1. Spirit Fanfics >
  2. Parallel Line (Tzukook) (Bangtwice) >
  3. Capítulo 6 - This Prince is Mine!

História Parallel Line (Tzukook) (Bangtwice) - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite a todos! Espero que estejam bem! Desculpem pela demora para postar o capítulo mas eu realmente não tenho tido tempo suficiente para escrever pois a inspiração só existe de noite e por vezes se torna tarde demais para escrever. Depois tem as provas e ainda por cima, meu pé está torcido, e por isso ando de moletas agora, pode demorar ara recuperar e as consultas no médico também consumem bastante tempo que poderia usar para escrever. Para compensar trouxe um capítulo bem mais longo! Espero que não adormeça a meio e que continuam a gostar da minha história e a comentar! Beijos e boa leitura! (quanto à capa do capitulo, não tive tempo de fazer uma, mas logo que consiga eu mudo ok?!)

Capítulo 12 - Capítulo 6 - This Prince is Mine!


Fanfic / Fanfiction Parallel Line (Tzukook) (Bangtwice) - Capítulo 12 - Capítulo 6 - This Prince is Mine!

No último capítulo de Parallel Line…

~°De repente, me tirando dos meus pensamentos, Jungkook me abraça apertado, deixando sua cabeça pousada sobre meu ombro e mais uma vez, estava eu fazendo carinhos nos seus claros e lisos cabelos castanhos. Eu não me atrevia a falar. Eu sei que nesse momento posso não significar nada para ele mas eu simplesmente queria que aquele momento não terminasse.

 

Seria possível o tempo parar para nós dois?

 

Jungkook POV

 

Ela ainda não sabe mas…Tzuyu…

 

Você significa tudo para mim°~

 

~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°

 

Depois daquele dia cheio de emoção no parque de diversões juntamente com os seus novos amigos, Taehyung e Sana, Jungkook e Tzuyu decidem voltar para casa, afinal amanhã Tzuyu teria mais um dia de aulas e ela não era menina de faltar.

O caminho para casa não era longo, mas mesmo assim, o clima de silêncio entre os dois fazia com que uns dois quilômetros se tornassem em três dias de viagem intensivos pelo deserto do Sara. Terá sido por causa do abraço? A verdade é que nenhum dos dois tinha achado o momento embaraçoso, apenas existia um nó na garganta de cada um deles que os impedia de falar seja o que fosse. Tzuyu, já farta e talvez entediada de não ver o seu Jungkook hiperativo, decide desfazer o nervosismo que se formava dentro dela e perguntar:

‘’Jungkook-ah, você não comeu nada durante a tarde toda… não está com fome?” – talvez o garoto estivesse com vergonha de pedir ou de falar que tinha fome, já que, não poderia utilizar as suas jóias para pagar um simples lanchinho, e desde que chegou nesse novo mundo não teve a oportunidade de pagar seja o que fosse, nem para ele, nem para a sua princesa, que cuidou dele desde a sua chegada.

‘’N-não, não é preciso Tzuyu-ah!” – mentira. Sua barriga estava fazendo barulhinhos esquisitos que pareciam pequenos monstrinhos a falar ‘’alimentem-me, alimentem-me”. Bom, talvez a parte dos monstrinhos falarem não seja verdade, mas os barulhos definitivamente existiam! Mas Jungkook tinha uma das melhores educações que alguém poderia ter, senão a melhor, afinal era príncipe, desde pequeno que fora ensinado a ser um cavalheiro, principalmente para as meninas. Ele não queria que a princesa que o acolheu gastasse ainda mais dinheiro com ele do que aquilo que já gastou!

‘’Porque está mentindo para mim, Jungkook? Sua barriga está praticamente berrando que você tem fome! Porque é que você não pediu?” – Tzuyu faz um biquinho com a boca, tentando parecer brava com ele, o que não resultou de maneira nenhuma.

‘’Isso é suposto ser uma cara brava? É que não parece nada princesa!”

‘’Está duvidando que eu estou brava com você?! Acabou de perder a sua comida!” – Tzuyu podia jurar que viu o garoto fazer uma expressão com se tivesse visto um fantasma. O pobrezinho está morrendo de fome…

‘’Não seja um bobinho e peça quando tem fome…pabo.” – fala Tzuyu enquanto pega na mão de Jungkook e o leva para uma banquinha de sorvetes que se encontrava a mais ao menos a meio do caminho para casa.

‘’Mas eu não posso deixar você gastar mais dinheiro comigo, quando eu não posso retribuir! É falta de educação da minha parte!” -Jungkook olha meio preocupado a garota.

‘’Não se preocupe oppa, eu estou gastando esse dinheiro com você porque eu mesma quero. Que eu saiba você não me está obrigando a pagar, ou está? A sério que não tem problema nenhum! ‘’

‘’Tem certeza?” – pergunta o garoto ainda meio inseguro.

‘’Claro que tenho! Afinal, eu tenho que o alimentar né? Meu príncipe não pode morrer à fome! Aliás, o Mister Kookie concorda plenamente comigo!” – fala Tzuyu levantando a sua pelúcia e rindo.

"Bom… então uma condição! Um dia me deixa retribuir os favores que está a fazer por mim nesse momento! Combinados?” – estende o seu mindinho na direção da garota.

‘’Combinados!” – Tzuyu entrelaça o seu dedo, bem menor que o do mais velho, com o dele.

‘’Um dia te levo no meu reino!” – fala Jungkook animado.

‘’Sério?! Não acredito! Que sonho!” – fala Tzuyu literalmente pulando de alegria.

‘’Sim! Lhe vou apresentar a cidade, minha família, meus amigos, meu dragão de estimação, tudo!”

‘’Mal posso esperar por que esse dia finalmente chegue!’’

‘’Vai chegar, acredite em mim, sou um príncipe de palavra!”

Depois de a Tzuyu pagar pelos sorvetes, os dois continuaram a conversa animada até casa. Pelo caminho haviam piadas, risos, dancinhas bobas, o Jungkook a deixar cair o seu sorvete e quase começar a chorar o que fez com que a Tzuyu tivesse que dividir o dela, enfim, um percurso que duraria uns dez minutos no máximo se tornou em uma jornada de trinta minutos, o que fez com que pela hora que chegaram a casa, o céu já estivesse escuro e bem estrelado, onde apenas a lua e as pequenas lâmpadas que se situavam na rua da pequena casa de Tzuyu, iluminavam aquela noite.

 

Tzuyu POV

Chegando na porta de minha casa, tiro as chaves da minha mala, logo a abrindo e deixando espaço para o Jungkook entrar.

‘’O que vamos fazer amanhã Tzuyu-ah??” – fala Jungkook animado, se sentando no sofá da sala, esperando uma resposta.

‘’Jungkook-ah, amanhã eu tenho escola, não poderei ficar com você em casa.” – falo me sentindo meio desanimada por o deixar sozinho mais uma vez. Mas o que poderia eu fazer?! Jungkook ainda não tinha feito a sua audição por isso não poderia entrar na escola tal como tinha falado para a Sana.

‘’Mas amanhã eu também vou para a escola né? Tal como a Sana!”

‘’Jungkook, você ainda não fez sua audição, ainda não pode estudar na minha escola!”

‘’Mas eu nunca fiz uma audição! Não sei aquilo que tenho que fazer!” – fala ele com uma biquinho triste.

‘’Não se preocupe, eu o vou ajudar em tudo aquilo que conseguir! Primeiro, você tem alguma experiência dançando ou cantando?’’

‘’Não.” - responde ele me olhando.

‘’Bom… então vai ter que aprender se quer ser aceite na escola!”

‘’Prometo me esforçar!”

‘’Primeiro vamos escolher uma música para você cantar!” – pego em meu celular, coloco em minha playlist e o coloco nas mãos de Jungkook, que fica meio confuso. ‘’Basta tocar no nome da música que quer ouvir! Eu vou tomar um banho e enquanto isso tente achar uma música que goste! Aí treinamos juntos e depois só tema que fazer uma coreografia!”

‘’Tá bom Tzuyu-ah!” – fala o garoto começando a deslizar os dedos pelo ecrã do celular, procurando a música elegida.

Subo em direção ao banheiro de meu quarto, pego uma toalha e após uns minutinhos entro na água quentinha e relaxante que quase me fez adormecer (ou quase afogar). Passados uns minutos, saio do banheiro, enrolada em minha toalha cor de rosa, em direção ao meu quarto para vestir roupas mais confortáveis para dormir. Mal saio do banheiro…

‘’JUNGKOOK! O QUE VOCÊ TÁ FAZENDO AQUI?!” – falo alto, ao encontrar o garoto que eu achava estar na sala pensando em uma música , deitado em minha cama como se fosse tudo dele. Bem, na verdade aquilo era dele de uma maneira simbólica mas ninguém perguntou.

‘’B-bem, eu escolhi a música e queria vir aqui falar qual era pra você, mas vi que você ainda estava tomando banho por isso decidi esperar por você…” -fala o pobre príncipe obviamente atrapalhado com a situação em que se encontrava, afinal, me achar enrolada em uma toalha não me parecia ser parte do plano do garoto.

‘’B-bom…não tem mal! Mas agora vá para a sala que eu preciso de me vestir! Depois tratamos da sua atuação!” – tento acabar com aquela situação de constrangimento, afinal eu ainda me encontrava apenas de toalha na frente de Jungkook. O mesmo se levanta e se dirige até à porta onde consigo enxergar as suas bochechas tingidas num tom rosadinho. Eu até diria que era fofo se minha cabeça conseguisse pensar direito depois daquela situação.

Me troco para o meu incrivelmente confortável pijama de coelhinho e me dirijo para a sala onde Jungkook me deveria estar esperando.

‘’Já voltei Kookie!” -falo sorrindo e andando até ao sofá onde o mesmo se encontrava sentado a escutar música, parecendo nem notar minha presença e estar no seu mundinho paralelo da Terra do Açúcar.

‘’T-tzuyu-ah! Me desculpe, eu juro que não queria fazer aquilo, foi sem querer!” – fala Jungkook meio nervoso tentando se desculpar.

‘’Não se preocupe com isso oppa! Isso não importa agora, eu sei que foi sem querer! Vamos nos concentrar na sua audição! – tento o animar.

‘’C-certo!” – responde ele um pouco mais descontraído.

‘’Então, que música escolheu para cantar?” – falo enquanto me sento do seu lado olhando a tela do celular.

‘’Eu escolhi essa aqui!” – o garoto clica no nome da música e logo a ‘’We don’t talo anymore” começa a tocar.

‘’E amo essa música, é uma de minhas favoritas! Boa escolha Jungkook!”

‘’Gomawo!” -agradece ele mostrando os seus destinos de coelho.

‘’Agora, o que você tem que fazer é decorar a letra da música, mas não está um “decorar” normal! Você tem que sentir a música com o coração, tem que se imaginar que é o único na sala a cantar!”

‘’Mas como que eu faço isso Tzuyu-ah? Eu nunca cante em minha vida!” – pergunta meio confuso.

‘’Acredite em mim Kookie, você vai perceber!”

Ele me olha meio desconfiado mas acaba por assentir e começar a ler a letra da música.

 

°~Umas horas mais tarde~°

 

Autorinha POV

Jungkook e Tzuyu já estavam a treinar faz algumas horas, nesse momento já era meia noite, e eles? Estavam tão acordados e animados como mais cedo no parque de diversões! Nem se tinham preocupado em ter um jantar decente, já que acharam os snacks e guloseimas que Tzuyu escondia em seu armário da cozinha, que serviu muito bem de refeição para os dois. Outra coisa que não se tinham preocupado: o facto de que Tzuyu tem aulas bem cedo no dia seguinte. Mas naquele momento nenhum dos dois se importava. Apenas estavam ali cantando, dançando, ou pelo menos tentando e a possivelmente endurecer os vizinhos que mesmo com os ouvidos tapados conseguiriam ouvir a barulheira.

‘’Princesa, você não se devia deitar?’’ – pergunta Jungkook olhando o relógio que estava preso em uma das paredes da sala onde os mesmos estavam a praticar.

‘’Bom… talvez seja melhor, mas não o quero deixar a praticar sozinho!” – responde ela, se sentindo meio desanimada por ter que deixar a diversão para dormir para um aborrecido dis de aulas em uma segunda-feira.

‘’Não tem mal! Acho que por hoje já chega não? A minha audição não pode ser feita amanhã porque não me registei né? Por isso o melhor que se pode fazer é falar com a pessoa responsável amanhã!’’ – sorri Jungkook.

‘’Certo! Amanhã falo com o diretor! Mas… você vai ter que vir comigo oppa!” – explica Tzuyu.

‘’Khe?! Porquê?!” – perguñta Jungkook incrédulo com um rosto muito dramático, digno de filme.

‘’Porque é VOCÊ que vai fazer a audição e por isso VOCÊ tem que se inscrever! Prometo estar lá para ajudar você, mas o diretor terá que lhe fazer algumas perguntas e eu penso que não me consigo fazer passar por você não acha?” – fala a garota já se dirigindo para o quarto seguida por Jungkook.

‘’B-bem…suponho que você tem razão. Mas eu nem sei onde sua escola é! Isso aqui é muito estranho, lá em Tristain que vem ter connosco são os professores, eu nem tinha eu sair do palácio!” – explica Jungkook.

‘’Mas isso deve ser um tédio maior do que a idade do professor de História! Como que você aguentava?!” – pergunta a garota espantada enquanto se senta na sua cama.

‘’Eu era ensinado em casa, mas a verdade é que mesmo que andasse em uma escola normal não poderia conviver com os outros já que sou da família real. Minha mãe está totalmente de acordo com minhas escolhas e gostaria que eu tivesse a oportunidade de conhecer novas pessoas e fazer novos amigos já que desde sempre que sou muito tímido… mas meu pai é o grande problema. Ele me obrigava a estudar em casa, com um professor privado, todos os dias de manhã, sem conviver com ninguém! Era horrível! A única parte interessante eram mesmo as aulas de magia, isso sim era fantástico! O único problema é que não tinha nenhum amigo com quem compartilhar aquela diversão!” – fala o garoto meio cabisbaixo devido às suas experiências se sentando do lado de Tzuyu.

‘’É por isso que você quer ficar cá? Para conhecer coisas novas?” – pergunta Tzuyu curiosa.

‘’Eu quero conhecer as coisas para lá do espelho! Eu não sei o que aquilo que eu fiz fará com meu reino mas eu acredito que fiz isso porque meu destino estava traçado para isso acontecer e não há nada nem ninguém que o poderia impedir. Provavelmente essa foi também a razão que levou minha mãe a confiar em mim, ela sempre acreditou em mim e prefere me deixar fazer algo errado e que eu aprenda com meu erro do que eu me arrependa para sempre!” – fala Jungkook se deitando do lado de Tzuyu, que já estava deitada, e a abraçando de lado.

‘’Você considera isso um erro?” – pergunta a menina receosa.

‘’De maneira nenhuma!” – sorri fofo, arrancando uma risada da mais nova e logo os dois acabaram dormindo.

 

°~Enquanto isso, em Tristain~°

 

Já se tinha passado quase um mês desde que Jungkook tinha deixado a sua Terra Natal para se descobrir a si mesmo. É claro  que, como sempre, o seu pai, mesmo depois de uma conversa longa com a esposa, não concordava com as ações do jovem príncipe mas, felizmente para todos, tanto a mãe de Jungkook como a sua irmã mais nova, que também estava dentro da situação convenceram-no que aquela decisão foi a melhor. Sinceramente, Jeon Ah Rin (para quem não sabe, mãe de Jungkook) já sonhava há muito poder quebrar a barreira que existia entre os dois mundos paralelos mas faltava-lhe a coragem que um certo príncipe veio a ter depois dela. O único problema é que, o facto de Jungkook ter partido, não fez com que deixasse de pertencer à família real, ou seja, tecnicamente o jovem príncipe continuava a ser o herdeiro ao trono já que não tinha nenhum irmão mais velho e de acordo com as leis, um rei não é nada sem a sua rainha, e no entanto, Jungkook não tinha a sua, não tinha como governar Tristain. Por esse mesmo motivo, o pai de Jungkook decidiu arranjar uma cerimónia de casamento com uma das princesas de um dos reinos circundantes da capital, Lee Ji Eun. E como a vida do príncipe não é nada sem problemas, vamos acrescentar mais um, Ji Eun é a princesa do reino Duskior, que por outras palavras é, o reino inimigo de Tristain. A princesa era lindíssima, longos cabelos negros e olhos da mesma cor, faziam qualquer homem apaixonar-se instantaneamente, mesmo sem tentar, mas não Jungkook. O garoto não podia negar, a princesa era deveras bonita, mas o príncipe não se sentia de maneira nenhuma atraído por ela. Talvez parte fosse pelo medo e insegurança que o reino vizinho proporcionava, ou talvez pela sua atitude pouco humilde perante os mais pobres ou que a admiravam. Ela simplesmente não era a tal e Jungkook negava-se completamente àquele casamento. Bom… acontece que a cerimónia estava agendada para exatamente daqui a uma semana , no entanto, até à data, a família real de Duskior tinha proposto uma enorme quantidade de jantares, reuniões ou até mesmo encontros para que Jungkook e a princesa se pudessem conhecer melhor. Para Ji Eun  isso não seria um problema já que a mesma não conseguia conter a sua felicidade sempre que estava perto do príncipe, muito menos quando soube que se iria casar com aquele quase deus grego, coisa que definitivamente não acontecia com Jungkook. Continuando… todas as propostas foram nevadas pela família real de Trostain, sempre com uma desculpa diferente: Jungkook não se está sentindo bem, ele está estudando para uma prova importante, está em uma missão bem longe daqui, está treinando com os soldados… até que um dia, a paciência do reino de Duskior se esgotou.

Era uma manhã de domingo ensolarada, os pássaros cantavam, era possível ouvirem-se as gargalhadas das crianças que saíram de suas casas após o almoço para aproveitarem aquele dia com os amigos… enfim, um dia bastante agradável. O appa de Jungkook encontrava-se no escritório majestoso, tentando achar a solução para o casamento do seu filho com a princesa enquanto que a rainha Ah Rin estava no alpendre da enome janela do seu quarto avistando as boas vibrações daquele dia, que não tardaram a se tornar em sons ásperos e fortes dos cascos dos cavalos que os Cavaleiros vestidos de negro montavam. Ao longe era possível ver uma carruagem também em tons escuros e sombrios que só poderia significar uma coisa…

A rainha se dirigiu para o escritório do seu marido e lhe contou a situação. Com certeza a família de Duskior queria, ou melhor, exigia explicações que explicitariam o facto de o seu filho estar constantemente ausente tanto nas reuniões dos dois reinos, como nas próprias celebrações de ocasiões especiais.

Min Jun e Ah Rin saíram do escritório para receberem a família real nas grandes portas do palácio majestoso, mas para sua surpresa, na carruagem apenas se encontrava Ji Eun e o seu pai, rei de Duskior.

‘’Meus caros companheiros, a que devo a sua inesperada visita?’’ – pergunta Min Jun o mais acolhedor possível de maneira a não piorar uma situação que não precisa de ser piorada.

‘’Nada de mais… apenas tenho alguns assuntos para tratar aqui com o meu velho amigo” – responde o rei.

Ji Eun e Ha-Neul se afastam dos dois reis e se sentam em uma mesa na grandiosa sal de jantar da família Jeon para colocar a conversa em dia, coisa que não agradava nem um pouco a mais nova, que partilhava a mesma opinião que o irmão no que toca a Ji Eun.

‘’Então… como tem estado o meu Jungkook?” – fala Ji Eun com uma voz irritante e esganiçada.

‘’Bem…o meu mano tem estado bem eu acho, ele apenas tem estado bem ocupado com o estudo e as missões! Já agora, ele me pediu para falar para você não se preocupar com ele e que está tudo ótimo!” – mente a garota na tentativa de não prolongar a conversa mais do que aquilo que seria necessário.

‘’Que bom saber disso…e onde ele está agora?” – insiste a princesa mais velha.

‘’Na verdade, ele saiu hoje de manhã bem cedo em missão com alguns dos guardas e soldados do palácio. Desculpe mas não sei dar pormenores em relação à missão...” – continua ela.

‘’É uma pena eu ele não esteja aqui…” – muda ò se tom de voz para um frio e severo- “Mas sabe que mais? Não precisa fingir. Porque é que acha que eu e meu pai estamos aqui, para cumprimentar? Eu não Caio mais nesses esquemazinhos que a sua família anda a tramar, nem eu, nem meu pai, e se o Jungkook não aparecer, todo o seu reino sofrerá as consequências! Entendido? Se eu não posso ter o Jungkook, mais ninguém pode!” – e cm isso se levanta da mesa fazendo barulho provavelmente ara dar espetáculo e deixando a pequena garota confusa e de certa maneira assustada. O que é que iria acontecer?

No escritório…

‘’Bom… como você sabe o casamento entre o jovem príncipe Jungkook e minha filha está agendado para daqui a uma semana mas infelizmente, o mesmo ainda não pode comparecer a nenhum dos encontros que marcamos, isso se deve a alguma razão em particular Min Jun?” – pergunta ö rei de Duskior.

‘’Meu filho ultimamente tem estado muito ocupado com a escola e as missões com os soldados, o tempo e escasso quando se quer melhorar em todos os aspetos!” – dá uma risada fraca como sinal de nervosismo até ser interrompido pelas mãos do rende Duskior segurando forte a gola de sua camisa, o puxando para cima.

‘’Não ouse mentir para mim! Eu sei muito bem que sua família está protegendo seu filho, mas eu falo já! Não tem maneira de o protegerem agora! Eu o vou encontrar, nem que seja a última coisa que eu faça! Seu filho não está seguro, ninguém do seu reino está! Nem ouse faltar no casamento de minha filha! Se Jungkook não aparecer, toda a sua nação sofrerá as consequências!” – com isso larga bruscamente Min Jun na cadeira do escritório e fecha a porta enraivecido fazendo um estrondo ao sair.

A família real tinha um problema em mãos, um problema que sem a ajuda de Jungkook seria impossível resolver.

~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°

Não tardou para que os malvados pai e filha deixassem o palácio de Tristain rumo a Duskior sem mais explicações, e foi assim que a família Jean decidiu que finalmente era hora de discutir o assunto.

‘’A-appa…omma…eu não quero que nada de mal suceda para o Jungkook, por favor protejam ele...” – fala a pobre menina chorando, abraçada aos pais, preocupada com o irmão que poderia correr mais perigo que qualquer um deles.

‘’E-eu sinto muito filha… eu não devia ter agido assim com o Jungkook…eu devia ter sido um melhor pai…” – fala Min Jun, não só devastado com a notícia mas também apercebido dos erros que cometera, ao menos, ele os tinha assumido e como pai, como rei, tentaria remedi-los nem que seja a última coisa que faça.

‘’Não vale a pena chorar pelo leite derramado. A nossa prioridade é proteger o Jungkook, e é exatamente isso que vamos fazer.” – a voz calma de Ah Rin, encontrava-se em um tom sério, obviamente estava preocupada.

‘’E como vamos fazer isso omma?” – pergunta Ha-neul levantando o rosto.

‘’Não temos outra escolha… temos que lhes pedir ajuda, afinal estão do mesmo lado que o Jungkook.” -explica a rainha.

‘’Você não está a dizer…? Vamos mesmo chamar eles?”

‘’É a única solução Min Jun, e afinal, são laços de longa data que nunca se irão desfazer, já fazem anos desde que não nos encontramos.”

‘’Eu não sei, Ah Rin…não gosto da ideia de os chamar para este problema, afinal eles são completamente inocentes e do nada vão ser arrastados para esta ‘’guerra”?” – pergunta o rei.

‘’É a nossa única opção! Eu tenho a certeza ué eles não nos vão virar as costas nesse momento.”

‘’Omma, appa, de quem exatamente é que estão a falar?” – pergunta a jovem Princesa.

‘’Estamos falando da família Chou, minha filha, uns velhos amigos da família real. Eles são de confiança, pode acreditar em nós e se nos decidirem ajudar, tudo correrá bem.” – explica o pai da menina e ela apenas assente.

 

Na casa da família Chou…

 

A Sra.Chou estava arrumando a grande e luxuriosa casa onde ela, juntamente com o marido viviam quando o espelho, que sempre carregava consigo começava a brilhar em tons de azul. ‘’Não acredito, não é possível.” Era aquilo que a mulher pensava enquanto que os seus olhos se enchiam de lágrimas ao ver o rosto familiar da sua melhor amiga de longa data que era ninguém mais que a rainha de Tristain, Ah Rin. Acontece que as duas mulheres se conheciam já há muitos anos, quando a Sra.Chou ainda vivia no outro lado, até que esta, aventureira destemida decidiu que queria passar fronteiras e conhecer o mundo para lá daquilo que via diariamente no seu trabalho como empregada no palácio real. Desde o seu primeiro dia de trabalho que se deu, até demasiado bem, com a rainha e desde então tinham sido ‘’inseparáveis” até a Sra.Chou deixar o espelho e conhecer a Terra onde se casou com o seu primeiro amor. No entanto, para não perderem contacto, cada uma possuía um espelho, tal e qual como o da jovem Tzuyu, espelho esse que mostrava o rosto da sua amada amiga perdida.

‘’A-ah… Ah Rin?” – pergunta Chou Ju He.

‘’Ju He! Eu não acredito! Finalmente nos vemos de novo!’’ – responde a rainha, já derramando algumas lágrimas assim com a outra mulher.

‘’Como estão as coisas por aí? O reino? O pequeno Jungkook?” – pergunta Ju He.

‘’Na verdade, essa foi a razão para a qual eu estou chamando você…”

‘’O que aconteceu?” – pergunta preocupada.

‘’Acontece que, o meu marido arranjou um casamento para Jungkook e a filha do rei e da rainha de Duskior mas o mesmo se recusava a casar e por isso fugiu… para o outro lado do espelho… por avor, eu estou desesperada! Me ajude a achar meu menino! Eu não sei onde ele possa estar! Tenho a certeza que não se encontra com você, porque aí você saberia, e eu não tenho conhecimento de mais ninguém que tenha um espelho que conecte nossos mundos! Por favor me ajude, eu suplico!” – fala a mãe de Jungkook em meio de prantos, ela estava desesperada.

‘’Não te preocupes, querida, eu te vou ajudar. Que eu saiba mais ninguém tem um espelho desses, exceto… minha filha Tzuyu, ela vive em Seul e lhe dei um espelho de recordação para não sentir falta de casa. Mas, ela não me faliu nada de o Jungkook estar com ela… eu vou apanhar um avião para Seul o mais rápido possível! Prometo dar notícias em breve! Eu te amo, fique bem, eu vou encontrar o Jungkook!” – se despedem uma da outra, apesar de Ah Rin se estar perguntando o que raio era um ‘’avião”.

~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~

Tzuyu POV

Escuto meu celular tocar como despertador, pela primeira vez na vida e tento agitar levemente Jungkook para o acordar mas o mesmo nem se mexe.

‘’Jungkook, acorde, eu tenho que ir para a escola! Eu tenho que mostrar o caminho pra você!” – explica Tzuyu, já que hoje seria o dia em que Jungkook agendará a sua audição com o diretor da escola, mas como o mesmo não sabia como lá chegar, Tzuyu decidiu que lhe mostraria o caminho logo de manhã, assim mais tarde ele poderia ir sozinho ter com ela.

‘’Não quero…” – fala Jungkook sonolento em um tom baixo.

‘’Sendo assim, não há audição para o Kookie e o Kookie não pode vir para a escola com a Tzu w vai ficar em casa sozinho para sempre!” – fala Tzuyu como se Jungkook se tratasse de uma criança, o que na realidade é verdade, Jungkook era um bebé grande.

‘’Tô indo” – fala o garoto se levantando e dirigindo para a cozinha na velocidade da luz.

Depois de tomarem o pequeno almoço, de tratarem das higiene e se vestirem, saíram de casa rumo à escola.

‘’A escola é bem pertinho, por isso não precisa de se preocupar! Tem que memorizar o caminho entendeu?’’ – Jungkook assinte e continua seguindo a garota até à escola, tentando achar pontos de referencia meio bobos como uma árvore torta, a casa do cão que parece malvado, a mini lagoa que na verdade é apenas uma pequena poça de água, enfim, coisas bobas.

Mal chegaram nos portões, os olhares imediatamente se dirigiram para um certo príncipe com ar de modelo, muito para o descontentamento de Tzuyu que já tinha mencionado que aquele príncipe era dela e somente dela.

‘’Jungkook! Oi! Primeiro dia de aulas hum?” – pergunta uma voz feminina que se vai aproximando que log se revela pertencer a Sana, que estava oficialmente no se primeiro dia de aulas.

‘’B-bem, na verdade ainda não! Ainda não fiz a audição mas acho que a vou fazer ainda essa semana!” – responde Jungkook nervoso.

‘’Seu malvado, você me enganou! Pensei que iríamos começar no mesmo dia a estudar!” – fala Sana com um biquinho.

‘’Tenho a certeza que eu disse bem, Sana, você deve ter percebido mal! Tem que estar mais atenta!” – o garoto disfarça a situação fazendo com que Tzuyu tivesse de fazer um grande esforço para segurar o riso.

‘’Talvez tenha razão, eu realmente sou muito esquecida! Nos vemos por aí Jungkook! E bom dia Tzuyu, tenha uma boa aula! Nos encontramos na hora de almoço?” – pergunta Sana entusiasmada como sempre.

‘’Claro, com todo o gosto, depois falo para a Momo se juntar a nós!” – Sana sai da beira de Tzuyu e Jungkook, e se dirige para a sua sala.

‘’Jungkook, se lembre, não fique nervoso, tenha atenção às horas e ao caminho e aqui tem as chaves de casa! Não as perca por nada desse mundo!” – avisa Tzuyu.

‘’Pode contar comigo! Boas aulas Princesa!” – acena ara a mesma que se encontrava um pouco corada devido ao apelido carinhoso ter sido mencionado no meio de todas aquelas garotas ciumentas que perguntavam ‘’Quem é aquele gato?” ‘’É o namorado daquela garota?” ‘’Que sortuda!” ‘’Ele parece um modelo!” ‘’Não queria que ele fosse embora!” entre muitas outras.

Tzuyu seguiu o seu caminho tentando ignorar os comentários das garotas e se dirigiu para a sua sala onde já se encontrava lá a sua melhor amiga Momo, tirando os materiais da mochila.

‘’E então, como correu o seu fim de semana?’’ – pergunta Tzuyu.

‘’Foi ótimo! E hoje o dia já começou fantástico!” – responde Momo energética.

‘’Sério? E então porquê?” -pergunta Tzuyu confusa com a animação da amiga.

‘’Eu achei isso!” – mostra um panfleto colorido que fala sobre um tal de ‘’grupo de cheerleaders”.

‘’Você quer participar?’’

‘’Se eu quero participar?! Nós duas VAMOS participar! Não aceito não como resposta!”

‘’E que tal nunca? Mas porque raio você quer fazer isso?!”

‘’Primeiro oque amo dançar, segundo porque podemos ver todos os garotos lindos do time de basquetebol!”

‘’Pensei que você era fiel ao Hoseok oppa!”

‘’Ele ESTÁ no time de basquetebol! Eu sou uma menina fiel, Tzuyu! Não ouse desconfiar de mim!”

‘’Nunca em minha vida!” – responde Tzuyu rindo.

‘’Na hora de almoço vou falar com a organizadora! Eu já falei com ela e, ela é um anjinho! Você vai amar ela!”

‘’A sua prima Sana me convidou a mim e a você para almoçar com ela! Porque não chamamos a Jihyo unnie também?” – propõe Tzuyu.

‘’Boa ideia! No intervalo vou falar com ela!”

No meio de tanta convers a e risadas, o professor de História chega, e apesar de o mesmo ser quase cego dos dois olhos, continua sendo perigoso tirar o celular durante a aula dele, e por isso, Tzuyu nem notou a mensagem de sua mãe que dizia:

 

~Estou indo ter com você em Seul, é importante.

Com muro amor, omma.~

 

Enquanto isso, Jungkook se lembrava de todos aqueles pontos de referencia bizarros, que, estranhamente, o fizeram chegar em casa são e salvo, abriu a porta e como não tinha nada para fazer, decidiu ensaiar a sua audição afinal, apesar de não ser hoje, ainda estava nervoso.

‘’Vai tudo dar certo, Jungkook! Você consegue!” – repetia para si mesmo várias vezes antes de continuar a sua coreografia.


Notas Finais


Obrigada por lerem e mais uma vez desculpem a demora exagerada, prometo tentar postar mais ativamente! Até ao próximo capítulo!! Beijinhos de chocolate!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...