História Park Jimin The King of Traffic (Em Revisão) - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Hetero, Park Jimin
Visualizações 230
Palavras 2.169
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Fantasia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 32 - Disposto a tentar de novo


Fanfic / Fanfiction Park Jimin The King of Traffic (Em Revisão) - Capítulo 32 - Disposto a tentar de novo

Um mês e meio depois...

~Siwon~

    Aqui é como se o tempo passasse mais de devagar, já perdi a noção do espaço-tempo não sei que dia estou ou que horas são. A alguns dias atrais eu fui punido por ter arrumado uma briga com um dos pacientes. Minha punição? Eu fui levado para o ‘’quarto da tortura’’ que é mais conhecido como cela acolchoada, basicamente é uma sala revestida com colchão nos pisos e paredes para que o paciente não se machuque, normalmente eles tentam bater a cabeça na parede ou não chão mas de nada funciona, pelo que me falaram eu fiquei lá só a algumas horas mas para mim pareceu semanas, conseguia ouvir o som dos meus batimentos cárdicos e minha respiração somente isso por horas, foi realmente horrível.

   Minha amada não veio me visitar desde a ultima vez, fiquei triste mas talvez ela ainda está em choque por saber que a tocava muito antes dela sequer ter um corpo formado, ela deve estar assustada e quando ela entender que eu tive como me controlar ela ira voltar para mim, ela sabe que a amo e eu também sei que ela me ama mas ela é muito orgulhosa para admitir, estou preocupada que minha pequena esteja com medo ou se está sofrendo nas mãos do irmão bastardo dela, desde quando Guilherme era novo eu consegui ver o modo como ele a olhava, o jeito tímido e recuado quando ela estava por perto, eu a olhava do mesmo modo e também sei como é se sentir ansioso na sua presença.

   A única coisa que mais me irritava aqui era que eles me acusavam de algo que eu não havia feito. Porra! Isso não é errado, ela era minha! Megan é minha, é meu direito! Um dia esses hipócritas irão saber.

   ~Meg~

     Já estou com quase dois meses de gravidez, para ser mais exata estou com um mês e meio. As coisas entre Jimin e eu não melhoraram muito, mas eu posso dizer que ele está mais presente. Desde aquela ultima briga nosso ele não tocou mais no assunto do aborto e eu fico feliz com isso, mas eu sei que ele ainda não aceito a minha gravidez. Sinto que ele já me observa a dias, quando estamos no mesmo ambiente ele me encara com olhar perdido, creio que isso seja uma maneira de ele tentar saber se eu estou bem.

   A alguns dias os primeiros sintomas já começaram a se manifestar, sinto enjoos constantemente principalmente de madruga, Jimin sempre acorda com o barulho e vem saber se estou bem, isso me deixa feliz por um lado talvez ele esteja realmente preocupado ou esteja querendo se eu sofro um aborto espontâneo para ele comemorar.

  Meus mamilos estão inchados e sensíveis e estou sentido uma sensibilidade no meu olfato, o que ajuda a me fazer sentir enjoos com mais facilidade. Até agora não vi diferença nem uma em minha barriga, mas os meninos insistem em dizer que eu estou gorda, por falar em meninos ele sempre vem me visitar para tentar compensar a ausência que eu sinto do Jimin.                                     

 Por falar nele agora ele está me fazendo fazer exercícios físicos junto com os gêmeos, ele diz que é para minha saúde e para que eu não fique toda pelancuda, mas eu vejo isso como uma punição por eu não querer abortar.

   Agora estou sentada no balcão da cozinha devorando uma melancia, depois de fazer quarenta minutos de esteira estou, mas que faminta.

  -Puta que pariu você não cansa de comer não? -Jimin fala entrando na cozinha com os cabelos bagunças e  suado.

 -Não, se eu estivesse cansada eu nem comeria- dou de ombros.

  Ele se dirige até a geladeira e pega uma jarra de suco, continuo o encarrando esperando alguma reação dele, mas ele simplesmente me ignora, eu pensei que estivéssemos evoluindo mais pelo visto não.

~Jimin~

    Não era fácil evita-la ainda mais agora que ela está ficando mais gostosa, coisa que achei impossível que acontecer. Durante esse tempo que ficamos sem nos falarmos direito foi difícil, decido deixar de lado por enquanto essa historia de aborto, é muito cedo para tomar atitudes precipitadas e eu sei que se a forçar a abortar vai ser pior ainda. Ultimamente eu sempre acordo de madrugada com os barulhos que ela faz ao vomitar, nosso quarto é longe e quase todos são a prova de som, mas eu só consigo acordar por causa do barulho da câmera de segurança que tem em meu quarto, em meu computador eu tenho acesso a todos os moveis da casa, mas toda noite eu deixo a câmera do quarto dela ligado para me facilitar de vigia-la. Pode se chamar de obsessão ou perseguição, mas eu chamo de isso de cuidar do que é meu.

-Como estão as coisas? - tento disfarçar meu interesse de saber como está a gravidez.

-Mais o menos-ela se remexe na bancada.

-Especifique o seu mais o menos. -Me aproximo ficando em sua frente.

-Digamos minha cama não é a melhor opção quando se sente cólica. - ela diz mordendo o lábio inferior e eu tenho que me controlar para não meter nessa boquinha apertada.

-Suas costas doem? -pergunto o obvio.

-Também, mas eu o que mais me incomoda é que eu não acho uma posição confortável-ela murmura brincando com os dedos da mão e eu sei que ela está desconfortável.

   Por abito, eu me aproximo mais chegando a ficar no meio de suas pernas, quando dei por mim já estava com minhas mãos em suas coxas fartas. Penso em mi distanciar, mas acabo por tentar provoca-la um pouco.

- Hum se você quiser eu posso resolver isso rapidinho- nossos lábios estão a centímetros de distância, já consigo sentir sua respiração ficando ofegante.

   A seguro pela nuca a puxando para mais perto de mim, fecho meu punho em seu cabelo a beijando com intensidade. Por um momento decido deixar nossos problemas de lado, não posso ser hipócrita e dizer que eu não senti sua falta, já avia me acostumado a dormir com ela em meus brações, sem ela por perto sinto como se estivesse em meu inferno pessoal.

     Puxo sua cintura a incentivando a cruzar suas pernas em meu quadril, passo a mão por dentro de sua blusa sentindo seus pelos se arrepiarem. Megan puxa meus cabelos da nuca me fazendo estremecer em suas mãos.

 -Não me faça perder o resto de sanidade que ainda me resta-sussurro contra sua boca.

 -Você não tem sanidade, Jimin!-  ela diz ofegante olhando em meus olhos-É um sádico que tem prazer em me dominar.

-Hum então eu sou o louco? - pergunto e ela assente- Sabe o que estou louco para fazer?

-O que? - pergunta entrelaçando os braços em meu pescoço.

-Estou louco para te foder de quadro nessa bancada- me afasto para encarar seus olhos-Bem forte e profundo.

-Melhor pararmos-disse ela empurrando meus ombros, mas comecei a dar chupadas em seu pescoço-Para ou eu vou sentar a mão na sua cara! - ela tenta se afastar novamente, mas eu forço mais o aperto em sua cintura.

-Você pode sentar outra coisa em outro lugar, o que acha?

  Sorrio malicioso vendo ela respirar fundo tentando controlar a respiração descompensada. Depois fica falando que não é minha. Só um toque, duas palavras e pronto: perdida, rendinha, minha!

  Sua ação é totalmente diferente do que eu pensei que seria, Meg simplesmente me empurra com força suficiente para me fazer afastar dela, ela desce do balcão e segue em direção a escada.

- Ei volta aqui porra- corro atrás pelas escadas.

-Para você Jimin- diz ela entrando em seu quarto e cruzando os braços me encarando. Coitada se ela acha que pode peitar eu-Estou de saco cheio disso, você fala uma coisa e faz outra totalmente diferente.

- Qual o problema agora? - pergunto bufando e esperando ela tentar ter moral. Só de olhar pra cara de bosta dela eu já broxei.

-O problema é que você fica praticamente dois meses me ignorando e quando simplesmente precisa foder vem atrás de mim- ela se senta na cama com a cara emburrada.

-Não é assim também, não está sendo fácil aceitar essa situação.

- A única coisa que eu preciso é do seu apoio. Se você não quer fazer a sua obrigação de criar a criança pelo menos me apoie até essa criança nascer- ela dá de ombros-Não é fácil passar por isso sozinha- ela diz com a voz de choro- Eu me sinto sozinha, eu...

Elacomeça a soluçar desesperadamente, quem visse acharia até que eu bati nela.

-O que você quer que eu faça para resolver isso? - pergunto com tédio fitando ela limpar as lagrimas.

-Quero que tudo volte como antes- ela se levanta-Quero tentar de novo.

-Você sabe que não podemos ser como antes-digo vendo ela se encolher- Mais estou disposto a tentar.

  ~Gui~

  Foram longas vinte e duas horas de voo, quando desembarquei no aeroporto de São Paulo peguei um taxi com rumo ao meu hotel, com minha total atenção na paisagem percebi como as pessoas aqui são calorosas, a primeira coisa que percebi é que aqui é faz muito calor e as ruas são bastante movimentadas.

 Me questiono novamente se eu fiz a escolha certa, estou inseguro de que algo possa acontecer com ela ou se caso seu novo namorado decida fazer  algo contra ela.                                                                         

   Tenho que me concentrar em minha nova vida, a partir do momento que eu tive a decisão de sair daquele país eu também tomei a decisão de deixar todos meus problemas lá.

   Chego em meu hotel e logo depois de assinar toda a papelada subi para meu quarto. Amanhã mesmo tenho que ir a procura de um emprego. Por mais que eu tente minha mente sempre vai estar me fazendo lembrar dela, é como um carma. Gostaria de poder saber quando vou poder tirar minha querida irmã da minha cabeça.

  ~Meg~

  Fiquei realmente surpresa em saber que Jimin estava desposto a mudar, ficamos semanas sem nos falar direito e eu até cheguei a pensar que ele nunca mais olharia na minha cara. Eu realmente estava me sentindo sozinha, pode chamar de carência ou insegurança por medo da gravidez, a única coisa que eu quero é ter meu porto seguro de volta, quero poder ter a garantia de que vai ficar tudo bem. Mais também tenho medo de voltar para seus braços, como eu vou me sentir segura com a pessoa que estava desposta a matar meu filho? Eu realmente nãos sei em quem confiar ou me apoiar pois ele é o único que está disposto a ficar do meu lado nesse momento difícil da minha vida.

 Já era tarde e Jimin avia mandado alguém pegar minhas coisas para colocar em seu quarto de novo. Saiu do banheiro com uma toalha em meu corpo e outra em meu cabelo, procuro ele pelo cômodo e o encontro sentado em sua cama com a cabaça baixa e seus braços apoiados no joelho, me aproximo percebendo que ele está nervoso.

 -Tudo bem?- me agacho  ao seu lado e ele me olha torto.

-Se você  vê que eu não estou bem, então por que a pergunta?-ele murmura.

-Me diz o que aconteceu- ignoro sua ignorância.

-Os gêmeos, Zack não consegue fazer uma simples simulação em baixo d’agua e Zayn não consegue decorar as técnicas de perseguição.

-Tenha paciência- suspiro me levantando e vou me vestir.

-Temos poucos meses de treinamento e eles não chegaram nem na metade- diz frutado.

-Quando for a hora eles vão fazer tudo perfeitamente.

   [...]

    Acordo por volta das quatro da manhã sentindo gotas de suor descendo por meu rosto, tento me levantar ao sentir uma forte cólica e o enjoo subindo pela minha garganta, quando finalmente consigo sair do aperto de Jimin vou correndo para o banheiro e me agacho no vaso para vomitar. Sinto meus cabelos serem tirados de meu rosto e leves tapinhas em minhas costas.

-Respira devagar- ele diz quando eu me afogo com a saliva.

  Me levanto do chão dando descarga no vomito nojento, levo meus dentes e meu rosto quando estou restes a dormir de novo a forte cólica aparece mais uma vez. Me remexo na cama a procura de uma posição confortável e com meus movimente acabo acordando ele novamente.

- O que foi agora? - sua voz sai irritada.

-Estou com dor-digo chorosa. -Jimin.

-Humm- ele murmura alto.

-Me da sua mão- peço baixo mais o suficiente para ele ouvir. Logo sinto a mão dele em meu braço, pego a palma de sua mão e lento minha blusa relaxando a sentir seu toque quente contra minha pele.

-O que é isso? -Jimin se senta na cama assustado pela minha atitude e acaba tirando sua mão de minha barriga.

-Eu preciso de uma massagem, está doendo- faço voz manhosa.

-Isso é realmente necessário? - ele pergunta fitando minha barriga que está descoberta.

   Assinto para ele mesmo estando no escuro sei que ele conseguiu ver, pois logo sinto sua mão em mim de forma tímida, coloco minha mão em cima da sua e começo a fazer movimentos circulares. Me aconchego virando de costas para e ele formando uma conchinha quentinha, e foi assim que eu adormeci. Feliz por estar em seus braços novamente.

 



Notas Finais


Gostaram?
Como prometido aqui está o cap de hj...
Jimin e Meg estão fazendo as pazes 😁
Guilherme já está no Brasil e tentado seguir a vida
E Siwon continua louco kk
Comentem e favoritem...♥️♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...