1. Spirit Fanfics >
  2. Parents >
  3. Parents ain't always right.

História Parents - Capítulo 1


Escrita por: e Camed


Capítulo 1 - Parents ain't always right.


Capítulo Único — Parents ain't always right.

— Escrita por Camed e _bakuhatsu_

 — Quem é o gostosão que encanta todos? É você! — Karin proferiu com um grande sorriso em seu semblante, a mesma fazia sinais com as mãos para o Uchiha que se admirava no espelho sem nem piscar.

— Karin, pare, isso soou estranho. — falou o moreno revirando os olhos.

A ruiva e o Uchiha eram amigos desde o fundamental, porém o que tinha entre eles era apenas no nível amizade, e também nada romanticamente ou sexualmente poderia rolar entre os dois, porque Karin gostava de outra fruta e já namorava uma garota chamada Ino, e tem mais um motivo, a família do Uchiha está o empurrando para um relacionamento arranjado se podemos dizer, com uma garota de cabelos róseos: Haruno Sakura, a Haruno é filha única de um advogado — quase aposentando. E como a família do Uchiha queria ligar os laços, viram a chance nisso com Sasuke, e estavam totalmente decididos desse relacionamento acontecer, pois a Haruno tinha uma queda pelo Uchiha, iria sair tudo como planejado. Se não fosse pelo fato do moreno não ir com a cara da rosada. 

Claro que o Uchiha não possuía um ódio mortal pela mesma, ele apenas não ia com a cara dela. Sabia que a filha do advogado já esteve em vários relacionamentos e todos eles — e todos — acabaram pelo ciúme da Haruno. E o Uchiha era alguém que se divertiam em festas, saia com os amigos e principalmente enchia a cara com bebida, vai que o mesmo comete alguma besteira? E era por isso e outros motivos que Karin sempre ia às mesmas festas do amigo.

— O quê? Qual é Sasuke! Eu estou aqui te encorajando! Eu podia estar com a minha amada, mas estou aqui firme e forte ao seu lado.

O Uchiha nem retrucou ou falou qualquer palavra, continuou apenas se admirando no espelho. Em toda sua vida Sasuke nunca havia se arrumando tanto quanto hoje, porque hoje era nada mais e nada menos que a festa de comemoração de sua família, a família do Uchiha tinha uma empresa e esta acabará de completar 13 anos de sucesso, e para comemorar Fugaku decidiu fazer uma comemoração. Convidou todos os seus "amigos", colegas de trabalho e outros grandes nomes, e se não for uma coincidência, pois os "ajudantes" de Fugaku tinham filhos da mesma idade que Sasuke, incluindo Sakura que estará na festa.

E mesmo que o Uchiha não poderá se embebedar até o chão - Este e sua amiga já possuía 18 anos, era uma chance de curtir um pouco, esfriar a cabeça.

E com Karin não podia passar despercebida, a Uzumaki era filha única de um empresário conhecido mundialmente, e a pedido de Karin, um garoto "misterioso" irá aparecer na festa. Karin não deixou escapar nada de sua boca, A mesma sentenciou que o Uchiha iria saber na hora que o garoto misterioso aparecer.

— Mas, aí Sasuke, já pegou quantas?

— Karin! Me dê um pouco de respeito! Eu posso ser um "cachaceiro" mas não sou um garanhão, não sou igual aqueles garotos de filmes que pegam doze garotas, e ainda quando está em um relacionamento.

— Isso você está certo, mas então, eu te vejo na festa.

[...]

— Meu Deus Karin, você está toda acabada, o que tu fez? — o moreno questionou, sentando na cadeira do pequeno bar que seus pais tinham em casa — mansão. O bar se localizava dentro de um pequeno cômodo ao lado da festa.

O Uchiha olhava como deplorável a ruiva se encontrava, até mesmo o rímel da Uzumaki estava todo borrado, os cabelos amarrados em coque todo bagunçado, parecendo um ninho de pássaro. O moreno não obteve resposta nenhum, somente choros baixos e palavras desconexas.

— Pô cara… E pensar que ela tá beijando outra boca agora…

— Ah, Meu Deus… — Sasuke murmurou algumas coisas nada à ver, não estava com tanta paciência, resultando de uma briga que acabara de ter com seus pais, esse era o motivo por ter vindo o bar, e se surpreendeu ao ver que a amiga estava aqui.

— Pó Sasuke, eu não entendo… Eu dei tanto carinho para ela, eu fiz exatamente tudo certo, eu chupei bem, tanto presente…

— Calma! Karin, você não é do tipo de sofrer, se quiser eu chamo ela e vocês duas conversam! — o moreno tentou animar a ruiva.

— Não cara, eu só queria um amor feliz.

— Superar que é bom não supera, né? — Sasuke bufou, já impaciente.

— PORRA! EU TE AMO INO! — a ruiva gritou dando um soquinho na mesa

O Uchiha encarou a ruiva com uma cara de: "Sério?" Não sabia muito bem como era o que ruiva estava sentindo. Não esteve em relacionamentos sérios, para quando o término chegar ficar igual a ruiva. Mas sabia de uma coisa, não poderia deixar a amiga ali no bar sofrendo. Então com um enorme esforço puxou a amiga para fora do bar, assim que atravessaram a porta de madeira de carvalho o som alto veio repentinamente, mas ambos estranharam a aglomeração à porta de entrada. O moreno deixou a amiga no sofá mais próximo, andando rapidamente para o tumulto de pessoas, quando pode ter uma vista melhor da causa de tantas pessoas, arregalou os olhos ônix, com uma queimação em suas bochechas.

Era ele, Uzumaki Naruto ali, com seus cabelos loiros curtos, seus olhos azuis celestes brilhantes, as belas marcas nas bochechas que até hoje o Uchiha não sabe como ele ganhou, e seu sorriso encantador. O loiro era filho caçula de dois grandes empresários, donos da empresa U&N, Minato e Kushina, mas não era por isso que o tumulto estava acontecendo, mas porque ele era abertamente gay, algo não aceito na sociedade em que conviviam.

Cresceu com Naruto, podiam até ser chamados de melhores amigos, isso até o loiro completar onze anos e admitir gostar de garotos, sua família não se importou com isso, afinal tinham outro filho homossexual, mas os pais do moreno o separam, pois estavam certos que o loiro não seria uma boa influência para Sasuke, afinal onde já se viu um garoto gostar de garotos? Isso definitivamente não era certo. E os pais estão sempre certos.

Sasuke levou a ruiva nos braços para um sofá de couro, deixando-a sentada — jogada — no mesmo, e foi ver o tumulto, parecia que a família Uzumaki havia chegado e Naruto deu as boas vindas pela família. Atrás do loiro vinha sua mãe e seu pai, a mulher de longos cabelos lisos e de cor vermelho sangue usava um belo vestido longo rodado, Minato que tinha os braços entrelaçados aos da esposa, com seus cabelos loiros até o ombro, os olhos celestes, e um terno tão caro quanto à casa de praia de onde vieram. Atrás deles, vinha um loiro que menor que o anterior com longos cabelos e tinha os braços entrelaçados aos de um garoto quase de sua altura, ruivo.

Sasuke olhou para trás, e viu Karin deitada no sofá onde a tinha deixado, quase dormindo, que bom, não precisaria ficar de olho nela. Encaminhou-se para o salão onde sua família estava e se sentou com eles. Observava o Uzumaki mais novo de onde estava, fazia anos que não o via, ou ouvia falar dele e de sua família, quando Fugaku descobriu da sexualidade dos irmãos Uzumaki, surtou com Minato e desfez a parceria que tinha entre as empresas. 

Na verdade Sasuke gostava de Naruto um pouco mais do que deveria quando eram crianças, ele era gentil, protetor e um grande amigo com todos, uma pessoa à se admirar, e por um pequeno espaço de tempo achou que seus sentimentos eram correspondidos. Isso até ouvir seu pai gritando com alguém e em seguida ver um Minato furioso sair de sua casa. Após esse momento seu pai o puxou junto de seu irmão, e perguntou exaltado se a amizade com os outros irmãos tinha afetado em sua sexualidade, como esperado por ele, ambos negaram para sua felicidade, porém Sasuke viu a fúria nos olhos do pai e negou, depois se arrependendo, mas não o contou depois por medo do que ele poderia fazer. Então assistiu calado enquanto ele fazia casamentos arranjados com filhas de grandes empresários para si e Itachi.

O loiro conversava com o cunhado enquanto brincava com alguns guardanapos. Sasuke não conseguiu imaginar que todos aqueles sentimento infantis voltariam à tona agora, felizmente ele havia atingido a maioridade há alguns meses, já era responsável por suas escolhas, não precisava ter medo do que seu pai poderia fazer consigo, não?

— Com licença. — falou para os familiares, , tirando guardanapo branco do colo e levantando-se da mesa. Seu pai o olhou com curiosidade, porém o menor não notou, logo não esperava sua pergunta.

— Sasuke, aonde vai? — o patriarca Uchiha perguntou com a testa levemente franzida.

Ficou um tanto relutante em dizer, o medo havia voltado para seu corpo. O que deveria dizer? Que iria conversar com um amigo que fora proibido de ter amizade por seu pai, que era gay e tinha sentimentos no passado? Claro que não, Fugaku faria um barraco se dissesse? Provavelmente. Olhou ao redor, procurando uma desculpa, Karin! Olhou para o bar e desistiu ao vê-la reconciliando-se com Ino, não iria estragar a chance da amiga de ser feliz. Reconsiderou e concluiu que Fugaku não faria um escândalo, então falou de forma simples.

— Receber os Uzumaki. — sorriu ao falar depois de um tempo em silêncio. Notou suas reações, Itachi arregalou os olhos em surpresa, com a boca levemente aberta. Mikoto franziu o cenho, e o mais velho usou uma expressão indecifrável, como se ainda estivesse processando a informação que recebeu, como se algum parente havia morrido, cruzes, ele só havia dito que iria conversar brevemente com a família que tinha acabado de chegar na celebração.

Fugaku se recuperou e pegou a taça com champagne enquanto virou o olhar para um empresário que estava fazendo um discurso que o menor não estava prestando atenção.

— Você não vai. Sente-se. — falou após com os olhos vidrados em Kizashi Haruno, Sasuke indignou-se com o pai que não prestava atenção em si.

— Por que? — perguntou.

Pensava que depois de anos o pai havia amadurecido o suficiente para aceitar pessoas além do tipo dele na sociedade: negros, homossexuais, pobres, entre outros. Estava errado, porém seus pais estavam certos.

— Eu não quero você com aquela gente. — falou, apenas. Sasuke queria perguntar tudo que guardou para si esses anos, mas como sempre, desistiu.

Olhou para a mesa dos Uzumaki, e Naruto acenava para si enquanto Deidara o olhava com tédio, tentando fazer o irmão olhar para si novamente. Sorriu para Naruto e se sentou novamente na mesa, pelo menos sabia que o loiro menor não guardava rancor de si, diferente do mais velho que parecia ter ânsia de vômito quando olhava para um qualquer dos que estavam presentes na mesma mesa que si.

Olhou novamente e percebia o olhar de Naruto queimando sobre si, ele fez um gesto, apontava para o banheiro, e depois usava o indicador para apontar, revisando entre si e Sasuke, o moreno sorriu e concordou. Esperou o loiro se levantar para ir ao banheiro para encontrar-se com ele, sem a atenção de Fugaku. Após isso se levantou trazendo o olhar do pai, que estava com as sobrancelhas arqueadas.

— Não posso mais ir ao banheiro? — fingiu indignação para o pai que suspirou e assentiu.

Dava passos largos ao banheiro, quando entrou não havia ninguém, poderia jurar que viu o Uzumaki entrar no lugar, suspirou e foi à frente do espelho, lavou as mãos e passou água que estavam nelas nos rosto e massageou as têmporas. Ficou encarando-se de frente ao espelho, havia crescido mas não havia mudado, continuava com medo dos pais, eles continuavam certos, em tudo, era um covarde. 

Ouviu um barulho e virou-se, encontrou o loiro arrumando o cinto após sair da primeira cabine do longo banheiro, começou à rir quando percebeu o susto do moreno, que desfez a expressão e mantinha agora uma tediosa. O loiro se aproximou e abraçou Sasuke que se envergonhou com o ato repentino, retribuiu o abraço, dando leves tapas da costas do outro. Parecia que Naruto estava emocionado, não era para menos, reencontrar o melhor amigo após anos.

— Você não mudou nada, Sasuke. — proferiu após desfazer o abraço e analisar o Uchiha.

Deu um sorriso largo, escondendo algo que acabara de despertar. Algo que o loiro havia notado era que o Uchiha estava mais alto que o mesmo, mas na infância dos dois era ao contrário: Naruto era mais alto que Sasuke. Parece que o mundo dá mesmo voltas, quem diria.

— Como está seu relacionamento com o Gaara? — Sasuke indagou quebrado o pequeno silêncio que havia instalado no cômodo.

— Nós terminamos, não leve à mal, Gaara é uma pessoa incrível, mas eu e ele não sentimos mais aquele sentimento que era do início do nosso namoro…

— Ah, você deixou isso cair.

— Deixa que eu pego, Sasuke!

E por alguma razão inesperada do destino, ambos lábios se encontram; causando um Uchiha e Uzumaki de olhos arregalados.

O Uzumaki estava paralisado com aquele "selinho do destino", já o Uchiha comemorava mentalmente. Apressadamente o Uzumaki quebrou o beijo saindo do mesmo local que o Uchiha.

[...]

— Ei Naruto… Me desculpe pelo incidente… — murmurou se aproximando do loiro, que estava sentado na grama olhando a lua.

— Eu sei que você não teve culpa — falou, aproximando seu rosto com o de Sasuke. Por fim selando os lábios em um beijo lento e apaixonante.

O ósculo era calmo, e não demorou muito para se tornar o oposto.

— Eu te amo, Naruto.

— Eu te amo, Sasuke.

E no final, quem diria?

Parece que no fim, os pais nem sempre estão certo.


Notas Finais


Essa fic tinha sido postada no primeiro perfil da Akantran, @Tsukas, mas ela foi banida, e agora está sendo repostada.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...