jungkook. — Fez uma pausa. — Eu acho que nunca senti ciúmes de fato deles como achei que iria sentir quando se casaram porque eu sabia que entre eles não acontecia nada, o Jungkook havia casado apenas para manter a honra do nome de sua família já que foi ameaçado pelo pai de Mina.

— Em todos esses anos a Mina lhe contou sobre desconfiar da forma como Jungkook cuidava de sua filha? Ou se desconfiava sobre as intenções de Jungkook sobre ela?

— Da forma como ele cuidava da filha? — HyunJoong riu alto. — Como ela poderia desconfiar se ele nunca cuidava dela? Jungkook não era pai ou muito menos a Mina era mãe.

Jungkook arregalou os olhos surpreso e Taehyung sorriu de canto, aquele homem falaria realmente toda a verdade?

— Pode nos dizer um pouco mais sobre isso? Porque tem essa opinião?

— É bem óbvio isso. — Taehyung tentava controlar seu sorriso. — A Mina era uma vadia, você já viu uma vadia que era pobre se tornar rica da noite para o dia tão facilmente e fazer outra coisa a não ser fazer compras ou estar gastando o dinheiro do marido com seus amantes em hotéis caros? — HyunJoong sorriu novamente. — A Mina foi obrigada pelo Jungkook quando se casaram a estudar para manter o nome da família dele intacto, então quando ela não estava na faculdade ela estava ou fazendo compras ou comigo e outros amantes. Já o Jungkook nunca estava em casa, ela sempre falava que ele passava tempos no trabalho então não teria problema ela estar comigo porque ele nunca estaria em casa para dar falta dela.

— Então você me confirma que Jeon Mina nunca reclamou desconfiada da relação de pai e filha de Jungkook e S/n?

— Não até alguns dias depois do Jungkook pedir o divórcio, e alguns dias antes do Jungkook ser preso. — HyunJoong Suspirou. — Mina tinha inventado uma viagem, disse a filha que iria para uma nova palestra de médicos que tinha sido convidada, era essa a desculpa que ela sempre dava quanto queria viajar. Eu não queria ir naquela semana. Eu sempre gostava de viajar com ela porque eu a amava, mas naquela data eu não queria ir. — Mordeu o lábio inferior apreensivo. — Até o dia que viajamos a Mina nunca desconfiou de nada ou nunca notou algum comportamento errado entre eles. Mas quando voltamos depois do aniversário da S/n, as coisas pareciam ter mudado e acredito eu que foi nessa época que as coisas começaram entre eles.

Jungkook sentiu seu coração acelerar e podia jurar que um sorriso queria surgir em seu rosto, podia jurar que algum tipo de esperança estava nascendo em si e agradecia por ao menos alguém ali parecia falar a verdade.

— Porque você acredita nisso? — Taehyung sentia o nervosismo de fazer aquelas últimas perguntas.

— Porque a Mina disse que quando voltamos da viagem eles estavam próximos, próximos como nunca foram antes. Antes eles apenas falavam o necessário como sim ou não, ou bom dia, boa tarde e boa noite. Mas quando voltamos a Mina me falou que eles estavam próximos, conversando, assistindo filmes e fazendo coisas que nunca fizeram antes por isso acredito que foi nessa época que as coisas mudaram, depois do aniversário dela.

Taehyung olhou para Jungkook por um momento e balançou sua cabeça como se quisesse o tranquilizar pelo que aconteceria a seguir. Virou novamente para HyunJoong e respirou fundo enquanto HyunJoong mordia levemente os lábios, estavam todos nervosos, o jogo da mentira iria começar.

— Eu não pude deixar de notar quando disse que naquela época não queria viajar com Mina, mesmo gostando muito disso. Pode nos dizer o por que?

— Po-Porque... — HyunJoong fazia de tudo para se mostrar o mais nervoso possível. — Porque era o aniversário da S/n.

Taehyung fez uma expressão surpresa e fingida enquanto o júri e Jungkook realmente estavam.

— O aniversário da S/n, mas o que tinha incomum com você o aniversário da S/n?

— Porque eu a observava, eu estava sempre a observando. — HyunJoong deixou que suas lágrimas caíssem. — Eu sentia muito por ela não ter a presença de uma mãe ou um pai que lhe tratasse com carinho, que lhe mostrasse afeto sempre que precisasse. Eu passei a observar com as babás e passei a acompanhar seu crescimento de longe, eu me apeguei a ela e estava sempre ali, distante onde ela não pudesse me ver mas presente se algum dia ela precisasse de mim.

Todo o júri e incluindo Jungkook, na verdade, todos presentes naquele julgamento pareciam chocados e até mesmo confusos.

— Mas por que você faria isso? A S/n não é apenas a filha de sua amante? Por que se importaria tanto com ela? Seria porque... ela é sua filha?

Jungkook arregalou seus olhos e poderia jurar que todos ali tinham feito o mesmo se tivesse prestado atenção, mas naquele momento tudo e apenas o que prestava atenção era no desenrolar daquele julgamento.

— E-Eu sinto muito, Jungkook... — HyunJoong olhou para Jungkook e deixava suas lágrimas caírem. — Eu nunca contaria isso, mas eu não posso mais...

— Pode nos responder?

— Sim, a S/n é a minha filha. — Jungkook sentiu seu coração acelerar e arrumou sua postura na cadeira enquanto ouvia tudo aquilo, o que aquele homem estava falando? — Quando a Mina conheceu o Jungkook ela até tentou dar o golpe mas já esperava um filho meu. Eu não tinha o dinheiro que o Jungkook tinha então ela me convenceu que seria o melhor para a criança e eu cedi. O Jungkook até fez o exame de DNA quando a S/n nasceu, mas deixou que a Mina fosse pegar o resultado e infelizmente ela alterou tudo... todo esse tempo eu estive lá por ela, mesmo que não pudesse estar perto eu sempre observei e cuidei de longe da minha filha.

— Excelentíssimo. — Taehyung olhou para o juíz com o olhar mais sério que poderia ter. — Peço que chamem o médico perito e forense que trabalha no departamento de polícia de Seul. Quando eu ouvi tudo o que Kim HyunJoong está contando aqui fiz o pedido junto ao governo de Seul para que fizessem o exame de DNA de Jeon S/n e Kim HyunJoong.

Quando o perito foi chamado Jungkook pode entender quase tudo e sentiu o nervosismo aumentar, o que Kim Taehyung estava fazendo só podia ser brincadeira.

— Aqui está, Excelentíssimo. — Jung Hoseok aproximou-se do juíz entregando o envelope e caminhou em direção ao júri entregando o que parecia uma cópia. — O exame de DNA de Jeon S/n e Kim HyunJoong. Feito por mim, forense do departamento de Seul em total sigilo e posso jurar por tamanha responsabilidade do meu cargo no governo, a total veracidade deste exame.

Hoseok foi dispensado e Taehyung continuou com sua defesa diante a surpresa do juiz e o júri.

— Sendo o verdadeiro pai de Jeon S/n e já que a observou por todos esses anos. Você realmente acredita que o Jungkook poderia ter abusado de sua filha enquanto ainda era menor? Como o verdadeiro pai você aceitaria isso? — Taehyung deu ênfase em sua últimas palavras aumentando seu tom de voz.

— Como pai e por ter observado a S/n por todo esse tempo se o Jungkook tivesse feito mal a S/n, acredito que eu o teria matado. — Todo o júri se mantinha bastante atento naquelas palavras. — Como eu disse o Jungkook nunca abusou da S/n por todo esse tempo, eles começaram isso depois de seu aniversário de dezoito anos. A Mina o acusou e usou aquele vídeo porque iria perder o sobrenome Jeon, porque queria se vingar do Jungkook por pedir o divórcio e não por se importar com a filha, ela sempre soube que Jungkook não era o pai da S/n. — Fez uma pausa e olhou para Jungkook. — Você não fez nada além de ama-la Jungkook, eu sinto muito por tudo o que te aconteceu. Eu vi o quanto a ama e fiquei feliz, ela nunca teve carinho e amor de mãe e pai quando precisava, mas agora ela tem o seu amor e eu fico feliz por isso.

— Sendo assim, espero que todo o júri tenha entendido que Jungkook nunca teve sentimentos de pai porque nunca foi realmente o pai de Jeon S/n, e se apaixonar pela mulher linda que ela se tornou aos dezoito anos não foi nenhum crime. Desde que começou foi uma relação desejada por ambos, como o pai verdadeiro Kim HyunJoong disse que nunca o viu ou ouviu a Mina falar de suspeitar da relação deles, Jungkook nunca tocou ou se aproximou de S/n enquanto menor. Sendo assim qual o crime que Jungkook cometeu caros jurados? Amar uma linda mulher que não tem seu sangue? — Taehyung notou o júri antes silencioso conversarem entre si. — Sem mais perguntas excelentíssimo.

Taehyung voltou para seu acento e deu lugar ao promotor, mas este não tinha mais palavras, andou até HyunJoong e abriu a boca várias vezes, mais assim como todos ali surpresos e chocados não tinha mais o que perguntar.

— Sem palavras, excelentíssimo.

— Sendo assim peço que todos retirem-se e deixe apenas a mim e o júri para darmos início ao julgamento.

                         {...}

Jungkook tinha sido levado a uma sala fechada e tinha pedido ao policial que não permitisse a entrada de ninguém ali, ele sabia que tanto NamJoon ou Taehyung poderiam entrar ali, mas não queria. Jungkook queria pensar e chorar sozinho, estava surpreso demais com o final daquele julgamento e sentia-se ainda sem acreditar no desenrolar daquilo, estava sem acreditar que Taehyung teria armado tudo aquilo até porque S/n tinha muito de si e não poderia ser filha de outro, e Jungkook tinha certeza que o juíz jamais acreditaria naquilo, tinha certeza que seria condenado outra vez e pior agora que o juíz sabia das regalias que NamJoon o proporcionava iria para um presídio bem longe do amigo. Jungkook também tinha a certeza que Taehyung era um tolo, como se coloca na cadeia tão fácil assim e ainda leva outros juntos consigo, como ele poderia achar que aquela loucura o levaria a ser inocentado?

Jungkook chorou em silêncio até que a porta fosse aberta e fosse levado de volta a sala onde acontecia o julgamento. Sentou-se ao lado de Taehyung e abaixou a cabeça, não queria olhar para o juíz enquanto ele dava sua sentença.

— Tendo conversado e decidido em comum acordo com o júri...declaro... Jeon Jungkook inocente de todas as acusações. — O martelo fez um som alto decretando sua inocência e Jungkook sentiu o peso em seus ombros quando Taehyung o abraçou animado, ouviu os gritos atrás de si onde NamJoon, Yoongi, Hoseok e seu irmão Jin estavam. Ouvia gritos animados até de pessoas presentes ali que não conhecia, mas Jungkook conseguia ouvir e ainda não acreditava. Jungkook estava perdido enquanto todos envolta de si comemoravam, estava surpreso, feliz e muito muito mais que feliz... mas no fundo Jungkook tinha medo, medo que estivesse sonhado, medo que o juíz descobrisse aquela grande loucura e além de tudo Jungkook estava cansado, muito cansado.


Notas Finais


Estão animados pro reencontro? Como estarão os sentimentos? Espero que tenham gostado 🌸


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...