História Parceiros No Amor - Capítulo 9


Postado
Categorias Jared Padalecki, Jensen Ackles, Supernatural
Personagens Dean Winchester, Sam Winchester
Tags Alexander Calvert, Bill Skarsgard, Jared Padalecki, Jensen Ackles, Padackles, Wincest
Visualizações 109
Palavras 3.517
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Fantasia, Lemon, Policial, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente, tudo bem? Espero que sim 🤗
E aí,vamos ver o que nossos policias estão aprontando no interior?

Boa leitura! 💕

Capítulo 9 - O Passarinho Do Jeffrey


Fanfic / Fanfiction Parceiros No Amor - Capítulo 9 - O Passarinho Do Jeffrey

Jared acordou com barulho de pássaros e um galo cantando e abriu os olhos estranhando os sons. Até se lembrar onde estava, viu Jensen deitado no colchão no chão, estava adorando essa brincadeira, queria que fosse assim sempre, e que Jensen estivesse ali nos seus braços e não no chão, é claro. Mas estava adorando ser o marido do loiro, e poderia ser de verdade e para sempre só bastava ele querer também. O moreno ouviu um barulho na porta e a voz da mãe de Jensen.

- Ei, Jen? - Jared chamou baixo - Jensen, a sua mãe. Jen! Que merda! - Pegou um travesseiro e jogou no loiro, e o outro.

- Eiii, Jensen!

O loiro estava se sentando, meio grogue de sono, e Jared não viu, e jogou o outro travesseiro com força no amigo, não tinha visto que ele tinha acordado e se sentado, estava de olho na porta, vendo o trinco se mexer.

Jensen caiu de volta no chão, a perna levantando lá em cima, mas que merda estava acontecendo? Será que Jared não sabe a força que tem, ou só quer se livrar do seu parceiro mesmo, e por que motivo está sendo agredido a travesseiradas?!

- Jen querido, a mamãe está entrando. - Ouviu a voz da mãe, e acordou na mesma hora, juntou as cobertas jogou na cama, levantou o colchonete colocando atrás da porta de qualquer jeito e se enfiou do lado do moreno que o abraçou.

- Você está pelado! E excitado - Tentou empurrar o moreno.

- Desculpa é de manhã - Falou explicando a ereção.

Samantha entrou e os dois sorriram, Jared puxou o loiro mais pra perto do seu corpo.

- Bom dia crianças, vocês dormiram bem?

- Como uma pedra, dona Samantha. – Jensen tentou parecer natural, mas aquele corpo colado no seu, não estava ajudando nem um pouco.

- Nossa pedra parece algo tão frio né.

- Um anjo! - Jensen se corrigiu - Como um anjo de pedra.

Jared levantou uma sobrancelha diante do que ouvia, raramente via Jensen nervoso, aliás não se lembra de ter visto ele nervoso, mas ele fica adorável.

- Dormimos bem, sogrinha. - Jared respondeu.

- Hoje Jeffrey e eu vamos a capital comprar umas coisas para a festival de amanhã. Querem alguma coisa de lá?

Jensen não sabia mais o que a mãe e Jared conversavam, só conseguia sentir aquele corpo quente colado no seu, e saber que ele estava totalmente sem roupa lhe fazia pensar coisas e todas eram erradas e sua mãe estava ali na sua frente o que o fazia se sentir um pervertido e devia estar ficando vermelho já.

- Então até mais tarde, se comportem crianças - Piscou para eles antes de sair do quarto e fechar a porta e Jensen saltou da cama na mesma hora.

- Desde quando você dorme pelado?!

- Desde sempre.

- Quando dorme lá em casa você dorme vestido!

- Quando durmo com o Thom, porque quando dormimos juntos...

O telefone do moreno tocou no criado mudo interrompendo os dois, e Jared foi atender.

- Alex? - Olhou as horas, era seis ainda - Tá um pouco cedo, não? Qual a parte de eu estou de férias não me perturbe meu irmãozinho não entendeu?

- Jay aconteceu uma coisa, o Bill e eu estamos indo para aí em missão, somos casados, criadores de gado e o Bill quer comprar uma fazenda ai.

- O que? Você andou bebendo Alex?!

- Ai Jared, é o nosso disfarce, vamos a paisana, é sério. Explico quando chegarmos aí.

O loiro desligou e Jared olhou para Jensen, que estava parado na sua frente, não tinha porque estragar a sua manhã com trabalho.

– O Alex e o Bill também se casaram. - Falou simplesmente, ignorando a cara de espanto do loiro. Desceu da cama, vestiu um moletom - Eu vou fazer o nosso café.

- Se conheço minha mãe, já deve está pronto. – Jared viu o loiro ir para o banheiro que havia no quarto, e saiu do mesmo vestindo a camisa, bem que podia ter um pão fresquinho com manteiga, essas férias não estavam sendo nada do que haviam planejado, mas estava bem melhor que a encomenda. Parou na frente do quarto do Thom e abriu a porta só um pouquinho para ver o pequeno dormindo com o cachorro deitado ainda nos pés da cama, não conseguia decifra o que sentia pelo garoto, mas era algo tão forte que as vezes sentia como se ele fosse seu também, e saber que ele lhe considerava como um pai, era algo que fazia seu coração se aquecer.

Jared fechou a porta de novo e foi para a cozinha, mas parou antes de chegar no lugar, vinha barulhos de coisas sendo jogadas no chão, não era para ter mais ninguém na casa, Samantha e Jeffrey haviam saído, Jensen estava no banho, e Thom dormindo, o moreno olhou para os lados procurando alguma coisa para poder se defender, viu um taco de beisebol pendurado na parede e pegou o objeto e foi devagar para o lugar.

Colocou só a cabeça para dentro da cozinha e seus olhos não quiseram acreditar no que viram, Havia um pássaro branco grande, pousado na gaveta de talheres na cozinha, e ele pegava os talheres com o bico e jogava no chão.

- Mas o que é isso? – O moreno largou o taco em cima da mesa, o pássaro olhou em sua direção e continuou na tarefa de continuar jogando os objetos fora. – Ei, você não pode fazer isso. – Jared falou com o animal, que só voou da gaveta parando em cima das panela, e agora pegou a tampa e jogou no chão também. – Sai daqui, expulsou o pássaro que foi embora pela janela.

- Mas o que você fez aqui? – Jensen apareceu na porta da cozinha, vendo os talheres jogados no chão.

- Não fui eu que fiz isso.

- Não? É foi quem então?

- Um pássaro, grande e branco. – Jensen levantou uma sobrancelha, como se Jared estivesse falando a maior loucura do mundo.

- Eu to falando serio, foi um pássaro.

- E você fez o que com ele, garoto da cidade. – Jensen se encostou contra o batente da porta, com um sorriso no rosto.

- Eu espantei, ele foi embora pela janela.

- Você mandou a Cacatua, do meu pai embora? – O loiro perguntou espantado, Jeffrey teria um enfarto se o pássaro dele sumisse.

- Era do seu pai?

- Era, e ele é louco por aquele pássaro. – Jared foi para fora da casa, procurando para ver se via o animal, e Jensen foi também olhar.

- E ele fica solto assim?

- Fica, mas você expulsou ela.

- Mas você falou que ela fica solta.

- Mas é sensível, espero que não tenha traumatizado ela. Se ele souber que você mandou ela embora, vai conhecer a versão mau do sogrão – Jensen deu ênfase na ultima palavra só pra assustar o amigo.

- Mas que merda.

...

Alexander teve que passar em uma locadora de carro, seu conversível chamaria muito a atenção naquela cidadezinha e a moto do Bill, não era uma das melhores opção para os dois irem para lá, apesar de que sabe que o Jared foi na dele, mas o Jared era um caso a parte.

- É aqui que eles estão? - Bill perguntou descendo do carro e olhando o lugar como se estivesse chegado no velho oeste. O moreno tinha reclamado a viagem inteira de terem que ir para lá, agora entendia o que Benny havia passado pra convencer Bill a ir para Paradisse.

- É o endereço que o Jim passou.

- Você conhece os pais do Jensen?

- Eram vizinhos do Jared, mas faz um bom tempo que não os vejo.

- Eu acho melhor ficar em um hotel.

- Aqui não tem hotel, o máximo que você deve encontrar é uma pensão e não vi nenhuma no caminho até aqui.

- Isso quer dizer que estamos no fim do mundo?

- Não, isso quer dizer que estamos em Rancho Alto. – Bill revirou os olhos e Alexander sorriu do jeito dele, já havia percebido que Bill era um rapaz da cidade, mas tem certeza que conseguiria se divertir e muito com o moreno ali.

Alexander tocou a campainha da casa e escutou os passos rápidos de um garotinho que veio abrir a porta pra eles.

- Tio Alex! Você também veio. – Thom correu para abraçar as pernas de Alexander, que abraçou ele também.

- E aí garotão! Onde está o seu pai?

- Ele e o papai Jay estão no mato atrás da casa tentando pegar o passarinho do vovô.

- Hem?! - Não sabia se estava mais surpreso por ele ter chamado o Jared de pai ou pelo que disse que estão fazendo.

Olhou para Bill e o moreno estava realmente voltando para o carro.

- Vem Bill - Puxou o moreno pelo braço e entrou atrás de Thom e Jorge.

- PAPAI O TIO ALEX TA AQUI! - Gritou da porta.

E eles viram Jared sair de entre as plantas que tinha no fundo do quintal.

- Eu peguei o passarinho do seu pai, Jen!

- Não segura ele assim! Eu já disse que ele é sensível!

- Eu tô segurando com jeito. - Reclamou.

- Deixa que eu seguro ele, você é muito estorvado!

Os dois saíram do meio do mato com uma cacatua na mão e encontraram Bill e Alex com os olhos arregalados e os queixos no chão.

- O que foi? - Jensen perguntou sem entender

- Nada. – Alex balançou a cabeça tentando parecer casual. – O que é isso? – Apontou para o pássaro Branco que Jensen havia colocado no ombro agora.

- A esse? É o Peralta, tem muita historia para contar ele. Tipo o dia que foi expulso de casa. – Falou olhando para Jared, e foi em direção a casa. Bill foi atrás de Jensen e Alex ia também, mas Jared segurou o irmão pelo braço impedido que ele fosse.

- O que vocês estão fazendo aqui? – Perguntou quase sussurrando.

- Foi bom te ver também irmãozinho.

- Para de conversa, fala logo. Você não ia conseguir trazer o Mauricinho da cidade grande para cá, se não fosse algo serio. E também não teria um corte na testa e uma boca inchada – Jared apertou o corte que o irmão tinha na testa, e Alexander empurrou a mão do irmão reclamando.

- Isso dói caramba. – Alexander respirou fundo, sabia que em partes o fato da família Back ter o endereço da casa dos pais de Jensen, era um pouca culpa dele, mas tinha sido uma armadinha, não tinha como evitar.

- A família Back.

- O que tem eles?

- Eles estão vindo para cá, pra Rancho alto, atrás de vocês.

- Que merda. Como eles descobriram esse lugar?

- Meu celular. – Jared pensou um momento.

- Beleza, o Jensen não pode saber disso.

- Porque não?

- Ele vai querer voltar para Paradisse. Aqui é um lugar melhor para pegar eles, do que lá.

- Ou será que porque aqui, vocês estão brincando de casinha. – Jared sorriu de lado.

- Talvez.

- Vão ficar cochichando quanto tempo ai? – Bill perguntou da porta, vendo que os dois ainda estavam falando baixo perto das arvores.

Jared e Alexander foram para dentro de casa, e Jensen estava pegando um bolo de Banana que tinha no fogão e colocando em cima da mesa.

- Não sabia desses seus dotes culinários, Jensen.

- E não tenho, foi minha mãe que fez. Porque vocês estão aqui?

- Investigação...

- Investigação de uma fazenda para o Bill compra. – Alexander cortou o que Bill fosse falar, e o moreno olhou para ele com uma sobrancelha levantada. – Ele descobriu que está no sangue dele ser fazendeiro.

Jensen sentou na mesa com eles, olhando desconfiado para resposta do loiro.

- Sei. E vão ficar...?? – Jensen perguntou esperando que eles respondessem.

- Aqui. – Foi Jared que respondeu, e Jensen começou achar melhor voltar para a cidade, os três ali na casa dos pais, não podia dar nada certo. Os quatro ouviram o barulho da camionete de Jeffrey, e o homem entrar pela porta acompanhado de Samantha.

- Minha nossa, temos visita. – A loira falou alegre colocando as compras em cima do balcão na cozinha. – Olha amor, conseguiu seus ajudantes para levar o queijo para a cidade.

- Mas é claro que ajudo sogrinho.

- O Bill também vai. – Alexander bateu nas costas do moreno, que olhou assustado para ele.

- O que?

- A que isso, pra ser um fazendeiro tem que carregar queijo.

- Talvez por isso eu não queira ser fazendeiro. – Respondeu baixo só para Alexander ouvir.

- Quer sim delicia, talvez mais tarde a gente pode ate brincar de cowboy. – Alex falou mordendo o lábio, e Bill sentiu o rosto corar com a provocação do loiro, ele ainda não tinha feito isso na frente dos outros, e tem certeza que todo mundo na cozinha ouviu, porque agora a mãe do Jensen tinha um sorriso no rosto, e Jared se segurava para não rir. Bill levantou da cadeira indo para fora da casa e Jared acompanhou ele junto com Jeffrey.

...

Jeffrey levou os dois até um galpão afastado da casa. Ficava a vinte minutos de carro da casa onde estavam. Jeffrey foi em sua caminhonete e Thom foi na cabine com o avô e um dos compradores fixos de Jeffrey e Bill foi atrás com Jared.

Tinha umas coisas na carroceria da caminhonete que eram bem estranhas para Bill, uma delas era uma panela de ferro enorme, que parecia aqueles caldeirões de bruxa de animação infantil. Estava em um canto presa em uma corrente, e havia também alguns engradados com formas para queijo e alguns sacos que tinha a figura de animais, deduziu que fosse ração para os animais da fazenda.

Jared foi em pé, segurando na madeira da carroceria o vento batia no seu rosto, e parecia nem se importa com o caminho com buracos. Mas também o cara é da elite, a SWAT anda até se equilibrando de pé em um trem em movimento. Bill pensou olhando o exibido que nem sentia os solavancos da caminhonete na estrada de terra.

Bill se sentou na borda da panela de ferro e segurou firme, mas cada arranco era um pulo diferente e Jared ria dele sem nem disfarçar.

- Que foi detetive? Tá ruim ai? – Bill não deu atenção a provocação do moreno, nada podia ficar pior do que aquela estrada, mas tinha pensado com muita antecedência, quando chegaram ao local, a caminhonete freou e Bill perdeu o equilíbrio caindo dentro da panela. Jared riu mais alto ainda, mas foi ajudar o moreno que havia ficado preso dentro dela.

- Acho que os detetives precisam de treinamento de campo – Riu puxando o outro de dentro da panela.

- Hahaha - Bill pegou a mão de Jared, se levantou e bateu a poeira na roupa clara.

Jared saltou de pé da caminhonete e Bill tentava ainda descer da carroceria alta, se equilibrando montando na mesma que balançava.

- Salta logo detetive! - Jared chamou com voz divertida e Bill queria muito socar o irmão do seu parceiro, com certeza essa personalidade era coisa de família.

Bill saltou, e caiu esparramado no chão e Thom arregalou os olhinhos ao ver o amigo do tio caído de costas no meio do chão poeirento do lugar, correu até ele e estendeu a mão.

- Eu ajudo você.

- Eu estou bem - Bill pegou na mão pequena que foi estendida e fingiu que se segurava nela pra se levantar.

- Devia ter trocado essa roupa rapaz, parecem ser caras. - Jeffrey falou indo abrir o galpão.

Era realmente cara, gostava de roupa de grife, sua vida era na cidade grande, nas ruas movimentadas, boates de luxo e whisky caros e agora estava em uma cidade que parecia saída direto da pré história.

Jeffrey e o seu comprador entraram e Jared parou Bill.

- Ei, queria falar sozinho com você, Alexander não ia me contar, mas o que aconteceu com o meu irmão? Você não estava com ele? - Jared perguntou quando estavam só os dois. Bill olhou para Jared, se esquecendo até onde estavam. E sentindo outra vez aquela sensação horrível que ainda lhe rouba o sono algumas noites.

....

- O que aconteceu com meu irmão?! Você não estava com ele? - O irmão de Jack perguntava com ódio, os olhos vermelhos e inchados.

- Eu não... Não pude fazer nada, ele se jogou na frente da bala.

- Era você que tinha que está nesse túmulo! Não ele! - Quase gritou empurrando o moreno com raiva - Não ele...

Bill viu o irmão de Jack deixar o cemitério e se deixou cair de joelhos na frente do túmulo, a chuva fria caia incessante, molhando suas roupas e seu corpo. Mas nem sentia ela, não sentia nada além da dor e culpa. Olhou o rosto sorridente do garoto loiro na foto e passou os dedos.

- Me perdoa Jack...

- Bill? Vamos pra casa. - Benny chamou , colocando a mão em seu ombro.

....

- Eu não estava... Foi uma armadilha.

- Vocês dois! Ajuda aqui. - Jeffrey chamou, interrompendo os dois.

E Jared foi na frente.

- Jared? - Jared se virou para ver o que era. - Eu nunca vou deixar nada acontecer com seu irmão.

Antes de Jared responder, Bill passou na sua frente e foi para o galpão.

Jared sorriu, gostou de ver o olhar decidido no moreno, era a mesma motivação que tinha quando estava com Jensen

- Eu sei - Falou sozinho, indo ajudar.

Os três carregaram a caminhonete com algumas caixas com queijo. Umas era o negociante e outras para ele levar para o festival.

- Vovô, deixa eu dar comida para os gansos?

- A gente tem que ir, Thom. O senhor Ransom, está com pressa.

- Pode deixar o garoto ver os gansos, eu aproveito para ver aquelas especiarias que vai levar para a feira. Soube que tem queijo com pimenta rosa, é verdade?

- A melhor pimenta de Rancho Alto! - Jeffrey falou animado. - Jared, vem, quero que veja essas belezas, eu não apresentei vocês - Jeffrey bateu a mão no ombro de Jared - Esse é meu genro, Jared. - Falou orgulhoso. – Eu vi esse menino crescer, ele é o Jensen era um grude só.

Jared apertou a mão do homem e os três foram, para perto do carro.

- Você ajuda o Thom, detetive? - Jared perguntou a Bill.

- Claro - O que poderia dar errado em dar um pouco de ração para um pato?

Bill abriu um dos sacos que Jeffrey havia levado e Thom pegou um pouco em uma vasilha de plástico e os dois foram para perto do lago.

- Você é namorado do tio Alex? - Thom perguntou olhando para cima para ver o rosto do moreno.

- É...eu ..

- O papai e o tio Jay, não - Parou de falar e se corrigiu - O papai e o papai Jay namoram escondido, eles falam assim, Thom vai para casa do tio Alex ver filme e comer pipoca hoje.

Bill olhou para o garoto, surpreso com sua percepção do menino. Tinha que ser filho daqueles dois mesmo. Só não entende porque eles não se assumem logo.

- Ali estão eles - Thom falou vendo os gansos perto do lago, pegou a ração e jogou para eles.

Logo tinham muitos outros comendo a ração também, e acabou rápido.

- Acho melhor a gente sair daqui, Thom. Eles parecem que não estão felizes. - Bill deu um passo para trás e os gansos foram em sua direção. Deu outro passo e eles correram atrás do moreno, atacando de bicada e Bill correu.

Thom foi atrás dos animais, gritando.

- Não ataca o Bill, ele é bonzinho! Ei! Parem!

Jared , Jeffrey e Ransom, estavam voltando do galpão quando viram o detetive sendo atacado pelos gansos e Thom tentando salvar.

- É, esqueci de avisar, eles costumam estranhar os visitantes.- Jeffrey falou com um ar de riso.

Bill parou e pegou a arma que estava presa no cinto e apontou para o ganso.

- Pode abaixar essa arma agora mesmo, rapaz! Se atirar no meu ganso premiado, pode apostar que não vai brincar de cowboy hoje a noite nem noite nenhuma mais! - Jeffrey falou com voz seria e Bill abaixou a arma no mesmo instante. Mas o garotinho chegou correndo com um graveto na mão e espantou os gansos e Jared riu.

- Valeu Thom! Salvou o detetive.

Bill passou pelos quatro indo direto para a camionete e se jogando lá em cima, isso estava parecendo um pesadelo, não sabia quanto tempo ainda ia aguentar. Caiu em uma panela, foi perseguido por gansos e salvo por um garotinho de seis anos.

E tem um loiro que o tira do sério o esperando pra brincar de cowboy, e estar ansioso por isso era o mais assustador. Iria dormir no sótão se fosse preciso! Isso, estava decidido, iria chegar e dizer que dormiria no sótão.


Notas Finais


♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...