História Paralelo da T-616 (D-S16) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias X-Men
Personagens Erik Lehnsherr (Magneto), James "Logan" Howlett (Wolverine), Kurt Wagner (Noturno), Pietro Maximoff (Mercúrio), Professor Charles Xavier
Visualizações 15
Palavras 1.590
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Drogas, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse é o segundo capítulo, e, escrevi ele com um toque um tanto cômico, com um acontecimento meio fora do clima que eu normalmente escrevo as histórias, e isso por conta de um "meme" envolvendo o Wolverine que sempre me faz rir muito. Juro que é pra rir só esse capítulo mesmo... Espero que gostem!

Aah, e novamente dou crédito a minha companheira por tudo, é isso <3. [Lula's voice]

Capítulo 2 - O Banquete de Austenitização


Fanfic / Fanfiction Paralelo da T-616 (D-S16) - Capítulo 2 - O Banquete de Austenitização

Na chegada do grande banquete, e do seu confidente amigo Peter, Kurt se arrumou agora como nunca, ele queria surpreender Peter. Vestiu uma blusa prata de mangas compridas com uma calça jeans azul meio folgada, cinto de couro claro e tênis all-star, esperando que Peter notasse.

Peter chegou com Erik, parecendo estar normal depois de uma tarde inteira conversando com o pai, não parecia que eles voltavam de uma longa tarde conversando o tal assunto delicado.

- Filho, ainda essa noite você me dá sua resposta?

- Vou pensar, pai...

Os dois estavam no corredor e logo viram Xavier, que estava se aproximando em sua cadeira de rodas, que aliás, estava sendo empurrada por Hank, o chef do banquete de hoje.

- Erik! Peter! Venham! Hoje será uma noite especial.

- Por que, Xavier?

- É o aniversário da chegada de Kurt na instituição

Peter sorriu quando Xavier disse isso.

- E hoje a tempestade voltará.

- Você viu em qual canal?

- Peter! Pelo amor de Deus... Ororo voltará!

- Aaah, a tempestade do instituto... Hehe.

- Ela está voltando de Chicago, talvez com o sobrinho dela.

- Ele é um mutante? - Erik interrompeu a conversa entre Xavier e Peter.

- Sim, Erik, porém ele descobriu isso recentemente e nem ao menos quer aceitar a condição.

Uma voz vinda do além disse com um ar empático "Que pena..."; Era Kurt, que acabara de se teletransportar, escorado na parede do corredor olhou para todos ali.

- Oi, Kurt! Voltei no horário. - Peter sorriu tímido.

- Talvez o garoto não queira vir para cá, ele mora no subúrbio de Chicago e é filho de dois civis não-mutantes, simplesmente muito envolvidos com o garoto e com a cidade.

- Qual o nome dele?.

- Evan Daniels.

"Por que estão falando do meu sobrinho?". Disse tempestade encostada na porta da instituição.

- Ororo! Que bom ter você aqui de volta! - disse Xavier entusiasmado.

- Muito legal esse clima aqui, tá até nostálgico... Mas... O que a gente vai comer? Eu estou morrendo de fome.

Hank olhou "virado" para Peter e disse o prato que preparara, sem nenhum ânimo.

- Peru, Peter...

- Oba! - Peter cortou todo o clima nostálgico que acabou de mencionar enquanto levantava os braços comemorando o que iria comer.

- Vamos conversar na mesa, todos nós. - disse Erik com muita seriedade, como se nada tivesse acontecido.

A sala de jantar especial de Xavier estava repleta de velas que lembravam a Inglaterra Vitoriana, uma mesa de madeira escura e muito comprida de aproximadamente 4 metros chamava muita atenção por lá, e acima dela estava um grande lustre, que era simplesmente esplêndido; estava servido na mesa o Peru, molho, arroz e outros condimentos, com vários pratos à frente de cada assento.

- Onde está o Logan? - perguntou Xavier.

- Ele foi fazer uma pequena patrulha pelo instituto, Xavier. Por conta de ontem...

- Aah...

Peter acabou sabendo do acontecido quando saiu de tarde com o seu pai, os únicos na sala inteira que não sabiam desse mistério eram justamente Kurt e Ororo.

- O que aconteceu, Xavier?

- Depois conto a você, Ororo. Os meninos não podem saber.

Nesse momento Peter sentiu um nó em seu pescoço, e teve vontade de correr dali para respirar, mas se conteve.

- Você está bem, Peter? - Kurt percebeu sua inquietação.

Peter apenas fez um sinal com a cabeça, respondendo que "sim".

Logan finalmente aparece para o jantar, e sentou-se junto com todos para comer o banquete. Ele apareceu sem dizer um "Olá" para ninguém, nem mesmo para Ororo.

- Logan, de onde você veio?

- Canadá

- Ah... Seu ignorante, o que aconteceu com você? Viu o diabo lá fora? - Ororo se irritou com a audácia de Logan.

- Não, Ororo. E eu vim de uma passeada fora do instituto, fui ver se estava tudo bem.

- Aham, sei. Eu mal chego aqui e esse clima consome todos vocês? O que diabos está acontecendo?

Peter fica desesperado com a situação. O tempo parece parar, e ele corre para cadeira de Kurt, puxa ele pelo braço e corre com ele até a porta do instituto, sem ninguém ter um cérebro rápido o bastante para perceber o que estava acontecendo.

- O que foi, Peter?

- Você precisa saber o que eles estão tentando esconder.

- O que é?

Quando Peter foi falar, Kurt sente sua visão ficar turva, o som começa a sumir de sua mente, Peter não estava falando nada.........

Ele leva um susto e se vê novamente na mesa, com todos absolutamente quietos, como se nada tivesse acontecido. Ninguém ainda havia começado a cortar o Peru e comer, parecia que eles acabaram de se sentar lá, sem ter brigado sobre nada.

Logan se levanta da cadeira e logo puxa a coxa esquerda do Peru, rindo como se a sua fome fosse motivo de gracinhas.

- Logan, acho melhor você não comer essa coxa. Deixei ela para mim. - disse Hank, o cozinheiro da noite.

- Silêncio, Hank. Eu como o que eu quiser - Logan não disse mais nada, pois já estava mastigando a coxa, e de boca aberta.

Kurt ficou muito confuso com tudo aquilo, mas disse para si mesmo que foi só uma alucinação, que era melhor esquecer.

Estava um clima estranho entre Peter e Erik, ambos se encaravam. Peter olhava como uma criança aborrecida, assustada... E Erik como um pai convicto do que acabara de fazer, mas só Deus sabe o que aconteceu.

Todos estavam comendo, pareciam pessoas completamente normais; até que o clima eufórico voltou, e novamente, por culpa de Logan.

- Arrgh, Arrgh. Grr.

- Logan? O que isso? - perguntou Xavier.

Todos voltaram o olhar pra ele em um tom de denuncia, como se ele estivesse incomodando a todos; exceto Hank, que começou a rir com a mão no queixo

- Hank? O que tem nessa comida? - Xavier jogou os pratos na mesa com a língua de fora.

- Calma, Xavier. É só com o Logan, eu disse pra que ele não pegasse justamente aquela coxa esquerda por conta dos meus remédios que coloquei nela. Calma... Se fosse um ser humano normal ele já estaria morrendo por conta do ácido, no caso do Logan só acho que ele ficará alucinado. Pode ser interessante ver a reação do fator de cura dele nos meus remédios...

Logan estava suando, com os olhos arregalados e rosto retraído, louco como um porco prestes a ser abatido. Ele se vira para todos na mesa, com o olhar assustadoramente alucinado e fala:

- "EU VO MATA O MAGNETICO KKK"

Ele automaticamente pula na direção de Erik, que com os talheres da mesa atira todos eles em direção a Logan, em alta velocidade.

Logan cai machucado pelos disparos e quebra a mesa no meio com a sua queda. Toda a comida, pratos e condimentos voaram pra cima, caindo a maioria em Logan.

Peter e Kurt estavam estáticos, sem saber o que fazer naquela situação bizarra.

Logan se levanta com os garfos e facas encravados nos ombros, peito e barriga, e com as garras armadas tenta acertar Erik.

Nessa hora, Hank o impede e joga Logan fortemente contra a parede. Xavier tentava entrar na mente de Logan para impedí-lo, porém os remédios de Hank deixaram a mente dele um labirinto do tamanho da América.

Logan por fim levanta, regenerando-se da sequência de golpes e tiros, que, incrivelmente intensificaram sua raiva ao extremo.

Logan corre na direção de Erik com a fúria de um soldado ciente de que dará seu último grito de guerra antes de morrer. Ele pula com as garras na direção de Erik, como um míssil de ódio.

Erik pensa rápido como o filho, e levita o disco de metal que carregava o banquete em sua direção, e girou ele sendo sua única forma de deter Logan.

O míssil contra o disco teve um resultado fisicamente "impossível". Logan foi atingido na barriga antes de chegar até Erik, com muito impacto foi empurrado pelo disco (guiado por Erik) até o gigantesco lustre, que quebrou e caiu junto com Logan.

O lustre era colossal, àquela altura ele iria atingir todos na sala de jantar. A situação alarmante aguçou os sentidos de Peter, que observou Hank pulando na direção da cadeira de Xavier para empurrá-lo ao corredor, em segurança. Viu Kurt segurando na mão de Ororo e se teletransportando para o corredor, a velocidade com que Kurt se teletransportava através da dimensão de enxofre fazia Peter se sentir uma lesma, que não conseguia acompanhar nada além da fumaça deixada pelo "salto" de Kurt, era algo inperceptível até mesmo para o cérebro acelerado de Peter, será que um dia ele acompanhará o salto? Voltando à situação, Peter viu seu pai tentando levitar o enorme lustre que estava prestes a desabar nele, com Logan desmaiado e caindo junto; antes disso acontecer, Peter corre até o seu pai e o leva em segurança para o corredor, ele também conduz a direção para onde a cadeira de Xavier seria empurrada, porque do ângulo em que Hank o lançou parecia que Xavier bateria de frente com a parede. Peter deixa seu pai no corredor para depois tentar puxar Hank, porém, ele chegou meio atrasado, e viu Hank pulando para fora do instituto, pela janela, coisa que Peter apenas ajudou dando um empurrão a mais nas costas de Hank.

O tempo voltou para velocidade normal e todos só se depararam com o estrondo do lustre e o barulho da janela se despedaçando com Hank.

- Mas que merda - disse Erik.

- Eu vou levar os meninos para Chicago, vou ver se eles convencem o meu sobrinho a vir pra cá, mas, depois desse banquete acho que dou até motivo pra ele preferir Chicago.

- Hank! - gritou Xavier.

- Meninos, arrumem-se. Amanhã de manhã pegaremos um ônibus pra Chicago. - disse Ororo completamente desapontada com os amigos.

Peter e Kurt olharam um para o outro, e riram da situação.


Notas Finais


É issoooo! O foco era fazer um capítulo mais distraído e consegui. Sobre o título dele, "Austenitização" faz parte de um dos processos de têmpera dos metais, pra que se possa fazer qualquer coisa nele. Na austenitização o foco é atingir a temperatura crítica do metal, onde os spins dele param de girar (sim, o spin realmente existe, não é algo teórico) e o magnetismo do metal se perde momentaneamente. Não posso dizer mais do que isso... Com o tempo vocês irão ver.


Obrigado VOCÊ que leu até aqui szsz. Qualquer crítica construtiva ou sugestão será aceita aqui, é isto. Xau!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...