1. Spirit Fanfics >
  2. Paradisum - Park Jimin >
  3. 02 - Um ato ousado e perigoso

História Paradisum - Park Jimin - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Helloooooo, como vocês estão? Espero que muito bem!

Demorei um cadinho, mas vim trazer essa rápida atualização e, por mais que ela esteja curta, eu gostei de escrever ela. Assim, espero que vocês gostem também de lê-la 🌸
Perdoem os errinhos de português e não desistam de mimmmm :')

Desejo uma boa leitura e nos vemos nas notas finais <3

Capítulo 3 - 02 - Um ato ousado e perigoso


Fanfic / Fanfiction Paradisum - Park Jimin - Capítulo 3 - 02 - Um ato ousado e perigoso

Erina revirava os olhos enquanto ouvia os sermões que Yoongi exalava em pura raiva, mas não era para menos, se alguma coisa acontecesse consigo, cabeças iriam rolar e a do soldado ia ser a primeira.

Ele andava de um lado para o outro com as mãos para trás, vez ou outra apontando o dedo para ela, fazendo com que fizesse uma careta com toda aquela cena que ele estava fazendo. Não que a princesa não entendesse a situação, mas achava aquilo muito exagerado.

— Entendeu?! —  o Min estava parado em sua frente, esperando uma resposta que foi logo atendida por um aceno positivo de cabeça vindo da menina —  Eu sei que é tedioso e, por muitas vezes, horrível ter que aguentar o que algumas pessoas fazem, mas logo iremos voltar para casa e não precisaremos mais esconder nossas identidades.

— E quando seria isso? — perguntou de forma melancólica —  Já faz dois anos que estamos vivendo aqui e ainda não tivemos nenhuma notícia sobre a nossa volta a Aliandra.

Mesmo sabendo que tudo era pelo seu bem, ela não podia esconder os sentimentos de saudade para com seu pai e o reino. A última vez que o rei havia lhe mandado uma carta, tinha sido há um ano atrás e, até então, imaginou que para sua segurança ele tinha cortado algumas ligações consigo. E isso a deixava extremamente triste.

— Eu sei e entendo os motivos de ter me afastado da onde vivia, mas até quando ele irá me esconder aqui?! — se levantou da cadeira em que estava sentada — Independente dele querer meu bem, aqui é muito pior, já que não posso colocar os pés para fora sem que me olhem estranho ou atirem pedras em mim! —  Yoongi a olhava atentamente e escutava de forma serena as reclamações da princesa — Lá eu estaria mais protegida do que aqui.

— Seu pai decidiu que aqui seria melhor e é assim que devemos pensar. —  Erina bufou de raiva e retornou a cadeira, cruzando os braços —  Não haja como uma criança e apenas entenda que, para o seu bem, você teve que vir para cá e permanecerá aqui até a hora em que o rei achar que deve retornar.

Criança. Ela não era nenhuma burra que não entendia as coisas, só estava farta de ter que se manter presa e mentir para os outros sobre sua verdadeira identidade, deixando com que zombem de si e a machuquem, já que não podia chamar muita atenção para si enquanto estivesse em Olerion.

— Ficará sem sair por um tempo. —  a princesa o olhou e arregalou os olhos —  Não quero correr o risco de você se machucar novamente. —  ela tentou protestar, mas foi em vão — Qualquer coisa que precisar ou estiver faltando na casa, fale comigo e eu irei trazer até aqui.

Sem dar chances dela se revoltar quanto a sua decisão, Yoongi subiu as escadas e a deixou sozinha na cozinha.

[...]

A princesa ouviu que um festival em comemoração à volta do príncipe Jimin iria ser dado no centro da cidade. Erina já tinha ido algumas vezes até lá e já conseguia imaginar como estaria enfeitada a praça e os comércios físicos que haviam ali, podendo ver as inúmeras cores das fitas e as flores das mais variadas espalhadas pelo centro. Infelizmente, ela só podia imaginar, já que o Min não a deixaria ir até lá de forma alguma.

Erina conseguia ver da janela de seu quarto a extensa rua mais movimentada que o normal, provavelmente estariam correndo com os preparativos do festival e, também, alguns comerciantes deveriam estar pensando em como ganhariam dinheiro com aquilo. O soldado havia dito que reinos vizinhos iriam vir até Olerion para a comemoração, a fim de conhecer o príncipe e, quem sabe, tratar de alguns negócios, por isso já alertou dos perigos e a proibiu expressamente de ir até lá.

Mas, é claro, Erina não iria ficar de braços cruzados mofando na casa, enquanto todos da cidade estariam se divertindo.

Houve uma vez em que compraram uma peruca marrom para que ela pudesse sair livremente pela cidade, mas a jovem se recusou a usar após testá-la e concluir que pinicava sua cabeça por demais. Entretanto, não ligaria de usá-la só por um tempo para poder se divertir no festival da cidade.

Já havia tomado banho e separado a roupa que usaria para ir até lá; um vestido amarelo bem claro, sem muitas camadas e com uma parte branca no busto. A peruca estava escondida debaixo do travesseiro e, se cobrindo com os lençóis, aguardou Yoongi aparecer para verificar se ela estava ali e segura. Não demorou muito para que isso acontecesse, logo em seguida, ouvindo o soldado ir até o quarto ao lado do seu, permanecendo por lá e não saindo de jeito nenhum.

Aguardou um tempo para poder sair da cama e terminar de se arrumar, com medo de que o Min decidisse ir até lá uma segunda vez para verificar. Após concluir que ele não viria, cuidadosamente se levantou e pegou a peruca, indo em direção ao espelho para poder arrumá-la na sua cabeça. Prendeu até ver que não sairia de maneira alguma e se olhou no espelho, não escondendo a careta por se ver com um cabelo marrom e como ele contrastava com sua pele. Não que tivesse ficado feia, apenas achava estranho seus fios terem outra coloração que não fosse o branco.

Não podia fazer muito com relação aos seus olhos, então decidiu que iria andar com a cabeça baixa, evitando olhar para as pessoas à sua volta. Também iria manter total distância dos três que haviam jogado pedras em si, porque não iria ter alguém para salvá-la novamente e, como estava indo escondida, Yoongi não iria socorrê-la.

Pegou as sapatilhas brancas e as carregou, não esquecendo de pegar sua bolsinha de mão branca para caso quisesse comprar algo para comer, já que não poderia trazer nada do festival por estar indo escondida.

Ela estava pronta para ir, então passou pela porta e a fechou cuidadosamente para não fazer barulho algum. Andou a passos muito calmos e se sentiu mal quando ficou em frente ao quarto do Min, mas não tinha jeito, ela queria muito ir a esse festival e ele jamais deixaria ela sair de perto de si novamente.

O caminho até a entrada foi de pura cautela, pois se atentava a tudo o que estava fazendo para que não denunciasse sua saída clandestina da casa. Erina pensou um pouco se era a coisa certa a se fazer quando chegou em frente a porta da entrada, então disse para si mesma que só iria dar uma olhadinha no festival e voltaria para casa, assim, não causaria problema algum.

Pegou na maçaneta e a girou, puxando-a e revelando a rua sem movimento algum. A brisa pouco gélida acariciava seu rosto, assim como o receio tocava seu eu interior, mas já estava ali e não ia voltar atrás com o que havia decidido.

Fechando a porta atrás de si, a princesa foi em direção ao festival que acontecia no centro de Olerion, com seus olhos púrpuros mirando o chão e a lua testemunhando seu ato ousado e perigoso.


Notas Finais


Eu cortei nessa parte pois pensei que se incluísse o festival, iria ficar muito grande e seria desgastante ler, por isso deixei um quê de quero mais no final hahaha

Espero muito que vocês tenham gostado do cap, mesmo que ela tenha sido bem curto.

Muito obrigada e até a próxima atualização <3
~xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...