História Paralyzed - MadaSaku - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Kakashi Hatake, Madara Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Yamato
Tags Madasaku
Visualizações 221
Palavras 4.531
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Festa, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem do capítulo! Amanha tentarei postar o outro!

Capítulo 25 - Ainda não é o baile


Fanfic / Fanfiction Paralyzed - MadaSaku - Capítulo 25 - Ainda não é o baile

Sakura

A quinta-feira foi um tédio, até dormi mais cedo, foi um saco ficar sozinha. Pensei que ao menos o meu pai iria esquecer essa birra e rivalidade toda para vir me ver, mas nem isso.

Ele não passa de uma criança grande todo irresponsável.

Bom, eu acabei de acordar, fiquei sentada alguns minutos na beira da cama apenas vegetando, um chinelo no chão nunca me chamou tanta atenção, que incrível.

Eu daria tudo para não precisar ir para a escola hoje, mas eu já tinha faltado segunda e terça então se eu faltar hoje o meu sensei arranca meus cabelos, se bem que eu imagino que ele tenha mais vontade de arrancar minhas roupas.

Tomei um banho para espantar a preguiça e passei meu creme preferido, hoje eu finalmente decidi quem seria meu acompanhante.

Alguns podem ficar bravos ou tristes, mas não tenho culpa se me sinto melhor ao lado do Kakashi.

Eu sei que deveria pensar muito no pedido do Neji, mas sei que sozinho ele não vai, de qualquer jeito ele é um homem perfeito e deve ter muitas garotas querendo ir com ele.

Quanto ao Minato é a mesma coisa, Itachi nem pensar e o Yamato nem deveria estar falando aquilo de verdade, mas mexeu muito comigo.

Eu deveria me preocupar sobre o Madara estar la? Nem um pouco, ele adora me comparar com a Izumi, quando insatisfeito faz questão de demonstrar e a brigar comigo, dificilmente me tratou como uma mulher de verdade por mais de 30 minutos.

Eu não tenho o porquê de estar me sentindo mal agora, talvez seja a dor de mais uma vez ter o coração partido, mas preciso deixar isso de lado, não quero estragar o dia que ainda nem começou.

Coloquei meu uniforme e coloquei a mochila nas costas, desci as escadas e encontrei meus avós na cozinha saboreando um delicioso café.

- Bom dia. – Falei aos dois e andei em volta da mesa depositando um beijo no rosto de cada um.

-Bom dia querida. – Respondeu meu avô.

- Bom dia docinho, já escolheu um par para amanhã à noite? –Minha avó perguntou sorridente.

Talvez ela esteja pensando que eu irei com o Madara, que ele é um amor comigo ou algo do tipo.

- Já arrumei sim, Kakashi Hatake. – Respondi normalmente e me sentei do outro lado da mesa.

- Hatake? O filho do canino branco? – Ela perguntou curiosa.

- Sim ele mesmo minha velha. Fico até triste por me lembrar 98 canino branco, ele era um bom homem. - Meu avô abaixou a cabeça.

- O que houve com o pai do Kakashi? – Perguntei curiosa.

- Ele se matou logo depois que a mulher morreu em um acidente, Kakashi vive sozinho desde criança. – Minha avó contou.

Ah nossa, parece que todos os homens de Konoha tem um passado triste, mas diferente do Madara o Kakashi parece ter uma cabeça muito boa, ele não é louco, não fica bravo quando as coisas não dão certo e leva a vida numa boa.

Agora compreendo perfeitamente a dor que ele mencionou, sobre as pessoas não nos conhecerem de verdade, e isso se aplica ao Madara também.

“Você sabe o que é a dor?”

Agora meu coração está apertado por causa dos dois, mas só acelera drasticamente por um.

- Nossa, que horror. – Comentei enquanto servia uma xicara de café.

- Achei que iria com o seu “amigo”. – Minha avó comentou, e eu entendi perfeitamente de quem ela estava falando, mas sem possibilidades e também ela não precisava saber dos acontecidos.

- Não, ele é só amigo. – Na verdade não sei nem se é amigo. – Ele deve ter alguma outra acompanhante. – Comentei enquanto mexia meu café com a colher, de repente aquele café saboroso parecia ter perdido todo o sentido.

- Bom, eu lamento muito então... – Respondeu ela fazendo uma carinha triste pra mim.

- Que amigo?- Perguntou meu avô querendo entender sobre quem estávamos falando.

- Um garoto da escola. – Menti. – Acho melhor eu ir, se não vou me atrasar. – Peguei a mochila do chão, eu havia soltado ela do meu lado.

- Mas você nem tomou café, e nem comeu nada, Sakura ultimamente você tem se alimentado mal, não te vejo jantar e nem comer algo pela manhã, eu nem sei se você almoça. – Ela comentou, ah parecia estar pegando no meu pé, mas eu entendo que era apenas preocupação.

- Não se preocupe se acontecer algo vocês serão os primeiros a saber. – Na verdade eu queria dizer “Se ficassem mais presentes saberiam exatamente o que se passa.” Mas eu não poderia dizer uma coisa dessas.

Segui meu caminho até a escola com meus fones de ouvido grudados em minhas orelhas, eu queria poder ficar usando-os o dia todo, mas eu tinha muitas coisas para resolver. E para a minha sorte meu primeiro alvo se encontrava parado no portão junto com a prima.

- Olá Neji. – O cumprimentei com um aceno. – Olá Hanabi, tudo bem com vocês? – Perguntei gentilmente.

- Hai Sakura-chan. – Ela respondeu sorridente.

- Melhor agora que você chegou. – Ele respondeu com um sorriso de canto.

- Bom, eu preciso falar com você sobre o baile. –Fiz uma carinha ruim.

- Ah entendi, ou você decidiu que não vai ou outro cara a convenceu de acompanha-lo. – O mesmo comentou cruzando os braços, mas sem desfazer o sorriso.

- Ah a segunda opção. – Coçei a nunca sem jeito.

- Imaginei, bom fico contente por você ir, espero ao menos poder dançar com a mais bela dama. – Dito isso ele pegou minha mão e fez com que eu “desse uma voltinha”.

- Obrigada por entender. – Sorri em agradecimento, meu rosto estava corado eu ainda não sabia lidar com elogios diretos assim.

- Tudo bem gatinha. – O mesmo respondeu.

- E você Hanabi conseguiu um par? – Perguntei curiosa, afinal ela é uma fofa.

- Convidei, mas ele disse que já tinha acompanhante. – Ela respondeu de cabeça baixa.

- Ah fica assim não, tenho certeza de que ele é um bobo. – A abracei rapidamente. – Você logo arruma outro. - Deixei um incentivo.

E pensando nisso eu deveria avisar logo ao Kakashi que iria com ele, afinal ele pode convidar alguma moça.

- Eu posso te levar Hanabi. – Neji comentou, seria um ótimo par, eles poderiam aproveitar a noite dançando, pois sei que lá dentro geral iria se desgrudar.

- Falando nisso vocês viram o Kakashi? – Perguntei olhando para os lados.

- Me deixa adivinhar, ele é o sortudo. – Droga o Neji parecia saber de tudo.

Corei um pouco e olhei para as minhas mãos, parecia até que eu estava apaixonada, mas eram apenas lembranças dele me chamando de gostosa, do beijo roubado na janela e aqueles amassos de terça a noite.

- Sim, ele mesmo. – Respondi sorridente, por um lado eu estava feliz de ir com ele.

- K-kashi-sensei? – Hanabi perguntou ficando vermelha do nada, será que ela viu alguma coisa?

- Sim, preciso falar com ele. – Respondi.

- B-biblioteca. – Ela respondeu novamente, mas também ficou de cabeça baixa, será que aconteceu alguma coisa?

Foi só falar do Kakashi que ela ficou meio assim, ah meu Deus e se ela viu alguma coisa?

Deixei-os sozinhos e corri para a biblioteca, precisava encontrar o Kakashi por lá.

Andei pelos primeiros corredores onde geralmente tem algumas pessoas, mas nada, olhei nas mesas perto da janela e também não estava lá, pensei em desistir quando ouvi algo caindo em um canto escuro.

Andei em passos lentos e pronta para correr a qualquer instante, eu sou formada em atividade paranormal, posso correr tão rápido que se o Cena estivesse vivo iria me aplaudir de pé, o Sonic iria me reverenciar como rainha e Flash me veneraria como uma deusa.

- Psiu. – Olhei para o lado e encontrei o dono da bagunça.

Tinha um livro jogado nos pés dele.

- Está se escondendo de quem? – Perguntei em um sussurro, pois eu não queria encontrar o Diretor e o Yamato aqui novamente.

- Vem cá. – Kakashi me chamou esticando a mão.

- Na verdade eu só vim falar sobre o baile. – Comentei e andei até ele, mas fiquei pelo menos dois passos de distancia, eu não sabia qual tipo de loucura ele poderia cometer, já havíamos nos beijado loucamente, mas agora estou cheia de perguntas.

- Está com medo? – Ele perguntou em um sussurro referindo-se a aproximação.

- Não, eu só não quero que as pessoas pensem algo errado. – Respondi rapidamente, não era meu rosto que estava ficando quente agora e sim a minha amiguinha lá em baixo.

- As pessoas sempre vão pensar coisas, mas nós dois já fizemos coisa pior, qual o problema em dar um beijinho na biblioteca? – Ele perguntou e estendeu a mão. – Vem Sakura, estou com muita vontade. – Ele comentou e passou a mão na região intima, estava muito excitado e o volume todo estava para o lado direito.

- Ah meu Deus Kakashi, não faz isso. Eu preciso conversar com você, sério! Vou estar te esperando nas mesas vem logo. – Sai de perto o deixando sozinho.

Sentei-me de frente para a janela e logo ele chegou trazendo um livro consigo, mas estava apenas escondendo o volume, e que belo volume com o auxilio do livro.

- Hanabi. – Falei o nome dela e ele me encarou estranhando como se eu soubesse de tudo o que houve com ele.

Kakashi sentou ao meu lado, ficamos de costas para a entrada e de frente para a janela.

- O que tem ela? – Perguntou.

- Vocês tem algo? – Perguntei curiosa.

- Não. – Ele respondeu.

- Você está dando em cima dela? – Perguntei novamente.

- Não. – Ele respondeu. – Por que essas perguntas? – Perguntou estranhando.

- Não é que estávamos falando sobre acompanhantes e eu disse que iria com você. – Comentei e então ele colocou as mãos no rosto.

- Ah isso me quebrou, acho que agora ela vai me odiar mais ainda. – Ele comentou ainda escondendo o rosto. – Mas você vai comigo? – Ele me encarou tirando as mãos do rosto novamente.

- Claro que vou com você, mas por que ela te odiaria? – Perguntei curiosa. – Vocês estavam de conversa já? – Perguntei mais curiosa ainda.

- Não, ainda ontem ela tinha me convidado, e eu disse que não iria com alunas. – Ah mas que desgraçado.

- MEU DEUS KAKASHI.- Dei um tapa nos braços dele. – CARA TO ME SENTINDO MUITO MAL. –Ah droga, ele deveria ter me falado isso.

- Ah qual é Sakura, tecnicamente você nem é minha aluna. – Ele comentou o obvio e passou o braço pelo meu ombro aproximando nossos corpos, consegui até sentir o cheiro do perfume dele e posso deduzir que ele tenha chupado uma bala de hortelã pois o cheirinho vem dele, bem fraco por causa dessa mascara idiota.

- Mesmo assim, acho que você deveria ter me dito isso Kakashi, eu não gostaria de estar no lugar dela. - Comentei e deitei minha cabeça na mesa, senti um pouco do peito dele apoiado nas minhas costas, ele não perde oportunidades.

- Foi assim, na quarta de manha depois que eu sai da sua casa...

- Saiu da casa dela? – Rapidamente virei-me para trás e meu coração quis sair pela boca. – Estão dormindo juntos? – Perguntou com uma carranca feia, como eu queria que fosse minha mãe ali para brigar comigo e não ele.

- Minato, não é nada disso que você está pensando... – Kakashi levantou as mãos em forma de rendimento enquanto encarava o amigo, que parecia estar muito puto da vida.

- É serio isso Sakura? – Minato perguntou me encarando com uma carinha de desgosto. Ah droga sobrou pra mim.

- Ele dormiu lá sim, mas não rolou nada. – Comentei auxiliando a resposta do Kakashi que rapidamente assentiu.

- Kakashi, você sabia o tempo todo sobre...- Ele não terminou de dizer, apenas encarou o prateado.

- Cara acha que eu fiz alguma coisa com ela? Claro que não, primeiro que ela não quis. – Kakashi estava comentando, na verdade quem não quis mais foi ele, eu estava entregue de bandeja.

- Realmente, não houve nada. – Somente beijos cheio de tesão enquanto o Kakashi acariciava meu corpo, ah Deus.

- Ah é, e ele dormiu onde? – Perguntou Minato cruzando os braços, ele só não ganhava do meu pai em questão de perguntas por que a essa altura meu pai já estava no soco.

- Na... – Esperei para responder, eu não conseguiria mentir desse jeito, ainda mais pro Minato.

Mas eu também não queria dar esperanças, talvez assim ele desistisse de mim e tentasse algo com a ex mulher, então o Naruto ficaria feliz novamente.

- Nem precisa mais responder, sobre o meu convite esquece ok.- Então Minato saiu da biblioteca nos deixando sozinhos novamente.

- Ah o que foi isso? – Perguntei colocando a mão no coração.

- Ele realmente estava na sua. – Kakashi comentou observando Minato se afastar. – Vai ficar me chamando de talarico agora, não tenho culpa se sou atraente demais. – Kakashi comentou e eu revirei os olhos por tamanha humildade.

-Você é um poço de humildade. – Ironizei.

Olhei para trás novamente, queria evitar possíveis escutas.

- Alguém deveria ter sentado de frente para as estantes. – Kakashi comentou trocando de lugar, sentou na minha frente agora.

- Acho que agora entendo o que a Hanabi deve estar sentindo. - Comentei imaginando o que se passava no coraçãozinho dela.

- Ao menos você e o Minato nem se beijaram. – Kakashi comentou apoiando os cotovelos na mesa.

- Vocês ficaram então? – Perguntei sem entender, pois ele tinha dito que não e agora solta essa bomba.

- Ela me agarrou aquele dia de manhã, mas eu não correspondi e disse ser muito velho pra ela, mas veja só estou louco pra te pegar Sakura.- Quando ele se “declarou” meu baixo ventre pegou fogo novamente, pois quando o Minato chegou aloprando tudo eu havia perdido o foco.

- Ah Kakashi...- Eu não sabia nem o que responder.

- Não pense que estou te jurando amor, eu só quero te mostrar o que um homem de verdade é capaz de fazer. – Eu não sabia nem o que o Madara era capaz de fazer, mal transavamos e aquilo na delegacia nem conta como sexo.

- Não me fala essas coisas pelo amor de Deus. – Pedi ficando completamente envergonhada.

Então ele se inclinou um pouco na mesa aproximando o rosto, ficou pelo menos 10 cm de distancia, e 10 cm é muito pouco!

- Queria mesmo era poder te colocar de quatro em cima dessa mesa, bem empinadinha pra mim do jeito que você sempre faz. – Ele sussurrou me encarando nos olhos.

Isso foi o ápice para o meu rosto pegar fogo.

Abanei-me com a mão e rapidamente levantei aumentando a distancia entre nossos rostos.

- Fica vermelha agora, mas a noite se transforma. Tudo há seu tempo Sakura... - Então ele levantou e levou o livro consigo no meio das pernas. -Tudo há seu tempo. – A ultima frase ele disse enquanto ganhava distancia.

Mas que tarado desgraçado, como ele consegue me deixar assim?

Ah agora só estou pensando em como vai ser a aula de hoje, agradeço a Deus por ser sexta feira. Com esses pensamentos eu entrei na sala de aula, Minato já estava la sentado e eu bancaria a covarde por simplesmente ignora-lo.

Sentei-me no lugar de sempre e abri meu caderno para rever a matéria anterior, eu deveria ter trago um livro da biblioteca comigo, mas só trouxe lembranças e uma calcinha molhada.

E a única pessoa que eu queria se aprofundando em mim era aquele idiota, ah da para acreditar que ele não me mandou nem um cartão de desculpas.

Mas eu simplesmente acharia mais fácil os porcos voarem.

XXX

Cheguei em casa e como era de se esperar não tinha ninguém, ao menos o almoço estava pronto, após a refeição e organização da cozinha eu finalmente fui para o meu quarto.

Tinha uma caixa preta em cima da mesa e um envelope em cima preso com uma fita.

- Ah o que meus avós aprontaram agora? – Perguntei a mim mesma, resolvi deixar a caixa de lado e ir para o banho.

Será que ela pressentiu o que eu quis dizer hoje pela manhã e resolveu me fazer um agrado?

Fui para o banho e lá fiquei pensando o que faria a tarde, eu estava sozinha novamente e se eu chamasse o Naruto de novo provavelmente o Sasuke viria junto, quem diria, se fosse a um mês atrás eu faria exatamente isso.

Sai do banheiro enrolada na toalha e fui verificar o que tinha na caixa, pequei o papel e tinha algo escrito em uma letra terrível.

Queria poder estar ao seu lado na escolha

Sei o quanto isso deve ser importante para garotas da sua idade

Um salto preto combinaria muito bem.

Ah agora estou na duvida, será que foi coisa da minha avó? Se foi acredito que ela me entregaria isso pessoalmente.

Abri a caixa e tinha um vestido vermelho com algumas borboletas douradas do lado esquerdo, quanto ao lado direito uma enorme abertura que sem duvidas deixaria minha perna amostra.

- Meus avós nunca pensariam em algo assim para mim usar... – Comentei para mim mesma.

Pendurei o vestido em um cabide e corri até a minha mochila pegar o celular, deve ter sido o meu pai, então significa que ele não está mais bravo.

Disquei os números dele e logo ele atendeu.

- Oiii...- Minha felicidade rapidamente acabou quando uma mulher respondeu.

- Quem está falando? – Ah o tom de voz era irritante.

- Espera, com quem eu estou falando? – Perguntei mais curiosa ainda, até onde sei eu tinha ligado para o meu pai.

- Ashley. – Respondeu.

- Ashley? Desculpa eu achei que tinha ligado pro meu pai e...

- Ah então você é a Sakura? – Ela perguntou.

- Sim e você... Você deve ser a namorada dele ou sei la. – Respondi e ouvi uma risadinha histérica.

- Querida, logo serei mulher dele. – Ela respondeu como se eu ligasse pra isso.

- Ta, hum, passa pro meu pai. – Pedi e ela demorou alguns segundos para responder.

- Não vai dar, ele ta dormindo. – Ela respondeu.

- Então acorda. Pedi.

- Ah é que cansei muito ele, estávamos transando feito animais...

Não a deixei terminar de falar e rapidamente desliguei a primeira coisa que fiz após isso foi verificar a minha lista de contatos e rapidamente apagar o numero dele.

Ah fala sério por isso ele ainda não veio falar comigo, estava ocupado demais transando com aquela, aquela irritante, Ashley ah eu não ficaria surpresa se ela tivesse uns 20 anos.

Mas já devo riscar o nome do meu pai dessa lista, a única pessoa que resta é a minha mãe.

Tenho certeza de que foi ela, pois ela queria estar presente e não pode.

Tentei ligar para ela e novamente caiu na caixa postal, ah droga.

XXX

Madara

Sai do quarto pela tarde com uma dor de cabeça horrível, eu tinha bebido novamente e bebi pra caralho. Peguei o meu mais novo amigo no criado mudo e levei comigo.

Coloquei um roupão, eu estava usando apenas uma cueca.

Minha paciência foi para o espaço quando vi o meu sobrinho jogado no sofá aos beijos com uma garota, uma loirinha parecia ter uns 15 anos.

- Que merda é essa? – Perguntei e rapidamente os dois se viraram pra mim, ela parecia assustada a me ver por lá.

- Disse que a casa era sua. – Ela olhou para o Sasuke e fez bico.

- Certamente ele mentiu pra você, ele tem problemas com mentiras. – Aumentei um pouco a história, eu queria era colocar fogo no circo.

- Ah tio não embaça. – Sasuke falou e voltou a beijar a garota. – Não da bola pra ele, logo ele some. – Ouvi ele dizer para ela entre beijos.

Respirei devagar, eu não posso falhar no segundo dia de tratamento.

- Acho que você esqueceu-se das regras, nada de garotas na minha casa. – Comentei e andei até o sofá, parei na frente deles.

- Não foi o que você fez ontem à noite com aquelas duas mulheres. – Ele respondeu a mim? Suspirei fundo e soltei meu remedinho na mesa de centro.

Caralho eu trouxe duas mulheres? Eu não lembro disso, estava bêbado pra caralho, excitado demais e pensando em sexo com uma adolescente.

- Crianças... - Coloquei minha mão na testa tentando suprir meu ódio.

- Para de nos chamar assim. – Sasuke bateu de frente e levantou no sofá peitando ccomigo.

- Está todo macho assim por causa de uma buceta? – Perguntei e dei uma olhada na garota novamente. – Ela até que da pro gasto hm. – Senti as mãos dele em meu peito, uma tentativa falha de me empurrar.

Nem sai do lugar, meu odio pós sono me mantinha firme e forte.

Respirei fundo, preciso suprimir esse ódio, não vou falhar!

- Garota. – Estendi minha mão pra ela, sem relutar ela segurou em mim, ajudei ela a levantar do sofá.

Levei-a até a porta.

- Não vai gostar de ver o que vem a seguir, mande lembranças a sua mãe. – Sorri forçado lembrando de já ter pegado a mãe coroa e gata que ela tem, eu sabia que já tinha visto essa menina de algum lugar, fechei a porta logo que ela tomou distância.

Virei-me lentamente para o Sasuke que estava fazendo bico e com os braços cruzados no meu sofá, sorri de canto tetando me conter.

- Garoto, o que pensa que está fazendo? – Perguntei me aproximando em passos lentos. – Trazendo meninas pra minha casa e fazendo o que bem entende no meu sofá, você está ficando muito folgado. – Comentei perdendo a paciência com a maneira que ele me encarava.

- Se você pode qual o problema? Eu também tenho vontades sabia? – Perguntou irritado, mas não mais irritado do que eu.

Abri minha cartela de remédios e engoli um, eu deveria tomar sempre que sentisse raiva e ontem já tomei dois, hoje mais um.

- A casa é minha eu mando simples. E se não está contente da próxima vez fica na casa do seu irmão. – O repreendi. – Na verdade não terá proxima vez se ele continuar me respondendo assim.

Eu estava tentando ser pacifico ser um homem calmo e ignorar os desaforos vindos de um moleque mimado, mas so de olhar para a cara de deboche que ele faz eu sinto vontade de soca-lo muito.

- Ah não rola, ele so sabe falar da Sakura, Sakura isso, Sakura aquilo... – Ele comentou revirando os olhos.

- A Sakura? – Perguntei o encarando, será que o Itachi encarnou nela? Agora ele tem mais chances do que eu.

- É, não me vai dizer que está afim dela? – Perguntou e de eu uma gargalhada no final, moleque.

- Você é realmente um moleque, não sabe apreciar uma garota de verdade. – Respondi e peguei o controle da TV, eu colocaria até mesmo no CN para não ouvir mais as idiotices que ele tanto fala.

- Ah apreciar? Quer mesmo que eu me envolva com qualquer uma do tipinho dela? – Perguntou caindo na gargalhada, ele estava forçando.

- Ah e ficar pegando a Alice do país das maravilhas vai mudar muita coisa? Você a conhece pelo menos? – Perguntei fazendo referencia a menina loira de olhos azuis.

- Preciso conhecer? – Rebateu.

- Então é qualquer uma. – Respondi a seguir.

- Você sabe muito bem quem é a qualquer. – Sasuke comentou e me encarou seriamente.

Eu sabia sim de quem ele estava falando e eu não iria mais admitir isso, eu não iria mais suprir meu ódio por um garoto babaca.

Fechei os olhos e inspirei com força, fechei o punho morrendo de vontade para arrancar alguns dentes dele, mas depois eu poderia ser preso por ele ser de menor.

Com o dorso da mão acertei diretamente nos lábios dele, Sasuke virou o rosto para trás e rapidamente me encarou.

- Aposto que ela te deu um fora né gostosão. – Comentei rindo de canto antes dele dizer qualquer coisa ou reclamação.

- Quem? A Sakura? Ah por favor né. E por que caralhos me bateu? – Ele decidiu me enfrentar, que péssima escolha.

- Hehehe... Pelo seu olhar posso imaginar que queria foder ela com força. – Comentei novamente e o rubor estava tomando conta do rosto dele.—Mas parece que ela não quer nem saber de você, já que prefere se divertir a tarde com o Naruto, ah mas que triste pro nosso gostosão. – Comentei e cai na gargalhada pela maneira que ele me encarava.

Eu sabia de tudo isso por causa do próprio Naruto, decidi que o manter por perto seria de grande utilidade.

- Que? Como sabe dessas coisas? – Sasuke perguntou franzindo o cenho e escorando-se no sofá.

- Isso não te interessa, só achei que gostaria de saber. – Comentei e então ele desescorou do sofá. – Talvez o Naruto passe na sua frente com a rosinha...- Provoquei apenas para ver o que ele diria. Se o Naruto chegasse a tocar nela intimamente eu mesmo socaria ele.

- Eu prefiro enfiar meu pau em um formigueiro. – Ele estava blefando.

- Um formigueiro nunca seria tão quente e apertadinho moleque, não tem coisa melhor que foder uma virgem. – Comentei lembrando do quao rápido gozei dentro dela após romper o himen.

- Está falando da Sakura? – Perguntou ficando em pé de frente pra mim.

- Aposto que você é virgem. – Na verdade eu suspeito, não pode ser normal um garoto rejeitar uma menina assim.

- Claro que não. – Ele respondeu.

- Então é gay. – Continuei com minhas suspeitas.

- Que? Isso não faz sentido! Eu estava pegando uma garota aqui e iria fuder muito ela. – Acredito que novamente ele estava blefando, se fosse transar com ela já teria feito.

- Beijar garotas não significa ser hetero, mas me diz por que tanto ódio pela Sakura, ela é tão... Boa. – E quando digo que ela é boa quero dizer que ela é muito gostosa.

- Me falou que achava ela irritante. – Ele respondeu franzindo o cenho.

- E ela era sim, quando nos conhecemos ela falou que gostava de você. Por isso não entendo seu ódio por ela. – Eu estava comendo pelas beiradas somente para saber o que se passava na cabeça dele.

- Ela me irritava todo dia, tentava o tempo todo se aproximar, só parou depois que veio pra cá. – Ele respondeu e se ajeitou no sofá. – Mas acredito que ela ainda sente algo por mim, só está se fazendo de difícil. – Bati no rosto dele novamente.

Mas dessa vez com a palma da minha mão, notei que começou a sair um pouco de sangue do canto da boca.

- A cada mentirinha sua, eu aumento a força. – Cantarolei, ah isso e o melhor calmante que conheço.

- Droga para com isso! – Ele falou alto e cuspindo gotículas de sangue.

- Assim que parar de mentir eu penso se paro ou não. – Comentei sorridente.

- E quem disse que estou mentindo - Ele perguntou fazendo uma cara de dor.

- Por que eu sei quem ela deseja. – Respondi, e ela deseja a mim.

- Quem então ? – Perguntou me encarando, os olhos arregalados talvez pela fúria de querer me socar e saber que iria apanhar.

Mas acima de tudo, essa informação parecia muito valiosa para ele.


Notas Finais


Hehehehe


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...