História Paradise ( Chen) - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Kim Jong-dae (Chen), Personagens Originais
Tags Anjo, Chen, Fluffy, Romance, Você
Visualizações 65
Palavras 594
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom dia!!
Boa leitura♡

Capítulo 9 - Página : 09


Fanfic / Fanfiction Paradise ( Chen) - Capítulo 9 - Página : 09

Quando ______ chegou na cozinha; parecia até que uma cortina de fumaça estava estendida sobre o cômodo.

— O que você estava tentando fazer? — Olhou para ele assustada. — Por acaso estava querendo nos matar por asfixia era?!

Ela empurrou o anjo pra lá, desligou o fogo e  em seguida pegou o tacho jogando-o dentro da pia.

 ________ ligou a torneira jogando água encima daquela coisa preta e viscosa que ela não fazia ideia do que poderia ser.  

— Isso aqui era pra ser o que? — A mulher perguntou, mas não precisava da resposta;  estava vendo as cascas dos ovos em cima da pia. — Como você conseguiu deixar ovos desse jeito?! Pretos e parecendo uma gosma.

Chen estava atrás dela, ele apertava seus dedos uns nos outros enquanto ouvia as reclamações da mais baixa.

— Desculpa.

— Puta merda! 

A mulher xingou bem alto quando seus olhos foram de encontro ao relógio, pendurado na parede da cozinha.

— Olha que horas são?! Estou muito atrasada…

— Eu tentei te falar. — Chen murmurou. — Só queria te ajudar. 

— Ajudar? — Ela se virou para encará-lo. — A sua ajuda é entrar no meu quarto enquanto eu estou dormindo, tocar nas minhas costas, e olhar meus peitos?

— Aquilo foi sem querer. Não tenho culpa se você estava sem roupa por baixo da coberta.  

________ cerrou os olhos, ela franziu a sobrancelha direita e ficou assim por alguns segundos, olhando para Chen.

— Porque está me olhando desse jeito? — O rapaz perguntou. — Eu bati na porta antes; como tinha dito para eu fazer… mas, você estava dormindo e não ouviu.

— Eu acho que você é um mentiroso… Eu deveria te mandar embora da minha casa. Mas algo dentro de mim ainda esta excitante…

________ foi até as janelas abrindo todas para ver se o ar fresco limpava aquele cheiro de fumaça e comida queimada.

— Você é um desastre na cozinha e um anjo depravado!

Ela voltava para o quarto, quando parou na sala e viu a tevê que estava ligada, em um canal de culinária. 

— Esse anjo está escondendo o jogo! — Mordeu o lábio, olhando para o edredom estendido sobre o tapete da sala.

"Será que ele dormiu no chão?"

—  Dormi. — Chen respondeu atrás dela. — O sofá é pequeno e desconfortável, minhas asas ainda doem.

— Aish! Pare de ficar aparecendo atrás de mim como se fosse um fantasma.

Ela voltou a tomar o rumo para o quarto, andando apressadamente, estava atrasada para chegar no hospital pois seu turno era para ter começado a uma hora atrás.

                               [....]

Devidamente arrumada; o cabelo estava preso em um rabo de cavalo, e seu jaleco impecavelmente branco dobrado sobre o antebraço mostravam agora a doutora  ________.

— Eu vou trabalhar, você pode ficar aqui mas não toque fogo em mais nada. 

— Posso ir com você?

— Não. Ficou maluco! Fica aqui em casa. — A menor abriu a geladeira tirando de dentro da caixa refrigerada um frasquinho de iogurte de morango.

— Posso ir com você?!

— De novo essa pergunta! Acho  melhor não. Se alguém que me conhecê, ver você, vão pensar que eu estou morando com outro homem. Então fica bem quietinho...   

— Por favor me leva com você. Eu não vou fazer nada pra te atrapalhar. 

— Chen! Eu já disse que não.

                                     [.....]

________ saiu de casa, mas mal sabia ela que aquele anjo não tinha lhe dado ouvidos. Enquanto a mesma dirigia rumo a cidade ele estava lá. Invisível, sentado no banco do passageiro ao lado mulher.


Notas Finais


Até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...