História Paper House - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Little Mix
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Leigh-Anne Pinnock, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Perrie Edwards
Tags Brigas, Drama, Faculdade, Família, Noivado, Racismo, Romance, Tragedia
Visualizações 205
Palavras 5.109
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Nenéns! Resolvi trazer um capítulo mais cedo do que eu mesma esperava!! Pensei que eu ia demorar um pouco, mas acabei tendo umas ideias e resolvi desenvolver!! Espero que gostem!

Tenham uma boa leitura! ❤❤

Capítulo 2 - Jealousy


Fanfic / Fanfiction Paper House - Capítulo 2 - Jealousy

P.O.V'S Naomi Banks

Toronto, Ontário, Canadá

Universidade de Toronto, 10:10 AM

Havia acabado de fazer uma prova chata e complicada. Minha cabeça doía pelo esforço feito e tudo o que desejava no momento era almoçar. Mas primeiro teria que procurar por Jimin, assim almoçaríamos juntos. Meus últimos horários naquele dia eram vagos, portanto tinha um tempo melhor para passar com Jiminie, antes de ir para o trabalho.

O procurei no bloco em que sua sala se localizava, mas não o encontrei por lá. Suspirei e então deduzi que talvez ele estivesse na lanchonete. Segui meu caminho até lá lentamente e assim que cheguei meus olhos foram preenchidos por meu namorado junto de seus amigos. Os mesmos riam e pareciam se divertir, mas meu foco mesmo estava na garota agarrada a seu pescoço. Jade conversava com Jimin e ambos trocavam sorrisinhos, aquilo fez um ódio enorme subir por meu corpo.

Me viro rapidamente, caminhando para fora da lanchonete. Sabia que se eu fosse lá discutiria com Jimin e com Jade, e estresse é o que eu menos preciso no momento. Jade não merece meu tempo, a propósito. Apertei a alça da minha bolsa enraivecida e sai do campus o mais rápido possível. Nosso apartamento não era longe dali, por isso não seria um problema ir caminhando até lá. Assim também aproveitaria para espairecer e esquecer aquele babaca.

Cumprimento o porteiro do nosso prédio e caminho para as escadas, subindo os degraus, quase me arrastando. Estava cansada depois daquela prova e ainda tinha um trabalho para terminar para amanhã. Subi para meu apartamento, me livrando dos tênis e do casaco ao adentrar a sala e fechar a porta atrás de mim. Joguei minha bolsa sobre o sofá e me direcionei diretamente ao quarto, logo entrando no banheiro. Me desfaço de minhas roupas.

Prendo meus cabelos para cima, sem paciência e tempo para lava-los hoje. Relaxo de baixo da água morna, sentindo a tensão se esvair aos poucos. Suspiro alto ao me lembrar daquela garota agarrada ao meu namorado. Eu não aguento mais tudo isso, a amizade deles me incomoda e não é falta de confiança. Ao contrário, confio muito em Jimin, mas percebo que Jade quer muito mais que amizade, e não sou só eu que percebi.

O amigo do Jimin, Namjoon também tem percebido as fortes investidas da garota, só ele não percebe. O moreno diz que eles são apenas amigos e não duvido que haja apenas amizade da parte dele, mas da parte dela não posso dizer o mesmo. Sei bem quando uma mulher está investindo em um homem. Balanço a cabeça me desfazendo dos pensamentos relacionados aos dois. Saio do box me enrolando na toalha felpuda de algodão e caminho de volta ao quarto.

Visto uma calça jeans de lavagem clara e uma blusa de linho. Borrifo perfume em meus pulsos e pescoço. Calço os chinelos e saio do quarto, indo diretamente para a cozinha. Na geladeira analiso as opções e opto por comida congelada, já que o Park não está aqui. Optei por esquentar um fricassê de frango. Preenchi uma taça com vinho e retirei a comida do micro-ondas após o mesmo apitar. Voltei para a sala me acomodando no sofá.

Liguei a TV e comecei a comer tranquilamente, enquanto assistia a alguma série. Terminei de comer e bebi o resto do vinho, levando a louça suja para a cozinha onde lavei e guardei, voltando para a sala. Desliguei a televisão e agarrei meu notebook que se encontrava sobre a mesinha de centro, ligando o mesmo. Assim que digitei minha senha, o esperei iniciar e dei início ao meu trabalho que deveria ser entregue amanhã.

- Por que não me esperou depois da aula Naomi? – Jimin indaga ao atravessar a porta do nosso apartamento.

- Não queria atrapalhar seu momento com a Jade – respondo irônica, sem desviar minha atenção do notebook – Você parecia se divertir com ela agarrada em seu pescoço, a propósito.

- Sério que vamos brigar por causa disso novamente? – questiona cansado. Fito seus olhos – Sabe muito bem que ela é apenas uma amiga.

- Eu sei mesmo Jimin? Ela é só sua amiga? – questiono irônica e irritada – Vocês não parecem amigos, Park. Aliás, não sou só eu que tenho percebido essa aproximação de vocês dois.

- O que está insinuando com isso, hm? – Park me questiona começando a se irritar também. Deixo o notebook de lado e me levanto – Alguém anda pondo essas baboseiras na sua cabeça Naomi? Pode me explicar por que está puta comigo sem motivos?

- Sem motivos? Essa é boa – rio soprado e ele quebra o pouco espaço existente entre nós – Bom saber que eu não tenho direito de ficar irritada com outra abraçada em você – me jogo novamente sobre o sofá.

- Ela é minha amiga, Naomi. Não sei porque tem tanto ciúme assim dela – o moreno diz, reviro os olhos a medida que gargalho debochada – Dá para parar com o deboche e conversar direito comigo Banks?

- Não, realmente não dá Park. Você está sendo patético demais para mim. Como pode ser idiota ao ponto de não perceber que aquela garota está dando em cima de você? – esbravejo, voltando a me levantar. Estou enraivecida – Deixa de ser cego, até o Namjoon já percebeu o que ela está tentando fazer. Mas você é idiota demais para perceber – finalizo.

- Que merdas o Namjoon tem dito a você? – ele grita em um tom elevado.

- Primeiramente pare de gritar Park Jimin, ninguém aqui é surdo – ergo o indicador irritadiça com ele – Segundamente que o Namjoon não tem me dito nada. E terceiramente eu não sou cega, ninguém precisa me dizer algo que estou vendo – vocifero.

- Você está ficando louca garota. Enxergando coisas onde não tem – rebate em um tom cortante. Dou risada, cínica – Sério Naomi, deixe de ser paranoica. Jade e eu não temos nada um com o outro.

- Agora eu sou louca também – digo, caminhando pela sala enfurecida – Me diz só uma coisa. Você gostaria de ver o Jin agarrado em mim?

- É claro que não – ele nega veemente – Mas é diferente.

- É diferente por quê? Por que é com você Jimin? – ironizo, passando as mãos pelos cabelos presos no coque – Não venha tentar diminuir a culpa só porque aconteceu com você e não comigo – esbravejei.

- Eu não estou tentando diminuir nada, Naomi. Só estou dizendo que não aconteceu nada para você ficar puta comigo. Poxa amor, sabe que te amo e não faria nada para magoar você – ele alisa meu braço coberto pela blusa com seu indicador – Por favor, vamos resolver isso numa boa. Sem mais brigas. Odeio quando fica chateada comigo.

- As coisas não estão dando certo desse jeito Jimin. Vivemos brigando um com o outro, você tira mais tempo para os seus amigos do que para mim, quer sair todo final de semana. Não dá mais – exponho realmente magoada e chateada.

- O que está querendo dizer com isso Banks? – meu namorado indaga se aproximando de mim. Encaro seus olhos – Você quer terminar comigo, é isso Naomi? Quer jogar anos de namoro no lixo?

- Você não acha que é melhor assim Jimin? Talvez você prefira terminar o nosso namoro, assim estará livre para fazer o que quiser com sua vida – o pressiono. Jimin encarava-me incrédulo com aquilo – O que você acha Park?

- Eu não vejo no que terminar comigo vai melhorar nossas vidas. Porra, eu não quero terminar com você. Não quero perder você, amor. Me escuta, por favor, Naomi. Não acaba com a gente assim – praticamente suplica me puxando pelo braço, mais para perto dele – Eu não quero ficar livre para fazer nada, amor. Quero ficar perto de você.

- Olha Park, eu preciso esfriar a minha cabeça. Não quero mais discutir com você – murmuro me afastando dele e indo para o quarto. Ele me segue, calço meus tênis enquanto sou observada por ele – Essa discussão não vai dar em nada mesmo – passo por ele.

- Amor, por favor... – sussurra, segurando meu braço.

- Jimin... – sussurro e ele me solta.

(...)

Café Balzac's, 12:00 PM

Digitava meu trabalho no notebook enquanto tomava um cappuccino duplo. O tempo lá fora estava frio e nada melhor que um bom café para esquentar. Meus pensamentos estavam longe, mais precisamente em Park Jimin, na nossa discussão. Mal conseguia me concentrar no trabalho que tenho que enviar amanhã. Bufo, passando as mãos pelos meus cabelos, nervosa.

Os segundos, os minutos, as horas estavam se passando e eu não terminei esse maldito trabalho. Ainda preciso ir trabalhar daqui a meia hora. Mais da metade já havia sido escrita, porém ainda faltava uma boa parte. Esfrego as têmporas, exausta, definitivamente exausta. Olho o cappuccino sobre a mesa e olho para o computador, sentindo o desânimo se apossar de mim. Queria terminar logo aquela merda, porém não estava conseguindo me concentrar. Merda, Park Jimin. Por que tem que estar em meus pensamentos justo agora?

Respiro profundamente, trazendo o ar dolorosamente para meus pulmões e o solto vagarosamente. Meus dedos voltam a digitar, batendo em tecla por tecla, formando as palavras e montando aquela merda de relatório. Por que diabos meu professor precisava passar um relatório do tipo? Isso é com certeza uma conspiração do universo contra mim, só pode ser. Não há outra explicação senão essa.

- Naomi? – ouço a voz do Jin soar próximo à mim. Ergo meu olhar encontrando o mais alto parado em minha frente – Posso me sentar?

- Claro, Jin. Senta aí – aponto para a cadeira da frente – O que faz aqui?

- Sempre passo aqui para tomar um café antes de ir fazer o estágio – responde-me com tranquilidade. Sorrio – E você o que faz aqui?

- Bom... estou tentando terminar um relatório que o Dickens exigiu – respondo, tomando o último gole do cappuccino – Mas só estou tentando mesmo.

- Por que não fez o trabalho na sua casa? – confuso ele indagou. Umedeci os lábios – Brigaram novamente?

- Sim. Não estava aguentando ficar naquele apartamento discutindo com ele por causa da Jade. Está se tornando cansativo – murmuro, o encarando fixamente – Acho que Jimin não sabe o que quer da vida ainda – suspiro frustrada.

- Eu acho que ele sabe perfeitamente o que quer da vida, Naomi. Não seja tão dura com ele – Jin aconselha, ajeitando seus fios impecáveis no lugar – Jimin ama você e tenho certeza que você tem plena consciência disso. Então por que está deixando de lutar pelo relacionamento de vocês?

- Eu não estou deixando de lutar por nada, Jin. Mas isso está se tornando exaustivo e desgastante. A cada dia parece que nosso amor adormece mais e mais. Só me sinto cansada – desabafo, relaxando na cadeira e jogando a cabeça para trás – Parece que eu estou lutando sozinha por esse relacionamento, estou seguindo sozinha e ambos sabemos que um relacionamento onde apenas um se esforça não chega longe.

- Do que está falando, Nah. Jimin a ama e faz de tudo por vocês dois. A Jade é só um obstáculo na frente de vocês dois, não pode deixar ela ganhar seu namorado simplesmente porque está cansada – meu amigo esbraveja mesmo que em um tom baixo – Vocês passaram tantas coisas para chegarem até aqui, foram tantas pedras no caminho. Vai simplesmente morrer na praia?

- Eu não sei mais o que fazer, Jin – exponho, me endireitando na cadeira. Ele fita-me – Estou me sentindo pressionada de todos os lados, é muita coisa para lidar. Tem a faculdade, emprego, relacionamento conturbado e a família dele que ainda não me aceita.

- A família dele não aceitar você nunca foi um problema para vocês dois. Por que se tornaria um problema agora? – Jin ergue as sobrancelhas. Ele está certo em um ponto. A aceitação da família do Jimin nunca foi um problema para mim, mas agora acumulando tudo está se tornando um.

- Está acumulando tudo Jin. São muitas coisas envolvidas – digo, salvando meu relatório e fechando a aba em seguida. Desligo o notebook e fecho a tela – Não estou dizendo que vou desistir do meu relacionamento com ele, mas ele precisa mudar ao menos um pouco.

- Fale com ele então, Naomi. Problemas não se resolvem sozinhos – aconselha, me fazendo assentir – Espero que você se resolva com ele. Boa sorte, Nah.

- Vou precisar – rio soprado, me levantando. Guardo o notebook na bolsa e recolho minhas coisas – Agora tenho que ir ou vou chegar atrasada no trabalho.

- Eu te acompanho – ele se levanta.

- Mas ainda nem pediu o seu café – fico confusa.

- Já sim, eu pedi para a viagem – responde-me como se fosse óbvio – Não posso chegar atrasado ao estágio.

- Entendo.

Jin pega seu café duplo e paga pelo mesmo e após eu pagar pelo meu seguimos para fora do estabelecimento. Caminhamos pela calçada conversando sobre assuntos aleatórios, até eu chegar na loja de roupas em que trabalho. Nos despedimos e ele seguiu seu caminho. Me troquei na sala dos funcionários e sai para trabalhar com os pensamentos em Jimin.

P.O.V'S Park Jimin

Toronto, Ontário, Canadá

Apartamento do casal, 06:10 PM

Havia tomado um banho meia hora atrás e me preparei para fazer uma surpresa para Naomi. Odiava ficar brigado com ela e odiava ainda mais deixa-la chateada comigo. Nossa discussão de hoje mais cedo foi de longe uma das piores. Naomi nunca havia chegado ao ponto de me questionar sobre término. Aquilo me doeu e me atingiu de uma maneira incomum. Jamais pensaria em perde-la.

Não tardou e a minha garota estava atravessando a porta do nosso apartamento. Naomi se livrou dos tênis como sempre faz e deixou sua bolsa repousada sobre a poltrona. Ela olhou para mim e em seguida seguiu caminho para a cozinha. Segui ela até lá encontrando-a com o olhar confuso ao encarar o ambiente escuro iluminado apenas por algumas velas.

- O que é... – silencio-a com meu indicador sobre sua boca.

- Eu vou jantar agora – falei em um tom de inocência, colocando minha namorada sobre a cadeira.

Coloco uma música envolvente bem baixo, apenas para climatizar um pouco. Naomi me encara ainda confusa. Sorrio malicioso puxando minha camisa e estourando todos os botões, expondo meu abdômen para ela. Observo que ela engole seco com a visão do meu abdômen exposto. Esboço um sorriso satisfeito por ter alcançado meu objetivo. Deslizei minha mão por meu próprio corpo descendo até meu membro, apertando o mesmo.

- Está tentando me excitar Park Jimin? - indaga.

- Não está dando certo? – me aproximo, encaixando minhas mãos nas laterais do assento da cadeira, dos lados de suas coxas. Me curvo deixando o rosto bem próximo ao seu e minha respiração soprava em seu rosto. Naomi nega, sorrio malicioso – Me diz que não está funcionando então, Naomi – abro suas pernas com uma das mãos e acaricio sua intimidade por cima da calça – Fala se já não está molhadinha pra mim amor... – sussurro, pressionando seu ponto sensível. Ela geme – Acho que já tenho a minha resposta – mordo o lóbulo de sua orelha.

Minha namorada ofega e me afasto dela, seguro ela pela mão levantando-a. Segurei em seu queixo, mordendo o lábio inferior da garota. Beijo sua bochecha e desço até seu pescoço, deixando um chupão no lugar. Deslizo minhas mãos por suas coxas e aperto seu bumbum, logo subindo até a barra de sua blusa.

- Park... – ela tenta me repreender, mas eu sabia que ela já estava entregue a mim naquele momento.

- Shhh... sente o quanto estou duro por você – faço-a deslizar sua mão até meu membro coberto. Naomi o aperta – Hm amor.

Retiro sua blusa jogando-a em qualquer canto da cozinha mal iluminada. Dedilho suas costas devagar apreciando as sensações que seus olhos transmitiam. Abro seu sutiã e o retiro. Desço beijando seu corpo e subo novamente deslizando minha língua por sua pele negra e saborosa.

Jogo-a novamente sobre a cadeira que estava a minutos atrás e me sento em seu colo. Ergo seu rosto com meu indicador fazendo-a fitar os meus olhos. Lambo os lábios e movo meu quadril contra ela. Suas mãos macias caem em meu abdômen o acariciando. Tiro a minha camisa rasgada expondo mais o meu tronco e continuo a rebolar em cima dela. Aliso sua pele negra e ela arfa com meus toques.

- Acho que eu preciso de você toda aberta para mim agora – dito, encarando seus seios abaixo de mim – Ah Jagi você deve estar muito lubrificada para mim.

Levanto-me de seu colo e enfim acendo a luz, queria apreciar cada detalhe dela. Puxo minha namorada e afasto a cadeira, tomando-a em meus braços.

- Eu não vou pra cama com você novamente Park – Naomi diz, tentando me afastar dela. Sorrio malicio a colocando sobre a mesa.

- Você realmente não vai para a cama comigo – afirmei, apertando suas coxas – Você vai me dar aqui mesmo – sussurrei em seu ouvido, mordendo o lóbulo de sua orelha.

- Achei que fosse jantar – minha namorada diz, encarando meus olhos.

- Eu vou jantar Jagi. Meu jantar está sobre a mesa nesse exato momento – digo maliciosamente, ela morde o lábio inferior – A única coisa que eu quero comer nesse momento, é você.

Puxo minha namorada pelo quadril e seu sexo se choca contra meu pau ereto, gemo. Tomo seus lábios em um beijo voraz e necessitado, cheio de urgência. Sua mão acaricia meu membro por cima da calça jeans que eu vestia. Acerto um tapa em sua coxa, apertando-a em seguida.

- Eu estou com uma vontade enorme de chupar você agora – sussurrei próximo de seu rosto. Aperto seu seio – Posso chupar você Jagi?

- Deve Park... – geme em antecipação.

Sorri malicioso com seu consentimento e tratei de tirar sua calça com rapidez, assim como sua calcinha. Abri as pernas dela, deixando ela totalmente exposta para mim. Minha boca saliva com sua intimidade tão molhada para mim. Ajoelho-me em sua frente puxando seu quadril e trazendo seu sexo para mais perto do meu rosto.

Deslizei minha língua por sua fenda um tanto lubrificada arrancando um grunhido de prazer dela. Massageei seu clitóris com o polegar a medida que eu chupava ela com vontade. Naomi geme puxando meus cabelos com força. Caralho, ela é gostosa pra porra. Revezava em deslizar minha língua por sua fenda, chupar seus lábios vaginais com força e massagear seu clitóris.

Enfiei um dedo dentro dela o movimentando devagar, sem deixar de chupa-la.

- Oh Jimin... por favor – geme alto, puxando meus cabelos e trazendo meu rosto mais para seu sexo.

- O que foi amor? Você quer mais, hm? – indago, vendo ela assentir – É só pedir amor. Pede que eu dou o que você quer.

- Amor, não me torture tanto. Por favor... – sua voz sai em um fio, falhada e baixa – Mais rápido amor, estou implorando a você – enfio mais um dedo nela.

Movimento meus dedos em sua intimidade, puxando seus lábios vaginas entre os dentes. Naomi geme alto com meus movimentos. Ergo o olhar notando o prazer estampado em suas linhas expressivas. Sorri satisfeito com aquilo, voltando a chupa-la. Tirei meus dedos de dentro dela e rodeei minha língua em sua vagina.

Comecei com movimentos de vai e vem dentro dela com minha língua continuando a estimular seu clitóris. Seus gemidos me incentivavam a continuar. E com aquilo seu orgasmo veio, se derramando em minha boca.

- Muito bom Nah – me ergo do chão e fito seus olhos. Limpo o canto sujo de meus lábios com a língua – Você é uma delícia amor – selo seus lábios.

Minha namorada se apressa em abrir minha calça, abaixando-a um pouco junto com a box preta. Sua destra toca meu membro ereto o estimulando com destreza. Fecho os olhos gemendo e jogando a cabeça para trás. Aquilo é maravilhoso, céus. Sentia cada partícula do meu corpo queimar.

- Isso Jagi... hm – gemo, voltando o olhar para ela. Seus olhos escuros me encaravam, tão quentes – Porra amor... eu quero você – digo sôfrego.

- Seu pau está tão duro amor... – Naomi sussurra, estimulando meu membro.

- Então abre as pernas para mim, Nah – pedi, afastando as coxas durinhas dela – Quero colocar ele dentro de você.

Retirei o resto de minhas calças e me enfiei no meio de suas pernas. Naomi se abriu o máximo que pôde para mim e após me proteger com a camisinha me enterrei fundo nela. Agarrei seus cabelos fortemente, entrando e saindo com muita intensidade. Seus lábios se grudaram aos meus, quentes e envolventes.

Porra sua intimidade me apertava deliciosamente. Aquilo é o paraíso para mim, estar dentro dela é a melhor sensação.

- Jimin... aah – geme arranhando meus ombros. Chupo seu pescoço com força.

Puxo uma cadeira para perto e me sento puxando ela comigo. Aperto o seio da Banks impondo força e puxo o bico do mesmo em meus dentes. Ela ofega.

- Rebola em mim amor – peço, segurando seus glúteos. Naomi me obedece e começa a rebolar – Porra, assim amor – acerto um tapa em seu glúteo direito.

Puxo ela pelos cabelos e trago seu rosto até o meu beijando-a com toda vontade que sinto. Minha língua acaricia sua boca agressivamente. Meus lábios movem-se sobre os seus com fome, famintos pelo sabor maravilhoso que ela tem. Suas unhas grandes rasgam minha carne, me excitando ainda mais. Caralho, essa mulher me deixa com muito tesão.

- Que tal sentar em mim de costas? – proponho apertando sua coxa. Naomi sai de cima de mim e se vira de costas, abro minhas pernas e ela se encaixa entre elas. Sua mão segura meu membro e ela o desliza para dentro dela novamente – Caralho – seguro seu quadril.

Meus olhos brilham intensamente observando ela quicar no meu pau daquela forma. Prendo minhas mãos em seu quadril ajudando ela a subir e descer com mais rapidez. O jeito que ela gemia me fazia perder a razão. Naomi se derrama em torno de mim, chamando meu nome. Me levantei e andei com ela até a mesa sem sair de dentro dela.

Inclinamos nossos corpos um pouco e faço ela erguer sua perna. Aperto seu seio e seguro seu cabelo enquanto a fodo com força. Parecíamos dois animais famintos naquele momento, eu mais ainda.

- Oh amor... – gemi quando enfim gozei.

Respirei fundo controlando os batimentos cardíacos. As costas suadas da minha namorada estavam grudadas em meu peitoral. Precisamos de um bom banho depois dessa transa.

- Acho que precisamos de um banho – afirmei. Nah me olhou por cima do ombro, concordando – Eu te amo.

- Eu também te amo – selo seus lábios, enfim saindo de dentro dela – Sobre o que aconteceu aqui não pense que irá resolver tudo com sexo. Me ouviu Park Jimin? Dá próxima vez, faço greve – me adverte, virando de frente.

- Seria tão má comigo? – ela assente, faço bico e ela o beija – Faremos de tudo para não ter uma próxima vez, sim?

- Sim – concorda me abraçando.

(...)

Casa dos Banks, 10:45 AM

A semana havia passado tão rápido quanto havia chegado, já era domingo de novo e eu e a Naomi estávamos na casa de meus sogros. Eles haviam nos convidado para almoçar aqui, já que a irmã dela havia voltado da Espanha. Naomi e eu estávamos muito bem um com o outro esses dias e agradeço aos céus por isso. Se tem algo que agradeço é ter um pouco de paz e ficar de bem com minha namorada.

- Park, ajude-me a arrumar a mesa – minha namorada chama, me fazendo levantar do sofá e segui-la até a cozinha – Arrume os pratos, por favor.

- Naomi, não explore o garoto – a mãe dela a adverte, me fazendo rir – Ele é nosso convidado.

- E eu não sou? – minha namorada retruca indignada, me fazendo rir baixo.

- É diferente, você é minha filha – explica para a mais jovem que continua a encarar a mãe indignada – Tem mais é que ajudar mesmo.

- Que absurdo – Nah reclama, voltando ao que fazia.

- Não se preocupe, Grace. Gosto de ajudar – me pronuncio pela primeira vez, minha sogra sorri. Grace sempre foi muito agradável comigo, ao contrário de minha mãe com Naomi – Além disso a senhorita Naomi já está acostumada a me fazer de escravo em casa – brinco, arrancando um olhar de indignação da garota e a risada de sua mãe – Estou brincando amor. Sabe que te amo – selei seus lábios e após terminei o que fazia.

- Você vai ver quando chegar em casa Park Jimin – ameaça, estreitando os olhos em minha direção – Eu vou acabar com você.

- Mal posso esperar Jagi! – exclamei malicioso, ganhando uma cotovelada nas costelas em resposta – Ai amor – reclamo, passando a mão no local.

- Inconveniente – me repreende e acabo rindo – Heather está demorando a chegar – Naomi observa, olhando a mãe.

- Ela já deve estar chegando – Grace responde, terminando de preparar a comida – Apressada.

- Estou com saudades da minha irmã. Já faz um ano, mamãe – Naomi diz animada. As duas eram bastante ligadas antes da irmã dela ir embora a trabalho – Mal posso esperar para conversar com ela, saber as novidades.

- Eu também, mas acalme-se – Grace ri e eu também. Naomi nos encara feio e dou de ombros.

- Família, cheguei – o cômodo é preenchido pela voz da irmã de Naomi e todos olhamos para a mesma.

Heather estava mais bonita, só não mais que a minha Naomi, mas ainda assim, bonita. Estava mais madura também, isso era perceptível. Naomi pulou nos braços da irmã quase a derrubando.

- Vai com calma aí maninha – Heather brinca apertando a irmã, enquanto ri – Estava morrendo de saudades de você.

- Eu que estava, mana. Quero saber de tudo – minha namorada estava visivelmente feliz – Olha pra você, está tão linda.

- Naomi deixa sua irmã respirar – Grace se aproxima das filhas e Naomi se afasta olhando torto para a mãe – Como você está minha filha? – pergunta abraçando a mulher.

- Muito bem mamãe. E a senhora? – Heather afasta a mãe para encara-la nos olhos.

- Estou ótima minha filha – Naomi vem para o meu lado, me abraçando. Beijo o topo de sua cabeça – Sua irmã está certa, você está realmente linda.

- Vocês também estão – elogia de volta e me encara – Jimin não vai cumprimentar a sua irmãzinha não?

- Desculpe, Heather. Estava esperando as duas matarem a saudade – falo rindo. Ela se aproxima e nos abraçamos. Heather sempre me teve como um irmão e eu também – Fico feliz que esteja de volta.

- Eu também – responde se afastando, sorrimos – Cadê o papai?

- Foi comprar algumas coisas para mim no mercado. Já deve estar voltando – Grace se pronuncia, pondo a mesa seguidamente – Falando nele... – olho para a porta que meu sogro acaba de atravessar.

- Papai – Heather o abraça animada. Vou até ele e retiro as sacolas de sua mão para que ele pudesse abraçar a filha. Coloquei as compras sobre a ilha – Estava com muita saudade do senhor papai e dos seus sermões – brinca se afastando do mais velho, nos fazendo rir.

- Se não me dessem tanto trabalho não precisaria dar sermão – diz no mesmo tom de brincadeira – Bem, vamos almoçar.

Nos acomodamos todos ao redor da mesa e nos servimos, começando a comer. Conversávamos tranquilamente ao longo do almoço. Heather contava do ano que passou na Espanha, tudo o que fazia por lá. Naomi olhava a irmã admirada, dava para ver o quanto a mesma a amava. Após o almoço, ajudamos minha sogra na cozinha e fomos para sala, onde nos acomodamos.

Meus sogros, minha cunhada e a Naomi adentraram em diversos assuntos e vez ou outra eu interagia com eles. Senti meu celular vibrar no bolso do jeans e o retirei, era uma mensagem nova. Abri a mensagem que por sinal era da Jade e ri soprado com sua indignação por eu não poder ir na festa da fraternidade aquela noite. Comecei a trocar algumas mensagens com a garota, até ser cutucado por Naomi.

- Dá pra ao menos fingir interesse no assunto? – sussurra, me olhando brava – Ou seu celular está mais interessante do que isso aqui?

- Ei fica calma – falei baixo para não chamar a atenção dos demais que conversavam. O que menos preciso é que nos vejam discutindo – Não vamos brigar na frente dos seus pais, Nah.

- Não estamos brigando, apenas pedi que se interessasse no assunto – responde-me com um olhar duro. Respiro fundo – Afinal, com quem tanto conversa? – pergunta.

- Não é ninguém – digo, não querendo prolongar o assunto. Não queria brigar de novo – Vamos esquecer isso.

- Então me deixe ver com quem falava – ela estende sua mão em minha direção. Encaro-a incrédulo – Não vai me deixar ver?

- Quer fiscalizar até meu celular agora? – debocho. Meus sogros estavam tão entretidos que nem percebiam nossa discussão – Não acha que está passando dos limites, Naomi?

- Está conversando com ela, não é Park? – debocha se exaltando um pouco ao falar, atraindo o olhar dos meus sogros e cunhada. Imediatamente fico sem graça – Você é inacreditável – ri em ironia e se levanta, saindo da casa.

- Desculpem por isso – digo extremamente sem graça e me levanto, seguindo para fora também. Agarro o braço de Naomi – O que foi aquilo lá dentro?

- Me solta, Jimin – ela empurra meu peito com a mão livre – Você é um idiota. Depois de brigarmos por causa daquela garota, você ainda ousa ficar trocando mensagens com ela enquanto estamos na casa dos meus pais?

- Precisava falar daquele jeito na frente deles Naomi? Tem noção do quanto me deixou sem graça? – indago, fitando os olhos da garota intensamente – O que vão pensar de mim agora?

- Que você é um babaca?! – ironiza me irritando ainda mais – Não vão pensar nada mais do que a verdade Park Jimin.

- Caralho Naomi, seus ciúmes estão passando dos limites – esbravejo, e ela cruza os braços me olhando debochada – Discutir comigo na frente dos seus pais é o cúmulo. Foi ridículo se prestar àquele papel.

- Você tem noção do quanto me magoa quando dá mais atenção ao seus amigos do que a mim Park? – Naomi diz derramando algumas lágrimas, podia notar cansaço e mágoa em suas íris – Depois que entramos na faculdade você se importa mais com eles do que comigo. Isso dói Jimin e se você acha que foi ridículo eu protestar porque estava com ciúmes, o que você está fazendo é mais ridículo ainda – senti uma pontada no peito com suas palavras – Eu estou cansada Jimin.

- Por favor, não chora – me aproximo enxugando suas lágrimas – Não gosto de te ver assim.

- Pois parece que você gosta – ela se afasta de mim – Quer saber? Vamos embora, não tenho mais clima para nada.

Naomi sai em minha frente me fazendo respirar fundo, me acalmando. Aquela situação está ficando chata e cansativa.


Notas Finais


Espero que tenham aproveitado bastante esse hot porque vai demorar pra ter outro de novo! A partir de agora vem drama e mais drama, então se preparem

Espero que tenham gostado do capítulo! Perdoem-me por qualquer erro!! Até o próximo!! ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...