História Parcial VS Imparcial - O que eu acho das séries - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags American Gods, Big Little Lies, Charmed, Deuses Americanos, Dynasty, Opinião, Parcial Vs Imparcial, The Walking Dead, Timeless, Van Helsing
Visualizações 12
Palavras 3.436
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Essa semana eu trago para vocês a série American Gods ou Deuses Americanos no Brasil.
Por ser uma das séries cujos poucos fãs são verdadeiros leões quando o assunto é defender, e verdadeiras Cocas-Colas quando o assunto é promover, e mesmo assim não é uma série tão conhecida, eu deixo com vocês essa resenha assim se alguém tiver dúvida, ou pensou em assistir, ou se no futuro algum amigo te indicar ela, você vai ter alguma base, mas é lógico que cada um pode ter sua própria opinião e criar suas próprias conclusões, eu ofereço apenas um norte.

Obrigado por absolutamente todos que comentaram, eu amo demais cada um, e cada comentário acende uma luzinha no meu coração de tanta alegria S2

Capítulo 7 - American Gods - Imparcial X Parcial - Vale á pena assistir ?


Fanfic / Fanfiction Parcial VS Imparcial - O que eu acho das séries - Capítulo 7 - American Gods - Imparcial X Parcial - Vale á pena assistir ?

 

Um pouco sobre a série

A série é focada em Shadow Moon, um homem que cumpre três anos de prisão. Faltando poucos dias até o fim de sua sentença, Shadow acaba sendo liberado inesperadamente depois que sua amada esposa, Laura, morre em um acidente de carro, no carro do melhor amigo de Shadow, com o melhor amigo do melhor amigo na boca. Posteriormente, Shadow encontra-se ao lado de um homem chamado Wednesday, que lhe oferece um emprego. Em primeira instância, Wednesday parece ser nada mais que um trapaceiro que precisa de Shadow como guarda-costas.Mas Wednesday está trilhando seu caminho pelos EUA, reunindo todos os velhos deuses, que agora se incorporaram na vida americana, para enfrentar os novos deuses, incluindo os relacionados à mídia e tecnologia, que estão se fortalecendo.

                              Fonte: Wikipédia

Imparcial

American Gods ( Deuses Americanos ) é uma serie criada por Bryan Fuller (Pushing Daisies, Hannibal, e criador roteirista em Heroes e Carrie A estranha 2002) e Michael Green, baseada no livro de Neil Gaiman, Fuller e Green escreveram o episódio piloto e o dirigiram, Gaiman como o autor dos livros teve forte participação também sendo ele um dos produtores Executivos.

Mas diferente do que muitos pensam, a série pertenceria inicialmente a HBO, porem eles não encontraram roteiristas adequados para o trabalho, e o alto nível de exigência da HBO tornou o projeto inviável, já que eles queriam ser fiéis ao extremo ao livro, mas não encontraram roteiristas, capazes, visto que o padrão a ser alcançado era a 1 temporada de Game of Thrones, infelizmente sem alcançar esse patamar, o projeto foi abandonado pela empresa e ficou á cargo de Gaiman, encontrar outro local para seu projeto, o que aconteceu com a Amazon Prime.

Tendo como produtor executivo o criador da obra e o talento de Fuller, o esperado aconteceu e o episódio piloto foi tão legítimo ao livro que o sinal verde para a produção veio quase instantaneamente, levando em conta o sucesso dos livros nos EUA, a base da fãs era sólida e isso tornou o investimento viável, outro fator determinante foi a troca de atores em Hawai Five-0, também pertencente a marca Amazon, e sendo seu carro chefe junto a Mr. Robot, temendo pela perda de assinantes, e notando-se que visualmente a Netflix era o serviço de Streaming mais forte em nível global e sem concorrentes ( atualmente Disney e Warner estão se preparando para 2020 ), a marca apostou em American Gods, tendo HF0, se mantido após a saída de 2 co-protagonistas, a empresa deixou American Gods em estágio de hiatus após a primeira temporada, para utilizar em um melhor momento, e visando também a quantidade de verba necessária para viabilizar os efeitos especiais, sendo somadas ambas as temporadas, a segunda série com maior custo em efeitos especiais por episódio, ficando atrás apenas de Supergirl da Warner Channel.

Recebendo duas indicações no aclamado Primetime Emmy Awards, o show permaneceu desconhecido por muito tempo, especialmente fora do EUA, mas legiões de fãs representam seu sucesso nas Comic, em todo o país.

Quanto a escolha do elenco houve uma enorme participação dos fãs, especialmente no que gira em torno dos 2 co-protagonistas de Shadow, Ian McShane ( Jonh Wick, Piratas do Caribe e Branca de Neve e o Caçador ) como Mr. Wednesday foi uma escolha aprovada pelos fãs, quanto a Emily Browning ( Desventuras em série e Sucker Punch ) como Laura Moon, alguns fãs temeram pela escolha da atriz, devido a seus trabalhos anteriores, mas se agradaram por fim da escolha da mesma, quanto a Ricky Whittle ( The 100 ) como Shadow Moon, ele foi o primeiro a ser escolhido, 2 meses antes dos outros, e o ator conseguiu o papel somente após raspar a cabeça para demonstrar uma "Badass Face" algo como cara de durão ou cara de mau, semelhante a escolha de Dylan O´Brien para Maze Runner. Outro fato curioso é que inicialmente Sean Harris ocuparia o papel hoje de Pablo Schreiber ( Orange is the New Black ) como Mad Sweeney, mas devido a problemas pessoais ele teve que se afastar do projeto, e a escolha de Pablo foi um verdadeiro achado, pois ele fez o personagem seu, e tornou-o muito pessoal e isso levou os fãs a loucura, admirando e muito o trabalho dele e a escolha como substituto.

Gillian Anderson ( Arquivo - X e Hannibal ) como Media e Bruce Langley como Tecnologia, foram as adições mais controversas, devido aos seus papéis não serem exatamente como no livro, de quase 20 anos atrás, eles agora teriam que interpretar com mais grandeza, devido aos avanços tecnológicos, e incorporar a atualidade, sendo papéis complicados e que exigiam nova elaboração, um grande desafio foi lançado e Bryan Fuller provou que, assim como fez em Pushing Daisies (Um Toque de Vida), sua criatividade e capacidade de incrementar sem perder essência é digna de sua fama, e entregou um excelente trabalho que agradou e muito tanto o público, quanto a crítica.

Obs: Bruce Langley, nascido Ben se formou com um mestrado de primeira classe em Treinamento de Atores Físicos e Desempenho em 2014 pela Universidade de Kent.

 

Parcial

 

Sobre Deuses Americanos(DA), inicialmente é preciso falar que a série ganhou o título de "Cult" muito rápido, ela é uma adaptação do livro de Neil Gaiman com o mesmo nome, e sendo sincero a série é uma bagunça, você não consegue se situar no universo de DA sem ter lido o livro, mas de forma alguma isso é possível.

Agora então como a série é assim tão aclamada pela crítica e pelo seus fãs ? Admito que no seu grupo de amigos, seja na faculdade, curso ou enfim, provavelmente vai ter alguém de fala dessa série, mas a verdade é que 70% são apenas posers, querendo dar uma de intelectual engrandecendo uma série relativamente desconhecida.

Ah, mas porque dizer isso ? Respondo, eu assisti a série, e li o livro até o ponto em que termina a primeira temporada e depois até o final, e sinceramente, só piorou minha experiencia.

Os fãs de DA aclamam a série, devido ao simples fato de terem gastado horas de suas vidas lendo o livro, mas a série é um des-serviço pra quem não comprou o livro, e o motivo disso é simples, A SÉRIE ADAPTA O LIVRO FIELMENTE ATÉ DEMAIS, e isso pode não parecer ruim, mas eu garanto que é sim, e vou citar os motivos.

O primeiro capítulo é basicamente uma adaptação de mais ou menos 50 páginas do livro, que tem mais ou menos ai umas 450, então pra quem leu o livro, ver aquelas cenas acontecendo sutilmente amontoadas pela bela edição, parece muito bom mas não é essa coisa exagerada, mas pra quem não leu, é uma bagunça que te desperta curiosidade, uma curiosidade essa que não será saciada.

Ai você pensa : "Adaptar um livro em série é complicado, pra garantir que os não leitores do livro possam curtir, isso é aceitável", bom se fosse há 12 anos atrás, sim, hoje, definitivamente não, e a razão é clara.

Temos séries como Shadowhunters e The Magicians entre outras que adaptam livros, e quem não os leu é perfeitamente capaz de assistir e entender tudo que se passa, mas no caso de DA não, parece ser uma homenagem aos fãs fieis, mas sem se importar muito com os novos possíveis fãs, que derrepente não querem ou podem ler o livro por N motivos.

E adaptação de livro em série pode sim ser fiel sem que percamos qualidade, basta planejamento.

Saindo um pouco do tema séries vou dar um exemplo prático de adapatação revolucionária.

Crepúsculo, sim isso mesmo, hoje muita gente fala de Crepúsculo, criticam mas a verdade é que todos nós estávamos lá ansiosos quando saiu Lua Nova, e quem não tinha assistido procurou logo ver o primeiro filme, e apesar de hoje muita gente negar a importância de Crepúsculo é absurda para o material jovem que temos hoje, especialmente no cinema.

Antes de Crepúsculo explodir no cinema, para os jovens e adolescentes só existia Harry Potter, e a saga do bruxo era Sagrada e intocável, tanto que ninguém queria investir em mais nada para o público, as adaptações de HP praticamente ensinaram a Marvel como fazer um planejamento de décadas de filmes, mas HP também prejudicou de certa forma o espaço do gênero jovem, pois ele não só foi, como ainda é uma marca absurda e ninguém ousava desafiar.

Daí veio Crepúsculo e abriu uma porta para adaptações de outros livros e sagas além de HP no cinema, tanto Divergente, como Jogos Vorazes não existiriam no cinema sem Crepúsculo, e o ponto onde quero chegar é este após tanto rodeios rsrsr.

O primeiro filme adapta mais ou menos 420 páginas, em duas horas de filme, e apesar de alguns fãs na época e até hoje reclamarem, o trabalho de adaptar aquilo foi impressionante, pois os melhores momentos para tela foram adaptados, e temos toda uma introdução da Bella no universo dos Vampiros, e até mesmo a paixão da Bella pelo Edward é plausível até pra quem não leu o livro, e a paixão desesperada dele, que renderia horas de explicação, foi explicada pelo próprio personagem em 15 segundos, isso é brilhantismo, e saber adaptar, e criar um material visual que apesar de baseado em um literário, não é co-dependente dele, obrigar o espectador a ler o livro para entender o filme ou série é inadmissível.

Apesar de não ter sido feito um trabalho de adaptação satisfatório, o material entregue em DA é bom visualmente, mas não é um quadro em uma galeria que você olha, e contempla na sua percepção: é um show com falas, tramas e enredo, só que é quase impossível, isso se não for de fato impossível compreender o que se passa ali, e mesmo com o elenco sendo bom, não é um indicativo de sucesso garantido, mas alimenta os Posers e Fanboys do livro.

Algumas coisas que me chamaram atenção na série foi por exemplo o fato do Shadow não se questionar sobre as coisas que ocorrem ao redor do Wednesday, quer dizer questionar mesmo, tipo perguntar : " O que, em nome do inferno está acontecendo aqui ?! "

Coisas surreais, e viagens mentais circulam toda a primeira temporada da série, mas o Shadow não se questiona quanto a isso ? Inicialmente, e se ele o fizesse, seria fantástico pois entenderiamos um pouco mais sobre a trama.

Agora o fato que literalmente joga na sua cara que você não leu o livro, é o seguinte: cenas de 5 segundos mostrando personagens que ninguém nunca viu, e não serão explicados na série, conhecidos do Wednessday, que aparecem e tem alguma importância, mas não é descrito na série, qual é essa importância, além das claras demonstrações de poder do mesmo, que deveriam chamar mais a atenção de todos ao redor, e novamente, Deuses que ninguém conhece, não tem explicação e poderiam ser qualquer personalidade fictícia aleatória.

O arco dos Jesus´s, é o único no show que realmente explica alguma coisa, ele deixa claro que os Deuses no show dependem que acreditem neles, sem fé, eles não tem  poder, no caso existem mais ou menos 30 Jesus na série, um negro, um espanhol, um português, um chinês, enfim, cada país tem sua crença e cada uma leva a um Jesus, na série, o que eu apesar de eu achar uma Blasfêmia e não ter gostado do "brincar" com o nome de Jesus, eu percebo que como a série faz isso com várias divindades, seria hipocresia eu ser á favor apenas de Jesus por ser Cristão.

Outro ponto que torna a série difícil de assistir são as cenas de sexo, que em DA são muito mal exploradas, sério é muito mau uso, elas entram no meio de cenas importantes, tipo tem sei lá duas pessoas comendo numa lanchonete, ai do nada a cena muda para dois caras transando num quarto, eles não falam nada um com o outro e nunca apareceram na série antes com algum relevância, ai sei lá termina a cena deles e volta pra outros personagens na estrada dirigindo e ai retorna para os que estavam na lanchonete, tipo assim esse foi um exemplo claro do que acontece em DA, quem leu o livro vai sacar que aquilo ali aconteceu e talz, ou eles estão indo para algum lugar, e de repente mostra duas pessoas em outro lugar conversando sobre algum assunto aleatório, e ai volta para os que estão andando, e você fica se perguntando, qual a relevância disso ? E você tem noção de que existe um motivo, mas sem ler o livro, nunca que você compreenderá.

Mas, como eu mencionei antes, os efeitos especiais são ótimos, os cenários também, e os atores fazem um bom trabalho, mas tem elencos piores em séries melhores, que funcionam, exemplo disso é NCIS: Nova Orleans, cujo o elenco é muito fraco, os atores são secundários em todos os trabalhos anteriores, e o único nome de destaque mediano é o Lucas Black ( Velozes e Furiosos Tókio - protagonista ) e mesmo assim segue com 5 temporadas e é muito bom de se assistir, os atores são fracos, mas o material tão bom que salva, agora o elenco de DA é no mínimo capaz, mas isso de pouco importa.

Agora vou falar um pouco dos personagens

Shadow Moon, esse cara é o protagonista do show, e um vigarista, e quando digo isso é no melhor sentido da coisa, o cara arrebenta mesmo, ilusões e enganação, trapaça de todo tipo, ele é muito observador e que denota um grande intelecto, mas utilizado para a vigariçe, ele é um daqueles indivíduos carancudos, que tentam parecer durões, mas que é só a casaca dura por fora, e na verdade é uma borboletinha, esse é o Shadow, romântico, e sensível, talvez até ingênuo demais para um vigarista que vive de aplicar golpes e desviar a tenção dos outros, se você assistir a série perceberá que ele ameaça cair fora da "viagem" inúmeras vezes, mas nunca o faz, chega a parecer que ele é indeciso ou fraco de opiniões, mas no livro é revelado que ele não tinha exatamente como abandonar aquilo, o que prejudica o personagem na série, deixa ele com menos credibilidade, o tornando um protagonista caricato.

Wednesday, ele assim como Shadow é um vigarista, mas no caso dele tem um diferencial, a classe, ele é muito sábio quanto a arte de ser vigarista, e muito carismático também, além do que ele consegue o que quer, especialmente de Shadow lhe indicando dois caminhos, ou duas possibilidades, o que ele poderia fazer, e o que ele vai fazer, exclamando os pontos positivos do que ele vai fazer que beneficiará Wednesday, o que torna Shadow uma pequena peça na mão do mesmo, e isso te faz pensar se o real protagonista do show não é Wednesday. O que chateia mesmo nesse personagem, é que ele fica com um ar de que sabe de tudo, o que é verdade, mas nunca é explicado como, e ele fica apressando o Shadow como se o que eles fossem fazer além de muito importante, fosse óbvio, e fica sorrindo como se tivesse acontecendo uma piada e somente ele soubesse, fica claro para o expectador que Wednesday é mal intencionado, e manipulador, talvez até um vilão para a trama, mas o nosso protagonista é tão avoado que não nota isso, o que engrandece ainda mais o personagem, mas retira o brilha dos outros.

Laura Moon, ou como ela é adoravelmente chamada no show "esposa morta", ela é do tipo de pessoa que se entedia fácil com a vida, e com as coisas da mesma, seus pais a criaram no meio de muita religiosidade, então quando ela descobriu que aquelas coisas não existiam,  passou a ver o mundo de uma forma mais sombria, tanto quanto isso ela sente que nada no mundo é de fato interessante e que a vida é tediosa, tentado se suicidar todos os dias com veneno de inseto, o que na série foi abordado mais como, um usar drogas que tentativa de suicídio, dado a polêmica que "Os 13 Porquês" causou no universo das séries por mais ou menos 2 meses na estréia e enfim até agora, o fato é que ela odeia este mundo, e a vida por não ser interessante para ela, mas se odeia por se sentir assim, e odeia ainda mais o fato de seu tédio ter estragado seu relacionamento com Shadow, e como ela ressuscita mesmo não tem motivo pra esconder, ao voltar ela passa a ver ele com outros olhos literalmente, e entender os motivos de muitas coisas acontecerem na sua vida, ela é linda e tem tendências perigosas, pois acredita que merece o sofrimento que tem, e que é digna de sofrer por ser uma pessoa sem sentimentos aparentes. 

Mad Sweeney o único personagem que realmente é legal na série toda, isso não falando na minha opinião somente, mas de um modo geral, ele foi reformulado, nos livros ele era mais um "tiozão" de uns 50 anos ou mais, de aparência feia, e desgastada, sem charme, e principalmente sem graça, aquele tipo de personagem que dá sono só de imaginar, e que tava sempre fazendo coisas idiotas e chegando a dar raiva, mas o Mad Sweeney da série, é o oposto disso, e o ator Pablo Schreiber trouxe ao personagem o que ele precisava, com seu jeito meio Punisher de Jon Bernthal e meio Jack Sparrow de Johnny Deep, ele criou sua própria interpretação do personagem, nesse quesito é possível dizer que assim como Deep deu via a Jack, ele deu vida ao Leprechaum, quando a idéia era apenas um ator mais jovem no papel do personagem, Pablo criou sua interpretação pessoal, com trejeitos, manias, caretas e o "caramba" tudo para tornar o personagem seu, ele parece fisicamente com o Punisher, o andar, e a forma de lutar, daí a explicação de como o personagem mais odiado dos livros, se torna o mais legal da série, o Leprechaum é um tipo de "Duende" especial, tendo muita afinidade com ouro, e com a sorte, ele anda pelo país, revoltado com sua vida e se perguntando o que há de errado com o mundo, e buscando essa resposta no fundo de copos, e garrafas de bebida, até que Wednesday aparece, e por respeito, e medo ele acata suas vontades, mas claro, ele o faz a seu modo, e sua dinâmica com tudo que acontece na história, e com o desenrolar dela, deixa claro que ele tem um papel fundamental na trama toda, e que sua história, assim como ele, é mais rica do que até mesmo ele pode imaginar, mas ele vai descobrir isso ainda.

Eu poderia falar de outro personagem pra fechar os cinco como eu sempre faço, mas na verdade, tirando o Leprechaum, os outros chegaram até a me dar trabalho e sono de escrever.

Conclusão, vale á pena ou não assistir ?

Definitivamente não, a série é um saco, cheio nem de batatas, mas de sal mesmo, pois um saco de sal é muito pesado e demora pra acabar rsrsrsr

Brincadeiras á parte, a série e um serviço aos fãs de um livro que foi publicado em 2001 e que teve um acréscimo de 12k palavras em 2011, mas que não faz relativa mudança a nada, meio que só adapta um pouco as coisas e incorpora algumas informações.

Agora se assim como eu, em 2001 a última coisa que estava fazendo, ou pensando em fazer era ler um livro enorme sobre Deuses Antigo e Novos Guerreando, então não tem sentido ver essa série, e ainda menos ler o livro, sendo sincero, assisti a série por curiosidade e porque sou fã da Emily desde Desventuras em Série, e após assistir só li o livro pelo fato de que não gosto de deixar pontas soltas, queria entender o que eu assisti, e sim, sou do tipo que pode estar morrendo de cansaço, se eu começar a ver um filme, eu termino de assistir, pode é ser horrível e chato mas eu sempre termino o que eu começo.

Outra coisa que eu digo é : ''Não caia na pilha erra de amigos que se fingem "Cult" e desperdice horas do seu tempo assistindo essa série, pra acabar fazendo como a maioria, fingindo que realmente entendeu, pois 90% de quem assistiu essa série não entendeu nada, e 50% da crítica fez o mesmo, elogiou sem entender nada, e ai finge que entendeu, mas eu sei que o seu tempo, assim como o meu é valioso, então não desperdice !"


Notas Finais


Enfim, é isso o que eu tenho pra vcs essa semana, agradeço todos que leram, e se alguém discorda do que eu disse em qualquer ponto, sinta-se há vontade para compartilhar sua opinião, contanto que tenha realmente base para o que vai dizer, pra no mínimo termos uma conversa estimulante, não me vai fingir que entendeu e defender a série não rsrsrsrs dá uma de fã de Lost não que fica feio kkkk Até mais pessoas !


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...