História Paradigmas do Amor - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Jinmin, Menção Yoonkook, Namgi, Sugamon, Yugkook
Visualizações 247
Palavras 1.376
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Não sei o que já to fazendo aqui mas, vamos lá... Desculpem o último capítulo lixoso! Boa leitura <3

Capítulo 7 - Onde havia se metido?!


Acordou incomodado com a luz que adentrava o quarto, gemeu ao espreguiçar-se e olhou Jimin dormindo ao seu lado.

Na noite anterior havia conversado trivialidades com NamJoon enquanto ajudava-o a arrumar as camas para dormirem, logo SeokJin avisou que iria embora pois estava tarde. Então NamJoon dormiu no quarto de hóspedes e disse para ficar no quarto dele com Jimin, devido a cama de casal.

Foi em direção ao banheiro usando a escova de dentes nova que NamJoon lhe deu, pois não havia levado nada pra casa do Kim, já que a ideia inicial era apenas passar algumas horas ali. Até sua mãe lhe xingara quando a ligou dizendo que sempre, onde fosse, deveria levar seus produtos de higiene consigo, quando avisou que dormiria ali, reforçando que queria conhecer o tal NamJoon.

Lavou o rosto após terminar a higiene bucal e foi em direção a cozinha, em busca de um copo d'água mesmo que quisesse na verdade um café.

Ao passar pela porta do outro quarto notou NamJoon sentado na cama, com as mãos na cabeça.

– Ressaca? – pediu, rindo contido quando parou no batente da porta. O Kim ergueu os olhos para si e abriu um sorriso pequeno.

– É apenas uma leve dor de cabeça, tá? – riu, e logo fez careta de dor. Yoongi assentiu ainda com o leve sorriso no rosto. – Posso pedir um favorzinho? – o Min assentiu novamente – Faça um café pra nós? Preciso de um banho. – o loiro comemorou internamente pelo pedido, não gostava de sair mexendo nas coisas na casa dos outros, e ainda mais dum cara que mal conhecia, mas seu gosto por café era mais forte do que a timidez.

– Faço, onde estão as coisas? – pediu.

– Estão na primeira porta do armário de cima. – explicou.

– Ok. – saiu do quarto e foi em busca das coisas para o café, observando que a sala e a cozinha estavam completamente arrumadas, provavelmente depois que dormira NamJoon havia ido organizar. Invejava essa disposição.

Quando o café estava pronto e quente o suficiente NamJoon apareceu na cozinha com aquele sorriso de sempre.

– Esse aroma faz um bem pra minha alma! – Yoongi riu e agradeceu quando o acastanhado encheu uma xícara de café a sua frente. Adoçou seu café enquanto via ele encher a própria xícara desta vez.

– Está melhor? – decidiu perguntar. Não havia muito o que conversar com ele, Yoongi acreditava, mas não achava incomodo o silêncio entre os dois, apenas achava desnecessário. Gostava de conversar, mesmo que isso na grande maioria se limitasse as pessoas que considerava amigas.

– Sim, banho relaxa o corpo, e o café e um remedinho vai melhorar a dor de cabeça. – riu. – Quer comer alguma coisa? – perguntou, enquanto bebia seu café após engolir o comprimido.

– Não, obrigado. – respondeu.

– Mesmo? – insistiu e o loiro sorriu.

– Mesmo. Eu não tenho fome logo que acordo. – explicou e o acastanhado assentiu.

– Eu tenho fome a qualquer hora! – riram – Mas agora to sem estômago pra comer.

– Imagino! – debochou e NamJoon semicerrou os olhos causando mais risos no loiro.

– Falando em comer, o que podemos comer no almoço? – pediu.

– Ah, eu logo vou embora, então, não sei. – terminou de tomar o líquido escuro e levou a xícara na pia lavando-a.

– Ah, por quê? Passem a tarde aqui! – reclamou.

– Eu já incomodei demais. – o Kim revirou os olhos.

– Nossa, incomodou mesmo! – respondeu irônico fazendo o Min sorrir divertido – Se eu não tivesse gostado de ti, eu não ia insistir! – Yoongi sorriu contido e acenou em concordância.

– Ok, eu fico.

– Fica onde? – Jimin chegou na cozinha com o rosto inchado de sono os cabelos apontando pra todos os lados possíveis e os olhos quase se fechando de novo. NamJoon fez o moreno sentar e acariciou os cabelos dele a fim de ajeitá-los, após beijar-lhe a bochecha e desejar-lhe bom dia.

– Aqui. Passar a tarde com a gente. – NamJoon respondeu e Jimin sorriu fechando os olhos de vez e os dois presentes só puderam rir juntos pensando o quanto o Park era fofo.

– Ah, tem pizza ainda? Que fome que eu 'to! – pediu, logo bocejando.

[..]

A tarde passou rápido, haviam jogado realidade virtual e um se matava de rir do outro, a noite chegou e NamJoon os levou para suas devidas casas. Soohyun reclamou como uma velha – como Yoongi disse, fazendo a mulher reclamar mais ainda – pois não havia conhecido NamJoon. Ela disse que se preocupava pois não sabia a intenção do rapaz com tudo aquilo e só se calou quando descobriu que era o novo “irmão” do Jimin.

Domingo chegou e foi o tédio de sempre, apenas com uma noite animada quando juntou-se à sua mãe na sala para olharem um filme.

Segunda acordou cansado, banhou-se a fim de mandar embora qualquer preguiça e pôs a primeira roupa que viu pela frente. Calça negra, t-shirt larga também na cor negra e all star vermelho. Pegou um casaco cinza e jogou dentro da mochila, indo pra cozinha.

Sua mãe parecia bem de novo, no fim ela disse que estava feliz que começou a sair, que Jimin era um ótimo amigo pra lhe fazer se divertir e etc. E lá estava ela murmurando uma canção calma enquanto servia café para si e os biscoitos de sempre em cima da mesa.

– Bom dia, mãe! – desejou, esticando-se pra beijar a bochecha dela e sentou-se à mesa.

– Bom dia, querido. Parece tão feliz hoje. – sorriu alegre.

– Estou, ver você assim é bom. – explicou e ela sorriu mais ainda.

– É que eu fui ao médico sábado. – começou, sentando-se à mesa. – Ele disse que provavelmente vai ficar tudo bem, mas eu preciso estar bem pra isso. Soou confuso? – pediu rindo baixo.

– O que a senhora têm exatamente? – quis saber.

– Eu? Nada demais, querido. Nada demais. – sorriu e levantou-se, saindo da cozinha.

Yoongi suspirou, sentindo um pouco da sua felicidade ir embora. Ela ainda não ia lhe contar, não é?

[…]

Havia esquecido-se completamente do Jeon no seu fim de semana, e mesmo indo pra escola que era fato que iria vê-lo não foi o suficiente para se lembrar dele e de tudo que aconteceu, mas ao pôr os pés dentro da escola e vê-lo perto do portão sorridente numa rodinha de amigos, acabou bufando e revirando os olhos quando ele lhe enxergou e despediu-se dos garotos correndo até si.

Caminhou um pouco mais rápido em direção à sala de aula, mas era claro que ele ia conseguir lhe alcançar.

– Fugindo de mim, Yoongi? – ele pediu divertido, recebendo um olhar duro do Min, mas as bochechas coradas entregavam-no o que ocasionou um riso baixo do Jeon.

– Não, só estou indo para a sala, você que está me perseguindo. – afirmou, tentando não dar muita bola pro sorrisinho que ele mantinha no rosto.

– Estou te perseguindo porque está evidentemente fugindo de mim. – debateu, apurando o passo e parando frente ao loiro, obrigando-o a parar também.

– O que você quer, Jeon? – pediu, pela primeira vez soando realmente como deveria: irritado.

– Ei, ei, calma. – ergueu as mãos em uma falsa rendição – Pensou? – pediu em seguida, lhe olhando curioso.

– Sobre? – tentou passar pelo moreno e ele lhe impediu, bufou e parou pra o olhar nos olhos de novo.

– A proposta! – respondeu animado.

– Você espera que no final eu aceite ficar com você só por sempre estar a me propor a mesma coisa? – questionou olhando-o torto – Olha, Jeongguk, você parece legal. Mesmo. Mas não vai rolar nada entre a gente. Então, poderia, por favor, parar com essa história e me deixar ir pra sala? – pediu, olhando-o fundo nos olhos e ele sustentou seu olhar. O sinal soou e tudo aquilo já estava lhe deixando nervoso até que ele suspirou e desviou os olhos brevemente.

– Tudo bem. Mas não quer ser nem meu amigo? – Yoongi arqueou a sobrancelha, só podia ser piada, né? – Amigo mesmo. Sem segundas intenções. Você parece ser legal também, é errado querer ser seu amigo? – o loiro acabou acenando em concordância.

– Não, mas eu não quero que você tente nada, ok? – pediu, mesmo que contra sua vontade seus olhos se perdessem naquele maldito sorriso que nascera de novo nos lábios do mais velho.

– Tudo bem. Não farei nada que você não queira. – o sorriso abriu-se mais, e ele piscou pra si, saindo correndo no segundo seguinte – Vamos logo, Yoon! O sinal já tocou!

Céus, onde havia se metido?!

 


Notas Finais


Nada que o Yoongi não queira, é? Ele até sentiu o perigo -qq


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...