1. Spirit Fanfics >
  2. Para O Meu Amor Passar - JIKOOK >
  3. Capítulo Único

História Para O Meu Amor Passar - JIKOOK - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Ain.. eu tava escutando uma música com minha priminha e me deu uma ideia pra essa fanfic, que nossa! ✨💙

Espero que cês gostem 💅✨

Capítulo 1 - Capítulo Único


Quando eu morrer eu vou escrever um "Avisei" bem grande na minha testa. Estou indignado, incrédulo e todos os sinônimos parecidos com estes.


Por causa de meus "fiéis" amigos, eu estou sendo desafiado. Vê se pode?! Eu não gosto de perder, mas também não gosto de ser desafiado. Eu devia era ter recusado essa bosta de desafio e engolir o meu orgulho, nossa!


Flashback On;


– Ora, Jungkookzinho... Não foi você que disse que não acreditava em coisas sobrenaturais? – Apontou Hoseok e eu revirei os olhos.


– Eu nunca disse isso. Eu disse que não sou de acreditar, mas também não sou de desacreditar! – Corrigi o garoto que continha um boné em seus cabelos loiros-acastanhados.


– Ele tem razão, Jungkook! – Olhei para o Yoongi com as sobrancelhas arqueadas – Tá bom.. Você nunca disse isso. – Se deu por derrotado – Mas...! – Levantou as sobrancelhas e endireitou suas costas – Você gosta de um desafio, certo?!?


– Nã... – Fui interrompido.


Psé, Jeonggukie! Você não é "O Competitivo"? - disse o de cabelos pretos. Coloque mais lenha no fogo, Taehyung!


– Está bem! Eu vou pra essa.. – Senti um tapa ser desferido em minha cabeça, grunho de dor.


– Sem palavrões na minha casa, moleque! – Exclamou o mais velho de nós, ou seja, Kim SeokJin — titulado por ele mesmo: O Mais Belo de Todos —. Reviro os olhos.


– Se vocês acharem meu cadáver lá, por favor, escreva na minha lápide um "Eu avisei que ia morrer naquela floresta". – Falei e os outros gargalharam, não me aguentei e ri também revirando mais uma vez os olhos.


Flashback Off;


Mas como não sou otário, resolvi chamá-los para ir comigo. Obviamente Namjoon adorou a ideia e como segundo mais velho decidiu por eles, que não puderam contradizer. No final eu saí da casa do Jin satisfeito e com um sorriso enorme no rosto.


– Aí, pai! – Exclama Hoseok. Reviro os olhos, é a milésima vez que ele grita – Senti algo passar por mim! Alguém pegou na minha perna, socorro! – Se agarrou a Yoongi que revirou os olhos.


– Para de ser mongo, Hobi. – Falei – Tá demorando demais. – Me virei e fiz os garotos pararem – Vamos nos separar.


– Como?!? – Novamente gritou Hoseok – Eu não desgrudo do Yoongi se for assim, tu vai vir também Taehyung! – Puxou Taehyung que quase caiu pelo o puxão.


– Está bem! Jin você vai com o Namjoon.


– Mas e você Jungkook? – Perguntou Jin com o a sobrancelha franzida.


– Eu vou sozinho. – Sorri fechado – Não fiquem muito longe daqui, assim quando algo acontecer, vocês gritam, okay? – Assentiram.


– Nem parece um irresponsável. – Suspirou Taehyung e logo depois limpou uma lágrima inexistente – Eles crescem tão rápido! – Revirei os olhos.


– Vamos. Eu vou seguir reto, vocês decidem por onde vão seguir. Mas lembrem-se! Nada de ir muito longe! – Ditei e saí dali antes que eu ouça a reclamação do Jin.


Está muito escuro nessa floresta, é realmente muito apavorante. Parece um começo de filme de terror, certo? Deu até.. Escutaram isso? Um barulho de galho quebrando. Me viro rapidamente e vejo uma sombra passar na minha frente, gelo por inteiro.


Eu vou morrer, misericórdia! 


– Deus me free, me defenderai,  miseriqueima, tá amarrado e repreendido em nome de Jesus, amém! – Murmuro para mim mesmo e ouço outro barulho de galho. Não sou burro pra esperar pro que vai acontecer. Começo a correr rápido, sem sequer olhar para trás, estou com medo de olhar para trás.


É hoje, pai! É hoje que você me leva pro céu. Aliás, será que vou pro céu? 'Nah, acho que não. 


Vejo algumas luzes amarelas e vou naquela direção, chegando perto percebo que também tinha uma casa ali. Vou desacelerando os passos devagar e paro no meio da rua quando percebo que é a tal casa que existe um ser sobrenatural. Sinto um arrepio percorrer meu corpo inteiro e solto o ar que nem percebi que estava segurando. Meu coração acelera, é como se eu já tivesse vindo aqui. Coloco a mão em meu coração que se aperta um pouco. Fiquei tão fixo e concentrado naquela casa que nem senti alguém cutucar meu ombro.


– Que susto, cara! – Exclamou Namjoon de olhos arregalados.


– Achei a tal casa. – Apontei e virei para a mesma de novo. Nem percebi que os outros meninos também estavam com Namjoon.


– Vamos entrar?! – Perguntou Hoseok e Namjoon tirou sua mão do meu ombro.


– Espera, temos que ver se tem alguém aqui! – Falei e fui andando até a porta. Apertei a campainha duas, três, cinco vezes mas nada. Até ver a porta se abrindo, mas não era o dono da casa era o Taehyung.


– Está destrancada! – Franziu o cenho – Que medo! Tá tudo escuro aqui! – Apertou em algo que eu não vi e a casa se acendeu. Entrei na casa e todos franzimos o cenho.


A casa era bem velha e por dentro as coisas estavam todas bagunçadas. O sofá continha um pano branco para cobrir da poeira assim como todos os outros móveis.


– Acho que ninguém mora aqui. – Disse Jin. A porta se fechou bruscamente e tomamos um baita de um susto.


– É hoje que morro! – Gritou Hoseok, escandaloso. Olhamos para frente quando sentimos a presença de mais alguém.


Arregalamos os olhos. Aquilo era real? Era realmente real?!? Tinha um garoto loiro, mais baixo que eu, continha brincos de cruz da cor prata em sua orelha e em suas costas... Asas. Tinha asas tão negras quanto a noite.


– Não sou o único que vê isso, certo? – Perguntei e ouvi resmungos em resposta.


– O que querem aqui? – Perguntou o garoto loiro com asas.


– N-no-nós s-só vie-viemos ver se vo-você realm-mente existe. – Gaguejou Hoseok. 


– Oh! – Fez um perfeito "O" com a boca – Entendo, mas agora que já viram pode ir embora. 


Eu não queria ir embora.. estava estranho, é como se eu já tivesse vindo aqui. Por que isso está tão estranho? Por que eu quero ficar com ele? Por que meu coração está acelerado por causa dele?


– Menos você, Jeon. – Continuou o loiro e eu paralisei. 


– Como sabe meu nome? – Eu também não gaguejava na frente dele, eu.. eu não sentia ou tenho medo dele.


– Ora.. – Sorriu mostrando um eyes-smiles, fofo...


– Eu já vim aqui, certo? – Perguntei ao garoto, me virei e percebi que os garotos nem estavam mais ali.


– Já. – Olhei novamente para ele.


– E por que eu não me lembro? – Ele se aproximou de mim, ficando um palmo de distância.


– Porque você não pode de lembrar. – Ótima resposta.


– Você vive aqui sozinho? – Mudei de assunto.


– Eu sou condenado a viver sozinho.


– Por que? – Franzi o cenho.


– Porque eu me apaixonei... 


– Anjos não podem se apaixonar? 


– Não. Você é muito curioso, sabia? – Deu uma risadinha e eu acompanhei.


– Me desculpa.. – Olhei em seus olhos. Nossa... Os olhos dele pareciam que eram verdes. 


– Está tudo bem. – Sorriu – Mas agora você terá que ir. – Assenti. 


Ele se aproximou mais um pouco deixando nenhum restinho de distância entre nós. Pegou meu rosto e o aproximou do seu e assim... Me beijou. Eu queria negar, mas... Eu sentia saudades daquilo...? Eu fechei os olhos e coloquei as mãos na sua cintura. Pedi passagem com a língua e ele aceitou, tendo um ósculo completamente gostoso. O beijo era lento, mas, apressado. Ele encerrou o beijo com dois selinhos. Ele se afastou um pouco para olhar em meus olhos. Sorriu:


– Eu... – E então eu não ouvi mais nada, senti meus olhos pesarem de sono e eu não vi mais nada.


[...]


Senti alguém me cutucar, resmunguei mas abri os olhos. Tendo em vista... O chão!? Me levantei vendo os meninos acordados também.


– O que aconteceu? – Perguntei e não obtive resposta alguma, apenas os meninos se encarando e franzindo o cenho. Acho que tentando se lembrar também.


– Nós também não lembramos. – Franzi o cenho para a resposta do Namjoon.


– Vamos ir embora, amanhã a gente procura essa casa. 


– Deus me livre! Nunca mais! Nunca mais! – Exclamou Hoseok e nós rimos. Olhei para os lado e percebi que a gente estava na nossa rua, olhei para o chão e arregalei os olhos.


– O chão está brilhando ou é impressão minha? – Perguntei — lê-se gritou — e os meninos olharam para baixo soltando resmungos surpresos.


– Vamos ir logo pra casa pelo amor de Deus! – Disse Hoseok e nós assentimos ainda maravilhados com a rua por estar brilhante. 


POV AUTORA


Do outro lado da rua aonde continha algumas árvores maiores estava Jimin, acompanhando Jungkook e os garotos. Ele sorrira:


"Se essa rua, se essa rua fosse minha...

Eu mandava, eu mandava ladrilhar

Com pedrinhas, com pedrinhas de brilhantes

Para o meu, para o meu amor passar.

Nessa rua, nessa rua tem um bosque

Que se chama, que se chama solidão

Dentro dele, dentro dele mora um anjo

Que roubou, que roubou meu coração"


Sorriu por fim e uma lágrima fina saiu de seus olhos. Respirou fundo após não ver mais os meninos e botou suas asas tão negras quanto a noite para voar.


[...]


– Jimin!? – Exclamou Jungkook após um sonho estranho e como um choque, todas as lembranças — apagadas — voltaram para ele – Desculpa, meu amor... – Murmurou e deixou uma lágrima de solidão sair de seus olhos.




Notas Finais


Gostaram? Não saiu do jeito que eu esperava, mas sei lá... ;-;

Minhas outras fanfic's:

https://www.spiritfanfiction.com/listas/-minhas-historias-6163677


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...