1. Spirit Fanfics >
  2. Paparazzi >
  3. One night stand

História Paparazzi - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Cacete, não esperava que a fanfic fosse bater trinta favoritos no primeiro capítulo.
Estou mais do que feliz com a proporção que Paparazzi tomou, obrigada para todos que estão lendo.
Olha, amores, antes de mais nada preciso dar um avisinho leve: essa é a primeira fanfic na minha vida que eu escrevo em terceira pessoa, e esse é o primeiro hot que eu escrevo em quatro ou cinco anos, então, como vocês podem saber, eu estou super saindo da minha zona de conforto, por isso fiquei tão animada quando vi quantos favoritos temos.
Dito isso, vamos ao capítulo :)
Treat people with kindness ❤️

Capítulo 2 - One night stand


02 | One night stand

O barulho dos tacos de sinuca batendo nas bolas de bilhar se misturavam com os gritos vindos de vozes masculinas e o cheiro de tabaco, o que deixava Evangeline pensando que nunca deveria ter entrado em um lugar com tanta testosterona.

A pergunta do escritor ao seu lado ainda não tinha sido respondida, e ela pretendia permanecer apenas na sua água com limão e não aceitar nada de alguém que não serviria mais do que trabalho, independente se ele era famoso ou não.

— Qual é o seu veneno? — Harry apoiou os dois antebraços no balcão e olhou para McLean sem nem ao menos tentar disfarçar a malícia, passando os olhos por cada pedaço do corpo longo e esguio antes de parar na íris azul. — Algo forte como uma vodka ou whisky?

— É cinco da tarde. — balançou a cabeça em reprovação, fazendo com que Styles apenas aumentasse o sorriso felino e afiado.

— Com licença. — chamou a garçonete morena que estava perto dos dois. — Um Chardonnay para a moça.

Evangeline olhou bem os olhos esverdeados e se encantou por um segundo antes de virar seu corpo para a mulher que parecia já estar em seus quarenta e de cabelos negros.

— Obrigada, mas não vou ficar. — anunciou antes de olhar para Harry, que levantou as sobrancelhas e encostou as costas na cadeira enquanto mastigava um palito de dente.

— Tem certeza? — seu tom era quase que irônico, confundindo McLean sobre o que ele estaria pensando. — Estou te dando as chaves para o reino.

— Então ter você dando em cima de mim é ter as chaves para o reino? — ela gargalhou sendo observada pelo olhar sério e ao mesmo tempo divertido de Styles. — Eu passo.

Deu um gole na água com limão para poder parar de rir, ainda sob o olhar do homem. Deixou o copo agora vazio no balcão e deu uma olhada ao redor: a garçonete morena ao lado servia uma dose de rum a um homem já idoso, várias prateleiras atrás do balcão estavam cheias de garrafas com líquidos totalmente alcoólicos que Evangeline não queria nem se arriscar em tentar adivinhar o que eram.

— Posso vê-las? — Harry mudou o assunto subitamente, confundindo McLean por alguns segundos. — Suas fotos. Você tem cara de quem tem talento.

— Cara de talentosa? — juntou as sobrancelhas. — Se está querendo me seduzir aumentando meu ego pode tirar seu cavalinho da chuva.

— Não estou. — disse com seriedade. — Se eu quiser uma garota, então eu vou conseguir uma garota. Eu não preciso flertar em um bar com uma paparazzi.

— Então é por isso que está olhando para minhas pernas o tempo inteiro? — rebateu, abrindo um sorriso afiado e fazendo ele repetir seu ato.

— Touché. — olhou para os tornozelos de Evangeline e subiu o olhar com lentidão por todo seu corpo.

— Pelos deuses, não estou nem usando saia. — balançou a cabeça e suspirou, soltando uma risada logo em seguida. — Tem testosterona demais aqui.

— Não seja tão convencida, garotinha. — tirou o palito dos dentes e jogou por trás do ombro. — Tem muitas mulheres bem mais interessantes que você por aqui.

— Olhe para as pernas de uma delas então. — olhou ao redor. — Mas, pelo visto, deveria melhorar seus blefes já que a única mulher aqui sou eu e a garçonete.

— O que te faz o centro das atenções. — sorriu de lado. — Gosta disso, Evangeline?

— Talvez. — levantou apenas uma sobrancelha, mas logo a baixou. — Mas não o suficiente, já que escolhi ficar atrás das câmeras e não da frente.

— Com uma beleza como a sua deveria estar na capa da revista que você trabalha. — Harry lambeu os lábios.

Evangeline analisou o rosto dele por alguns segundos. Os traços eram fortes e másculos, mas com um cansaço sutil marcando presença em seu rosto, os olhos verdes brilhavam, as olheiras revelavam que ele não dormia já há algum tempo e a ruga de preocupação na testa não deveria existir naquela idade. Ainda com todos aqueles detalhes enfeiando seu rosto, Harry Styles era irresistível.

— Quem estará é você. — provocou, recebendo um olhar de reprovação e divertimento seguido de um sorriso.

— Quem sabe eu não te deixe tirar algumas fotos minhas mais tarde. — deu de ombros. — Nunca perca a esperança.

Por alguns segundos, a ideia realmente pareceu cativante. Os detalhes dele combinariam perfeitamente bem com a luz do luar, suas costas encostadas em uma parede completamente branca, um cigarro apagado entre os lábios e uma jaqueta de couro sem blusa por dentro, deixando suas tatuagens a visão de qualquer pessoa que estivesse vendo a foto, digna da capa da VOGUE.

— Você é muito arrogante.

Harry não deixou de perceber a primeira mania que notaria de Evangeline; ela olhou para os joelhos e tocou na câmera pendurada em seu pescoço que repousava no fim de suas costelas. Também não pôde deixar de sorrir sem mostrar os dentes.

— Obrigado. — direcionou um olhar confuso a ele.

Era inegável que o homem sentado ao seu lado era um mulherengo, só a sua postura petulante o denunciava. Com um fraco incontestável pelos famosos bad boys, Evangeline já imaginava se ele era bom, mas não ousaria tentar. Esse seu pequeno fetiche já a tinha colocado em situações nada agradáveis e McLean não precisava de outra distração, ainda mais tão próxima de uma possível demissão.

Em contrapartida, sua vulva já pulsava e seu córtex fazia questão de decorar sua expressão e veias nas mãos, única parte descoberta em seu corpo pela roupa grossa e preta e que fazia ela se perguntar se seu pau também as tinha.

— Eu gosto do seu jeito. — pronunciou como se acabasse de ler os pensamentos dela.

John King provavelmente iria tentar bater em McLean se descobrisse aquilo, mas naquele momento ela não pensou nisso. A única coisa que se passava em sua cabeça era que faziam dezoito semanas desde a última vez que ela tinha sequer estado na cama de um homem e tinha um passatempo delicioso dando em cima dela.

Não faria mal se divertir vez ou outra.

Evangeline passou a língua entre os lábios sensualmente antes de abrir um sorriso felino capaz de desestabilizar qualquer um.

— Onde você mora?

Harry sorriu com a mesma malícia que ela antes de pedir por sua conta.

 

 

Amarelo, bege e vermelho cobriam as paredes do hotel em que estavam, dando um colorido mais quente ao lugar danificado pelo tempo, danos que fizeram Evangeline pensar porque alguém como Harry estaria ficando ali e não em seu próprio apartamento. Apenas imaginou que ele não fosse nativo de Los Angeles e estava ali só para seu próximo roteiro.

O escritor prodígio entrou no quarto 407 ainda com McLean em seus braços, fechou a porta atrás de si e a encostou contra a parede antes de beijar sua boca ardentemente, o que fez um calor agradável consumir o corpo dos dois.

— Me diga do que gosta, garotinha. — murmurou, fazendo com que ela ficasse arrepiada.

Qualquer outra pessoa que a chamasse de garotinha provavelmente levaria um soco bem no nariz, mas naquele momento aquilo a excitava.

— Você terá que descobrir, Harry. — sussurrou seu nome quase que em um gemido, fazendo ele morder os lábios e uma sensação de satisfação tomar conta dela.

Evangeline sorriu por dois segundos, antes de ser atacada pelo homem, que grudou suas bocas e dar um beijo intenso nela, colocando uma mão na lateral de sua coxa e a outra na parede, apertando a pele macia e chupando a língua dela.

De maneira infame, Harry se afastou para poder tirar a blusa rosa claro da pele da garota e, por alguns segundos, observou os seios pequenos ainda cobertos pelo tecido de renda atado. Aproveitou que Evangeline era quase da sua altura e, com um dedo, puxou a alça do sutiã e a deixou cair pelo braço da loira antes de o puxar, revelando o mamilo já rígido que deixava bem mais do que claro a sua excitação.

— Então você gosta disso, não é? — perguntou, fazendo com que ela mordesse o lábio inferior antes de responder.

— O que você acha? — respondeu com um olhar feroz.

Ele sorriu antes de atacar seus lábios em um beijo selvagem e úmido. Não demorou muito para Harry agarrar sua cintura com força e lentamente passar as mãos pelo corpo dela até chegar nas coxas e levantar apenas um deles, usando a outra mão para desabotoar a  calça marrom, enquanto McLean pegou o tecido grosso de seu casaco preto, deixando-o com uma camisa da mesma cor e revelando um mundo inteiro de tatuagens nos seus braços.

— Elas são lindas. — Evangeline elogiou.

— Obrigado.

Ele se afastou para poder tirar a própria camisa e mover as mãos para as costas de Evangeline, tirando o sutiã e o jogando. Olhou o brilho dos olhos azuis dela antes de beijá-la e usar as borboletas do peito dele para esmagar os mamilos dela.

Harry começou a chupar e lamber o pescoço dela antes de descer para seus seios e sugá-los como se fosse a última coisa que ele faria, ouvindo seus deliciosos gemidos que faziam sua ereção crescer mais e mais. Ele deslizou o zíper e ajoelhou-se para poder tirar a calça dela e a jogar por cima dos ombros.

— Você tem um cheiro maravilhoso, garotinha. — lambeu os lábios. — Deixe-me ver se o gosto também é.

Foi a última coisa que ele disse antes de morder o elástico da calcinha de Evangeline e puxá-lo, então ele soltou, fazendo um barulho estalado que apenas a fez molhar mais.

Harry usou os dedos para descer o tecido que já estava lá há muito tempo. Assim que viu a calcinha no chão, sorriu diante da visão dela totalmente nua. Agarrou uma de suas pernas e a colocou em cima de seu ombro direito antes de começar a passar a língua por toda sua extensão.

—É incrível que os seus pêlos sejam tão loiros quanto o seu cabelo. — sorriu para ela. — Me faz querer ainda mais poder chupar sua bucetinha.

Evangeline soltou uma risada safada antes de abrir ainda mais as pernas, ficando ainda mais exposta para Harry.

— Então faça, Styles. — ele sorriu e apertou sua coxa antes de obedecer.

Usou a língua para acariciar toda a área antes de ir ao clitóris e o sugar em uma tortura deliciosa, que fez Evangeline gemer alto e arquear as costas. Usou uma das mãos para forçar a cabeça de Harry contra sua intimidade e levou a outra a boca, mordendo o dedo em uma tentativa falha de conter os gemidos.

Quando Styles penetrou dois dedos dele dentro de McLean, ela arqueou as costas ainda mais e suas pernas começaram a tremer. Sua coxa foi apertada pelas mãos fortes de Harry, quando ela estava prestes a gozar, ele ficou de pé e a beijou, ainda segurando sua coxa.

— Tão boa quanto meu cheiro? — perguntou, fazendo com que o homem risse contra sua boca.

— Melhor. — mordeu seu lábio inferior. — Agora acho melhor sairmos da parede e irmos para a cama.

— Eu concordo. — mordeu o pescoço. — Quero que você me foda até que nós dois mal consigamos andar.

— Seu pedido é uma ordem. — deu um tapa estalado em sua bunda antes de pegá-la no colo e andar um pouco até a cama, onde a jogou.

Deitada na cama e cheia de tesão, Evangeline abriu bem as pernas e proporcionou uma visão maravilhosa para Harry da sua buceta bem molhada, então ela apertou um dos seios e levou a outra mão ao clitóris, o massageando em movimentos circulares, se masturbando e gemendo bem na frente dele em uma provocação que a beneficiava.

— Sem mim? — falou enquanto tirava o cinto preto. — Talvez eu tenha que te punir por isso.

— O que vai fazer? — abriu o sorriso felino que tanto o agradava, gemendo logo em seguida. — Me bater com esse cinto?

— Não. — jogou o acessório na cama antes de tirar a calça, ficando com uma cueca preta com o elástico branco e um volume bem grande destacando. — Vou te amarrar.

— Interessante. — sorriu, enquanto Harry subia na cama e engatinhava até ela.

— Se vire, garotinha.

Imediatamente, Evangeline tirou as mãos de onde estavam e se deitou de bruços na cama, empinando bem a bunda para Harry, que deu um tapa bem estalado no local, o deixando com os cinco dedos bem marcados na mesma hora. As mãos dele pegaram o cinto e ele o circulou pelos pulsos dela por trás das costas, apertando bem mas não o suficiente para machucá-la.

— Me diga que é minha. — usou as duas mãos para abrir bem suas nádegas, tendo uma visão detalhada da garota.

— O que? — riu. — Não mesmo.

Ele deu uma risada sexy antes de se afastar, se abaixar para pegar a carteira que estava no bolso da calça jogada no chão e tirar a embalagem quadrada de dentro. A abriu com agilidade antes de tirar a cueca e desenrolar a camisinha no membro rígido e cheio de veias. Ele se posicionou atrás de Evangeline, apoiando o peso do corpo nos braços e se posicionando bem na sua entrada.

— Vou fazer você dizer. — disse antes de penetrar McLean com tudo, fazendo-a soltar um gemido alto.

Se pudesse, agarraria nos travesseiros mas Harry tinha prendido suas mãos de uma forma totalmente profissional, aquela não era a primeira vez dele amarrando alguém. Ele abaixou um pouco as mãos, ficando apoiado nos cotovelos de forma que ficasse de frente com a nuca da garota, a qual ele beijou antes de fazer movimentos de vai e vem em seu interior, tão fortes que a cabeceira da cama batia repetidamente na parede e os gemidos que McLean soltava poderiam ser ouvidos do outro lado do hotel.

— Diga-me, Evangeline. — gemeu seu nome, fazendo com que ela mordesse o lábio. — Quem você pertence?

— A ninguém. — respondeu ainda entre gemidos.

— Resposta errada, garotinha. — ele se apoiou de volta nos braços, saindo de dentro dela. — Vamos tentar de novo.

Ele tirou o cinto de seus pulsos, a desamarrando e deixando-a livre. O que ele não esperava era que Evangeline tivesse uma força inacreditável para seu peso, ela o jogou na cama e subiu em cima dele, ficando com uma perna para cada lado do corpo cheio de tatuagens dele.

— Impressionante. — segurou em suas coxas e deixou uma risada rouca sair.

— Tem muito sobre mim que você não sabe, Harry. — curvou as costas e ficou com o rosto bem próximo ao dele.

— Ainda. — completou, antes de se posicionar em sua fenda de novo, para ajudá-la dessa vez.

Evangeline abriu um sorriso felino e afiado antes de arrumar as costas, sentando com força no pau de Harry e arrancando gemidos dos dois. Segurou bem na cabeceira da cama antes de curvar as costas apenas um pouco e começar a mover o quadril com agilidade contra a pélvis do escritor, que agarrou a cintura dela em uma tentativa de fazer com que ela fosse mais forte. Os cabelos loiros caiam ao lado do rosto de Harry, mas aquilo não o incomodava nem um pouco. McLean sentia o tesão a consumir e isso a fazia ir cada vez mais rápido, fazendo com que os gemidos do casal aumentassem.

Ela era uma mulher extraordinária e ele tinha notado. Harry apreciou aquilo, seus gemidos, o som que seus corpos faziam ao se chocar com as investidas de Evangeline, o cheiro e principalmente as expressões de prazer dela. Se inclinou para que conseguisse chupar o mamilo rosado dela, e conseguiu.

— Oh, Harry... — gemeu, fazendo-o delirar.

— Diga que é minha. — apertou as nádegas dela.

— Não sou. — as suas costas se curvaram enquanto ela apertava a madeira da cama nos dedos.

— Me diga, Evangeline. — bateu no lugar que sua mão estava, deixando outra marca avermelhada.

— Eu vou... — ela disse, jogando a cabeça para trás.

Harry abriu um sorriso antes de sair de dentro de seu interior, fazendo com que ela voltasse sua cabeça a posição normal e desse uma tapa no braço dele.

— Por que fez isso? — seu tom era irritado.

— Não preciso causar orgasmos em pessoas que não são minhas. — aquilo fez ela rosnar.

Ela percebeu que ele não daria uma folga para ela quando se tratava daquilo, mas que era um blefe já que ele subia e descia a mão no próprio pau, que latejava e estava cheio de veias, revelando que ele queria aquilo tanto quanto ela, ou até mais. Segurou na cabeceira e ficou de quatro, se empinando bem, deixando que ele visualizasse toda sua intimidade.

— Ou você me fode agora ou eu vou procurar outra pessoa para fazer isso por você. — a expressão dele fechou.

— Vadia. — deu uma tapa na bunda dela antes de penetrar com força, fazendo que ela soltasse um gemido alto e baixasse a cabeça.

Os movimentos de Harry dentro dela eram intensos e brutos, fazendo o corpo magro e frágil da garota se movimentar de acordo com a pelvis dele contra sua bunda. Ele segurou a cintura fina dela e gemeu, ouvindo o barulho que eles estavam fazendo. Quis provocar ela mais um pouco, então saiu de dentro e esfregou o pau bem molhado pela lubrificação de McLean por entre suas nádegas e entre os grandes lábios da buceta inchada de tanto tesão.

— Harry... — gemeu. — Por favor.

— Agora você me pede por favor? — provocou com uma risada sensual. — Você sabe o que quero ouvir você dizer.

— Eu sou sua, seu merda. — disse quase que implorando. — Agora anda logo, Styles.

— Boa garota. — entrou dentro dela gostosamente.

Se curvou, se aproximando mais ainda dela. Apoiou uma mão no colchão enquanto usava a outra para fazer movimentos circulares no clitóris de Evangeline, que gemeu ainda mais alto e empinou o bumbum para Styles.

— Caralho... — murmurou. — Harry...

— Goze, querida. — beijou as costas da garota. — Quero que goze para mim.

O gemido que sairam pelos lábios rosados dela ecoou pelo quarto, McLean sentiu sua alma e suas forças saírem completamente do corpo em força de líquido, lambuzando todo o pau de Harry, que estava mais que satisfeito com as reações dela. Bastou algumas estocadas para que ele também gozasse, enchendo a camisinha e gemendo no ouvido de Evangeline, que gemeu ao mesmo tempo que ele.

Assim que as respirações dos dois se normalizaram apenas um pouco, ele saiu de dentro dela e andou pelado até o banheiro, onde tirou o látex do pênis e jogou no lixo. Evangeline ainda estava no quarto, buscando sua lingerie do chão e a colocando, fazendo o mesmo com a calça logo em seguida.

— Já está com essa energia toda logo depois de uma foda dessa? — entrou no quarto, completamente nu.

— Não, mas preciso trabalhar. — sorriu.

— Já tem suas fotos. Ao menos venha descansar. — ele pegou a cueca do chão e a vestiu de volta, se jogando na cama logo em seguida e dando umas batidinhas no colchão, bem ao seu lado. — Deite aqui.

Ela de deixou baixar a guarda por alguns instantes antes de deitar ao lado dele, ficando de costas para Harry, ambos deitados para a direção da parede a esquerda. Recebeu um beijo na nuca enquanto se sentia acalmar e adormecer aos poucos.

— Eu estava errado sobre você. — admitiu. — Não é uma garotinha.

— O que? — murmurou em uma voz de sono.

— Você é a própria Eva. — Harry sorriu sem que ela visse. — Pecadora e primária, perfeita e selvagem. Não existe mulher nenhuma como você.

Ela sorriu internamente, já que seu cansaço não a deixava realizar a ação.

Você é minha Eva. — sussurrou a última coisa que ela ouviu antes de adormecer completamente.

Quando acordou, o quarto já estava escuro e só ela estava deitada na cama. Ainda podia ver traços de que Harry estava hospedado ali, como a pilha de papéis em cima de uma cômoda que ela poderia facilmente espiar ou tirar fotos e aquilo sairia na primeira página da Famous Weekly na manhã seguinte, mas não era o trabalho dela criar as manchetes.

Levantou, ficando sentada na cama. Esticou as costas antes de perceber sua blusa rosa claro ao seu lado, pegou e vestiu antes de pegar a sua câmera que estava na mesa de cabeceira ao lado, a ligou e resolveu dar uma segunda conferida em como as fotos tinham ficado. Até perceber que a foto mais recente que tinha era ela mesma dormindo no colchão que estava sentada, assim que se deu conta que Harry tinha apagado as fotos de si mesmo, ela riu. Uma risada misturada de raiva e divertimento, então virou a câmera e percebeu um papel grudado escrito "Me desculpe :)"

— Filho da puta..  — murmurou para si mesma.

Se levantou e pendurou a câmera no pescoço antes de calçar os tênis e sair do quarto de hotel, voltando para casa e imaginando se o veria a tempo de tirar novas fotos no prazo que John tinha estabelecido.

Harry Styles era, definitivamente, incomparável e irresistível.


Notas Finais


E aí? Vocês gostaram?
Espero que tenha atingido as expectativas de vocês, ou ao menos metade delas haha
Para ser sincera com vocês, eu até que gostei bastante desse capítulo, achei que seria pior depois de quatro anos
E para um primeiro hot em terceira pessoa na minha vida, foi até que legal
Mas enfim, até o próximo meus amores :)
Treat people with kindness ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...