História Particular. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 4
Palavras 1.778
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Capítulo


—Encontrei! —

            Roger encarou os olhos divertidos de seu melhor amigo e seguiu o mesmo caminho que os dele. Estava escuro e o jogo de luzes não o ajudava em nada, mas ele pôde vê-la. Estava quieta e possivelmente entediada. O rosto não esboçava expressão alguma. Ninguém parecia acompanhá-la.

            Roger a olhou de cima a baixo. Era alta. Muito alta e isso o incomodava. Seus pés estavam cobertos por fitas e suas sandálias não tinham um salto. Os cabelos loiros caiam sobre os ombros largos. O vestido estava apertado em sua cintura, que não era fina, e descia ate um pouco acima dos joelhos. Pernas longas e definidas. Os braços estavam cobertos pela jaqueta larga. Mesmo assim era possível ver o decote do vestido pela abertura que a jaqueta lhe permitia.

— É uma garota. — Roger sussurrou o obvio. Denis o melhor amigo, riu com gosto. Aquilo lhe seria tão divertido.

— Eu sei. Mas não é como se você fosse transar com ela, Roger. Apenas um beijinho. —

            Roger franziu as sobrancelhas. Denis sabia de sua opção sexual desde que se conheceram. Há oito anos trás quando ainda estavam no ensino médio. Então por que foi perder aquela maldita partida de basquete? Não que ele fosse realmente ruim, mas Denis teve sorte. O pior seria ter que beijar uma garota por que não havia conseguido pontos o suficiente.

— Ela é maior que eu! — rosnou infeliz. E a garota era realmente maior que ele. 1.85 talvez?

— Você é baixinho. — Denis aproximou-se de Roger e o empurrou levemente pelo ombro. — Vamos lá. Não precisa insistir caso ela diga não. —

— Não sou baixinho, idiota. Temos os mesmos 1.74 de altura. —

— Eu tenho 1.76. —

            Roger suspirou, puxando os fios negros para trás, inutilmente, por que eles sempre voltavam para sua testa. Olhou uma ultima vez para o sorriso divertido do amigo e caminhou em direção a garota. Não que realmente fosse obrigado aquilo, mas ele havia perdido no basquete. Haveria outras oportunidades de humilhar o melhor amigo.

            Seria apenas um selinho. Nada de língua ou mão boba. Se caso ele conseguisse. Sua experiência com garotas zero. Provavelmente levaria um não. Mesmo com esse rostinho bonito, por que Roger é um rapaz bonito.

— Mas que droga... —sussurrou apenas para si mesmo. Seria impossível alguém ouvi-lo com todo aquele barulho. Os olhos negros ergueram-se e tal foi sua surpresa ao vê-la lhe encarando também. Grandes olhos azuis. Estavam surpresos e curiosos.

            Roger tremeu, mas não cansou os passos. Engoliu em seco e parou diante a garota. Era mais alta do que pode imaginar.  E um pouco masculina com seu queixo quadrado e rosto comprido. Roger pensou em dar meia volta, assim que percebeu onde o ombro da garota encostaria caso se aproximasse dela.

            O amigo o olhou sorridente, de longe, e Roger respirou fundo algumas vezes antes de voltar novamente a sua atenção para a garota. Ela ainda o encarava com suas sobrancelhas grossas e franzidas em total confusão. A pele era morena, certeza gostava de passar horas pegando um sol na praia.

— O-olá... Eu sou... Ro-roger. Prazer. —

            ‘’Que idiota’’ fora isso que ela pensou, deduziu após ver o rosto da garota. Roger engoliu em seco. Respirou fundo e continuou.

— Como se chama? — indagou temeroso. Estava tão constrangido e nervoso que seus dedos tremiam.      

            A garota olhou em direção a Denis. E Roger percebeu que ela havia notado algo. Os lábios finos estavam sujos por batom rosa bem claro. Mesmo assim ele os percebeu por que apesar de estar escuro, era notável o brilho. Denis ainda tentou fingir-se de desentendido quando ela o olhou.

— O que você e o seu amiguinho querem comigo? —

            A voz era rouca. Causou certa surpresa em Roger. Ele fingiu não se importar, mas a voz dela era bem mais grossa que a dele. E Roger não tinha uma voz fina.  

— Co-como? Quer dizer... Não sei do que... —

— Pare de me fazer perder tempo e diga logo. —

            ‘’Assustador’’

            Ele a olhou uma ultima vez. De longe parecia uma doçura, mas era tão machona, bem mais que o próprio Roger. Quer dizer, olha esses ombros e esse rosto.  Denis que fugisse para bem longe quando esse inferno de noite acabasse.

— Um beijo... — sussurrou e fora impossível ouvir. A garota franziu a testa, abaixando-se para ficar próxima a boca de Roger. E ele repetiu um pouco mais alto. — Um beijo! —

            Ela não pareceu surpresa. Pelo contrario. Um sorriso perverso surgiu nos lábios molhados e Roger tremeu, arrepiando ate sua nuca. A garota parecia se divertir agora.

— Uma aposta? Perdeu uma aposta e agora tem que me beijar? — perguntou para o outro, e ele não a respondeu. Pareceu-lhe mais uma afirmação então preferiu ficar em silencio. — Não sou do seu agrado? —

— Ah... Não eu... —

— Não me acha fofa? — indagou novamente. Roger afastou um passo para trás e ela o seguiu. Estava ficando tão próxima, que ele pensou em correr, mas seria uma vergonha. — Você não me acha uma garota bonita? —

— Não... Não eu... — ela piscou os grandes cílios. E Roger pensou que ela estivesse ofendida. — Não é isso. Eu não gosto de garotas. Sinto muito. Foi por isso que meu amigo idiota pediu que eu viesse beijá-la. Você não é feia... Eu apenas... Desculpa... — 

            ‘’Foi uma péssima idéia’’

            Pensou consigo mesmo, virando-se de costas para ir embora e nunca mais encontrá-la novamente. Iria afastar-se daquela boate se fosse preciso. Não era a sua preferida de todas as formas.

            Assassinaria o melhor amigo que gargalhava do outro lado da boate, agora sentado em uma das mesas. Mordeu o lábio, visivelmente irritado. Não olharia para trás estava decidido. Queria apenas voltar para casa e se jogar em sua confortável cama. Como fazia todos os fins de semana.

            Planos estavam surgindo em sua cabeça quando fora puxado com brutalidade e jogado contra a parede mais próxima. Por pouco não havia caído de qualquer jeito no chão. Braços fortes rodearam sua cintura e dedos apertaram sua bunda. Não havia pudor algum.

— Mas o que...? —

            Roger deparou-se com o casaco já conhecido e ergueu os olhos para cima deparando-se com os lábios finos, antes pegajosos, agora estavam limpos.

            O aperto em sua bunda ainda se seguia. O que era realmente um incomodo. E quando tentou afastar a garota, que era muito forte, para longe de si, ela o apertava ainda mais contra seu corpo.

— Espera... — gemeu assustado.

            ‘’Porque diabos é tão forte?’’

            Aproximou os dedos ate o pulso da outra e tentou puxá-lo para longe.  Inutilmente.

— Por favor, você poderia me soltar? Eu sou gay ok? Eu sou gay! Não gosto de garotas, sinto muito. — havia certo desespero.

            Ela não respondeu, mas o aperto contra as nádegas de Roger havia ido embora. Ele suspirou aliviado, e travou logo após sentir os dedos alheios subirem por suas costas ate a sua nuca.

            Suas costas voltaram a bater contra a parede. O cabelo fora puxado com força e Roger obrigou-se a erguer o queixo para cima. Os olhos negros encontraram os da estranha e o sorriso perverso nos lábios dela ainda estava ali.

            Gemeu baixo arrastado. A perna se encaixou entre as de Roger, e ele a sentiu ficar contra o seu pênis, apertando-o sem pudor algum. A outra mão, que não estava puxando o seu cabelo, desceu ate sua cintura e o trouxe para bem mais perto.

            Roger ofegou. Iria gritar com a garota e antes mesmo de pensar em quais ofensas lhe dizer, a garota o beijou. Os olhos arregalaram-se assustados. Roger ficou na ponta dos pés, tentando inutilmente afasta-se do joelho atrevido que estava contra sua intimidade.  

            O rapaz gemeu no beijo por que ela beijava muito bem. Mesmo ainda apertando seu cabelo e a musica horrível tocando no fundo, Roger sentiu-se quente com o contato. Pensou em morder-lhe os lábios, mas havia finalmente conseguido o que queria. Mesmo que não fosse da maneira que havia pensado. Ele subiu as mãos para os ombros largos e as deixou ali, aproveitando a língua molhada da garota.

            Roger fechou os olhos. Estava mesmo sendo dominado por uma mulher. Com o seu melhor amigo assistindo e rindo, por que Roger o conhecia muito bem e sabia que ele estava. Seria motivo de piada por longos dias. Mas não era realmente um problema. Não quando ela o beijava gostoso.  

            Os lábios finos ainda estavam contra os de Roger, e algumas vezes ela o mordia, respirava e então voltava a beijá-lo novamente. Não estavam sujos por um batom, mas mesmo assim ele conseguiu sentir o gostinho doce. Não o incomodava de qualquer modo. Roger pensou consigo mesmo que não haveria problemas tocar-lhe os seios. Ela estava praticamente o masturbando com o joelho. No fim fora ela quem começou.  

            Timidamente desceu a mão ate os seios da garota. Era a primeira vez que iria tocar nos seios de uma mulher. Apertou-os, ou tentou por que ela não tinha. Isso pareceu incomodá-la. A menina afastou-se e Roger a seguiu com os lábios, implorando para que não se negasse a continuar beijá-lo.

            Abriu os olhos preguiçosamente. Ainda estava letárgico por causa do toque e preparava-se para se desculpar.

            Os olhos azuis encontraram os de Roger, avaliando o rosto do garoto. Ele respirou fundo, envergonhado. A garota afastou-se um pouco, e ele estava livre do joelho que antes o provocava.

— Descu... — a voz saiu baixa e incompleta. A garota segurou os dedos do rapaz e os levou para baixo de seu vestido. Roger sentiu as bochechas quentes. Era gay. Nunca havia tentado com uma menina. E sentir a pele suave de sua coxa, contra os dedos lhe trazia uma sensação diferente. Nada parecido com excitação. Talvez apenas um pouco de curiosidade.

            Ele deixou que ela levasse os dedos de Roger ate a sua calcinha.

 ‘’Uma cueca...?’’ concluiu após tocar o tecido. Havia algo dentro. Grosso e duro. Roger o apertou com as pontinhas de seus dedos e assustou-se, puxando-os para si novamente.

— Não é uma garota. — sussurrou para si mesmo. A voz tremia como nunca.

— Você tem problemas por perceber isso agora? —

            Roger engoliu em seco. Havia sido enganado. Ou talvez não. Fosse apenas um idiota que não havia percebido de primeira. Não é como se aquele homem o tivesse dito que era uma menina, mas ele não o corrigiu quando Roger pensou que fosse.

            ‘’Meu Deus... Estava obvio’’

            Sem pensar, Roger empurrou o homem para longe. O som voltava aos seus ouvidos, por que antes nada era mais importante do que aquele beijo. Ainda confuso, procurou pelo amigo ele não estava mais lá.

Respirou fundo, puxando os fios para trás. Algumas pessoas o empurravam pelo caminho enquanto caminhava apressado para fora da boate. Olhou uma ultima vez para trás, e sentiu-se aliviado ao ver que ninguém o seguia.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...