História Paraíso Proibido - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Ino Yamanaka, Kizashi Haruno, Mebuki Haruno, Mikoto Uchiha, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Drama, Esporte, Hentai, Romance, Sasusaku, Universo Alternativo
Visualizações 85
Palavras 2.098
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Nós dois


Sakura ficou no fundo até os seus pais chegarem, suas amigas foram embora e Sakura viu pela expressão fácil da sua mãe que ela não gostou de ver Tenten ali.

 Sakura então foi pro seu quarto, e deu um murro na primeira coisa que viu pela frente e depois se jogou na cama, ficou lá deitada ouvindo música no celular até uma empregada lhe chamar pra jantar, ela suspirou fundo e se levantou da cama e foi em direção à sala de jantar da família, onde seus pais já estavam sentados.

— O que estavam fazendo? – Seu pai lhe perguntou.

— Nada demais, só ficamos conversando, as meninas agora estão namorando e...

— São dos Largados?

— Não mãe. – Sakura mentiu, essa informação seria um segredo dela, afinal ela conhecia Mebuki, a mesma poderia ligar e falar um monte de mentiras sobre os largados pras mães das suas amigas, e isso complicaria o namoro delas com os meninos, e Sakura queria ver suas amigas felizes.

— E a Mitsashi?

— A Tenten estava doente, tinha pegado catapora do primo mais novo, e veio me ver, assim como as outras meninas.

— Mebuki não é porquê a menina anda com skatistas, que ela é uma marginal.

 — Você diz isso por causa do pai dela, não é?

— Isso. Um fuzileiro jamais deixaria a filha ir pro mau caminho.

— Aquela menina faz parte dos largados, Kizashi. Um grupo de vândalos.

— Não importa, graças a eles e outros skatistas, que você tá usando esses vestidos caríssimos, que a gente comprou mês passado na França.

Mebuki olhou nervosa pro seu marido, sabia que Kizashi estava a provocando.

— O que o papai falou tem razão.

— Mas aquela garota...

— É uma garota como qualquer outra, além do mais ela é uma das melhores alunas do colégio.

— Fiquei sabendo por fontes confiáveis, que você ficou com um filho de um funcionário da empresa, naquele showzinho, não foi?

— Quê?

Sakura sentiu sua espinha congelar, seus pais lhe olhavam pedindo explicações, e ela perguntou:

— Que fonte é essa? A senhora mandou alguém me seguir agora, é essa? Deu pra não confiar em mim?

— Quem é a fonte? Ela não te interessa, e depois uma pessoa da empresa te viu na festa e falou pessoalmente comigo.

— Tá, chega de mistério, quem é?

— O ganhador do campeonato. Sasuke Uchiha, filho do Fugaku.

— Filha você não foi...

— O que? Mas é claro que não papai, só foi uns beijos, além do mais ele nem imagina que sou sua filha.

— Acho bom...

Kizashi levantou nervoso da sua cadeira, e Sakura foi atrás dele e é perguntou:

— Não vai fazer nada contra o Fugaku, não é papai? Pô, eu fui pra uma festa me divertir, e acabei ficando com um garoto, normal.

— Fique tranquila, não misturo as coisas, e confio em você.

Kizashi saiu da frente da sua filha que suspirou fundo, enquanto isso, Sasuke já tinha jantado, o mesmo estava sentado na sua cama enquanto pensava nela.

— Sasuke? – Mikoto o chamou batendo na porta, de forma doce o que Sasuke estranhou, mas mesmo assim gritou:

— Entra.

Ela entrou no quarto do moreno e caminhou até a cama dele, e sentou:

— Não ligue pro Itachi e pro Obito.

— Eu não ligo.

— Então qual é o motivo de estar assim?

— Ela, mamãe. Eu e a Sakura nunca vamos poder ficar juntos de verdade.

— Oh meu filho.

Mikoto o olhou, sabia que ele estava sofrendo por amor, e pro coração de mãe dela, aquilo era horrível.

— Os meninos vão montar uma banda, e eu vou ficar no vocal, mãe, se a banda fizer sucesso, render grana, será que eu e ela...

— Bem capaz. Mas não esquece os estudos.

— Não mãe, não vou esquecer.

— Então tá. – Mikoto saiu do quarto de Sasuke que se jogou na cama.

O dia seguinte veio, ele se arrumou e foi pra escola sozinho com o seu skate, quando chegou lá, Naruto lhe disse:

— A Sakura quer falar contigo depois, mano.

— Como assim?

— É. Ela acabou de me mandar um áudio no whatsapp do celular da Hinata, e o recado dizia que queria bater um papo contigo, depois da escola.

— Onde?

— Na praça.

— Ela disse o que era?

— Não.

Sasuke colocou suas mãos na cintura e suspirou:

— Eu acho bom que seja algo útil.

— Por que? Não quer dá uns pegas de novo não?

— Porque não suporto ver a cara daquela garota.

— Aham, sei.

— O que tá rolando? – Shikamaru chegou junto aos outros meninos.

— A Sakura me mandou um áudio pelo número da Hinata, dizendo que quer conversar com o idiota aqui, e ele acabou de dizer que não suporta ver a cara dela.

— É... A gente viu no show do blink-182 o quanto você, não suporta olhar pra cara da Sakura. – Sai disse e depois deu risada.

— Será que dá pra esquecer esse maldito show?

— Sasuke, não tenta enganar a gente brô, a gente te conhece você tá louco por ela. – Kiba falou.

— Eu estou louco de meter a porrada em vocês todos, se vocês não pararem.

— Você ficou com ela, cara! – Shikamaru disse.

— Eu sei! Ali foi um momento de fraqueza, a Sakura mesmo sendo uma patricinha inútil, é bonita, e eu sou homem, solteiro, jovem, não deu pra resistir, até parece que cê não sabe?

— Não sei mesmo, afinal eu sou um homem comprometido. – Shikamaru falou, enquanto levantava sua mão mostrando o anel de compromisso que ele e a Temari usavam.

— Anel de compromisso, isso é muito brega.

— Fala isso agora Sasuke, mas logo vai está ai, usando um com a Sakura.

— Shikamaru vá se foder.

— Tenho a Temari.

Os meninos deram risada com o que o Shikamaru disse, e Sasuke revirou os olhos enquanto dizia:

— Então tá, eu quero que se foda com a Temari.

A manhã então passou e quando deu à hora, Sasuke saiu e foi direto pra praça, onde ela estava, a mesma estava sentada em um banco perto de uma fonte enquanto olhava os pássaros.

Ele coçou a nuca e suspirou fundo, nunca tinha ficado tão nervoso com uma garota como tinha ficado com aquela, e ele nem estava se reconhecendo. O moreno ia andando em direção a Sakura, e cada vez que chegava perto, sentia que seu coração iria sair pela boca.

Eu me pergunto por que eu me apaixonei por essa idiota?

Quando ele chegou perto dela, a mesma se levantou e disse:

— Oi.

— Oi. Então fala ai o que você quer comigo?

— Tantas coisas Sasuke... – Ela pensou, mas não respondeu apenas disse:

— Senta ai.

Ele sentou no mesmo banco que ela, mas ficou a olhando desconfiado:

— Anda Sakura, não posso ficar muito tempo na rua, se não minha mãe me mata.

— É sério que você tem medo da sua mãe? – Ela disse enquanto sentava, bem perto dele.

— Não tenho medo dela, só não quero confusão, mas diz ai logo o que quer?

— Viram a gente no show e abriram a boca pra minha mãe.

— Putz e ai?

— Eu falei pra ela que a gente só ficou, e que você não sabia quem era meu pai.

— E falando em pai, o que vai acontecer com o meu?

— Já falei com o meu pai, e ele não vai fazer nada.

— Ainda bem Sakura, porquê meu pai precisa desse emprego. – Ele a respondeu a abraçando, ela correspondeu o abraço e pode sentir o seu cheiro amadeirado, depois eles se soltaram, mas ainda ficaram com suas testas coladas, Sakura então fez um carinho de leve no rosto dele e o respondeu:

— Eu sei Sasuke.

— Então... A gente se ver mais tarde?

— Aham, vai mais tarde pro casarão?

— Vou. A gente se vê lá, então.

— É.

Eles se despediram com outro abraço e quando Sasuke achou que teria paz, seus amigos lhe puxaram pra um beco, e Naruto perguntou:

— Pode dizendo o que rolou ali?

— Ela foi me contar que um filho da puta, viu a gente se beijando no show e abriu a boca pra mãe dela, e agora tanto a mãe quanto o pai sabe que a gente ficou.

— E aquelas carícias hein Sasuke Uchiha?

— Ela não estava nada legal, só a consolei.

— Aham, a gente te conhece Senhor malandro, pode dizendo tudinho, que tem mais coisa ai. – Kiba disse pra Sasuke, enquanto o abraçava.

— Vocês estão parecendo um bando de patricinha ridícula, que não sabe o que fazer, além de falar da vida dos outros.

— Tá legal, é bom saber que você confia nos seus amigos. – Shikamaru disse.

— Dramáticos.

— Vai pro casarão? – Sai perguntou.

— Yes, my friend.

Sasuke deu risada e depois se mandou pra casa, quando chegou lá, Mikoto gritou:

— Onde estava?

— Com a Sakura, por quê?

— Como assim com a Sakura, Senhor Sasuke Uchiha? – Mikoto foi caminhando até seu filho, com um sorriso no rosto.

— Ela foi me dizer que viram a gente no show, e abriram a boca pra mãe dela, e agora os pais dela estão sabendo que a gente ficou.

— Sasuke e seu pai, ele...

— Eles não vão fazer nada com o papai, tá legal?

— Eu espero. Mas diz ai se declarou?

— Tá meio cedo pra isso, vamos dar um tempo.

— Nunca é cedo pra se declarar, e você tem que fazer isso, antes que outro faça no seu lugar.

Assim que Mikoto falou ele lembrou do Gaara, aquele garoto também estava afim da menina de cabelos cor de rosa, o moreno entortou a boca e disse:

— Vou pensar.

— Só espero que não pense demais, viu? Agora vai se arrumar pra almoçar.

Sasuke sorriu pra sua mãe e foi pro seu quarto, onde pegou sua toalha e em seguida foi pro banheiro, enquanto tomava banho, ele pensava no que sua mãe tinha lhe dito, mas o moreno não sabia como fazer.

Enquanto a Sakura já tinha almoçado, seus pais não tocaram no nome do Sasuke e nem ficaram falando de skate, o que pra ela tinha sido um alivio, a menina estava sentada no sofá de casa assistindo televisão, mas mesmo assim, não parava de pensar no Uchiha.

— Sasuke Uchiha hein?

Ela olhou pra trás assustada, e viu sua mãe parada, a rosada deu risada e disse:

— O que tem aquele pé rapado?

— Você estava pensando nele.

— Mas é claro que não mamãe, eu hein. – Ela riu de nervoso, como era que Mebuki sabia disso?

— Não te culpo por isso, ele é um menino muito bonito. Aposto que deve ter um bando de mulher atrás dele.

— Mãe eu só fiquei com ele uma vez, nada demais.

— Beija bem?

— Aham.

— Outro motivo pra você não parar de pensar nele.

— Mãe? O que deu na Senhora?

Mebuki sentou ao lado da sua filha e disse:

— Sakura eu te carreguei na barriga durante nove meses, te conheço, você tá apaixonada.

— Apaixonada por um Zé ruela, não né mamãe, francamente.

­— Pode até ser um Zé ruela, mas é um gato.

— Vem cá, desde quando dona Mebuki Haruno, shippa a filha dela com um pobre?

— O que é isso?

— Torcer pra um casal.

— Então não, não quero minha filha namorando um garoto de uma classe inferior, ainda mais skatista.

— Mãe só fiquei com ele num show, não estou namorando, nem nada.

— Sakura espero do fundo do meu coração, que seja verdade, eu já tive 18 anos.

— Fica tranquila mamãe, não estou apaixonada por ninguém, agora vou me arrumar pra ir ver minhas amigas, okay?

— Okay.

A menina se levantou do sofá e foi pro seu quarto, assim que fechou a porta, sentiu uma lágrima solitária cair do seu olho esquerdo.

Ela então a limpou e se arrumou e desceu as escadas:

— Vai aonde linda desse jeito? – Kizashi perguntou.

—Dar um rolê com minhas amigas.

— Não tem atividade?

— Tenho, mas faço quando chegar.

Ela saiu da frente do seu pai que a olhou esquisito, mas logo deixou pra lá, afinal ela era uma adolescente.

Enquanto na casa de Sasuke, ele também tava arrumado, vestia uma blusa de banda de rock, bermudão jeans, e nos seus pés, estão seus tênis, ele colocou seu boné virado pra trás na cabeça e disse se olhando no espelho:

— Segue o conselho da sua mãe, moleque, fala logo o que você sente.

 Ele saiu do quarto e deu de cara com sua mãe:

— Esqueceu que está de castigo?

— Marquei com a Sakura, lá no casarão.

Mikoto o olhou zangada, e ele disse:

— Qual é mãe? Me deixa ir, por favor.

— Vai se declarar?

— Vou tentar.

— Então vai menino, e boa sorte e juízo.

Enquanto Sasuke pegava seu skate no chão, Mikoto falou pra si mesma:

— Quem diria hein? Tá ficando velha... Seu filho mais velho fazendo faculdade e quase casando e o mais novo descobrindo o amor. – Ela sorriu e depois voltou pra cozinha.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...