História Para você. - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Psicologica Drama
Visualizações 5
Palavras 672
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Bem... Devo confessar que essa capítulo é semelhante a uma história que já vi acontecer.
Um pouco diferente mas parecido
Desculpe qualquer erro de português.
Boa leitura ♡

Capítulo 2 - Consideração


Fanfic / Fanfiction Para você. - Capítulo 2 - Consideração

Acho que nunca sorri tanto quando descobri que tinha um sobrinho.

Na época eu estava finalizando o fundamental.

Só que tem um detalhe. Ele não é meu sobrinho de verdade. Meu irmão adotou um garoto. Seu nome é Victor.

Hoje em dia eu tenho 27 e ele 17.

A uns 2 anos estávamos conversando sobre nosso futuro e ele queria seguir meus passos.

Ser um escritor de romances e comedias. Vi tem mesmo o jeito pra coisa.

Victor virou para mim e pediu algo duvidoso pra um menino de 15 anos.

- Você poderia me dar uma bebida. De preferência a mais forte.

Eu está pouco me fodendo pro que tinha no estoque de bebidas.

Ele ainda estava com aquele uniforme ridículo da Ring School. Como os caras ainda fazem aquele lixo dourado com preto. Jesus!

- Faz assim pega uma pra mim também. Safra de 35. Deve ter uma garrafa.

Ele desceu e em alguns minutos estava de volta com duas garrafas.

Eu estava com o prazo quase que explodindo. Precisava me acalmar e escrever o final da história. O personagem iria encontrar sua dama perto do porto e contar sobre seu verdadeiro amor. Nada demais só que precisava ter um toque de elegância.

- Obrigada meu anjo. O que você pegou?-olhei a embalagem- uou pretende mesmo ficar bêbado?

- Sim. Por que? Não me diga que com essa idade você não bebia?

- Na verdade seu pai era um verdadeiro saco. Sempre me pegava tomando alguma coisa escondido hahaha.

- E você não era nem um pouco discreto.

Respodi com um sorriso. O mesmo retribuiu. Ele se levantou, foi até a cozinha e voltou com duas taças.

- Eu acho que vou experimentar a safra de 35.

Ele pegou a garrafa que eu estava segurando. Naquele momento meu rosto ficou corado. Victor olhou para mim e ficou sem entender.

- Está tudo bem Bruno?

- T-T-Ta sim querido.

Demorou um tempo até a garrafa acabar. Eu tomei umas 4 taças e consegui acabar com aquele texto. Salvei e desliguei o notebook.

Vi que as duas garrafas estavam vazias.

- Tio.

- Fala - olhei pro garoto e ele estava quase nu na minha sala- Victor vem. Vamos tomar um banho.

Ele não iria a escola amanhã. Estaria com uma ressaca desgraçada. Cheguei perto dele e estendi a mão. Ele bateu nela e me olhou com raiva.

- Não toque em mim!

- Ok eu não vou tocar. Mas se você não tomar a pessoa que você gosta vai ficar triste.

Eu sempre fazia isso com ele. Sempre resolvia tudo. Principalmente quando ele não queria entrar no chuveiro. Ou era na base do grito ou da chantagem haha. Mas naqule momento seu olhar de raiva se transformou em um olhar de tristeza. Fiquei preocupado.

- Estou brincando.

- Você não gosta de mim?

- Não é isso eu go... -eu parei. Foi instantâneo. Ele falou que gosta de mim? Não sabia o que fazer- Espera o que disse?

- Eu gosto de você.

Eu fechei os olhos e pedi a Deus ou a qualquer divindade me livrar de ouvir aquilo mais uma vez.

- Eu te amo Bruno!

- Victor você está bêbado! Cale a merda da boca eu não quero ouvir isso! Tá me entendendo?

Ele se levantou, eu estava com o Not nas pernas. Victor o fechou, jogou ele em algum canto do sofá e subiu no meu colo deixando uma perna de cada lado. Suas mãos sempre foram macias, elas acariciaram meu rosto e como um toque de mágica me aproximaram dos lábios que eu tanto cobiçava. Foi um beijo suave.

- Victor...

- Fa... Lá -ele estava com sono a bebida estava fazendo o mesmo cair .

- Eu também te amo.

O abracei como nunca. Depois daquele dia nunca mais ficamos longe um do outro. As pessoas sabem o que fazemos. Se for falar a bem a verdade nós dois não somos nada além de namorados.

Mas aos olhos da família ainda seremos Sobrinho e Tio.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...