1. Spirit Fanfics >
  2. Parts Of You - Reddie >
  3. Você fala de mais!

História Parts Of You - Reddie - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Você fala de mais!


Fanfic / Fanfiction Parts Of You - Reddie - Capítulo 2 - Você fala de mais!

- Eddie On -


Chee ajeitava os ócolos com uma das mão enquanto a outra ajeitava a alça da mochila, nos ombros. Ele tinha essa mania de sempre "ajeitar" os óculos no rosto, quando estava nervoso ou mentindo.  

— O que está escondedo, Chee? Mal olhou na minha cara hoje. Está estranho.

Richie parou seus passos e finalmente me fitou. Seus lábios estavam curvados e ele me olhava apreensivo. 

— Não é nada, Eddie...eu só preciso descansar um pouco, não tenho dormido bem esses dias. 

Chee abaixou a cabeça lentamente e voltou a caminhar do meu lado, a diferença é que agora o mesmo segurava meu dedo mindinho, era a forma dele de dizer que vai ficar bem. 

— Senti sua falta. N-na escola...e você nem me mandava mensagem alguma. Fiquei preocupado!

Uma risada baixa foi ouvida por mim, ele finalmente riu, já estava sentindo muita falta disso, dele. 

— Eu precisava de um tempo. Com todos vocês, precisava pensar um pouco, sinto muito, Ursinho. 

Agora meu rosto não passava de uma expressão de raiva, eu iria surtar. 

— Já falei pra não me chamar assim! Seu imbecíl! 

— Ji fili pri nim mi chimir issim, si imbicil...

Agora sim ele voltou a ser o Richie que conheço. VOLTOU A ME IRRITAR, esse otário. 

— Cala a boca! Para de me irritar! Se continuar com isso eu vou embora, entendeu?! 

— Mas você prometeu dormir comigo hoje, Eds! Isso não é justo seu otário! 

Minhas bochechas coraram, por alguns segundos eu senti elas esquentarem a pele, me fazendo ficar quieto e apenas assentir o que foi dito antes. Ta...idai que foi só uma frase boba? Amigos dormem juntos, não é? Eu não ligo.

— Desculpe ter gritado com você... vamos entrar? Já chegamos. 

Continuou ele, enquanto abria a porta de casa e me puxava devagar. Ele fechou a porta de casa quando entramos e logo vi sua mãe no sofá, assistindo algum programa na TV. 

— A-ahn...Oi tia! Eu vim dormir aqui, se não um problema, é claro! 

— Não tem problema algum, querido! Tem cereal no armário de pudim de leite no congelador, mas não exagerem ein! Tem que jantar primeiro. 

Ela dizia enquanto se levantava do sofá e desligava a TV. Sorrio pra gente e subiu pro quarto, nos dando boa noite e dizendo que já ia dormir. 

— Ela parece de bom humor...

— É só porque você está aqui, Eddie.

Richie passou por mim, subindo as escadas e indo em direção ao seu quarto. O acompanhei, tentando não fazer muito barulho ao subir a escadas barulhentas de sua casa. 

— Nossa...está diferente! Faz tempo que não venho aqui, né? 

Richie estava pegando uma roupa no armário, quando me notou ali, se aproximou de mim, entregando uma muda de roupa. 

— Imagino que não tenha trazido um pijama, então estou lhe emprestando esse. E sim, faz um tempão que você não dorme aqui. 

Richie solta uma gargalhada. Senti falta disso também...merda. Eu queria tanto o abraçar e ficar ali, nos braços dele, assim como quando erámos crianças.

— Eu vou ajeitar a cama enquanto você toma banho, depois eu vou. 

— Ah! Claro, estou indo. 

*

- Richie on -

Eddie saiu do banheiro já vestido com minhas roupas, que ficaram um pouco grandes nele. A calça moletom parecia que cairia a qualquer momento, um sorriso sugiu em meus lábios com a visão em minha mente. Mas que merda, pensar nele assim me deixa inquieto. 

— Vem cá, Eddie...deixa eu ajeitar essa calça. 

Me aproximo de seu corpo, o puxando lentamente pelo elástico da calça. Sinto sua respiração em meu rosto, ele estava perto de mais, se eu subisse a cabeça, eu poderia sentir seus lábios.
Apertei mais o elástico, indo devagar em cada passo, não queria que aquele momento acabasse nunca.
Finalmente comecei a amarrar, dando um laço e pronto, a calça infelizmente não cairia mais, que pena. 

— Melhor?

Sussurrei perto de seu rosto, eu sabia que ele ficaria sem jeito com isso, ele sempre fica. Senti suas mãos me empurrarem de leve, apenas o suficiente para ele me encarar sem parecer estranho de mais. 

— U-uhum...melhor, sim. 

Um sorriso ladino surgiu em meus lábios, e me afasto pegando a toalha e seguindo para o banheiro, não era preciso olhar pra trás pra saber que Eddie continuava parado ali, sem saber o que fazer. 

*

Os olhos de Eddie estavam grudados no meu teto, que ainda tinha várias estrelas brilhantes, as mesmas da nossa infância. Passei devagar por ele, vestido apenas de uma boxer preta e a toalha nos ombros. O provocar era o que eu mais gostava de fazer, e não pouparia esforços.
Abri a porta do armário, fazendo um barulho, que finalmente o despertou, Peguei um moletom bem grande. Agora Eddie tinha seu olhar pousado em mim, mas que logo foi desviado, me fazendo rir baixinho e colocar o moletom.

— Afasta...vamos dormir juntos, sabe? 

Disse num tom mais baixo e brincalhão, fazendo com que ele fizesse cara feia e um biquinho surgisse em seus lábios avermelhados, lábios esses que eu gostaria muito de beijar.
Ele finalmente se afastou e virou de costas pra mim, em silêncio. Apaguei a luz e me ajeitei atrás dele, passando o cobertor por seu corpo.
O silêncio ainda se fazia presente, e estava me encomodando. Eddie nunca ficava assim comigo, ele fazia questão de falar o quanto eu sou idiota, a todo momento. 

— Por que me puxou daquele jeito? Poderia simplesmente ter me dito que dava pra acoxar o elástico, Richie. 

Suspirei, notando raiva na sua voz, mesmo falando quase num sussurro, eu notei. 

— Porque eu quis. E você não reclamou, Eddie. Então, qual o problema, afinal? 

— N-nenhum! Eu só...você me pegou de surpresa. Eu estava de boa e você, pah! 

Eu ri de sua explicação boba, era fofo o jeito como explicava sempre que estava nervoso. 

— está nervoso? Precisa se acalmar? Posso te ajudar com isso, Eddie...

Confesso que o tom de minha voz agora me surpreendeu. Nem eu mesmo me conheci naquele momento, mas ei gostei disso, e o afetou, porque eu senti seu corpo se arrepiar com o sussurro. 

— V-vai dormir, Chee! E-eu...estou calmo! 

Ele se virou de frente pra mim, batendo no meu ombro. Eu mal podia ver seu rosto, etava muito escuro, mas eu senti sua respiração em meu pescoço, e estava se aproximando mais.
Senti o toque da sua palma em meu braço, e logo um selar foi depositado em minha bochecha. No começo eu fiqui paralisado, ele estava mesmo fazendo carícias. 

— Você que precisa se acalmar, Richie. 

Sua voz ao chamar meu nome...aquilo me deixou quente. Seus beijos que agora, desciam por meu maxilar, agora estava em meu pescoço, e estavam molhados. Senti uma leve mordidinha ali, que me fez soltar um gemido sôfrego. Suas mãos se enterraram por baixo do moletom, me fazendo arfar ao sentir seus dígitos gelados em contato com minha pele quente, que agora pegava fogo. Nunca senti isso antes, e é tão bom. 

Senti que precisava fazer alguma coisa, queria o tocar também, mas quando tentei inverter as posições, suas mãos apertaram mais minha cintura, o que me fez tombar o pescoço para o lado, uma risadinha saiu de seus lábios, que agora estavam perto do meu ouvido, e isso fez meu corpo todo arrepiar, eu estava tão excitado. 

— Você deveria pensar bem antes de me provocar, Chee...

Finalmente segurei sua cintura, a apertando. Eu precisaba descontar minha frustração em algo, e deu certo.
Um gemido foi dado pelo mesmo, que quando percebeu o que fez, tapou os lábios e acabou sentando em meu colo, logo em cima do meu pau. E puta merda...esse garoto me odeia. 

— Chee, e-eu...desculpe! 

Senti o mesmo se afastar, entrando no banheiro e trancando a porta. Me deixando ali, sozinho e com uma ereção que ELE causou.
Merda! Logo quando eu consigo sentí-lo, Eu estrago tudo! Maldito seja o meu desejo...droga! 

— Eddie...por favor, abre a porta. 

Pedi baixinho, enquanto encostava a testa na porta gelada. Fazia minutos que ele estava ali dentro, e em silêncio. 

—Não consigo olhar pra você, agora...e-eu...merda! Por que eu fiz aquilo? 

— Porque você quis! Porque você quer, Eddie...eu sei que quer. 

— Não. Você não sabe...você, você não sabe de nada, Richie! Merda...eu te deixei daquele jeito?! 

— Sim. Você me deixou duro pra caralho! E ainda estou... e a culpa é sua, e da sua boca!

Escutei a porta destrancar, e me afasto, esperando o mesmo abrir. 

— Você me provocou primeiro! Seu...seu imbecil! 

O mesmo ia passar por mim, provavelmente sairia do quarto e dormiria na sala. Mas eu fui mais rápido e o puxei, o prensando na parede ao lado do banheiro. Senti outro tapa no meu ombro, mas dessa vez mais forte, o que fez com que soltasse um moxoxo. 

— Estou tentando te dizer que quero isso a muito tempo! Não aguento mais você apenas me obsevando! Todo mundo já percebeu o quanto você me quer, Eddie! Pare de ser assim, porra! Eu  tô aqui todinho pra E você E você vem com essa de "A cul- ...

Minha fala foi cortada pelos lábios de Eddie. Foi apenas um selar demorado, mas que significou muita coisa, eu sei que sim. 

— você fala de mais.




Notas Finais


Olha... eu sou muito indecisa e talvez eu apague essa fanfic antes mesmo de terminá-la mas eu acho que com ajuda de vocês, eu consiga continuar sim! Porque eu quero muito terminar essa fanfic, sabe? Nunca consigo completar, acabo apagando sempre.

Enfim, epero que tenham gostado e desculpem os erros! Até o próximo Capítulo. 🐍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...