História Partykids - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Jinmin, Namkook, Vhope
Visualizações 67
Palavras 2.365
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oiiiii, demorei? um semana? acho que sim, algo desse tipo, noa sei.
sentiram minha falta?
aí, digam a verdade, mas se for doer, podem mentir mesmo, rs.
enfim, preparados para esse capítulo? está destruídor de corações, quem for cardíaco eu sugiro que tente se controlar, viu.
bom, avisos nas notas finais, boa leitura e desculpa qualquer erro. :3

Capítulo 16 - Bendito seja o boliche que enaltece Taegi


Parecia que tudo estava indo bem. Taehyung e Namjoon estavam de volta, como bons e velhos amigos.


Também estava próximo de Jungkook, e bem, conversava algumas vezes com Yoongi. Sem remorsos, poderia assim dizer.

Nisso, Namjoon também lhe explicou o que estava tendo com Jungkook. Não era bem um namoro, mas também não era uma amizade. Bem, eles tinham um lance, e se gostavam muito.


Já se acostumaram com toda a melação daqueles dois. Virou uma rotina os quatro se encontrarem, Yoongi e Taehyung ficavam tirando sarro do casal.


E Hoseok, bom, não deu sinal durante esse tempo. Taehyung quase suspiraria de alívio, mas sabia que Hoseok estava aprontando alguma, não era possível.


– Vamos sair hoje, hyung? – Jungkook perguntou para Taehyung, enquanto arrumava as roupas encima do balcão.


– Por mim, tudo bem. – colocou algumas moedas no caixa.


– Alguma sugestão de lugar? – dobrou algumas camisas.


– A gente poderia ir para algum lugar diferente, que tal? – sugeriu.


– Um motel? – rebateu.


– Ha, ha, ha, muito engraçado. – fingiu uma risada.


– Ah, vamos. – disse malicioso.


– Você vai com o Namjoon, eu fico é longe. – fez careta


– Até parece que você é inocente, Taehyung. – franziu o cenho.


– Mas eu sou! – exclamou.


– Senta lá, Cláudia. – disse debochado.


Ambos saíram juntos do trabalho, caminhavam pela rua conversando sobre algo aleatório. Iriam para suas casas, e depois para um ponto de encontro


– Certo, fala lá no grupo, vamos ver qual a sugestão que temos. – Jungkook falou, quando foi chegando na rua que precisava entrar para poder ir para sua casa.


– Ok. – fez um joinha com a mão. – Te vejo depois, Jungkook. – se despediu, indo para a casa.


E foi sozinho. Depois do episódio que aconteceu entre Hoseok, ficava um pouco receoso de ir sozinho, e por isso, Jungkook pegava o caminho mais longo para poder acompanhar Taehyung por mais tempo.


Estava frio em Seul. O Kim colocou a mão dentro do bolso do casaco e suspirou. Sabe aquela sensação de estar sendo perseguido? Taehyung estava sentindo.


Apressou os passos, quase correndo. Sua respiração estava descompassada e ele olhava para todos os lugares possíveis, mas não viu nenhuma movimentação estranha. Devia ser coisa da sua cabeça.


Abriu a porta rápido, fechou como um raio e se escorou depois, trancando na velocidade que conseguiu, mesmo com o frio, estava suando.


– Filho? Já chegou? – ouviu a voz da sua mãe, que parecia vir da cozinha. Tratou de se recompor.


– Oh, sim. – respondeu.


– Vou trabalhar agora, Jimin está na casa do Jin. – foi até o filho. – Você vai sair agora?


– Vou tomar um banho ainda. – tentou sorrir.


– Certo, eu estou indo. – beijou sua testa. – Te amo, e não chegue muito tarde. Qualquer coisa durma na casa do Namjoon. – abriu a porta.


– Okay, mãe. – retribuiu o beijo na testa que a mãe lhe dera. – Também te amo, se cuida. – acenou.


Viu sua mãe se distanciar e soltou o ar preso em seus pulmões. Só acordou do transe quando ouviu seu celular vibrar dentro do bolso, logo tratou de o tirar imediatamente.


Namkook namora:


JK:


Gente, vocês já escolheram o lugar??


Namjoon, não mais pedreiro:


Ainda não, Taehyung ainda não colocou o cérebro dele para pensar num lugar. [emoji revirando os olhos].


Yoongi:


Gente, ele já não deveria estar em casa? [emoji pensante].


Namjoon, não mais pedreiro:


Sim, deveria ter chegado há uns 10 minutos.


JK:


Eu vim para casa e ele foi para a dele, como sempre fazemos. Acho que ele foi logo se arrumar, não se desesperem.


Não gostava de deixar seus amigos preocupados assim. Mas, eles não estariam exagerando? Ele não era nenhuma criança, sabia se cuidar, ou tentava.


Kim Taehyung:


Calma! Eu estava me despedindo da minha mãe, relaxem esse cu.


Claro, todos ficaram aliviados com isso. Já estavam criando mil paranóias em suas cabeças sem nexo.


Yoongi:


Ufa! Lugares?


JK:


Temos que ir em lugares novos. Sorveteria e cafeteria se tornaram monótonos.


Kim Taehyung:


Que tal o boliche?


Yoongi:


Acho uma boa.


Namjoon, não mais pedreiro:


Incrível, Taehyung! Certo, vamos ao boliche. Se arrumem, passarei na casa de vocês.


Yoongi:


Jungkook já está no banheiro, puff.


Kim Taehyung:


Vou me arrumar, espero vocês. ><.


Depois de alguns minutos (bons minutos), Namjoon apareceu buzinando na casa de Taehyung. Com pressa, colocou uma touca e saiu de casa.


– Para de buzinar, caralho. – gritou para o amigo. E logo entrou no carro.


– Já chega na agressividade. – reclamou Namjoon.


– Fecha seu ânus. – fechou a porta.


– Está bem fechado, se você quiser saber. – retrucou. Dando partida no carro.


– Oi, garotos. – ignorou Namjoon e falou com Jungkook e Yoongi que estavam no banco de trás.


– Oi, Taehyung. – os ouviu em uníssono.


– Qual boliche pretendem ir? – perguntou.


– Aquele lá do shopping? – arriscou Jungkook.


– Pode ser, pode ser! – Namjoon disse.


Em poucos minutos, já estavam no shopping, indo para o boliche. Não estava tão cheio quanto eles imaginaram, até que tinha pouca gente.


– Vamos jogar de duplas? – indagou o mais novo.


– Apostado? – complementou Taehyung.


– Concordo. – Namjoon assentiu.


– Eu sempre saio fodido nisso aí. – o pálido cruzou os braços, em descrença.


– Não seja tão chato hyung, sim? – Jungkook fez biquinho, de jeito algum que Yoongi resistiu.


– Ok, ok. Eu vou. – disse derrotado.


– Dois ou um? – interrogou Taehyung.


– Sim. – concordaram.


Depois de uma partida de dois ou um, as duplas ficaram, Jungkook e Namjoon, consequentemente Yoongi e Taehyung. (Super clichê, eu sei).


– Certo. O casal número um vai ganhar. – Namjoon se gabou.


– Tá’ se achando a última bolacha do pacote, mas sempre vem quebrada, lembre-se. – Taehyung cortou o barato do amigo.


– Dane-se. – xingou, os três riram.


– Daremos prioridade ao casal. – Yoongi riu debochado.


– Obrigado, e não deboche da nossa cara, Min. – Jungkook disse irritado.


– Cuidado que ele tá’ bravo. – gargalhou.


– Eu vou voar na tua cara. – ameaçou o maknae.


– Não liga para o que ele fala, Yoongi. Deve estar sentindo o gostinho da derrota. – Taehyung entrou na brincadeira.


– Eu sei, Tae. – cerrou os olhos, Taehyung franziu a sobrancelha, Tae?


– Deixem de enrolação, vamos logo com isso. – Namjoon interviu.


Jungkook e Namjoon começaram, Jungkook era muito bom no boliche, já Namjoon era muito ruim. Equilíbrio é tudo.


No final, a pontuação foi razoável. 5 strikes estava de bom tamanho, talvez?


Vez de Yoongi e Taehyung. Eram quase do mesmo nível, só mudava que Taehyung era um pouquinho. (Só um pouquinho) melhor. Acabou que ganharam, 6 strikes.


– Ops, acho que ganhamos. – o pálido implicou com eles.


– O que vocês vão querer? – Jungkook revirou os olhos.


– Vão comprar comida para a gente. – Yoongi disse. – Vou querer hambúrguer com batata frita.


– E você, Taehyung? – o mais novo disse com má vontade.


– Pizza com coca. – pediu.


– Okay, nós vamos. – resmungou Namjoon.


Os dois saíram de má vontade, não conseguiam acreditar que haviam perdido no boliche.


– A gente perdeu. – Jungkook reclamou, o garoto tinha um espírito muito (muito mesmo), competitivo.


– Veja pelo lado bom, Jungkook. Taehyung e Yoongi estão sozinhos, e isso já ótimo para que eles possam se entender. – sorriu.


– Eu nem havia percebido isso. Vamos demorar um pouco, dar uma volta no shopping, quem sabe. Iremos deixar eles um pouco sozinhos. – sugeriu.


– Comprar roupas? – disse animado.


– E lá vamos nós atrás de roupas Tumblr’s para Kim Namjoon. – ambos gargalharam.


Yoongi e Taehyung ficaram sem jeito na presença um do outro. Mesmo depois de ficarem tantos meses na presença um do outro. Nunca ficaram sozinhos assim desse jeito.


– Err… Nós ganhamos. – Yoongi disse animado.


– Sim, foi divertido. – tentou soar na mesma intensidade que Yoongi.


– Como tem se sentido, Taehyung? – perguntou, parecia ser honesto.


– Bem, eu acho. – disse.


– Tem certeza? – perguntou novamente.


– Depende em que sentido você está dizendo. – deu de ombros.


– Em relação à tudo. – suspirou.


Perdido. – olhou para o pálido.


– Eu também me sinto um pouco perdido às vezes. – confessou.


– É só um pouco confuso. – mordeu os lábios.


– Durante muito tempo na minha vida eu me vi sozinho. Nem mesmo com Jungkook ao meu lado eu me sentia bem, mesmo com tudo isso, eu continuava vazio. Mas há pessoas tão mais vazias que eu. – fechou os olhos.


– Eu sinto que ninguém gosta de mim verdadeiramente. – Taehyung já sentia lágrimas se formarem em seus olhos, mas não iria chorar.


– Um dia você vai encontrar alguém. – segurou em sua mão.


– Não digo amorosamente, digo em geral. – mexeu um pouco a cabeça para o lado.


– Mas eu gosto de você, Taehyung. – Yoongi admitiu.


Levantou suas sobrancelhas como se aquilo fosse algo sinistro de ser ouvido.


– Oi? – perguntou novamente.


– Eu gosto de você, Taehyung. Da pessoa que você é, do seu jeito. Você é um bom ser humano, só não percebe isso. – apertou sua mão.


– Estou sem palavras. – abaixou a cabeça, com vergonha.


– Não queria te deixar desse jeito. – segurou o queixo de Taehyung, inclinando para fazer contato visual.


– Tudo bem, é só… – ia terminar de dizer, mas Yoongi o interrompeu.


– Talvez eu me arrependa disso depois. – analisou as orbes castanhas do Kim.


– De quê? – disse confuso.


Não deu tempo de responder, Yoongi colou os lábios nos de Taehyung. Era um beijo sincero, sentia isso. E beijar Yoongi...não estava nos seus sonhos tão cedo, depois daquele fora. Nunca pensou que isso fosse se ocorrer.


Mas bem, já que estavam se beijando, iria aproveitar. Retribuiu, pedindo passagem com a língua que logo o pálido cedeu. Já Yoongi, não queria admitir, mas era o melhor beijo da sua vida.


Infelizmente, lhes faltaram o ar, e precisarem se separar. Ficaram se estranhando, o clima ficou diferente, ambos corados sem coragem de dizer nada.


– Me desculpe, eu… – mais uma vez fôra interrompido pelo pálido.


– Shh. – sussurrou, calando o acastanhado com outro beijo, bem, o arrependimento ainda não havia chegado, iria aproveitar.


Jungkook e Namjoon já voltavam, nem compraram tantas roupas. Só algumas. Namjoon se sentia realizado quando comprava roupas novinhas em folha.


– Estou renovado. – Namjoon sorriu.


– Consumismo. – debochou Jungkook.


– Palhaço. – revirou os olhos.


– Namjoon… – Jungkook cutucou seu braço.


– Diz. – disse sem muita vontade.


– Olha. – apontou. Namjoon seguiu para onde o Jeon apontava. Taehyung e Yoongi  estavam se beijando.


– Ae, caralho, porra! – exclamou animado.


– Isso aqui é um programa de família, não diga palavras de baixo calão. – o mais novo lhe deu um peteleco.


– Foda-se. – rebateu.


– Idiota. – lhe deu um peteleco.


– Aí, minha cabeça. – resmungou.


– Deixamos eles aí, ou.. – ignorou o drama que Namjoon fazia.


– Deixa eles terminarem a pegação, e a gente vai lá como se nada tivesse acontecido. – disse.


– De fato, é um ótimo pensamento. Vamos sentar um pouco longe. – se sentaram em um sofá no boliche.


– Bem que a gente poderia reproduzir o que eles estão fazendo. – Namjoon sugeriu maroto.


– Fica quieto. – respondeu o mais novo, com uma careta aparente no rosto.


Ambos se afastaram. Taehyung e Yoongi se encaravam depois de tantos beijos trocados. Estavam totalmente sem jeito.


– Jungkook e Namjoon devem estar vindo e… melhor parar. – Taehyung disse baixo.


– Tem razão. – o Min coçou a nuca.


Voltaram a postura inicial e tentavam desviar o foco para outra coisa. Taehyung balançava os pés e Yoongi estralava os dedos.


– Certo, não podemos deixar o clima estranho. – Yoongi se pronunciou.


– Eu sou melhor que você no boliche. – mudou de assunto rapidamente.


– Ora...moleque, eu que sou bom, por isso vencemos. – disse irritado.


– Você é um velho, hyung. – riu.


– Repete. – disse visivelmente irritado.


– Você é velho, hyung. – repetiu, debochado.


– Quem é velho? – ouviram a voz de Jungkook, ficaram surpresos no começo.


– O Yoongi. – Taehyung debochou.


– Me segurem, eu vou bater nesse garoto. – disse irritado.


– Ei, calminha. – Jungkook segurou o mais velho.


– Se bem que ele está dizendo a verdade, hyung. – Namjoon riu.


– Olha aqui, Kim Namjoon. Você me respeita, insolente. Você é só um ano mais novo que eu e está falando bosta. – quase gritou. – E sou três anos mais velho que Taehyung e quatro anos mais velho que Jungkook, mas isso não vem ao caso.


– Pistolou. – Taehyung gargalhou alto.


– Melhor você fechar essa sua boquinha. – ameaçou.


– Certo gente, são só detalhes. Vamos para casa, né? – Jungkook disse, parecia ser o mais velho dali.


– Boa ideia. – Namjoon concordou. Pegaram as compras e seguiram para o carro. – Ah, antes que eu me esqueça, aqui o lanche. – entregou uma bandeja de papelão para cada um, com a comida que haviam pedido.


– Ainda bem, meu estômago já estava quase saindo. – Taehyung lambeu os lábios.


Foram comendo no caminho. Dividiram seus lanches com Jungkook e Namjoon, e ficaram conversando uma boa parte do caminho. Yoongi estava um pouco emburrado com o que Taehyung dissera. Não era sentimental ou algo do tipo, mas falaram da sua idade, era horrível.


– Me desculpe, hyung. – ouviu um sussurro de Taehyung ao seu pé do ouvido.


– Não sei do que você está falando. – sussurrou de volta, Jungkook e Namjoon pareciam estar bastante distraídos e não escutaram o que eles sussurravam.


– Sua cara fechada já diz tudo. – riu baixinho.


– Nada haver. – deu de ombros.


– Me desculpe, huh? Não fiz por mal. – lhe cutucou.


– Tanto faz. – disse ainda irritado.


– Não seja assim. – viu se os dois rapazes estavam olhando, ambos estavam distraídos entre si. – Me desculpe. – deu um selinho demorado nos lábios finos de Yoongi.


– Tudo bem, você venceu. – revirou os olhos.


– Isso, porra. – xingou animado.


O carro parou, Yoongi e Taehyung se afastaram e agiram como se nada tivesse acontecido. Não queria que os amigos soubessem de nada que não estivesse concreto. (Coitados, mal sabiam que eles já haviam até visto).


– Está entregue, Taehyung. – Namjoon sorriu e destravou o carro.


– Obrigado por hoje pessoal. – foi sincero. – Me diverti bastante.


– Nos divertimos também, Tae. Iremos repetir isso mais vezes. – jurou que Jungkook estava sorrindo.


– Eu espero que sim. – saiu do carro. – Tchau. – acenou.


– Tchau. – ouviu a voz dos três, e logo eles foram embora.


Taehyung virou de costas e colocou a chave no trinco. Mas por alguma razão, ficou ofegante de repente.


Não sabia como aquela sensação se apossou de si, mas se sentia pressionado e observado. Tentou abrir a porta, mas parecia que era a chave errada, ele não tinha a capacidade de abrir.


– Por favor… – suplicou para qualquer coisa que o ouvisse e fizesse aquela porta abrir.


Olhou para trás e viu um carro preto de frente a sua casa, mas o motor estava ligado. Ele conhecia aquele carro, conhecia muito bem. Era o carro de Hoseok. Sentiu seu pulmão parar por algum instante.


O vidro foi aberto e ele viu que realmente era Hoseok. O mesmo sorriu para ele e logo acelerou, deixando Taehyung atordoado, assustado e desesperado.


Mas então a porta finalmente abriu, suas mãos tremiam. Fechou a porta rapidamente e escorregou até o chão.


Não sabia ou não queria definir como se sentia naquele momento. Mas não gostaria de ver Jung Hoseok nunca mais, mas isso estava longe de acontecer.


Notas Finais


MUITOS ACONTECIMENTOS PARA PROCESSAR, SOCORRO.
então gente, o que acharam?
foi muito tenso, foi muito....menina do céu, quase caí para trás.
mas...pausa para os horários comerciais:

eu criei um Instagram gente, lá eu posto várias coisinhas, enquetes, spoiler, respondo as perguntas de vezes e quem sabe até role um sorteio maroto, então me sigam lá para não perder nadinha.
https://www.instagram.com/watermelonspirit/

voltando.
esse foi o maior capítulo que escrevi nessa fanfic K.
me esforcei viu, jesus.

bem, provavelmente tenha apenas mais 4 capítulos para a fanfic finalizar, pois é. estoy muito triste com isso...mas tudo que começa um dia termina, né.

outra coisa, alguma capista está aceitando pedidos? estou desesperado atrás de uma capista, me ajudem!!!

pois bem, é isto.
espero que tenham gostado, até o próximo capítulo, amo vocês. 🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...