História Para os olhos de quem não vê - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias Yu-Gi-Oh!
Personagens Duke Devlin (Ryuji Otogi), Joey Wheeler (Katsuya Jonouchi), Maximillion Pegasus, Mokuba Kaiba, Ryo Bakura, Seto Kaiba, Tristan Taylor (Hiroto Honda), Yugi Muto
Visualizações 28
Palavras 1.200
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


GENTEEEEEE oie, eu tenho um pequeno aviso antes de começar esse lindo capítulo cheio de corações flutuantes no ar:
Essa semana será semana de prova, então pode ser que eu atrase um pouco os capítulo, mas vou fazer o possível para não deixar vcs curiosos por mt tempo, blz?
é isso gente, aproveitem o cap
Boa leitura, vejo vcs nos comentários.
º3º bjus da Laxy

Capítulo 38 - "Funny Café"


Fanfic / Fanfiction Para os olhos de quem não vê - Capítulo 38 - "Funny Café"

On. Pov Jonouchi

         Estou preocupado com o Kaiba... ele anda adiando as “aulas” de Monstros de duelo que ele vem me dando faz uns dois dias... Nas ligações ele sempre parece estar triste... tipo... MUUUUIITO triste. É quase como se ele estivesse em profunda depressão e eu posso sentir isso através de uma mera ligação! Algo me diz que ele não está bem (N/A: porra Jonouchi, você demorou dois dias pra perceber isso? Nossa, que gênio!). Acho que já está mais do que na hora de ir visitá-lo... Acho que finalmente vou fazer algo útil... (N/A: finalmente pensou! Não precisei nem falar nada ¬v¬, ok parei).

         Vesti o uniforme, peguei o meu deck, saí, tranquei a porta e comecei a me dirigir ao escritório do Kaiba.Eventualmente cheguei ao escritório dele. Ao abrir a porta eu senti como se uma ventania de uma aura completamente depressiva atravessasse meu corpo antes de eu conseguir mesmo olhar para dentro da sala tão escura de luzes apagadas e cortinas fechadas. E na cadeira da escrivaninha, via-se a silhueta de um homem de 19 anos completamente derrotado e fracassado como ser humano: Kaiba.

         -Caralho...-eu fiquei tão pasmo que eu não consegui dizer mais nada depois disso.

         -Por que você está aqui?-dá pra sentir a depressão em sua voz e pude ver os olhos de alguém que não dorme pelo menos há três noites.

         -Então...-fudeu! O que eu digo?!-...eu fiquei preocupado... então vim aqui te ver...-isso, a verdade e sinceridade sempre ajuda!

         -Não tente me enganar tentando dizer que quer me ajudar só pra conseguir suas aulinhas, Katsuya...! Eu já entendi que eu sou um fracassado, egocêntrico e egoísta... que na verdade perdeu o que mais importava na vida por ser um idiota!-disse ele com rancor de si mesmo em suas palavras.

         -Olha Kaiba...-fiquei levemente irritado com ele.-... não adianta ficar aí se criticando e menosprezando pelo passado por mais que doa em você...-porra, falei bonitão!-... alguma hora você vai acabar se matando de verdade...-agora estragou o bonito...

         -Se Mokuba nunca mais me perdoar... assim como eu não vou, talvez eu realmente me mate. A Kaiba Corporation vai ficar bem melhor nas mãos dele do que nas minhas...-disse ele com depressão ainda maior em sua voz olhando para o chão com um olhar que o verdadeiro Kaiba nunca faria... eu sei disso. Preciso fazer alguma coisa!

         -Kaiba...-eu vou fazer alguma coisa!-... vem comigo... agora!-não hesitei, logo peguei sua mão e cmecei a trazer ele afora do escritório, o levando a um lugar.

         -K-Katsuya... o que pensa que está fa... KATSUYA!-Kaiba parece confuso, mas ignoro e continuo o puxando para algum lugar, logo ele se calou e chegamos aos portões do colégio que se encontram abertos por ser sábado.-O que estamos fazendo aqui...?

         -Quero te levar a um lugar bem legal, é aqui do lado.-falei ainda de... mãos dadas com Kaiba...? [ignorar-ligado]... >///<.

Off. Pov Jonouchi

 

On. Pov S. Kaiba

         Chegando ao local, era uma cafeteria chamada “Funny Café”... Sinceramente, eu queria vomitar... e também entender por que caralhos eu fui arrastado pra um lugar desses... Bom... melhor só esperar que nada muito estranho aconteça. Mas então... esperar algo não estranho vindo do Katsuya vai ser bem complicado...BEEEEEEEEMMM complicado...

         Ele pede uma mesa que fica ao lado de um espaço para crianças se divertirem, tipo um mini parquinho para pequenos diabinhos se digladiarem pelos brinquedos que ali haviam. Ele pediu um rain-bow cofee para nós dois, eu não faço o menor caralho de ideia do que isso seja, eu só  fiquei calado mesmo tentando não ser atingido pelas pelúcias sendo atiradas pelos mini demônios, mas ao contrário de mim... Jonouchi olhava àquelas crianças com um sorriso inocente no rosto.

         -O que tem de tão interessante nesse pequeno inferno colorido?-pergutei um pouco assustado com alguém no mundo gostar de tantos gritinhos infantis e insuportáveis.

         -Não tem nada de mais... só que...-começa dizer sem tirar os olhos do espaço infantil.-...eu vinha aqui quando era criança com a minha irmã, antes de ter acontecido o acidente e ela ficar cega.

         Levei um certo choque pelo meu corpo inteiro ao pensar que isso poderia acontecer com Mokuba e Katsuya percebeu isso.

         -Ah...-disse ele virando seu rosto para mim.-...relaxe, está tudo bem agora... ela está curada e está estudando história em outro país, ela está bem... relaxe...-disse ele com um sorriso simpático movendo as mãos com sinal para me acalmar.

         Relaxei e descansei a mente por alguns segundos e logo comentei:

         -Você nunca me disse que tinha uma irmã.

         -Eu nunca senti a necessidade.-disse ele.

         -É... pode ser, mas eu sou curioso gosto de saber das coisas.-falei com um sorriso irônico, mas até que um pouco contente de verdade...

         -Espera um pouco... isso é um sorriso de verdade?-disse Katsuya com o brilho de uma infância nos olhos.

         -Ah... merda...-fiquei sem jeito e desviei o olhar tentando esconder o sorriso.

         -É verdade! Você está sorrindo!-disse ele comemorando algo que para mimnão faz o menor sentido.

         -Por que tão feliz...?-perguntei enjoado daquela reação.

         -Porque eu consegui fazer você sorrir.-disse ele com uma grande felicidade em seu rosto e suas palavras brilhavam como seu sorriso. Fiquei hipnotizado por ele naquele momento.

         -Aqui está seu rain-bow café senhor.-disse uma maid com uma roupa bastante colorida e com muitos babadinhos, por incrível que pareça ela parecia estar feliz. Esse lugar é infantil de mais pra mim.

         Ela colocou as xícaras na mesa.

(N/A: A imagem do capítulo se encaixa aqui.)

Quando eu olhei para aquele café... essa foi a minha reação:

         -Eu não vou beber isso...-falei com desgosto no olhar.

         -Hum? Por quê?-perguntou Jonouchi já puxando sua xícara para si.

         -Isso deve ser tóxico de tão colorido que é.-falei assustado com a pergunta que me fizera.-Você não vai beber essa porra aí, vai?

         -Cara, relaxa, hahahaha... Isso tá muito engraçado... Você tá com nojo do café?-perguntou Katsuya com um sorrisinho de deboche.-É que então... eu achei que você gostasse de café.

         -Eu gosto... mas isso não pode ser chamado de café.-falei.

         -Kaiba, é só a espuma que é colorida relaxe!-disse ele.

         Olhei pro café, olhei para Katsuya... dei um leve suspiro e dei um gole rápido... EU QUEIMEI A LÍNGUA, KATSUYA SEU ANIMAL!

         -AI AI AI ...-tentei gritar meio que sussurrando... não sei se isso é possível, mas pelo menos eu tentei.

         -HÁ HÁ HÁ...-e esse filho da puta não para de rir!-...N-Não era pra beber tão rápido hahaha...ha ai ai...-ele parou de rir por falta de ar.

         Quando minha língua parou de doer eu consegui sentir o gosto adocicado do café... não era amargo. Eu me lembro de não ter colocado açúcar, mas ele não tinha gosto de açúcar... era... uma mistura de...

         -Baunilha e chocolate...-Katsuya respondeu meus pensamentos olhando para mim com um olhar simpático, assustador e... surpreendente. Ele vira seu olhar para sua xícara.-Eu também fiquei surpreso com o gosto de quando Shyzuka me trouxe aqui pela primeira vez.-disse ele com um sorriso um tanto triste.

         -É esse... o nome da sua irmã...?-perguntei.

         -É...-ele respondeu.

         -Está com saudades dela, não está?-perguntei novamente. Ele se vira para mim e me responde com um sorriso, mas não triste, ele parecia bem.

         -Sim, muita.-como... você consegue sorrir... o tempo todo?

Idiota.

Off. Pov S. Kaiba

         Continua...

 


Notas Finais


AAWWWNNT ti fofuuuuu Kaiba está começando a demostrar amor a algué além de ele mesmo =3
Por enquanto é isso, as coisas estão começando a melhorar, mas ainda temos que saber oq será que vai acontecer, Marik não aparece faz alguns caps... o que será que ele está tramando, veremos isso no capítulo 39 pessoal

Não esqueçam de comentar, vejo vcs nos comentários Bjus da Laxy *3*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...