1. Spirit Fanfics >
  2. Paraíso dos Dragões >
  3. Capítulo 2 - Um sonho estranho

História Paraíso dos Dragões - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oi!!!!
Como prometido aqui vai o 2º capítulo!
Espero que gostem.
Desfrutem da vossa leitura!

Capítulo 2 - Capítulo 2 - Um sonho estranho


Ayla estava a andar pela sua casa; primeiro, estava no seu quarto, olhou para a sua mão, que estava na maçaneta da porta, e abre a porta. Andou, andou, andou, foi parar ao corredor, continuou até à porta e a abriu, saiu de casa.

Estava de noite, andava descalça pelas ruas. Parecia estar muito vento, as folhas das árvores mexiam-se, mas, a ruiva não sentia nenhum frio, nem o seu cabelo se mexia ao sabor do vento. 

Porquê?

Porque as ruas pareciam tão pacíficas, sendo que a esta hora da noite é quando andam mais carros na rua?

Porquê?

Porque andava sem rumo, sem dar nenhum comando ao seu corpo para andar?

Isto tudo era muito estranho para a rapariga. E, ainda ficou mais estranho quando se deparou que estava a abrir o portão, de um cercado branco, que já havia perdido um pouco de sua cor - era um cercado velho, muito velho - e quando olhou para a frente, viu uma casa ,uma casa com um aspeto ainda mais velho do que o cercado. Ayla, entra para dentro do terreno abandonado e fecha o portão do cercado. Anda mais um pouco e chega ao alpendre da casa, abre a porta e entra.

A casa por dentro, tinha um aspeto podre, muito velho, estava cheia de teias de aranha e baratas apareciam aqui e ali de vez em quando, mas nada que assustasse a rapariga. Deparou-se com umas escadas que davam para o próximo andar da casa, subiu, e deu com um corredor não muito comprido, mas, olhando para as paredes, via-se vastas molduras com pinturas de flores, planícies, montanhas, vulcões, um oceano em que se via os seus corais de diversas cores e o mesmo para os poucos peixes que lá apareciam, e, por fim, um grande quadro, onde se podia ver uma montanha, onde no fim tinha um penhasco muito alto. A montanha tinha um grande manto de neve, estava cheia de pinheiros, um pequeno rio com partes congeladas, o céu, o céu estava com um belo pôr do Sol, e bem ao pé do penhasco, havia um grande castelo, as suas cores com a neve por todos os lados eram as que mais se destacavam.

Amarelo, mas não vibrante, quase que um amarelo pastel, muito suave; azul, um azul clarinho como a cor das mais limpas águas de um rio; uns toques de dourado para embelezamento das janelas, portas, zonas de bicos nos telhados; roxo, um pouco escuro, mas que combinava bastante com todas as outras cores; e por fim, branco, a cor sólida do castelo, que com todas as cores juntas fazem ele, simplesmente perfeito para aos olhos de Ayla. Mas ... Olhando mais acima, dava para ver... Um dragão a sobrevoar, e com todas as cores descrevidas do castelo?!

Era um grande dragão branco, mas o branco tinha um brilho que parecia pérola, uma cauda com uns altos amarelos, em forma de triângulo, no final da cauda havia um tufo de pelo em forma de pêra, e este era roxo, o mesmo para o pouco de tufo de pelo na cabeça e debaixo do queixo. As suas asas eram enormes e majestosas, as partes de cima são azuis, no meio são brancas e na parte de baixo são amarelas, tem um garra em cada asa na parte de cima num tom dourado, na cabeça, tinha uns chifres da mesma cor, e o que chama a atenção são os seus olhos com heterocromia, o olho direito era um azul acinzentado muito lindo, e o olho esquerdo era roxo claro, quase que um lilás, muito lindo também. A ruiva pisca os olhos várias vezes com a beleza do quadro, e aprecebe-se que o dragão começa a voar em volta do castelo, a água do rio começa a correr, as bandeiras do castelo começam a esvoaçar ao sabor do vento, as agulhas dos pinheiros movimentam-se também. A rapariga olha em volta e parece que... Para e nada! As pinturas estavam mesmo a mexer-se! Ayla senta uma luz debaixo do seu pescoço, olha para o peito e vê o seu colar brilhar! Mas, quando pisca de novo os olhos, olha para a frente e o corredor está como novo! As paredes não estavam as despedaçarem-se, mas sim, com um branco limpo. As molduras estavam limpas a madeira delas está como nova, a madeira do chão está inteira e sem pó, sem fuligem, tudo como novo e limpo! Mas... Pela janela no final do corredor parecia que estava de manhã... A ruiva anda até a janela e desvia as cortinas e... Estava mesmo de dia! Ayla, assustada, anda para trás, e ouve uma porta ranjer, olha para trás e parece que que o quarto que antes estava fechado por uma porta, agora aberta, é um tipo de escritório, e entra. A porta fecha-se atrás de si com uma certa força. A ruiva começa a ficar com medo, nervosa e intrigada, várias emoções numa só. (Nota da autora: IH ALA, VAI MORRER KAKAKKAKAKA, A ANNABELLE VAI TE PEGAR AYLA KSKSKSKKSKS) 

A rapariga observa o quarto, tinha muitas coisas; tinha uma estante cheia de livros, um tapete com um "M" no meio, igual ao "M" que esta tinha no seu colar, uma escrevaninha, com mais livros, um estojo cheio de lápis, uma pequena cadeira sem encosto por debaixo desta, alguns cristais muito bonitos de diversas cores, uma prateleira cheia de garrafas com líquidos estranhos. O quarto estava cheio de tudo, e tudo muito bem arrumado e colocado. Contudo, algo despertou a atenção da rapariga. 

Um baú de madeira.

Um baú de madeira um pouco grande, só que ele tinha um cadeado, estava trancado e ninguém o poderia abrir, mas, o colar da ruiva começou a brilhar ainda mais e o mesmo para a fechadura do cadeado do baú. Ayla se ajoelha ao pé do baú, retira o seu colar e desencaixa daí a pequena chave que tinha atrás dele, com cuidado ela põe a chave na fechadura do cadeado e gira, destrancando assim o cadeado. A adolescente levanta a tampa do baú e... Depara-se com vários livros um pouco velhos, com algumas páginas soltas, ao lado estavam uns mapas misteriosos e bem no canto... Estava um ovo?

Um ovo branco pérola tão grande?

Onde que já se viu isso? Não existe nenhum animal que ponha ovos assim! Quando Ayla vai para pegar no ovo a sua visão fica totalmente branca e...


Acorda sobressaltada na sua cama, olha para o peito e o seu colar está a brilhar. A ruiva pega no telemóvel e vê as horas:

01:23 horas.

"Então foi tudo um sonho?..." 

Pensa a rapariga.

"De manhã vou investigar se é mesmo um sonho, talvez seja verdade... Só tenho de me lembrar do sítio onde está essa casa..." 

Pensa para si própria.

"É melhor voltar a dormir..." 

Desliga o telemóvel e volta a um sono profundo...


Notas Finais


E foi isto, espero que tenham gostado.
Só para quem ainda não entendeu, a Ayla é ruiva. Ela tem olhos verdes claros, tem sardas e tem 1 metro e 60 centímetros de altura.
O seu amigo, o Kailan, ele tem 1 metro e 95 centímetros de altura, ele tem um pouco de músculos, tem olhos azuis vibrantes e tem o cabelo que nem o personagem Oh Sangwoo de Killing Stalking, para quem não sabe como é aconselho a procurar.
Enfim, até o próximo capítulo!
Favoritem se gostaram.
Deixem nos comentários perguntas, teorias ou até mesmo ideias para a fanfic, elas são totalmente aceitas!
Caso dêem uma ideia para a fanfic e eu gostar e chegar a utilizar eu irei pôr nas notas iniciais o crédito.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...