História Para todo sempre. - Imagine Jeon Jeongguk - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), CrystaL Clear (CLC), IU, TWICE
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lee Ji-eun "IU", Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Tzuyu, Yeeun
Tags Bts, Casamento Arranjado, Imagine, Imagine Jeon Jeongguk, Jeongguk, Você, Você X Jeongguk
Visualizações 22
Palavras 1.138
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


VORTEEEEIIII
EU TÔ TENTANDO AO MÁXIMO NÃO FAZER A MESMA COISA DE "Empresários que juntaram seus filhos para salvar a empresa e blá blá blá" MAS É MAIS DIFÍCIL DOQ PARECE FUGIR DO FAMOSO "CLICHÊ"
MAS NÃO DESISTAM DA FIC E NEM DE MIM >.<

Capítulo 2 - Capítulo II


Uma missão quase impossível para mim era: explicar para Yeeun que não estava me casando por vontade própria. 

 

— Você está mentindo pra mim, _______. Seu pai nunca te obriga a fazer nada que não queira. — Jogou-se em minha cama. 

 

— Mas ele não me obrigou. — Sentei na cadeira do meu computador antigo. Tinha até mesmo umas teias de aranha ao redor dele, não o utilizava há alguns anos. — Eu tinha uma escolha. Ou não aceitar e ver meu pai triste e infeliz, ou aceitar e vê-lo contente e orgulhoso por eu ter feito a escolha certa. — Sorri para Yeeun.

 

Não havia me arrependido de ter aceitado. Meu pai não era só o meu pai, ele era um amigo, um confidente, um protetor de todos os monstros que haviam embaixo de minha cama. Resumindo: Meu pai é tudo para mim. Não consigo me imaginar em um mundo que ele não exista. Ele é, definitivamente, o homem da minha vida.

 

— Tudo bem então. Não vou mais falar nada com você. — Revirou os olhos.

 

Yeeun é o tipo de pessoa que se acha dona da verdade. Que não presta atenção no que ninguém diz, mas qualquer erro de concordância corrige você na frente de todo mundo. Mas fazer o quê? Eu amo essa 'guria.

 

— Ele é bonito? — Sentou-se na cama e me fitou.

 

Analisei sua pergunta, chegando na conclusão que sim, Jeongguk é bonito. Olhos maiores que de um asiático normal, boca fina, porém muito bem desenhada, alto, aparentemente músculoso, pele branca, fios negros que era notável ser extremamente macio.

 

— Sim. Muito bonito. — Girei na cadeira.

 

— Hum.. quem sabe vocês até... — Notei que sua voz estava carregada de malícia.

 

— Não! — Parei de rodar para olhar a morena de cabelo curto em minha frente. — Em hipótese alguma eu irei me deitar com ele! Não confunda as coisas.

 

|•••|

 

— Você gosta desse? — Jeon apontou para o pedacinho de bolo sabor "Red Velvet", provavelmente o que ele estava na boca. Jeongguk não estava tão tímido como ontem, estava mais comunicativo.

 

Peguei o bolinho e coloquei na boca, sentindo a massa delicada e fofinha com um leve gosto de cacau e cream cheese.

 

— Muito bom. Por mim pode ser esse. — Passei a língua nos lábios.

 

— T- Tudo bem então. — Desviou seu olhar que estava em meu rosto, me analisando. 

 

Seria bem mais fácil se minha mãe e minha futura sogra estivessem aqui para resolver isso, mas elas apenas deixaram eu e Jeongguk aqui e saíram não sei para onde. 

 

— Vai ser esse mesmo. — Olhei para a mulher ruiva.

 

— Vocês que vão se casar? — Olhei para Jeon e ele também me olhou, com as maçãs do rosto levemente avermelhadas.

 

—S-S-Sim. — Abaixei a cabeça.

 

— Fazem um lindo casal. — Sorriu e colocou sua atenção no papel em cima da mesa de mármore branco.

 

Com certeza eu estava fazendo o cosplay do pimentão agora. Nós não combinamos, não só pelo fato de eu ser brasileira e ele coreano, mas por esse casamento ser arranjado e não por amor.

 

— Vamos escolher as outras coisas. — Se levantou, fazendo eu e o moreno nos levantarmos também.

 

Não olhei para Jeon, mas sabia que ele estava vermelho de vergonha pelo acontecimento segundos atrás.

 

|•••|

 

Nunca me veio na mente o quão bom é escolher as comidas para um casamento. Perdi a noção de quantos doces e salgados eu e Jeon experimentamos.

 

O buffet do casamento incluí Temaki, cascata de chocolate, frutas vermelhas para combinar com o recheio do bolo, docinhos variados, entre outros.

 

Jeon pegou um brigadeiro em cima da bancada onde contia todos os docinhos, e colocou tudo na boca de uma vez, admito que fiquei surpresa.

 

— G-Gostou desse? — Ainda estou treinando esse negócio de me comunicar com as pessoas sem gaguejar.

 

— Humhum. C-Como se chama mesmo? — Deu uma leve gaguejada, pegando outro doce. 

 

— Brigadeiro. — Falei com o sutaque totalmente brasileiro.

 

— Brigadeiro. — Comeu a bolinha de cacau com leite condensado que havia em sua mão. — Adoro brigadeiro. — Sorriu.

 

Foi a primeira vez que vi Jeongguk sorrindo. Céus, foi o sorriso mais fofo que meus olhos já viram. Dentinhos iguais aos de um coelho. Extremamente lindo.

 

— Crianças? — A voz da Senhora Jeon tirou-me do meu transe momentâneo. — Já acabaram? — Minha mãe estava ao seu lado, as duas vieram até onde eu e Jeon estávamos. 

 

— Sim, sim. Já está tudo organizado.

 

— Nós já resolvemos a data do casamento de vocês. — "Nós" se referindo a ela e minha mãe, que devorava os docinhos que antes estavam na superfície lisa da mesa. — Talvez nesse fim de semana, tudo vai ser organizado bem rápido. Se der tudo certo, óbvio. 

 

Que rápido! Não esperava que fosse me casar em uma semana. Na minha cabeça de adolescente, essas coisas demoravam.

 

— Tão cedo assim? — Jeongguk se pronunciou.

 

— Sim, filho. No Sancller estavam abertos somente dois dias. Vinte e trinta. — Explicou.

 

— Por quê não escolheu o trinta? — Minha voz saiu com um fio de indignação.

 

— Trinta de Janeiro, daqui a dois anos.

 

Cruzes! Mas e os outros dias? Não é possível que tanta gente se case assim.

 

— Não se preocupem, vai dar tudo certo. — A voz de minha mãe se fez presente quando a mesma acabou com os brigadeiros e beijinhos. 

 

"dar tudo certo" é exatamente para isso que estou torcendo. Não quero passar o resto da minha vida brigando com Jeongguk, cada um em um quarto, se tratar como desconhecidos dentro da própria casa. Na verdade, eu sempre sonhei em viver um amor intenso, que me consuma e seja épico, assim como nos filmes e novelas.

 

— Assim espero. — Tirei meu celular do bolso da minha calça jeans e vi as horas: 18:46. — O papai sabe que você está se entupindo de doces? — Arqueei a sobrancelha, observando a mais velha experimentar um dos bolinhos de churros com doce de leite.

 

Papai não é um o "empresário mais famoso da Coreia", longe disso. Ele é apenas dentista. O considero muito profissional, não só pelo seu ótimo trabalho, mas imagine se meu pai saísse do consultório e contasse aos amigos que tal cliente não escova os dentes ou usa uma dentadura que tem mau hálito. Sigilo profissional é uma coisa que eu considero sagrada.

 

— Mas já ouviu ele falar que às vezes um bombom não faz mal? — Voltou sua atenção para mim.

 

— Um bombom, e não a mesa inteira.

 

Senhora Jeon e Jeongguk riram soprado pelo nariz.

 

— Mas ele não precisa saber, não é mesmo? — Sorriu forçado sem mostrar os dentes, deixando suas bochechas ridiculamente fofas.

 

|•••|

 

— Oque você e a Senhora Jeon fizeram o dia todo? — Questionei minha mãe, enquanto tirava meu sutião com desenhos de sorvete e substituía por uma blusinha leve.

 

— Por quê a pergunta? Não gostou de passar um tempo com seu noivo? — Saiu do banheiro que havia em meu quarto.

 

— Não é por isso. Apenas estou perguntando o que fez. — A fitei. 

 

Irá descobrir na sua lua de mel.


Notas Finais


DESCULPEMM PELOS ERROS ORTOGRÁFICOS, EU TÔ TENTANDO APRENDER (tanto q tô lendo até livro, coisa q eu n faço)
MAS ENT..
FOI ISSO MINHAS LINDÍSSIMAS!!
ATÉ O PRÓX CAP

(estrupei caps lock)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...