História Partykids - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Comedia, Partykids, Taegi, Watermelons, Yaoi
Visualizações 61
Palavras 2.147
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OI!
não me aguentei, escrevi muito e resolvi postar logo tudo, fico muito ansiosa com isso.
preparem os corações, digo nem brincando, vai afetar todas as estruturas.
boa leitura e desculpa qualquer erro.
LEIAM AS NOTAS FINAIS, POR FAVOR!

Capítulo 7 - O joelho do Namjoon quase seria uma salvação


Uma semana. Foi exatamente uma semana com Taehyung tentando alguma coisa com Yoongi. E o pálido já estava de saco cheio.


– Uou, sua cara está horrível. – Jungkook disse sincero. – Está irritado?


– Estou! Tem um cara, dando em cima de mim. Olha, eu sei que sou irresistível, mas sabe, eu não quero relacionamentos agora. – suspirou.


– Diz isso pra' ele, e não pra mim. – Jungkook riu.


– Eu já tentei, com suas cantadas, e tipo, ele marcou uma festa, parece que é para o irmão dele, e merda, não tem como eu escapar! – bufou irritado.


– Me deixe ver quem é. – disse curioso.


Yoongi vasculhou o celular e entregou o aparelho, para ele ver a foto do indivíduo.


– Passado! – Jungkook exclamou.


– O que foi? – arqueoou as sobrancelhas.


– Ele trabalha comigo, esse é o Taehyung. – entregou o aparelho de volta. – Nossa.


– Ah, sério? Então bem que você poderia dizer para ele, né?


– Não me meto nesse tipo de assunto, hyung. – riu.


– Eu não quero parecer grosseiro. Mas já tentei de todas as maneiras. – passou a mão entre os fios.


– Faça o seguinte. Diz que não quer nenhum tipo de envolvimento agora, ele vai entender. – piscou.


– Você acha que ele é capaz? Eu tentei de todos os jeitos, só que, ele nunca entende. Se eu for direto, você acha que ele entende?


– Acho que sim. O Taehyung é capaz sim. – deu de ombros. – Mas seja sutil! – avisou.


– Certo. Mas eu acho que deveria dizer isso pessoalmente? – disse incerto.


– Você nem conhece ele direito e nem o vê. – riu. – Fala por mensagem mesmo, se ele não compreender, eu digo para ele no trabalho, combinado?


– Combinado!


– Agora eu preciso ir, até mais. – se despediu e logo saiu.


Taehyung andava de um lado para outro, Yoongi não respondia suas mensagens de jeito algum, e é, Taehyung conseguiu achar o Instagram dele, que encheu de curtidas e arriscou até alguns comentários.


Hoje teria folga no trabalho, mas iria aparecer lá mais tarde para pegar seu pagamento.


Chamou Namjoon para passar o dia em sua casa, e lógico, ele aceitou. Taehyung ficou eufórico toda essa semana, tirando print e mandando para Namjoon.


É, bem, Namjoon já sabia que não iria dar certo, já que Yoongi estava visivelmente desinteressado, mas iria ter uma conversa pessoalmente com ele.


Assim que o amigo chegou, o mais novo deu um forte abraço nele, alegando que estava com bastante saudades.


– A gente se viu ontem, Taehyung. – gargalhou.


– Eu estou mais carinhoso, aproveita. – fingiu jogar os cabelos para trás.


– Bom… – Namjoon disse sem graça. – Tudo bem.


– Hyung! – Jimin veio correndo para abraçar Namjoon.


– Oi, garoto. – Namjoon bagunçou seus cabelos e deu um abraço no pequeno.


– Fiquei com saudades. Você nunca vem quando eu estou em casa. – fez bico.


– Culpa do seu irmão. – culpou Taehyung.


– Ele é muito chato, hyung. – confessou Jimin.


– Eu sei. – Namjoon disse baixo, como se fosse um segredo.


– Ei! Eu ainda estou aqui, não falem como se eu não estivesse. – disse emburrado.


– Desculpa. – Jimin disse, descendo os braços de Namjoon. – Depois a gente brinca, hyung. – e voltou correndo para seu quarto.


– Esse pirralho. – Taehyung reclamou.


– Seu irmão é uma graça.


– Cala a boca. – deu um tapa no ombro de Namjoon.


– E as coisas com o Yoongi, como vão? – engoliu em seco ao fazer aquela pergunta.


– Um pouco...ruins. – Taehyung afirmou.


– Taehyung, sinceramente, precisamos conversar sobre isso. – tomou a iniciativa de sentar no sofá.


– Sobre isso? Não tem o que conversar, Namjoon. – Taehyung sentou também.


– Está visível que ele tá’ cagando, Taehyung. É tudo profissional. – confessou.


– Ele pode estar se fazendo de difícil. – deu de ombros.


– Essas coisas não funcionam hoje em dia. O que custa demonstrar interesse em quem você realmente quer? É tão difícil? Perder ela do que investir? Isso é bizarro, cara. – fez careta. – Com certeza ele não deve ser assim.


– Como você sabe, Kim? – Taehyung só o chamava assim, quando ficava irritado.


– Ele está praticamente deixando na sua cara que não quer! – exclamou. – O que você acha das mensagens com um “Ok”, significam? Confirmação?


– Eu só… – não conseguia terminar, Namjoon tinha razão. – Ele poderia vir me dizer.


– Espera então. – cruzou os braços.


– Eu só esperava encontrar alguém, hyung. Sinceramente, eu acho que esse dia nunca irá chegar. Eu mandei mensagem, e eu estava tão empolgado que não entendi bem, mas sabe, eu vou continuar insistindo até que ele diga que não tem interesse em mim. – desabafou.


– É difícil, Taehyung. Mas vou deixar você fazer o que achar melhor, depois eu vou ter prazer em dizer “eu te avisei”. – gargalhou.


– Vou pegar meu pagamento, quer ir? – levantou do sofá que acabara de sentar.


– Pode ser, não quero ficar sozinho. – ia levantar, mas bateu o joelho na mesinha no meio da sala.


– Que porra, Nam. – Taehyung se assustou.


– Puta merda, meu joelho. – colocou a mão no joelho, com uma cara explícita de dor.


– Você é muito desastrado. – foi até Namjoon, tirando a mão dele do joelho, assoprando.


– Você acha que assoprar vai adiantar muita coisa, né? – resmungou.


– Se você reclamar, eu dou um tapa para piorar a dor. – ameaçou.


– A dor parou. – esticou o joelho, sorrindo satisfeito. – Só arrancou um pouco da pele. – apontou para o pequeno sangramento exposto.


– Espera um pouco. – foi até a cozinha rapidamente, voltando com um pedaço de guardanapo. – Limpa. – lhe entregou.


– Obrigado. – agradeceu de má vontade e limpou o machucado.


– Vamos pegar meu pagamento depois, a dor já vai ter passado. – se jogou no sofá. – Enquanto isso, quer jogar?


– Pode ser, nada de usar as pernas por pelo menos uma hora, essa porra dói muito. – reclamou.


– Vou pegar o jogo, está lá no meu quarto. – se levantou de novo. – Já já me dá um dor na perna de tanto que já levantei.


– Só pega o jogo, Taehyung.


– Chato. – indisposto, foi até o quarto, catando o jogo, pegou qualquer um. – Vai qualquer um mesmo. – seu celular estava na cama, com a tela brilhando, indicando que mensagens haviam chegado.


Pegou o celular em suas mãos, vendo a notificação. Seu coração parou por um milésimo de segundos, desbloqueou e clicou imediatamente.


M.Y <3:


Kim Taehyung, certo?


Me desculpe se isso soar um pouco grosseiro, mas…


Eu venho percebendo suas cantadas e investidas contra mim, e sinceramente, eu não gosto disso.


Espero que não fique chateado, logo logo os preparos da festa estarão prontos.


– Isso só pode ser brincadeira. – o rosto de Taehyung estava ardendo.


Suas mãos tremiam de leve, suas cantadas estavam tão explícitas assim? Claro que não. Então ele digitou rapidamente.


Kim Taehyung:


Oh sim, você é do tipo difícil, não pense que irei desistir assim tão fácil. Você é engraçado também. ^^


Bloqueou o celular e desceu correndo ao ouvir a voz de Namjoon.


– Você demorou. – o mais velho balançava a perna que não estava machucada.


– Estava muito escondido, faz tempo que não jogo. – mentiu.


– Certo… – disse desconfiado. – Coloca esse jogo aí, então.


Hoje o dia era muito corrido para Yoongi, sua cabeça estava cheia, nem conseguiu pegar o celular direito, apenas digitou aquelas coisas para Taehyung e depois não pegou mais o aparelho.


– Você sairá mais cedo, Yoongi. – seu chefe disse. – Por me ajudar aquele dia.


– Ah, certo! – uma alegria imensa atingiu seu peito, nunca agradeceu tanto por ter ficado até mais tarde no trabalho.


Terminou as coisas rapidamente, pensou em ir ao trabalho de Jungkook, esperar ele sair, aliás, estava devendo um momento de lazer apenas os dois, mas ele teve que ajudar o chefe no dia.


Iria esperar ele sair do trabalho para andarem juntos e voltar para casa também. Só bastava arrumar as fichas em ordem alfabética e estava finalizando o trabalho do dia.


Terminou em 10 minutos, ou mais um pouquinho. Só sabia que terminou, e então tirou sua roupa de trabalho e colocou seu típico moletom.


Se despediu de todos e caminhou até o trabalho de Jungkook, estava ansioso, por algum motivo, mas ele não sabia o porquê.


– Não exagera, Namjoon. – Taehyung segurava Namjoon, andando pela rua. – Você está mancando, e tipo, não é pra’ tanto.


– Porque não foi você que machucou a porra da perna na mesa, né? Essa merda está doendo para um caralho alado. Puta merda. – xingou.


– Boca suja. – riu. – Estamos quase chegando, eu só vou receber meu pagamento, babaca.


– A gente poderia gastar. – Namjoon sugeriu maroto.


– Eu vou guardar para o aniversário do Jimin.


– Eu tinha esquecido. – coçou a nuca, rindo sem graça.


– Palhaço. – revirou os olhos, chegando ligeiramente no estabelecimento. – Você espera aqui ou quer entrar?


– Quero entrar, lógico. – disse como se fosse óbvio. – Não sou otário o bastante para ficar aqui fora, vou lhe acompanhar para ver essas roupas incríveis.


– Você ficou estranho de repente. – Taehyung riu. – Mas vamos entrar.


Os dois entraram, Namjoon já sabia o que vinha a seguir, ou pelo menos tinha uma ideia.


Taehyung caminhou até o balcão, onde Jungkook estava virado de lado, Taehyung não conseguia ver pois havia um monte de tecido na sua frente.


– É rápido, prometo. – sussurrou para Namjoon, se aproximando.


– Claro, fique à vontade. – ouviu a voz suave e tensa de Namjoon, estranho, ele pensou.


– Jungkook você sabe aonde o… – parou de falar quando viu o pálido, o tão sonhado pálido em sua frente.


Engoliu em seco, Yoongi não demonstrava reação alguma, apenas deu o recado por mensagem e estava tudo certo.


– Oi! – Taehyung disse sorridente. – Oi, Jungkook. – acenou. – Olá, Yoongi. – tentou soar sensual.


– Oi, Taehyung. – Jungkook respondeu, um pouco aflito. Yoongi não respondeu.


– É falta de educação não responder o amor da sua vida. – jogou a indireta (bem direta) para Yoongi.


Yoongi arqueou as sobrancelhas, não queria ser grosso, ele se segurou, muito.


– Bom, o chefe está? – mudou de assunto, e Yoongi agradeceu.


– Lá dentro. – Jungkook sorriu tímido.


– Obrigado. – sorriu de volta e deu uma piscada para Yoongi.


Quando Taehyung entrou, o pálido suspirou.


– Eu tô' tentando não ser grosso, Jungkook, mas está sendo impossível! Eu já mandei a mensagem. – mordeu os lábios.


– Fica calmo. – fez uma massagem nos ombros de Yoongi.


– Certo! – fechou os olhos levemente.


Taehyung voltou com um grande sorriso nos lábios, Yoongi tentou se afastar do local, para que Taehyung não o visse.


– Yoongi. – Taehyung o chamou, o pálido fez uma careta de desgosto.


Ele virou para o mais alto e deu um sorriso forçado.


– Sim? – perguntou.


– Você quer sair, qualquer dia desses? – sugeriu.


– Taehyung, sinceramente… – ia dizer, mas Taehyung o impediu.


– Certo, amanhã? – sorriu ainda mais.


– Taehyung, me escuta! – quase gritou, ele se assustou. – Olha, eu não quero nada com você.


– Eu só achei que… – sussurrou.


– Você achou que eu estava interessado? Eu deixei bem explícito. – arregalou os olhos.


– Achei que você estava se fazendo de difícil. – rebateu.


– Me escuta, o que a gente tem é profissional, certo? Você pediu os trabalhos da empresa, e pronto, só isso. – desabafou. – Eu não quero você, Taehyung. E nunca vou querer.


Taehyung ficou em choque, seus olhos marejaram, e sua boca secou.


– Você pode por favor me deixar em paz? – pediu, mesmo querendo não ser grosseiro, foi o que ele transpareceu.


– C-Certo. – balbuciou.


Namjoon ouviu só um tom alto, olhou por cima dos ombros e Yoongi suspirava. Olhou mais um pouco mais e viu Taehyung com o rosto todo vermelho.


– Agora sai da minha frente. – pediu, sem paciência.


Taehyung mordeu os lábios, era difícil de respirar depois disso, seus pés automaticamente saíram do lugar. Ele saiu correndo.


Namjoon até iria atrás de Taehyung, mas sua perna estava machucada. Merda.


– Hyung, o que foi isso? – Jungkook reclamou, era só o que faltava, levar sermão do seu dongsaeng.


– Eu só estava de saco cheio. – deu de ombros.


– Merda, Yoongi. – bufou.


– E por que você está defendendo ele? Como se ele significasse algo pra’ você! – disse bravo.


– Você está sendo escroto! Ele significa, é meu amigo. Só, fica calado Yoongi. – suspirou cansado. – Melhor você ir para casa, eu vou sozinho.


– Eu vou ficar. – bateu o pé no chão, parecia que Jungkook era o mais velho dali.


– Que seja. – voltou para o balcão.


Namjoon tentava ligar para Taehyung mas ele não atendia, estava ficando preocupado.


– Ei! – ouviu a voz do moreno no balcão.


– Sim? – desviou o olhar do celular e olhou para ele.


– Você é amigo de Taehyung? – indagou.


– Sou melhor amigo dele, por quê? – sabia que ele era amigo de Yoongi, deveria ser do mesmo jeito que ele.


– Eu estou preocupado. – confessou.


Mancando, Namjoon caminhou até o balcão, Yoongi estava sentado numa poltrona com os braços cruzados.


– Ele só precisa de um tempo para digerir. – olhou para Yoongi e fez careta.


– É, um pouco. – olhou para Yoongi também.


No meio do caminho, ainda correndo, Taehyung se permitiu chorar. Soluçava, sabia que Yoongi poderia não estar interessado, mas ele não tinha o direito de dizer isso.


Por que Yoongi não o queria? Seu estilo era ruim? Ele era feio? Isso rondava por sua cabeça.


Sentou num banco, exausto. Correu tanto que até esqueceu de onde estava.


– Tudo bem? – levantou seu olhar, aquele rosto era conhecido.


– Eu acho que sim. – enxugou as lágrimas.


– Eu vi o que aconteceu. – sentou do lado de Taehyung.


– Ah, e como você me alcançou? – perguntou confuso.


– Ali. – apontou para o carro e riu.


– Ah. – riu também.


– Eu sou o Hoseok. – se apresentou.


– Kim Taehyung. – se apresentou de volta.



Notas Finais


PAM PAM!!!
só avisando que depois de finalizar esse capítulo, eu realmente bati meu joelho, mas diferente do Namjoon, foi na cama da minha mãe. isso é alguma força maligna.
o próximo capítulo vai ser bomba, fiquem com a pipoca na mão e o ódio tbm.
bom gente, tenho várias idéias de fanfics na minha cabeça! mas vou terminar essa aqui primeiro.
estão gostando?
fico muito insegura se vocês estão gostando ou não. não tenham medo de comentar e nem favoritar, viu?
sinto falta dessa interação entre autora e leitor, espero ter mais daqui em diante, me ajudem!
bom, até o próximo.
beijos, amores. ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...