História Parabéns, mamãe! - Capítulo 2


Escrita por: e taexonada_-

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Jisoo, Lisa, Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé
Tags Aanggell_, Jenlisa, Menção Chaesoo
Visualizações 53
Palavras 1.105
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), FemmeSlash, Festa, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Slash, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá
Não, não sou a nathalia, vulgo autora dessa fanfic.
Sou anna ou anninha, whatever.
A nathy está em hiatus e por isso me deixou como coautora dessa fic.
Eh isto. Eu não escrevi o capítulo, foi ela mesmo, eu só tô postando

...

Capítulo 2 - Novamente ferrado.


Fanfic / Fanfiction Parabéns, mamãe! - Capítulo 2 - Novamente ferrado.

— Desce agora! — Lalisa gritou para o filho que se escondeu na parte de cima da treliche que tinha.


Mães de primeira viagem, estão aprendendo a como cuidar de uma outra vida. Porém com Lalisa era diferente, a menina estava aprendendo a não matar o filho de 8 anos de idade.


— Não! — Gritou de volta. Pegou o cobertor e tapou todo o corpo. Aquele garoto estava pedindo para apanhar.


— Eu vou contar até três. — Suspirou. — Um… dois… três.


E o menino contínuo lá, não mexeu um músculo sequer. Lalisa poderia olhar para cima, suspirar derrotada e deixar o garoto faltar um dia de aula. Mas qual seria a graça de ser mãe.


Puxou a coberta que estava por cima do menino, puxou a perna dele fazendo cair de bunda no chão.


— Mãe, você me machucou!  


— Quem mandou se esconder, agora trate de ir para a cozinha, tomar café da manhã e ir para escola, ouviu bem? — Mandou.


O garoto assentiu e foi direcionado a cozinha. Jisoo estava lá comendo uma torrada.


A oito anos e seis meses atrás, kunpimook nasceu. Lalisa escolheu seu nome tailandês, como o dela, mas todos para não precisar “invocar o demônio” falando o nome dele, preferem chamá-lo de Bambam.


Como tudo não é flores, aconteceu várias coisas com a probe Lisa. Os pais da garota a expulsaram de casa, pois não aceitariam a criança, e se não fosse Jisoo, a menina ficaria nas ruas. A melhor amiga emprestou a casa, porém a condição era que Lalisa não levasse o garoto para o orfanato. Uma condição bem bosta, mas naquele momento Lalisa não tinha muito do que reclamar.


Só que não sabia nada como cuidar de uma criança, ainda mais, um menino.


— Bambam, hoje vou te levar a escola, sua mãe precisa descansar. — Jisoo comentou para o garoto. Lalisa estava com várias olheiras, pois a mesma não conseguia dormir com uma criança correndo para lá e pra cá.


— Ela está cansada? Mas ela não faz nada, nem trabalho ela tem. — Disse comendo uma torrada


— Cuidar de você é o pior trabalho que eu tenho. — Bufou cansada. Aquele garotinho era problemas atrás de problemas. O primeiro deles foi a escola, quando completou seus 4 anos teve que ir a uma. Quem matriculou ele foi Jisoo, pois Lisa não fazia ideia de como faria isso.


— Seu médico é amanhã às três, esteja pronto! — Jisoo disse ouvindo um resmungo do menor. Ah, mas um dos problemas, se não bastasse Lalisa ter que cuidar de um menino mal educado, o garoto vai e nasce asmático. Tudo para uma mãe de primeira viagem.


— Já vamos, até mais, amiga! — Jisoo levantou-se da cadeira e Bambam também indo para a porta de entrada do apartamento.



— Tchau para você também, criança. — Ironizou. Como podia ser mãe de um garoto tão mal educado


Tão mal educado, mas tão fofo.


[•••]


As aulas mal tinham começado e Bambam já estava orando para poder sair daquele inferno que denominam como colégio. Para um garoto de oito anos, todos pensam que era para adorar a escola, mas Bambam não era qualquer garoto de oito anos.


— Ei, você! — Um colega dele o chamou tirando Bambam de seu cochilo. — Presta atenção.


— Não tô afim! — Respondeu grosseiramente e o tal menino calou-se.


O único problema era que Bambam não tinha percebido que era a líder de classe. Sim, com apenas oito anos as crianças aprendem a liderança e essas coisas chatas que praticamente nenhuma criança queria saber. Menos, Jungkook.


— Que pena, eu não queira, mas toma! — Jungkook deu um papelzinho e Bambam o olhou sem entender nada. — Uma advertência.


Sério? Se já não bastasse ficar cinco horas no colégio, agora provavelmente teria que ficar após as aulas. Isso quem decidia era a diretora, mas para uma criança de apenas oito anos a única punição que possa receber é ficar até mais tarde no colégio assistindo aulas mais chatas ou lavando o chão.


E Bambam torcia para ser lavando o chão.


— É melhor prestar atenção agora. — Jungkook respondeu sarcasticamente com um sorrisinho cínico no rosto. Se Bambam tinha ódio de alguém esse alguém era o Jeon Jungkook.


— Ainda não tô afim. — Se Bambam tivesse mais um pingo de coragem teria dito isso em voz alta e não em simples sussurro para o chato do Jungkook não ouvir e provavelmente receber mais uma advertência.


[•••]


Diz uma pessoa de sorte? Essa era a cabeça de Bambam. A diretora tão fofa, disse que já que era a primeira vez dele ter levado uma advertência ela deixaria passar.


Só que estava tudo bem até:


— Mas ligarei para sua mãe. — Se tem uma palavra que resumia o estado de Bambam era “Ferrado”.


Por todas as forças que existia no universo pediu para quem atendesse fosse sua madrinha, Jisoo. Felizmente, a mulher estava em casa, em sua folga.


— Olá, poderia falar com o responsável do Kunpimook? — A diretora falava ao telefone. Nesse momento o coração de Bambam falhou várias batidas. Estava nervoso. — Lalisa? Ah, seu filho recebeu uma advertência.


É realmente era o fim de Kunpimook Manoban. A sua única salvação era Jisoo que impediria Lisa de bater em si. Ou talvez, ela bateria junto.


Oh Deus, ele estava nervoso demais e nem pensar em seus animes favoritos ajudava.


— A senhora vem buscá-lo? — Não. Isso não. — Claro, ele espera a senhora aqui.


Não esperará. Nesse momento Bambam pensava que se pulasse pela janela iria doer muito. Levando em consideração que eles estão no 3° andar do prédio da escola. É, machucaria muito.


— Estamos a sua espera, até mais. — Disse a senhora desligando o telefone. — Ela pediu para você esperar aqui.


— Eu estou morto! — Dramatizou. A diretora o olhou desentendida.


— Como assim está morto?


— Bom, a senhora não conhece minha mãe e eu conhecendo ela do jeito que ela é eu não duvido que ao sair daqui ela me bate até eu ficar vermelho. — Pode ter exagerado um pouco, mas não falou nenhuma mentira.


— Sua mãe te bate?


— Sim, por qualquer coisa.


— Oh! Que horrível! — A diretora se levantou de sua cadeira e foi até sua prateleiras cheia de livros pegando o mais volumoso de todos que estavam alí. — Você sabe que bater em crianças é crime. Ela pode ser presa.


Presa? Espera um pouco, para onde aquele assunto estava indo?


— Diretora, você entendeu errado. Ela não irá me espancar é só um modo de dizer. — Disse muito afobado. Não queira ver sua mãe presa. Muito menos por sua causa e da sua grande boca estúpida.


— Veremos quando ela chegar aqui.


Novamente ferrado.



Notas Finais


Er... Sla
até


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...