História Paper Girl - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Karin, Kizashi Haruno, Mebuki Haruno, Mikoto Uchiha, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Personagens Originais, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shion, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Cidades De Papel, Comedia, Drama, Literatura Feminina, Paper Girl, Romance, Sasusaku
Visualizações 74
Palavras 1.971
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Literatura Feminina, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Nossas crianças voltaram!
Ainnn povo meu, esse cap tá complicado, ele tá chatinho, mais é necessário, essa interação deles, vai embasar muita coisa lá na frente.
Por favor não matem ninguém em seus pensamentos. Obrigado desde já.

Capítulo 4 - Algumas pessoas são repletas de segredos.



Meu celular começou a tocar me despertando do meu cochilo, arregalei os olhos quando vi o nome do meu irmão na tela, eu com toda certeza não podia atender então rejeitei a ligação e joguei o telefone longe como se fosse um objeto do anticristo, esfreguei as mãos no rosto e a porta do meu lado esquerdo se abriu, me fazendo gritar, e focalizei o rosto franzido de Sakura me encarando.


—Cassete! Você quer me matar?- perguntei tentando controlar meu coração e novamente o celular voltou a tocar, me dando um novo susto.

—Você não é normal.- ela disse e se jogou por cima de mim para pegar o celular e ficou praticamente deitada em minhas pernas com a bunda empinada quase na minha cara enquanto eu gaguejava e tentava não encostar nela, assustado com aquela situação mais que constrangedora. —Oi Ita, tudo bom?- olhei para ela assustado, filha da mãe tinha atendido, agora eu me lasquei. —Isso, eu estou com o Sasuke.- ela respondeu alguma pergunta dele enquanto eu tentava achar um melhor jeito de pegar o telefone sem tocar muito nela e principalmente não enfiar a minha cara no TNT. —Nós ainda vamos demorar para sair do motel.- naquela hora eu senti uma pontada no meu coração, enquanto minha cabeça girava fora de órbita por aquela resposta. —Relaxa Ita, seu carro está seguro e nós também, mais tarde voltamos, xoxo byebye!- ela desligou e se jogou mais para cima de mim, dessa vez caindo sobre meu colo enquanto jogava o rosto no banco do passageiro, senti o olhar dela sobre mim me mirando enquanto eu ainda sentia que ia desmaiar. —Se quiser podemos ir mesmo para o motel, depois que eu acabar a revolução, claro.- eu me virei encarando ela completamente cético e agora bastante irritado. —Não me olha com essa cara, não estou me oferecendo para você, mas precisamos de provas, e bom, um recibo de um motel para comprovar a seu irmão onde estávamos, seria o mas certo a se fazer.- bufei impaciente me remexendo em baixo dela, e empurrando ela para tentar sair. —Calma, eu vou sair.- ela disse e eu baguncei os cabelos em um tique nervoso, ela se levantou apoiando no banco e novamente empinando a bunda em minha direção e saiu de cima de mim mas antes olhou profundamente nos meus olhos. —Você realmente é difícil de ler.


Não demorou muito para que ela já estivesse do outro lado e eu acelerando o carro saindo dali, não conseguia olhar para ela mas sentia os olhos dela sobre mim, eu tentava me acalmar, mas principalmente não a matar.


—Você quer desistir?- ouvi um sussurro dela e me virei rapidamente para a olhar, notando que ela estava encarando a janela.

—Não tenho alternativa, lembra?- revidei sendo mais grosso do que eu esperava, voltando a encarar a estrada completamente vazia.

—Eu estou te dando uma alternativa agora Sasuke!- ela disse mas ríspida e respirei profundamente fazendo de tudo para não olhar naqueles olhos verdes que tanto me fascinavam.

—Tanto faz!- disse mexendo os ombros enquanto parava em um sinal vermelho, ouvi ela bufando.

—Virá a próxima esquerda.- ela disse ríspida e assenti.


Quando o sinal abriu eu acelerei dando seta e fazendo o que ela tinha pedido, não tinha casas somente prédios naquela área, e franzi o cenho sem entender muito bem o que ela queria ali, mas não estava afim de perguntar, eu só era o motorista aquela noite.


—Vira no final a esquerda novamente e depois estacione.- ela falou novamente e me virei olhando para ela que estava de cara feia olhando fixamente para frente, balancei a cabeça negativamente mas fiz o que ela mandou.


Estacionei o carro e percebi a rua escura e bastante arborizada, desliguei o carro e continuei olhando em volta curioso para o que iríamos fazer ali.


—Saí do carro Sasuke.- olhei desconfiado para ela que ainda não me olhava, bufei irritado, saindo do carro, mas levando a chave junto, que não sou idiota, vai que ela quer me largar ali.


Vi ela saindo também e indo para o meio da pista, a seguir, ainda desconfiado, olhei para cima vendo praticamente um buraco no meio das árvores onde dava para ver claramente o céu escuro sem nenhuma estrela graças a claridade da cidade.


Ela se deitou bem naquele meio no asfalto, tirando o capuz da cabeça e esticando as pernas, continuei fitando ela desconfiado e respirei profundamente para tentar não parecer grosso, pois começava a ficar irritado.


—Ok. O que você está fazendo, tentando se matar?- perguntei e ela somente encarava o céu sem me dar nenhum pingo de atenção.

—Senta aqui preciso te contar uma coisa.- ela fez sinal batendo no asfalto a seu lado, bufei irritado, mas fiz o que ela mandou.

—Tá, o que é?- perguntei tentando parecer indiferente mas estava bastante curioso.

—Se lembra do dia em que nos conhecemos? Você chegou junto com seus pais e logo atrás vinha o carro da mudança, e você estava assustado olhando tudo em volta, tudo desconhecido e novo, e a primeira coisa que reparei era que você não gostava muito de novidades, preferia a monotonia, e principalmente, a rotina conhecidas, e eu pensei “como eu quero ser notada por esse garoto bonito”.- ela se virou olhando diretamente para mim enquanto a olhava embasbacado. —Eu sempre achei você bonito, encantador, fofo, mas principalmente, impenetrável, você não sorri, é calado, não demonstra o que sente muitas vezes, e ainda lá naquele tempo, eu era boa em ler as pessoas, mas você sempre foi o meu enigma, meu quebra cabeça impossível de montar, que faltava peças e estava constantemente me impressionando e mudando, sabe, eu me lembro de um dia que nós dois saímos de bicicleta querendo desvendar o parque Kreibon e encontramos aquela caixa repleta de fotos bem na borda do lago e nos fingimos de Detetives, foi sua idéia e até hoje penso nisso, me tornei assim por causa de você, não totalmente, mas a idéia de ser uma detetive sempre me agradou, graças a você.- eu via verdade naqueles olhos que pareciam querer enxergar minha alma, como eu queria a dela.

—Porque se afastou? Porque me deixou?- perguntei em um sussurro me contendo para não deixar a voz embargada, senti as mãos dela tocando meu rosto e ela se aproximando de mim perigosamente.

—Você é minha criptonita Sasuke.- ela disse suspirando pesadamente, se sentando, enquanto aproximava a testa da minha de olhos fechados, fiz o mesmo tocando a nuca dela junto com o emaranhado de fios róseos. —Mas eu sei que também sou a sua, e é justamente por isso, que não podemos nos envolver, eu sou radioativa Sasuke, sou um veneno pra você, sempre fui, desde o primeiro momento que pus meus olhos em você, eu não posso deixar que nada de ruim aconteça com você por minha causa, eu já te machuquei demais e é por isso que te trouxe comigo hoje, eu preciso que desista de mim.- abri meu olhos encarando os verdes dela e arregalei os olhos e a boca, não conseguindo falar nada, era incrível a forma que ela se abria e se fechava ao mesmo tempo, me impedindo de chegar até ela da forma que eu queria, da forma que eu precisava. —Eu preciso que se afaste, e isso não é um pedido.- ela se afastou, me dando as costas enquanto os últimos fios de seus cabelos escapavam entre meus dedos. —Precisamos ir.- ela se levantou colocando o capuz e indo em direção ao carro me levantei rápido correndo até ela e segurando o seu braço.

—O que você vai fazer? Fala pra mim pra onde você vai?- ela permaneceu de costas para mim com o olhar baixo.

—Você já sabe.- ela suspirou e eu a puxei para mim a virando e levantando o seu rosto.

—Me diz pra onde você vai dessa vez, o que você faz? Por que faz isso? Porque fica fugindo? Porquê?- perguntei quase implorando para que ela me desse qualquer sinal, falasse qualquer coisa.

—Você ainda não entendeu? Eu não estou fugindo! Estou tentando me encontrar, eu quero sair daqui, ir embora, eu não posso mais ficar aqui, a tanta coisa no mundo pra se ver, eu quero descobrir, quero ver coisas novas encontrar lugares novos, eu quero o mundo Sasuke, eu não me contento com pouco, eu não quero somente isso aqui, entende isso?- ela me disse como se desabafasse, e a soltei suspirando pesadamente.

—Eu nunca vou ser suficiente.- constatei mas para mim mesmo do que para ela, e vi ela negando com a cabeça enquanto tocava meus ombros.

—Não é nada disso Sasuke, não somos o problema, é a minha vida Sasuke, somente a minha vida, a sua é perfeita, você tem pais que se importam, um irmão que se importa, você é feliz, tem amigos verdadeiros, você tem tudo Sasuke, eu só tenho a mim mesma.- ela disse sorrindo sem emoção para mim e eu neguei com a cabeça.

—Você não percebe que foi você mesma que buscou essa vida para si? Você se afastou das pessoas que se importavam com você, foi você, não nós, você foi atrás daquelas pessoas, você fugiu diversas vezes e até eu pensei que fosse para chamar atenção, é você que está abandonando todo mundo e se isolando.- disse vendo o rosto dela se retorcer enquanto abaixava a cabeça.

—Eu sei, mas infelizmente não fui eu que busquei isso tudo, aquelas fotos, foi por causa delas que eu me afastei de vocês, eu não podia ficar perto de vocês e acabar levando cada um pro buraco comigo, aconteceu muita coisa que não posso e não tenho autorização pra falar, eu só quero que você entenda, foi por vocês, cada um de vocês, e você nunca foi o problema, na verdade foi sempre a solução, mas agora é tarde Sasuke, pra você, pra mim, pra nós, eu preciso de você longe. Então por favor se você gosta de verdade de mim, me esqueça.- ela voltou a andar em direção ao carro enquanto eu olhava para suas costas, chateado, magoado e sem saber o que fazer ou pensar, ela fodia meu psicológico como ninguém, mas também era o remédio para todos os meus medos, fantasmas, perguntas, respostas e dúvidas, só ela que conseguia me fazer me sentir mal e bem ao mesmo tempo, e não podia deixar ela fugir novamente.


Andei para o carro também entrando no banco do motorista e já ligando o carro e saindo dali, eu sabia que para ela a conversa tinha acabado, mas ainda precisava falar tanta coisa para ela, mas agora não era o momento certo, então eu só cumpriria a minha parte do trato enquanto tentava arranjar coragem para enfrentá-la


—Para onde agora?- perguntei tentar ficar o mais relaxado possível.

—Suigetsu e Karin.- assenti já sabendo basicamente para onde ir, Karin morava perto de Naruto e Suigetsu na outra rua praticamente atrás da casa da ruiva.


Eu tentava entender o porquê daquilo tudo, por que me contar que gostava de mim e depois me pedir para me afastar, porque ela era desse jeito, com tantos altos e baixos e tantos segredos, tudo podia ser tão simples se ela deixasse eu me aproximar em vez de viver me afastando.


Eu pensei que era invisível para ela, mas agora percebia que era ao contrário, eu era igual aos outros só enxergava o que queria dela, eu idealizava algo que ela não era, pois Sakura era bem mais do que eu imaginava ou quisesse, a profundidade dela era bem pior do que eu pensava, não sabia dizer se isso era ruim ou bom, mas eu queria ela perto de mim, disso eu tinha certeza.


Notas Finais


Cu doce, detective!
Hahaha, Cristo, vai ter muita gente querendo dá na cara da Sakura. Certeza que muita gente pensou, FINALMENTE, e depois, NÃO ME FODE AUTORAAAAA!
SORRY! BUT NOT SORRY!
Favor, relevem os erros, hahaha, e até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...