História Paradox - Taekook - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Chaehope, Kookv, Namjin, Taekook, Vkook, Yoonmin
Visualizações 169
Palavras 3.682
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Fluffy, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Não dei nem tempo de vocês respirarem, cheguei, soltei e saí correndo!

Como de costume fiquem comigo até o final!
Desde já peço desculpas por qualquer erro, qualquer coisa é só vocês falarem.

ÓTIMA LEITURA, SEGUREM ESSE LEMON AÍ AMORES HEHEHE.
Indicação: Troye é hino Taekook né gente, não tem como.
Tome-lhe trilha da sapecagem: Troye Sivan - DKLA ft Tkay Maidza.

Capítulo 10 - Eu gosto de você, hyung


Fanfic / Fanfiction Paradox - Taekook - Capítulo 10 - Eu gosto de você, hyung

 

3, Novembro de 2017

Caminhou pisando forte em direção a porta e sentiu quando sua mão o puxou e o moreno foi brutalmente jogado no sofá da sala. Taehyung o olhava enfurecido. Se virou para trancar a porta e tirou as chaves da mesma, segurando-as em sua mão. 

— AGORA VOCÊ VAI CALAR ESSA BOCA E VAI ME OUVIR – Gritava. Aquilo me assustou, nunca o vi gritar daquela forma, me mantive ali paralisado e me coloquei a ouvir, pois não tinha outra opção. Não podia simplesmente levantar e bater no meu professor, arrancar as chaves de sua mão e sair dali como se nada tivesse acontecido. — EU DISSE UMA VEZ MAS VOCÊ NÃO OUVIU, ENTÃO EU VOU REPETIR. EU NÃO GOSTO DA LISA, NÃO SINTO NADA POR ELA. VOCÊ NÃO ACREDITA EM MIM? QUER UMA PROVA PRA ACREDITAR? ENTÃO AQUI VAI UMA VERDADE JEON JUNGKOOK. EU ESTAVA COM CIÚMES SIM, MAS NÃO ERA DELA, NUNCA FOI, NUNCA SERÁ, PORQUE ERA DE VOCÊ! FOI DE VOCÊ QUE EU SENTI CIÚMES! 

As palavras foram gritadas assim, contra o seu rosto e vontade. Taehyung finalmente disse o que o incomodava e para sua surpresa, nada o levava a Lisa, mas à si. Taehyung estava com ciúmes de Jungkook.

O moreno o encarava nos olhos, suas mãos agora estavam apoiadas no sofá por conta da pressão que tudo aquilo lhe trouxe, estava confuso. Não sabia ao certo o que dizer, o loiro estava com ciúmes de si e ele não sabia o porquê. 

Jungkook se ajeitou no sofá apoiando as mãos com firmeza para equilibrar seu corpo, permitindo que se levantasse sem cambalear. Apesar de que com o impacto da fúria de Taehyung, o mais novo estava para cair a qualquer momento. Suas pernas bambeavam por conta do susto anterior. 

— Ciúmes de mim? – Perguntava confuso. 

Taehyung respirou fundo e assentiu, finalmente o mais novo o entendeu, ao menos pensou que sim.

Jeon continuou olhando Kim nos olhos sem expressão, sem alegria, sem raiva, sem surpresa, apenas olhares. Bastou alguns segundos para Jungkook levar uma das mãos frente ao rosto tentando conter o riso, mas falhou. Começou a rir e deixou que o corpo tombasse se sentando novamente no sofá, o mais novo ria tanto que chegou a ficar vermelho como um pimentão. Suas bochechas estavam coradas e dos olhos, saíam lágrimas. 

— Do que você está rindo? – Taehyung perguntava carregando um semblante sério. 

— Do que será que eu estou rindo? – Jungkook parou aos poucos de rir enquanto tentava falar — Você está com ciúmes de mim! 

Taehyung ameaçou ir para cima de Jungkook e o mesmo se levantou correndo para o lado contrário do loiro. 

— Olha, você está se superando Taehyung. – Debochava de Kim — Uma vez a muito tempo atrás eu saí com uma garota. Não chegamos ao namoro porque eu não estava tão interessado, mas me lembro de uma cena assustadora que ela fez quando me viu conversando com Rosé na frente da casa do Hoseok. – O moreno agora olhava para a estante de livros da sala — E sabe o que é mais engraçado? É que essa sua cena a minutos atrás, foi idêntica a dela!

— Você está me comparando com uma garota? – Franziu o cenho.

— Não, eu tô comparando a cena de ciúmes. Qual é Taehyung, nós somos amigos. Uma garota nunca vai acabar com isso se depender de mim, amigos para mim vem à frente de praticamente tudo. 

— Jungkook...

— Ahn.

Taehyung voltou até a porta e destrancou a mesma, abriu e se pôs ao lado deixando uma passagem. 

— Vai embora.

Jungkook começou a rir, achava que seu professor estava sendo infantil outra vez quando julgava que era ele, o pirralho mimado. No fundo seu riso era de desespero, ao notar que Taehyung estava sério seu sorriso cessou, engoliu seco com a ação.

— Por que tá me mandando embora? 

— Não quero mais discutir com você, essa conversa não vai nos levar a lugar nenhum. 

No fundo Jungkook sabia que aquilo era verdade, mas se saísse dali naquele momento, sairia da mesma forma que entrou. Seu coração permanecia inquieto assim como sua mente. Taehyung não esclareceu muito bem a situação e, sendo aquilo um ciúme de amigo, não tinha porque as coisas terminarem daquele jeito. 

— Podemos conversar outro dia então? 

— Jungkook, eu quero que você saia da minha casa – Sua voz rouca e firme deu aquela conversa como encerrada.

O mais novo caminhou até a porta com os olhos confusos, não sabia se olhava para Taehyung ou se a melhor opção era seguir de cabeça baixa encarando o chão. Jungkook não gostava de demonstrar fraqueza na frente das pessoas, mas estava triste. Era alguém de tão poucos amigos, estava tão ruim assim a ponto de ninguém querer estar consigo? De não quererem mais sua amizade?

Jungkook vagou pelas ruas em busca de conforto, precisava se acalmar. Em sua garganta havia um nó, a sensação era semelhante a que teve quando ouviu o desabafo de sua mãe naquela manhã quando ia para o colégio. '' Desde que sua avó faleceu eu não tenho ninguém para conversar ou me fazer companhia, acho que é por isso que estou assim.'' Seria esse o final de Jungkook? Sozinho? O de órbitas escuras se recusava a pensar sobre aquilo. Não existia só Taehyung no mundo, seu trio fiel de amigos estava sempre consigo onde quer que ele fosse e nunca demonstraram desconforto sobre as atitudes ou o jeito do mais novo. 

Mas e se fosse mesmo infantil, como Kim dizia? Se era fácil para si ser amigo apenas de quem estudava no mesmo colégio ou alguém que tivesse algum interesse semelhante ao seu? Pensou em Namjoon. Era seu treinador e amigo, mas Jungkook nunca forçou a amizade com o mesmo. Logo aquilo também não era algo certo, pois sua relação com Namjoon hyung era ótima, quase tão boa quanto à sua com Hoseok, Jimin e Yoongi. 

Sem se lembrar de como se guiou até em casa, o mais novo entrou subindo as escadas direto para o quarto. Não viu Miri em lugar nenhum e pensou que a mesma estaria com sua mãe. 

Tirou o celular do bolso e sentou em sua cama, descarregou a frustração em um suspiro e procurou pelo contato de Taehyung. 

Sem foto. Sem status. Taehyung saiu do grupo. 

Ommajin [11:30pm]: Ué, por que o Tae saiu do grupo gente?

Jiminnie [11:30pm]: Também quero saber

Hope [11:31pm]: ELE SAIU? O QUE ACONTECEU GENTE? :o

Mensagem de Agust D

Agust D [11:41pm]: Ué viado, vai dormir na casa da Lisa também?

Só um cinema não bastava? 

Agust D [11:50pm]: Cadê você porra

Taehyung saiu do grupo lá, tem algo a ver com você?

Jungkook [11:59pm]: Oi hyung, tô em casa.

É, acabei de ver que ele saiu

Amanhã converso com você pode ser? Não tô me sentindo bem, vou dormir.

Até amanhã.

Jungkook revirava na cama, se virou para o canto da parede e quis bater a cabeça na mesma, ao menos o deixaria desacordado para acalmar seus pensamentos. Se encolheu estendendo o braço alcançando suas pernas, em busca de se confortar permaneceu ali naquela posição, encolhido, até que pegasse no sono. O que demorou mas finalmente conseguiu.

Era manhã de domingo, seu celular tocava sem parar mas Jungkook só foi se dar conta de que alguém ligava após pelo menos 15 ligações. Levantou o tronco, seus olhos ainda estavam meio fechados. Estendeu a mão para alcançar o celular que carregava perto da cama, tirou o mesmo do carregador e aproximou de seu campo de visão. 

15 ligações perdidas de Kim Taehyung

O mais novo se assustou virando na cama, sentou com as pernas esticadas. Piscou mais algumas vezes para se certificar de que não fosse alucinação. Estava lá, 15 ligações perdidas de Kim. Nenhuma mensagem, somente 15 ligações. 

Jungkook desbloqueou o celular e foi até o contato de Taehyung, ligou para o mais velho. 

Chamando Chamando Chamando... Caixa Postal. 

Ligando... Chamando...

– Alô, Jungkook?

– Oi, tá tudo bem? Aconteceu algo?

– Aconteceu sim, mas não posso te falar pelo celular, pode vir aqui em casa?

– Claro, eu... eu chego aí em 20 minutos!

– Ok, até já.

Levantou da cama num pulo e foi ao banheiro tomar banho, resolveu não lavar os cabelos pra que assim não demorasse mais, saiu do banho e foi escovar os dentes. Voltou para o quarto e vestiu um moletom cinza, correu pelo quarto com um par do tênis no pé e o outro de meia. Gritou pela mãe no corredor e escada abaixo, Miri havia levado o outro par de seu tênis para a sala. Calçou o mesmo e voltou para o quarto, passou um pouco de seu perfume mais fraco e enfiou o celular no bolso, da gaveta puxou uma caixinha de balas que havia guardado. Pegou uns trocados com a mãe e se pôs a chamar um táxi. Foram calados até a casa de Taehyung e Jungkook agradeceu pelo taxista não ser um daqueles que gostam de fofocar e coisas assim. Chegou ao seu destino, pagou o taxista agradecendo o mesmo pela eficiência e rapidez, correu até a porta de Taehyung. Bateu uma, duas, três vezes. Caminhava de um lado para o outro preocupado e, quando se pôs a dar a quarta batida, Kim abriu a porta. 

— Entre.

Jungkook passou pela porta como um raio e ficou de pé ao lado da mesa de centro, esperando que Taehyung fechasse a porta. Estava preocupado e ao mesmo tempo ansioso, de certa forma feliz por ser ele de quem Taehyung precisava ali, não queria que a amizade dos dois acabasse naquela noite desagradável. 

Taehyung trancou a porta e virou para si. 

— O que foi? O que aconteceu?

— Eu tentei Jeongguk, juro que tentei.

— Tentou o quê? O que tá acontecendo? – Perguntava o moreno quase pálido de preocupação.

— Eu... tentei ficar longe de você, mas não consigo. É que você não está entendendo as coisas.

— Mas eu não quero que fique longe de mim, somos amig-

— PARE! Pare de dizer que somos amigos. – Falava interrompendo o mais novo.

— Parar? Por que? 

— Porque eu não quero ser só seu amigo, Jungkook-ah. – O moreno arregalou os olhos quando Taehyung aproximou de si. 

O mais velho caminhou até Jungkook e parou quando sentiu a ponta dos pés tocar o tênis do mais novo. Fitou seus lábios avermelhados, o lábio inferior estava extremamente vermelho devido as mordidas que Jungkook deixou em si na outra noite por conta do nervosismo. Taehyung analisou o rosto do mais novo que continuava imóvel, calado.

Levou sua mão direita até o rosto do moreno pairando os dedos sobre sua bochecha, acariciou a mesma com delicadeza. Jungkook abriu a boca na intenção de interrogar Taehyung mas não saiu uma palavra se quer, sabia o que estava prestes a acontecer ali. 

Kim olhou em seus olhos e sorriu sem mostrar os dentes, involuntariamente arrancando um sorriso de canto do mais novo. Calmamente aproximou seu rosto do de Jungkook e sentiu sua respiração contra sua boca, estavam a poucos centímetros um do outro a ponto de se fundirem. 

— Jungkook-ah, estou prestes a te beijar, desejo isso desde a primeira vez que o vi – Sussurrava com a voz rouca. — Você pode recusar se quiser, pois está sendo avisado. 

Jungkook alternava seu olhar dos olhos de Taehyung até os lábios do mesmo. Queria reagir mas não conseguia, queria para-lo e dizer que aquilo não aconteceria nem que seu professor se pintasse de ouro. Mas dentro de si havia uma vontade imensa e completamente fora de seu controle, queria provar dos lábios finos e rosados de Kim. Seu estômago revirava, Jungkook nunca havia beijado outro homem, tampouco seu professor de Inglês e Artes. Era um misto de sentimentos intensos e confusos. Dentro de si acontecia uma guerra, tanta coisa acontecia ali ao mesmo tempo que, permanecer parado era a melhor forma de acalmar seu interior.

Encarou uma última vez os olhos grandes de seu hyung e pôde enxergar sua alma. O tempo nivelava à um universo paralelo, onde existiam apenas Jungkook e Taehyung, ninguém mais. O coração batia descompassado e a garganta estava seca, sedenta. Sua respiração entrecortada denunciava o nervosismo, mas estava ali entregue ao momento, o loiro não tinha dúvidas de que aquela era a deixa para prosseguir como queria. 

O loiro aproximou-se ainda mais de Jungkook e o mesmo fechou os olhos a medida que o contato era mais próximo, sentiu os lábios macios de seu cúmplice em um crime excitante e inconcebível tocar os seus. Kim deixou que sua mão esquerda caminhasse à sua própria vontade até a cintura de Jeon, sentiu o pano de seu moletom impedir o contato de sua mão com a pele do moreno e se permitiu a deixar um aperto ali agarrando o moletom entre os dedos. Jungkook soltou um gemido rouco atrevido entre os lábios que ali permaneciam colados, suas mãos tremiam e por um segundo teve medo de que Taehyung notasse seu nervosismo. Levou sua mão direita até a cintura de Kim e o aproximou tendo seu corpo colado ao dele. Podia sentir o coração de Taehyung bater tão forte quanto o seu, naquele instante. Lambeu o lábio inferior do mais velho pedindo passagem para sua língua. Se surpreendeu com o ato do mais novo e arfou vagarosamente, permitiu-se envolver em um beijo calmo e doce, os lábios de Jungkook tinham gosto de menta, era doce e refrescante. Um beijo atrevido e envolvente, mas logo calmo e carinhoso. 

Jeon e Kim eram assim, um paradoxo com exatidão. Extremos, assanhados e desafiadores.

Caos e calmaria.

Sol e lua.

 

Entrelaçaram suas línguas e permitiram alternar seus rostos de um lado para o outro a medida que aprofundavam o beijo. Logo Taehyung prendeu o lábio inferior de Jungkook entre os dentes e puxou carinhosamente finalizando o beijo, fazendo o mais novo abrir os olhos e voltar a si. Estava atordoado, era como se tivesse recebido uma pancada bem na cabeça, ou melhor, no corpo inteiro. Aquele beijo o envolveu por completo, o moreno era um pouco atrasado, de difícil processo, mas ali tinha certeza absoluta de que o beijo de seu professor foi a melhor coisa que já provou em toda a sua vida. Era melhor que pizza, coisa que gostava demasiadamente. 

Taehyung voltou a encara-lo, puxou o ar pelo nariz e soltou pela boca. 

— E então? 

— O q-que? – Jungkook continuava devassado.

— Você... gostou? – Perguntou receoso o de madeixas claras.

— Não. Quer dizer, sim? Eu não sei. – Parecia confuso em suas palavras.

— Como não sabe? – Perguntava incrédulo — Olha, vamos fazer assim. Me diga o que você quer fazer agora, quer ir embora? Sair correndo pela porta ou sei lá? Diga o que você quer. 

Jungkook o encarou e tombou a cabeça para o lado secando Taehyung com os olhos, caminhando os mesmos pelo corpo magro de Taehyung até encontrar seus olhos castanhos claro. O loiro mordia o lábio inferior apreensivo.

— Eu quero você. 

Trocaram aprovações em seus olhares com segundos certos até se agarrarem no meio da sala espaçosa de Taehyung. 

Taehyung fez Jungkook recuar e se abaixou lentamente segurando o peso do corpo do mais novo no braço esquerdo, com a mão livre passou a mesma sobre a mesa jogando todos os objetos que ali estavam, no chão. Deitou Jungkook na mesa e apoiou os braços nas laterais deixando Jungkook rendido embaixo de si. Aos poucos deixou o peso do corpo cair sobre o corpo definido do moreno, sem medo da mesa se partir, e se partisse, que se cortassem todo. Kim queria Jeon tanto quanto ele o queria. 

Com uma das pernas afastou as de Jungkook, dando início a um beijo cheio de gana e luxúria. Posicionou sua perna entre as de Jungkook e pressionou a mesma fazendo o mais novo arfar. Este que sem delicadeza num movimento corajoso levou suas mãos frias até a camisa de Taehyung e enfiou suas mãos por dentro da mesma sentindo a pele quentinha e amorenada em seus toques como desejava. Ao sentir o contato o mais velho gemeu fraco, Jungkook estava pegando pesado, mais um pouco e Kim não iria resistir. 

Jungkook levantou o tronco fazendo Taehyung se levantar até que ficasse de pé em sua frente. O mais novo agora o encarava, seus olhos cravavam nos sentidos de seu professor, despertando em si as vontades mais sombrias. 

Colocou suas mãos na cintura de Taehyung e com envolvência passou sua camisa pelos braços com o auxílio do mais velho, retirando a mesma, se pondo de pé.

Vê-lo assim tão nu, exposto, lhe causava arrepios e espasmos. Taehyung voltou aos lábios doces de Jungkook e caminhava com o mesmo até sentir seu corpo tocar a parede, esta que estava fria e causou em si arrepios ainda maiores. Se apertavam e brincavam com os beijos, rindo entre o mesmo de forma maliciosa. Aos poucos estavam no corredor da casa. Jungkook passou as mãos pelas coxas de Taehyung o erguendo fazendo com que cruzasse suas pernas em sua cintura e envolvesse seu pescoço. 

O mais novo sentiu um volume contra seu abdômen, Taehyung estava excitado. Aquilo aumentava ainda mais a vontade de te-lo para si, a essa altura seu membro também estava duro dentro da cueca, esta que incomodava a medida que se esfregava mais em Taehyung. Distribuiu beijos e mordidas pelo pescoço de Kim indo até sua orelha, mordeu o lóbulo da mesma e pressionou seu peito contra o do mais velho. Taehyung gemia manhoso. 

Soltou o braço deixando que o mesmo caísse até as costas do mais novo e cravou seus dedos ali, suas unhas apesar de curtas marcaram as costas de Jungkook de forma prazerosa e desinibida. Ouviu o moreno gemer baixinho e sentiu o mesmo voltar a beijar seu pescoço. Envolveu novamente a nuca de Jungkook entrelaçando os dedos nas madeixas negras que tanto gostava. Os cabelos de Jungkook eram macios e bem cuidados assim como os seus. Exalava de perto um cheiro delicioso de shampoo, este que era doce e fraco. Aos poucos afrouxou as pernas tirando as mesmas da cintura de Jeon indicando que queria descer. O mais novo era forte mas Taehyung era pesado. Agradeceu por Kim ter tomado a iniciativa de descer, pois Jungkook nunca demonstraria fraqueza ali. 

Deslizou suas mãos dos cabelos do mais novo até o rosto.

— Ei, tem certeza que quer fazer isso? – Perguntou mordendo o lábio receoso. 

— Absoluta. Eu não estaria aqui agora se não quisesse, nunca me senti assim com outra pessoa. Você me deixa louco, hyung... – Bastou chama-lo de hyung para Taehyung perder a cabeça e trocar de lugar com Jungkook. Pressionou as costas do mais novo contra a parede e ordenou que levantasse os braços, assim o fez. Jogou a blusa do mais novo em qualquer canto e começou a deslizar a língua em seu pescoço arrancando gemidos entrecortados do mesmo. Sua boca permanecia entreaberta e os olhos apertados, tamanho era o prazer que o loiro o proporcionava mesmo sem movimentos muito ousados. Bastava um toque de mãos e lá estava Jungkook, entregue, como se seu corpo já soubesse a quem pertencia. 

Desceu calmamente a língua pelo peitoral de Jungkook chegando até a barriga, se apoiou em suas pernas e desceu o moletom deixando o moreno semi-nu, a cueca box na cor preta era a única peça de roupa que havia sobrado em seu corpo. Taehyung se deixou admirar por um momento as coxas fartas e o abdômen alheio. O corpo de Jeon era perfeito, podia dizer, seus traços eram únicos e encantadores. Quase um convite à perdição.

 Levou a mão até a cueca sentindo o pênis desperto, subiu os dedos longos até a cabecinha do mesmo e viu que estava úmido, Jungkook estava tão excitado que nem se quer se deu conta de que a tempos ficou molhado com os toques do mais velho. Taehyung levantou seu olhar criando um contato visual com Jungkook esperando que o mesmo pedisse e, para sua surpresa...

— Quer que eu peça, não é? – Perguntou e viu quando Taehyung sorriu sem quebrar o contato visual — Hyung, me chupa vai... Pediu manhoso.

Kim assentiu com a cabeça e começou a descer a cueca de Jungkook até retirar a mesma. Envolveu carinhosamente as mãos no membro alheio e sentiu o mesmo pulsar em sua mão. Mordeu o lábio uma última vez e deslizou sua língua do início até a fenda da glande molhada. O moreno curvou a cabeça para trás e soltou um gemido — Oh, hyung... isso é bom...

Taehyung começou a chupa-lo com vontade sustentando com sua mão os toques até a base. Jungkook arfava de prazer e inclinava a cintura pra frente em busca de que o mais velho o tomasse por completo. Carinhosamente acariciou os cabelos de Taehyung e assistia à aquela cena satisfeito, a visão que tinha era incrível e nunca pensou que um dia aquilo viesse a acontecer. 

Com a mão apoiada na cabeça do mais velho, Jungkook começou a estocar fazendo seu pau entrar e sair lentamente entre os lábios macios de Kim. Ficava cada vez mais louco com aquilo e estava a ponto de se desfazer nos lábios de seu professor. 

— Tae... pode parar... eu vou gozar. 

O loiro tirou lentamente a boca de seu membro tornando aquela cena extremamente sexy. Com a mão aumentou os movimentos na intenção de ver Jungkook se desfazer em suas mãos. O ritmo era intenso e no corpo de Jungkook corria gotas de suor, sentia que estava a segundos de seu ápice e eu então gemeu, contraiu o abdômen e gozou sujando todo o chão. Se desfez de forma graciosa nas mãos de Taehyung. 

O mais novo estendeu a mão para que o loiro levantasse e selou seus lábios no dele. A sensação de estar com ele era indescritível, mesmo nunca tendo passado por aquilo, Jungkook sabia que era exatamente o que ele procurava, era Taehyung a diferença entre todos os iguais e clichês.

 

— Hyung, eu acho que gosto de você. Eu gosto mesmo...

Abriu os olhos e viu que a porta do quarto estava aberta, ao seu lado com uma expressão engraçada e confusa no rosto estava Yoongi, seu olhar era curioso. 

— Mas que merda é essa de ''eu acho que gosto de você hyung''?

 

 

.

 

 


Notas Finais


Vamos conjugar o verbo: Eu tombei, tu tombaste, vós tombeis, nós tombamos.
Abaixem as armas! Eu me rendo!
Não fiquem bravxs comigo auheae, se não for pra deixar isso aqui cada vez mais intenso, I don't be back!
E aí, o que vocês acharam do meu ''primeiro lemon''?
Espero não ter passado micão online.
Falando de pizza em pleno negócio, será que sou taurina?
FICOU CLARO QUE JUNGKOOK TEVE UM SONHO? SE NÃO, JEOVÁ NA CAUSA.
PROMETO QUE VAI TER UM REAL TÁ GENTE, É SÉRIO.
O momento que Jungkook tomba a cabeça pra dizer que quer o Taehyung no sonho foi pensando neste gif: https://media.tenor.com/images/b7873b957bc66de9e55a29e5065ae818/tenor.gif
Só eu sou louca nessas expressões desse homem, pai amado? Não é possível!!!!!!
Quero agradecer o apoio de cada umx de vocês que estão gostando da fic, eu fico extremamente feliz e honrada!
Vocês não imaginam o tamanho da força/vontade que me dão, grata demais.

O nosso maravilhoso @BTS levou o prêmio de artista internacional no Kid's Choice Awards 2017!
Reis fazem assim né, amores.
É isso e até o próximo cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...