1. Spirit Fanfics >
  2. Papais de Primeira Viagem! - Johnil >
  3. Fantasias;

História Papais de Primeira Viagem! - Johnil - Capítulo 25


Escrita por:


Notas do Autor


essa foto de capítulo eu estou colocando como representação da fantasia de markhyuck que vocês vão ver em breve :)
lembrando que essa fanart não é de minha autoria, e eu procurei a pessoa que fez mas não achei nenhum @ pra marcar, então vai ficar assim mesmo ks
obg a quem fez essa fanart, ficou a coisinha mais linda do mundo uwu

É ANIVERSÁRIO DO JUNGWOO GENTE AJDIXKSNNRJCISKRF

Boa leitura! ^^💙

Capítulo 25 - Fantasias;


Fanfic / Fanfiction Papais de Primeira Viagem! - Johnil - Capítulo 25 - Fantasias;

Era 19 de fevereiro, aniversário de um ser de luz, muito amado por todos, chamado Kim Jungwoo. 

O ômega estava planejando uma festa para os seus 35 anos, e queria que fosse algo grandioso, visto que ele sempre amou festas e comemorações em família. 

O marido também o ajudou, e assim surgiu a ideia de fazerem uma festa à fantasia. Jungwoo aceitou isso no mesmo instante, e já no começo do ano começaram a preparar aquilo.

Os amigos passaram tempos preparando suas fantasias, e toda vez que decidiam usar uma, outra ainda melhor surgia em mente. 

Jaehyun convenceu o marido de se vestir de coelhinho, enquanto ele se vestiria de Taki, do filme Your Name. E Jeno pediu para se fantasiar de Homem-Aranha, e estava a coisa mais fofa do mundo. 

Ten queria algo bem extravagante, portanto se vestiu de Monalisa, uma versão mais sombria da pintura. Taeyong passou spray pelos cabelos, comprou um cajado e um moletom azul, fazendo um cosplay de Jack Frost, já que Ellise sempre dizia que o pai se parecia com o personagem. E a garota estava usando o vestido da Rapunzel, teve essa ideia de princesa pois agora seus cabelos eram curtos, como os dela. 

Yuta ficou indeciso entre milhares de personagens de anime que poderia se fantasiar, mas no fim, escolheu L, de Death Note. Sicheng voltou aos tempos antigos, pois Yuta implorou de joelhos, e Shotaro também ajudou na bajulação, então usou a antiga fantasia de Cinderella. Enquanto Shotaro usou um kigurumi de pikachu, e estava o ser mais fofo do mundo, os pais morreram de amores ao que ele vestiu. 

Já Jaemin se vestiu de algodão doce, o que ficou extremamente adorável, pois até hoje ele continuava com seus cabelos rosados fofos. Renjun estava vestido de Peter Pan, e também estava muito fofo. Ficou chateado por Jaemin não ter feito couple com ele sendo a sininho, mas esqueceu isso ao ver como o namorado estava fofo. 

Agora, falando da nossa querida família. 

Sunny e Sungchan queriam uma fantasia de dupla, e com isso, Haechan deu a ideia deles se vestirem de super-heróis. A garota estava vestida de Mulher-Maravilha, enquanto o irmão vestia a fantasia de Super-Homem. Estavam animados com a fantasia, até brincavam juntos enquanto os outros se arrumavam. 

Johnny vestia um traje de príncipe, era azul, com um toque de dourado. Estava todo bobo se olhando no espelho, e pelo reflexo, pôde ver Taeil terminando de colocar a peruca, o que apenas o fez sorrir mais. 

Se virou para ele, e olhou sua fantasia, estava tão lindo. 

— Tale as old time... — começou a cantar, caminhando até o esposo. — Song as old as rhyme... — segurou sua mão. — Beauty and the beast... 

Taeil soltou um risinho, e o abraçou pelo pescoço. 

Decidiram se vestir de Bela e Fera, do filme, Taeil usava o longo e bonito vestido dourado, a peruca castanha em seu cabelo, e salto alto nos pés. Johnny era seu príncipe, e o ômega se perguntava se Johnny poderia ficar mais bonito do que fantasiado daquela forma. 

— Você está lindo. — Taeil sussurrou para ele, o dando um selinho. 

— Você ainda mais. Está perfeito, ma Belle. 

— Desde quando você sabe francês? — riu baixo. 

— Olhei no google tradutor uns minutos atrás. — ele sorriu, e abraçou a cintura do marido. 

— Você estragou o clima. — Taeil fez careta. 

— Perdóname, cariño. — tentou. 

— Isso é espanhol, Johnny. — ele gargalhou. 

— Mas até em espanhol eu consigo ser bom. — mordeu seu lábio. — Não acha? 

— Não tente sensualizar quando está com uma fantasia tão bonita, é golpe baixo. — se afastou, indo pegar suas luvas. 

— Ah, achei que o clima estava voltando. — fez beicinho. 

— Não, temos que ir pra festa em alguns minutos. — riu. 

— Okay, mas-

— Pai! Ainda vamos demorar muito? — o filho mais velho entrou no quarto dos dois. — Markie me mandou mensagem e disse que a festa já começou. 

Ele vestia uma fantasia de escova de dente vermelha, e sim, aquilo foi bem complicado de se fazer, por sorte Johnny sabia um local onde conseguiriam fazer aquilo. 

Acontece que Mark e ele tiveram essa ideia para formarem um couple de fantasias, e no caso, o alfa iria vestir a fantasia de pasta de dente. 

Até hoje Johnny se perguntava como eles tiveram aquela ideia tão peculiar, mas os dois apenas disseram que tinham visto no Pinterest algo parecido. Enfim, com o apoio dos pais, as fantasias deram certo, e ficaram boas. 

Inclusive, na fantasia de Hae havia a palavra Fullsun na vertical, o apelido do ômega, dado especialmente por Mark. 

— Não, meu amor, vamos em breve. — o pai sorriu, colocando as luvas douradas. 

— Ah, você está tão bonitinho com essa fantasia, querido. — Johnny disse, apertando sua bochecha. 

— Estou? — ele riu fofo, ficando com as bochechas vermelhas. — Estou ansioso para ver como Markie ficou, deve estar tão adorável! 

— Tenho certeza que sim. — Taeil se olhou no espelho uma última vez, então pegou uma pequena bolsa e entrelaçou seu braço ao do marido. — Vamos, amor. Hae, onde estão seus irmãos? 

— Na sala... Pai, eu acho que não é uma boa ideia Sunny ficar com aquele laço da verdade. — ele fez uma careta de preocupação. 

— Por que? — Johnny arqueou uma sobrancelha. 

— Ela colocou no pescoço do Sungie e estava usando de coleira. Não é por nada não, mas sinto que ela vai acabar enforcando ele. 

Os pais se entreolharam, e rapidamente começaram a andar pra fora do quarto. Haechan foi logo atrás, e os três desceram as escadas. 

Quando chegaram na sala, Sungchan estava sentado com os braços cruzados e parecia pra lá de emburrado. Sunny por sua vez ficava o olhando autoritária, enquanto segurava o laço que estava no pescoço do irmão. 

— Vai! Fala! — ela gritou pra ele. 

— Não! — mostrou sua língua. 

— Ei, o que está acontecendo aqui? — Taeil perguntou, os olhando com preocupação e se abaixando perto do filho pra tirar aquilo de seu pescoço. 

— Papai, Sunny fica querendo que eu seja o cãozinho dela! Ela quer que eu fale "au au"! — apontou pra irmã, fazendo beicinho. 

— Filha, seu irmão não é seu cachorrinho. — ele riu, devolvendo o laço dourado pra filha. — E outra coisa, isso é pra ser usado contra vilões. 

Sunny bufou, e cruzou os braços. 

— Aish! Eu queria um cachorrinho! Mas Sungchan não serve nem pra isso! — mostrou sua língua. 

— Você é tão chata, Sunny! — imitou seu ato, e se levantou, indo pra perto do irmão mais velho. — Por isso eu gosto do Hae, porque ele não é chato igual você. — segurou a mão dele. 

— Não! Eu que gosto do Hae! Porque ele não é tão irritante que nem você! — correu até o irmão também, segurando seu braço e o puxando. 

— Ei, ei, ei! Eu não sou o boneco de vocês não. — Haechan os olhou. — Não me envolvam nas brigas de vocês, hum. 

— Hae, de quem você mais gosta? Eu ou o Sungie? — Sunny semicerrou os olhos. 

O garoto escova de dente suspirou. 

— Com toda certeza eu vou gostar mais de quem parar de pegar minhas coisas. 

— Combinado! — falaram juntos. 

O irmão mais velho riu, e segurou a mãos dos dois, começando a caminhar até a porta com eles. Às vezes gostava de ser o irmão mais velho, era ver como os irmãos eram inocentes e fofos, mas ele nunca diria isso pra eles em voz alta. 

Todos foram para o carro, e seguiram caminho para a casa de Jungwoo e Yukhei.

Logo que chegaram perto, puderam ouvir a música alta, carros estacionados por perto, e várias pessoas no gramado da casa. 

Jungwoo tinha convidado muita gente, e aquilo parecia mais uma festa adolescente. Era de se esperar, visto que Jungwoo sempre fora o cara de dar festas. 

As crianças correram pra dentro da casa logo que o carro parou, os adultos foram atrás, Taeil estava todo bobo enquanto segurava o braço forte do marido, se sentindo uma verdadeira princesa. 

— Do que acha que Lucas e Jungwoo estão fantasiados? Eles não falaram. — Johnny sussurrou pra ele. 

— Hum... Talvez uma fantasia de casal como a nossa. 

— Tem razão. — ele sorriu. — Mas tenho certeza que ninguém está mais bonito que a gente. 

— Acho o mesmo. — eles riram. 

Entraram na sala, e logo viram suas crianças se enturmando no grupinho da família. Estavam em uma grande mesa, os amigos e seus filhos. 

— Markie! — Haechan gritou, correndo até o amigo. 

— Hae! — ele gritou de volta, levantando e sorrindo lindamente. 

Ao se encontrarem frente a frente, ficaram se encarando com sorrisos nos rostos. 

— Estamos... — Mark começou a falar. 

— Incríveis! — Haechan completou, pulando em seus braços e o abraçando com força. 

— Uau, vocês estão um arraso. — Lisie disse, chegando neles. 

— Você que está, Lisie, uau, você está linda. — o ômega sorriu para ela, e soltou Mark, indo a abraçar. — Combinou muito com você. 

— Eu disse. — Mark sorriu. — Ah, pessoal, vocês tem que ver a fonte de chocolate que o papai trouxe pra festa! É uma delícia! — ele riu e segurou a mão dos dois, começando a os puxar até lá. 

— Olha eles, estão lindos. — Ten disse, aclamando o casal que chegava na mesa. 

— Oi, gente. — Taeil cumprimentou, com um sorriso, pegando uma cadeira ao lado de Jaehyun. — Uau, nossa mesa está realmente diversificada. 

— E cheia de glamour. — Jung deu um beijinho no ombro. — Johnny, cadê os pelos? Você não deveria ser a fera? 

— Hahaha. — o alfa fez uma careta, e sentou ao lado do marido. — Muito engraçado, Jae. Deveria perguntar mesmo é onde está o Death Note do L. 

— Quem usa o Death Note é o Kira, não o L. — Yuta disse, todo emponderado. — Taeil, você ficou ótimo de vestido, deveria aderir. Você também, Winko. 

— Não comece, é uma fantasia de uma noite. — o chinês riu. — O ruim de usar essa fantasia é que Yuta não entende que a festa só dura uma noite. Vê se eu posso com isso? 

— É que você fica tão lindo dessa forma, meu amor. — ele fez um biquinho, se inclinando para o marido. 

— Eu sempre estou lindo pra você, é impressionante. Até nos dias em que minha renite ataca, meus olhos ficam inchados e o nariz vermelho. — ele revirou os olhos. 

— Nesses dias você parece mais lindo. — sorriu apaixonado. 

— Credo, pare com isso. — riu, segurou o rosto do japonês e o deu um selinho. 

— Mas sério, Winko, você fica muito bonito de Cinderella. — Ten elogiou, sorridente. 

— Eu concordo, fica uma linda princesa. — Taeil piscou. — Mas... Gente, onde estão o Lucas e o Woo? Sabem qual fantasia estão vestindo? 

Os amigos se entreolharam, então soltaram risinhos. 

— Algo bem curioso, eu diria. — Doyoung falou. 

— Sim, eu achei que fossem usar uma fantasia de casal, ou sei lá, mas bem... É algo bem diferente. — Jaehyun riu. — Ah, falando neles, estão vindo pra cá. — apontou discretamente. 

Os amigos olharam na direção em que ele apontou, e se impressionaram um pouco. 

Lucas vestia uma fantasia de Elsa, do filme Frozen, até a peruca loira com uma trança. Enquanto Jungwoo usava a fantasia de Anna, sem peruca, mas com uma mecha do cabelo na cor branca, para imitar o da personagem. 

Eles caminhavam juntos, Lucas tinha um braço ao redor dos ombros do esposo, e aquele vestido parecia longo demais para ele, Taeil tinha a impressão de que ele poderia cair ao andar. 

Okay, era estranho. Mas não esqueça que estamos falando de Jungwoo e Yukhei. 

— Oi, pessoal! — Woo chegou todo sorridente. 

— Oi! — Johnny ficou de pé, e rapidamente abriu seus braços para o abraçar. 

Jungwoo se enfiou em seu abraço quentinho, e sorriu ainda mais. Depois trocou um abraço apertado com Taeil, que o entregou o presente de aniversário. 

— Uau, vocês dois estão... Maravilhosos. — o alfa elogiou, sorridente. 

— Ideia do Woo. Eu tô' tão gostoso nessa fantasia. — Lucas disse, fazendo uma pode sexy e mordendo o lábio. — Tente encontrar uma Elsa mais bonita que eu e falhe miseravelmente. 

— Com toda certeza. — Taeil gargalhou. 

— Elsa chora no banheiro até hoje por você ficar melhor usando isso que ela. — Johnny acompanhou o riso. 

— Faz o Let It Go e traz o Olaf. — Sicheng debochou. 

— Bem, queríamos que o Mark usasse a fantasia de Olaf, mas ele já tinha se animado com a pasta de dente então... — Yukhei suspirou, mas logo sorriu. — Enfim, estamos lindas, gostosas e poderosas. — se apoiou no marido, novamente fazendo a pose sensual. 

— Ah, Lucas, você exagera. — Woo riu e o acompanhou na pose. 

— De onde surgiu essa ideia? — Taeil perguntou. 

— Eu que tive. Eu amo Frozen, é tipo meu filme favorito. Lucas queria que usássemos Arlequina e Coringa, mas com toda certeza ficamos melhor assim. — ele piscou. 

— Oh, sim. — Lucas sentou perto de Taeyong e cruzou as pernas. — Só sinto que meus músculos estão sendo apertados por esse tecido, e tenho que tomar cuidado pra não pisar no vestido e cair de cara no chão, mas de resto essa fantasia é incrível. 

Os amigos riram. 

— Eu já volto, gente, tenho que dar uma palavrinha com os convidados. — Woo sorriu, acenando e saindo no meio da multidão. 

— Ele está ainda mais radiante hoje. — Doyoung falou. — Isso me deixa tão feliz. 

— Igualmente, hoje o dia foi unicamente dele, ele recebeu muitas mensagens e felicitações, está tão alegre. Sinto que todo e qualquer esforço por ele vale a pena se ele ficar feliz. — Yukhei suspirou apaixonado. 

Os amigos começaram a conversar, e após a entrada ser servida, todos foram dançar juntos com os outros convidados. 

— Shotaro hyungie... E-Eu queria te dizer uma c-coisinha. — Sungchan chegou nele, brincando com seus dedos de forma nervosa. 

— Fala, Sungie! — o garotinho sorriu, fazendo seus olhos parecerem apenas dois risquinhos no rosto. 

— Você está m-muito fofo nessa f-fantasia, hyung. — ele engoliu em seco, tão vermelho que poderia virar um tomate. 

— Sério? Ah! Você também! Fica muito bonito nessa fantasia, Sungie. — o pequeno japonês soltou um risinho. Não tinha vergonha de falar nada, era tão claro com o que pensava e sentia, suas bochechas nem coravam. Nisso parecia Yuta. 

— F-Fico? — o menino sentiu que poderia morrer de nervoso. 

— Claro que sim! — Shotaro apertou sua bochecha, e o pequeno alfa sentiu seu coração bater mais rapidamente. — Ah! Vamos dançar, Sungie! — segurou sua mãozinha e saiu o puxando para dançar. 

Enquanto isso Jeno juntava toda a coragem que tinha na vida, passou as mãos pelos cabelos. Chegou por trás de Sunny, e deu três toques no ombro da garota, que dançava junto com Ellise e Ten. 

— Sim? — Sunny virou para ele. 

O garoto sorriu galanteador, e mesmo nem tendo tamanho de gente, queria conquistar a garota. Com toda certeza tinha puxado isso do pai alfa, que tinha uma lábia e olhar galanteador. 

— Você está linda, Sunny. — ele piscou. — Sabia que a Mulher-Maravilha e o Homem-Aranha ficam juntos no final do filme? 

A menina tombou a cabeça para o lado. 

— Qual filme? 

— O... — ele engoliu em seco. — Homem-Aranha 7.

— Jeno, Marvel e DC são coisas diferentes. — ela riu e balançou a cabeça. — Não tem como eles ficarem juntos. 

— Er... Mas eles podem dançar juntos, o que acha, noona? — estendeu sua mão. 

A garota riu, então levou suas mãos aos cabelos dele e os bagunçou. 

— Você é fofo, Jeno. — disse por fim, se virando para Ellise e voltando a dançar. 

O garoto quase morre de parada cardíaca, seu rosto se tornou vermelho, e ele sorriu todo bobo. 

— Omma! — gritou, saindo correndo na direção do pai beta, indo contar o que aconteceu, mesmo que não fosse nada demais. 

Tempos depois, a música parou, e todos foram cantar parabéns para o ômega, que parecia cada vez mais animado. 

As pessoas cantaram em sintonia, Jungwoo estava no meio, enquanto Mark e Lucas estavam ao seu lado atrás da mesa. O sorriso no rosto de Jungwoo era o mais sincero possível, estava verdadeiramente feliz naquele momento. 

Quando teve que apagar as velas, ele olhou as pessoas ao redor, se curvou na direção do bolo e fechou seus olhos, fazendo um pedido, e logo em seguida, ele apagou as velas. 

Pediu que tudo permanecesse da mesma forma, que os amigos sempre continuassem juntos, e que a família deles fosse unida pra sempre. 

Todos bateram palmas, então Mark saiu de perto do pai e foi pro quarto. Enquanto isso, as pessoas tiravam fotos em conjunto, e Johnny fotografava tudo ao seu redor. 

— Foto de família agora. — Lucas disse. — Espera, cadê o Mark? 

Jungwoo procurou o filho com o olhar, e avistou este chegando perto da mesa novamente, segurando um papel em mãos e seu violão. 

— Pai, quero te dar outro presente. — ele disse, sorridente. 

— Mais um? — o pai sorriu. 

— Yah. — ele trocou um olhar com Hae, que foi até ele e segurou seu violão. — Todos, silêncio, por favor. 

Ninguém se atreveu a dar um piu, e algumas pessoas começaram a gravar o garoto. Mark respirou fundo, então começou a ler a carta que havia escrito para o pai. 

— Papai Woo, você é o ser mais incrível que já pisou na terra. Nunca conheci ninguém tão amável e fofo como você. Você é como a luz em qualquer escuridão, a alegria dos meus dias, a animação da nossa casa. É incrível a forma como você melhora o ambiente apenas em estar nele. Você é um ser de luz, tanta que nem o sol nem a lua conseguem brilhar tanto quanto você. 

E Jungwoo já estava chorando enquanto escutava suas palavras. 

— Você é tudo e mais um pouco. Cuida de mim como ninguém, nunca me deixa desanimar por nada, está sempre lá quando eu preciso, e não se nega a ajudar qualquer pessoa que esteja precisando. É puro e doce, tão perfeitamente imperfeito que consegue fazer seus defeitos virarem qualidades. Se tem algo que quero ser quando crescer, é ser como você. Quero que me ensine a ser tão brilhante. 

Mark o olhou por um segundo, e sorriu, voltando a ler. 

— Que você nunca deixe de brilhar, que todos os dias tenha ainda mais força e coragem para alcançar seus sonhos e objetivos, e que nunca se deixe desanimar por ninguém. Saiba que você é muito importante pra mim, pro papai Yukie nem se fala, você é tudo pra nós. E eu te desejo muitos anos de vida, pra continuar espalhando tanta alegria e amor para todos ao seu redor. 

O pai sorriu, tão feliz que seu coração estava agitado. 

— Te desejo toda a felicidade do mundo, sorte e amor, pois você merece tudo de bom que o mundo pode te dar. Nunca se esqueça que eu te amo pra sempre, até o infinito. Sua existência é a minha felicidade, seu sorriso é minha alegria, sua risada me faz querer rir junto, sua voz é a cura pra qualquer dor, e até os maiores problemas podem se tornar pequenos com seus abraços quentes e acolhedores. 

Ele levantou a cabeça, olhou nos olhos do pai, e suspirou. 

— Obrigado por existir, e por ser essa pessoa tão preciosa. Você merece o mundo, mas ele não te merece. Eu te amo, papai Woo. 

Jungwoo não se aguentou, foi até ele e o abraçou com força, se acabando em lágrimas pela emoção. Ouvir aquelas palavras era o melhor e maior presente que poderia ganhar. Lembrou de mais cedo, quando o marido o acordou com uma linda mensagem de aniversário, que o fez chorar também. 

Ele beijou a testa do filho e continuou a chorar de felicidade. Lucas se juntou aos dois, os abraçando, e os outros ao redor bateram palmas. Fora um momento emocionante. 

Mark se afastou um pouco, sorriu para o pai e ficou envergonhado por receber tanta atenção. 

— B-Bem, eu não sou tão bom assim com palavras, sou melhor tocando. Então... Quero dedicar uma música pra você. — ele sorriu, estendendo a mão para Hae, que o entregou novamente o violão. 

Mark tocou e cantou a música "That's What Love Is", do Justin Bieber, um cantor que os três sempre costumavam escutar bastante. 

O pai se encontrava ainda em lágrimas, e aquele foi um momento tão emocionante que fez até algumas pessoas ao redor chorarem, dentre elas Taeyong, que tinha achado tão fofa a mensagem de Mark. 

Todos aplaudiram o garoto, e por fim, algum tempo depois voltaram para a diversão da festa. 

Era tarde da noite, a maioria pessoas já tinham ido embora, e o grupo de amigos se encontravam conversando animadamente na grande mesa. Os convidados que sobraram eram mais a família e os amigos mais íntimos. 

Sungchan dormia no colo de Taeil, tinha brincado demais e suas energias esgotaram. Enquanto Sunny estava sonolenta brincando com as mãos de Johnny. 

Shotaro já deveria estar no décimo sono, Ellise ficava olhando os adultos conversarem, Jeno dormia nos braços de Doyoung, que ficava o admirando dormir serenamente. Mesmo já estando mais crescido, o beta ainda o tratava como um bebê, e só ele sabia como era bom escutar o voz fofa de Jeno o chamando de omma. Jaehyun também o tratava daquela forma, para ele Jeno nunca iria crescer, mesmo que já estivesse com quatro aninhos. 

Mark e Haechan estavam no quarto do alfa, já sem as fantasias, e o ômega usava um pijama do outro. Havia pedido aos pais para dormir lá naquela noite, Johnny ficou com um pé atrás com a ideia, mas Taeil permitiu, já que era costume Haechan passar a noite por lá. 

Eles estavam deitados na cama de Mark, conversando baixinho enquanto olhavam o teto. 

— Você foi muito fofo com a surpresa pro tio Woo. — Haechan sorriu. 

— É, eu fui, papai gostou muito. — Mark suspirou aliviado. — Mas eu fiquei nervoso, e não tinha certeza se minha carta tinha ficado boa. 

— Ficou ótima, muito fofa e adorável. Merece até um prêmio por ter feito uma surpresa tão bonita. 

Mark virou sua cabeça para ele. 

— Mereço? Que prêmio? 

Haechan o olhou, e riu baixinho. Segurou em sua cabeça e a virou para olhar para cima novamente. Se aproximou um pouco e deixou um beijinho na bochecha do alfa. 

Mark ficou estático, mesmo que os beijos de Hae fossem costume, ainda sentia borboletas em seu estômago, e agora elas eram cada vez mais frequentes. 

Olhou o ômega, este que segurou sua mão e olhou o teto. 

— Boa noite, Markie. — ele disse baixinho, fechando seus olhos, sorrindo envergonhado. 

— B-Boa noite, Haechannie... — sorriu daquela forma boba de sempre. 

Se aproximou mais um pouco do amigo e fechou seus olhos. Rapidamente pegou no sono, enquanto tinha sua mão entrelaçada com a do outro. 

Ao fim da festa, depois da meia noite, os amigos foram embora um após o outro. 

Os primeiros a irem embora foram Jaemin e Renjun, que alegavam que tinham que fazer algo importante em casa. O algodão doce tinha um sorriso ladino no rosto, e Renjun e ele se despediram dos outros. 

Depois Ten e Taeyong se foram, pois Ellise já estava sonolenta. Depois Sicheng e Yuta se foram, levando o pequeno pikachu que dormia serenamente. Logo após, Doyoung, Jeno e Jaehyun foram embora, agradecendo pela noite maravilhosa, e indo para casa descansar da festa. 

Por fim, Taeil foi dar uma olhada nas crianças que ficariam na casa de Lucas e Jungwoo. Deixou um beijinho na testa de Mark e Hae, e desejou uma boa noite baixinho, depois voltou para perto do marido, e pegou seu filho nos braços, enquanto Johnny segurava a filha. 

Eles se despediram do casal de amigos, e foram para casa também, Taeil necessitando de um bom banho e sua cama para uma boa noite de descanso. 

Por fim, Jungwoo e Lucas ficaram um tempo ainda curtindo um ao outro, entre abraços e beijos. Ficaram na sala, abrindo alguns presentes, e Jungwoo parecia uma criança abrindo as caixas de presente. 

Tentaram não pensar muito no trabalho que teriam no dia seguinte para limpar a casa, e assim foram dormir. 

Com toda certeza aquela festa foi bem divertida, e ficaria na história daquela grande família. 


Notas Finais


um fato curioso é que o Mark disse que ele e o Haechan iriam usar fantasia de pasta e escova de dente no Halloween de 2018, mas por algum motivo não deu certo, porém eles realmente falaram em live ks
queria muito ver eles em couple de fantasia :((((

as palavras do Mark são tudo o que eu queria dizer pro Woo pessoalmente hoje, não queria deixar essa data passar em branco :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...