História Paparazzi - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Yuri!!! on Ice
Personagens Otabek Altin, Victor Nikiforov, Yuri Katsuki, Yuri Plisetsky
Tags Fanficsotaconda, Otário, Otayuri, Yurinonice
Visualizações 160
Palavras 2.263
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Festa, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Cheguei, cheguei dizendo que eu menti, eu disse que esse seria o ultimo capitulo, mas eu sou uma vagabunda, e emendei mais um, sorry not sorry.
Segundo, vou contar uma história engraçada, quando eu tava escrevendo PP, eu queria dar uma história de presente pra uma pessoa muito especial, e na época, nós não eramos muito próximas , então eu não sabia como falar, então eu apenas perguntei "Você gosta de Lady gaga?" e ela respondeu "A pra mim tanto faz, não gosto e não desgosto". Ai, pra não arriscar, eu acabei postando a história sem a dedicatória. But, a pessoa maravilhosa, leu PP recentemente e gostou, então nada mais justo do que eu agora, 84 anos depois, finalmente dedicar a história a ela. Então, IsanãoBell aka, Bellchan, Feliz aniversario sua fodida desgraçada rabuda e maravilhosa <3

Capítulo 3 - Brown eyes


Fanfic / Fanfiction Paparazzi - Capítulo 3 - Brown eyes





 

 Yuri segurava-se ao volante do carro com raiva, as lágrimas atrapalhavam sua visão e ele tinha certeza de ter passado por pelo menos três semáforos vermelhos, mas não dava a mínima Tudo o que queria era chegar a maldita exposição de Otabek, onde ele era a atração principal, como um pedaço de carne amostra em um açougue.

E pensar que estava prestes a procurá-lo e tentar entender o que estava acontecendo. Era patético.

Conferiu o endereço mais uma vez no gps, ao notar que o local estava completamente vazio, estranhou. Os paparazzi e jornalistas deviam estar loucos pra ter acessos a tais fotos que Otabek deveria expor. Também não havia nenhum tipo de placa que indicasse que ali seria a exposição, conferiu o folder amassado mais uma vez, pra ter certeza que estava no local certo.

Desceu do carro, olhando ao redor, já começava a escurecer, mas tinham algumas pessoas nas ruas, não deveria ter ido ali sozinho, pensou. Olhou ao redor a procura de algum prédio que poderia ceder a uma exposição, mas não tinha nada. Era algum tipo de piada?

A  única loja que tinhas as luzes acesas era uma floricultura, e não foi surpresa ver o nome Altin no letreiro da loja cheia de girassóis.

Yuri não demorou a seguir até lá, segurando a vontade que tinha de chutar todos aqueles malditos girassóis e socar a cara de Otabek.

A porta estava encostada, então ele apenas girou a maçaneta e entrou. Haviam outros tipo de flores no interior do estabelecimento, mas o local estava vazio. O loiro ouviu um barulho vindo do final do corredor que dava para o fundos da loja e foi até lá, mesmo estando assustado, a curiosidade era maior.

Otabek estava de costas, mexendo em algo sobre uma mesa, e Yuri de repente não soube o que falar.

 

—  Então funcionou! - o moreno disse virando-se para o loiro - Você realmente veio.

 

—  Do que está falando? - Yuri tentou vestir a máscara de raiva novamente - É claro que eu viria, vim ver com meus próprios olhos essa palhaçada de exposição.

 

—  Como pode ver, não há exposição alguma. - Otabek apontou para o lugar, cheio de flores e vasos que ainda deveriam ser montados.

 

—  Mas… Eu vi o folder… E o porco me disse… - O russo teve um estalo, entendendo o que estava acontecendo - O velho e o porco armaram isso! - bateu com a palma da mão na testa - Velhos idiotas!

 

—  Me desculpe Yuri! - Otabek ainda não tinha lhe olhando nos olhos, e encarava o chão.

 

—  Pelo quê exatamente Otabek? Por ter me levado pra cama pra me usar? Por ter tirado fotos sem a minha autorização? Por ter vendido as malditas fotos pra uma revista? Ou por ter quebrado o meu coração?

 

—  Por tudo… Eu realmente não queria… - o moreno tentava ao máximo segurar o nó que se formava em sua garganta, queria poder se explicar de forma clara, mas não conseguiria encarar o olhar forte do cantor.

 

Yuri por outro lado, não fazia questão nenhuma de esconder o que sentia, as lágrimas já desciam ávidas por seu rosto.

 

—  Por quê fez isso comigo, Otabek? Foi divertido brincar comigo assim? Como se eu não tivesse sentimentos, como se eu fosse uma marionete?

 

—  Não… Eu não estava brincando… Não quis me aproveitar de você… Eu só… - Otabek olhava um ponto qualquer na parede.

 

—  OLHA PRA MIM PORRA! - gritou o menor - Olha nos meus olhos e me diz que não estava se aproveitando da situação!

 

Otabek finalmente tomou coragem e o encarou, deixando as lágrimas descerem, mostrando a Yuri todos os seus sentimentos, deu um passo à frente, testando território, Yuri não recuou, mais um passo, estavam frente a frente.

 

—  Eu errei sim, e fui egoísta. - tentou pegar uma das mãos do menor, mas foi impedido - Eu não devia ter tirado aquelas fotos… Eu nunca quis que se sentisse usado Yuri…

 

—  Então por quê você tirou?

 

—  Porque eu não queria esquecer! - bradou pegando as mãos de Yuri nas suas, dessa vez o loiro não o retraiu - estávamos tendo um tempo tão agradável juntos, eu estava vendo você de um ângulo que ninguém mais tinha visto, que ninguém mais conhecia, e eu queria que fosse só meu… Eu queria poder ver você daquele jeito sempre…

 

— Você estragou tudo seu idiota! - Yuri soltou as mãos que o seguravam e virou-se de costas para o moreno - Eu pensei que… Pensei que...Sei lá… -  olhou para o lado, mordendo os lábios, já inchados pelo ato, suspirou e voltou a encarar o moreno, dessa vez com a voz mais suave, soando até decepcionada - Pensei que pudesse confiar em você - os olhos já não tinham raiva, apenas tristeza, Otabek arrepiou-se a notar aquele olhar tão diferente do qual era apaixonado, Yuri soltou o ar, sentindo a garganta arranhar-  E-eu estava lá, eu estava disposto a ficar lá com você - o choro veio suave, ao lembrar-se com carinho dos momentos que tiveram - Queria poder ficar pra sempre no meio daqueles malditos girassóis, só você e eu… Sem flashes, sem mídia... E você estragou tudo… Que merda! - as mãos foram para os cabelos e o choro já tinha se transformado em um soluço descontrolado - Eu finalmente senti que podia ser eu mesmo, senti que eu não precisava ser “Yuri Plisetsky” o tempo todo, achei que se que fosse só o Yura as pessoas iriam me aceitar… Pensei que você iria me aceitar... Eu sou tão patético.

 

—  Não é verdade Yura, eu posso sim ter estragado tudo - Otabek tentou tocar em seu ombro mas ele o afastou, o choro agora era um gemido sôfrego, acompanhado de soluços baixos - Mas você pode ser você mesmo, como fez na lanchonete… Como fez hoje cedo… Você foi incrível, todos amaram… - Mesmo a contragosto do russo, Otabek o abraçou, sentindo aquele cheiro que tanto lhe fez falta, Yuri tinham os braços soltos, sem saber ao certo o que deveria fazer, queria se agarrar a Otabek e queria que ele fosse pro inferno. Como podia se sentir daquele jeito?

Sem ter mais forças para lutar contra, Yuri agarrou-se com toda força que tinha ao moreno, deixando que mais uma vez as lágrimas tomassem conta de si.

 

—  Eu sinto muito Yuri… Pelas fotos… Por tudo…

 

O russo ficou em silêncio, deixando que o choro se acalmasse, permaneceu abraçado a Otabek, que mexia em seus cabelos de forma carinhosa, fazendo com que Yuri quase ronronasse, céus, tinhas sentido tanta falta daquilo.

 

—  Eu sei que não foi você quem a vendeu Otabek, Viktor me disse - a voz ainda estava embargada, mas ele já não chorava - Espera, você disse fotos? Tem mais?

 

Otabek fechou os olhos, esperando que Yuri o xingasse, ou lhe batesse, mas depois de alguns segundos de silêncio os abriu, sendo atingido pelo olhar curioso do outro.

 

—  Não está bravo?

 

—  Bem, eu não as vi na capa de nenhuma revista, e apesar de você as ter tirado sem a minha autorização, estou curioso. Quero vê-las. - Yuri saiu do abraço do moreno, esticando uma das mãos para que o mesmo lhe entregasse o celular onde as fotos estariam.

 

—  Não estão aqui! Estão no trailer, foram tiradas com uma câmera de filme, não tenho a versão digital ainda…

 

—  Entendo, espero que você consiga guardá-las como queria, só pra você. E espero que você não se incomode de me ver daquele jeito de novo, e também espero que da próxima vez que queira me fotografar, me avise, para que eu te mostre meu melhor ângulo.

 

—  Todos os seus ângulos são perfeitos Yura! - Otabek voltou a abraçar o loiro, sentindo o peito se aquecer ao perceber que Yuri não tinha mais raiva de si, e que talvez eles pudessem superar aquilo.


 

***

 

Pouco mais de uma semana havia se passado, e Yuri ainda não tinha visto Otabek, estava morrendo de curiosidade a respeito das tais fotos que o Cazaque tirara de si, mas ainda não tinha tido tempo para vê-las. Otabek ofereceu-se para enviá-las por e-mail, mas o russo recusou, ele queria pegá-las em mãos, queria que o moreno estivesse junto quando as visse. Então ele se segurava como podia. Não sabia dizer que tipo de relação estavam tendo, haviam conversado muito o dia que se encontraram, e depois disso trocaram muitas mensagens de texto. Yuri queria poder ter se encontrado com Otabek mais vezes, queria saber se ainda seriam capazes de confiar um no outro, e esperava com toda sinceridade que sim, mas o fotógrafo havia se mudado de vez para o trailer, e não tinha ido a cidade durante aquela semana.

—  Gatinho, quanto tempo! - Alex se aproximou lhe dando um abraço.

 

Estavam nos bastidores de um programa de TV, onde seria o lançamento oficial do clipe que o loiro mais velho tinha sido dublê de Yuri, o russo estava nervoso, por que tocaria uma música nova, mostrando seu verdadeiro eu, como Otabek havia dito.

 

—  Oi Alex, como está?

—  Eu estou ótimo! E presumo que você também deva estar, já que não me procurou mais.

—  Olha Alex, eu…

—  Tudo bem Yuri, não é como se fossemos casados ou algo do tipo, e eu fico feliz que não precise mais usar os meus métodos para fugir da realidade.

—  Não preciso - Yuri pegou um das mãos do outro, olhando fundo dentro de seus olhos - Muito obrigado Alex, apesar de não ter sido da melhor forma, você realmente me ajudou muito, e eu me diverti.

O maior o puxou para um abraço, ao qual Yuri retribuiu de bom grado, apesar de tudo, Alex era um bom amigo

—   Se precisar de algum bagulho ou de um boquete, é só me chamar.

—  Você não presta!

—  Eu tenho algo pra você loirinho. - puxou do bolso da calça uma espécie de colar com uma pedra verde e colocou no pescoço de Yuri - É uma pedra de absorção, que protege contra violência, poluição e é capaz de absorver sentimentos negativos. Dizem que ela traz o amor verdadeiro em três dias…

—  Sério!? - Yuri parecia impressionado.

—  Claro que não idiota, é só uma pedra que eu achei na praia e me lembrou seus olhos.

—  Meu deus, por quê eu ainda falo contigo?

—  Ah, você me adora, qual é?

—  Yuri, é a sua vez! - Viktor se aproximou puxando o loiro pela mão -  o que eu falei sobre esse cabelo rosa?

—  Ah velhote, é só uma mecha, é estiloso…

 

Minutos depois, Yuri estava novamente sentado sobre o banco em frente ao piano, dessa vez não tinha lágrimas em seus olhos, e ele podia encarar a platéia de cabeça erguida, mesmo estando sem as roupas extravagantes, maquiagem ou com os bailarinos, porque aquelas pessoas estavam ali por sua música, fosse ele como fosse.

 

Começou a tocar as primeiras notas, sendo seguido pela banda:






 

( In your brown eyes

I walked away

In your brown eyes

I couldn’t stay

In your brown eyes

You’ll watch her go

Then turn the record on

And wonder what went wrong

What went wrong?

 

Em seus olhos castanhos

Eu fui embora

Em seus olhos castanhos

Eu não poderia ficar

Em seus olhos castanhos

Você vai vê-la partir

Então ligue o som

E se pergunte o que deu errado

O que deu errado?


 

If everything

Was everything

But everything is over

Everything

Could be everything

If only we were older

I guess it's just a silly song about you

And how I lost you

And your brown eyes

 

Se tudo

Foi tudo

Mas tudo acabou

Tudo

Poderia ser tudo

Se apenas fôssemos mais velhos

Acho que essa é apenas uma canção boba sobre você

E como eu perdi você

E seus olhos castanhos )


 

Terminou a música sendo aplaudido de pé, sentindo que finalmente podia ser ele mesmo, finalmente podia expressar sua arte de maneira verdadeira…

 

***

 

Otabek havia acabado de sair do banho quando ouviu um barulho de carro, e logo batidas em sua porta, podia ser sua avó. Dona Hiroki vez ou outra aparecia com uma cesta com o café da manhã do neto, por isso ele nem se preocupou em se vestir, e seguiu até a porta com uma toalha na cintura e outra no pescoço, onde gotas de água ainda escorriam de seus cabelos molhados.

—  Caralho altin! É assim que você atente a merda da porta? Não sabe que tem Paparazzis nas redondezas.

Otabek riu para o loiro que tinha uma grande sacola de papel nos braços.

—  O que faz aqui, Yura? Se tivesse me avisado eu tinha te buscado.

—  Eu estava de passagem - mentiu com um sorriso, fazendo o cazaque olhar o horizonte, onde só se podia ver os quilômetros de girassóis.

—  De passagem huh?

—  Se você odeia tanto a idéia de tomar café da manhã comigo eu posso ir embora - Yuri virou-se fingindo descer as escadas que davam para a porta do trailer.

—  Espera, entra! Por favor - Otabek pegou a sacola das mãos do menor e virou-se de costas para o mesmo, entrando na casa, sendo acompanhado pelo loiro, depositou a sacola sobre o balcão da cozinha, e quando virou-se para encarar o cantor foi surpreendido por um flash, Yuri havia tirado uma foto de si.

—  Mas o que?!

—  Eu te disse que tinham Paparazzis na região - Yuri se aproximou de Otabek, guiando com os finos dedos uma gota de água que escorria pelo pescoço em direção ao peito desnudo do moreno, sem deixar de encarar de forma desejosa seus lábios - Acho que agora estamos quase quites!

 


Notas Finais


É isso galera, no próximo, finalmente teremos o desfecho, amém.

Eu queria agradecer quatro pessoa que me ajudaram muito nesse capitulo, Lory e Isis, minhas esposas maravilhosas que me ajudaram num sensate que da medo. E Beeyu e Flora pela aula de "angst" Eu amo vcs fodidas <3

AGORA DEIXA EU FALAR QUE A BELL FEZ UMA ARTE PORQUE PP INSPIROU ELA E EU TO MUITO GRATAAAAAAAAAAAAAA, é o Yuri no meio dos girassóis e eu vou encaixar no ultimo capitulo, ah eu vou.
https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=1987917681485966&id=1442872019323871

A música que o Yuri canta no capitulo é essa:
https://www.youtube.com/watch?v=0QFIPoXAAnU

Pasta com imagens referencia: http://pin.it/fTmdNao

Espero que vocês tenham gostado, comentários e criticas construtivas são super bem vindos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...