1. Spirit Fanfics >
  2. Passarinho Cor de Rosa e Suas Várias formas >
  3. Capítulo Único

História Passarinho Cor de Rosa e Suas Várias formas - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


boa leitura :)

Capítulo 1 - Capítulo Único


    Eu voava rápido, longe. Voava até o céu e brincava um pouco com as nuvens, que faziam carinho no meu nariz. Eu sentia minhas penas balançando em conjunto com os meus movimentos incansáveis.


    Parei com o som da campainha. Ainda planando, estiquei minha cabeça para ter uma visão melhor da porta. Uma senhora bonita entrou e subiu junto com o Tio. Senhoras bonitas nunca vinham aqui, por conta disso fiquei morrendo de curiosidade.


ー Ei. ー Dei uma bicada certeira na maçã da bochecha de Dan. ー Abre a porta ‘pra mim, eu quero ir lá fora.


ー Você não pode sair sem o Tio Wymack, Neil. ー Formou uma concha com as mãos para que eu descansasse. Dei uma bicada na pequena pinta solitária que ali residia, insistindo no meu pedido. ー Não é não. Se for lá fora vai voltar ao normal, você sabe, virar humano de novo.


    Soltei alguns piados com raiva, mas ela estava certa, eu não poderia espiar lá fora se for humano. Nunca entendi o porquê da magia só existir da porta para dentro. Mas no fundo do meu pequeno coração sempre me questionei os motivos que me mantinham preso ali, por que uma hora todos iam embora com as pessoas maiores e eu ficava ali sozinho, quietinho e preso dentro dos meus poderes.


    Desistindo de espiar lá fora, para ver se tinham crianças com ela, e com medo do Tio me pegar escutando sua conversa e me deixar de castigo, sem poder me transformar! Esperei no pedaço de madeira em cima da porta.


    Acho que eu não seria um bom espião, porque fiquei entediado rápido e fiz um desenho na madeira. Um peixe vermelho escarlate, mesmo que ele não tivesse cor, eu sabia que ele era vermelho escarlate ー sinto falta de ser um peixinho e nadar o dia inteiro ー, que nadava entre arbustos com flores cor de marrom, nenhum uma cor legal surgiu na minha cabeça para aquela mini floresta com flores bonitas na hora.


    O ranger característico da porta soou, vi ela abrir sem pressa ー realmente me pareceu uma eternidade ー. A primeira coisa que vi quando ela enfim abriu, foi uma mãozinha bem branquinha, cheia de pintinhas bonitas. Não sei se consigo medir o tamanho da minha surpresa quando vi duas pessoas quase idênticas atravessar ela. O que vinha atrás olhou para tudo com uma curiosidade velada por olhos tediosos, era isso que eles pareciam para mim, pelo menos, deu uma olhada rápida em mim, mas não segurou o olhar por muito tempo, pois já estava encantado com o lado de fora. O outro tinham um olhar neutro ー o que me deixou pessoalmente irritado, esse lugar é lindo, deve ser olhado com, no mínimo, encanto ー, ele segurou o olhar em mim por instantes, mas desviou seguindo o outro.


    Voltei a voar para o céu, conversei um pouco com as nuvens e elas me devolveram com cócegas aconchegantes. Infelizmente, tive que parar quando o Tio chamou todos lá embaixo. Voei rápido, curioso com o chamado repentino. Mesmo que eu tivesse ido muito rápido, o céu ainda era muitíssimo longe e não cheguei a tempo de escutar tudo.


ー Cuidem bem deles, raposas. ー Isso foi o máximo que escutei.


    Curioso com as novas crianças e cansado de brincar com as minhas amigas nuvens, fiquei sobrevoando o grande jardim.


    O menino um, aquele com olhos tediosos, e o garoto dois, aquele com os olhos neutros, eram bem distintos para pessoas tão iguais em aparência. O menino um, brincava com uma garotinha chamada Katelyn no laguinho e de vez em quando conversava com Nicky, um menininho que vivia com vários roxos doloridos nas pernas ー sei disso porque eu que cuidava dele as vezes ー. O garoto dois, ficou sentado no pé da porta, só se mexeu quando uma borboleta pousou em seu nariz e ele descruzou os braços para espanta-la.


    Encarei por mais alguns minutos, mas me aproximei quando ninguém o fez. O que foi muito rude por parte dos meus amigos, mas eles não eram rudes sem razão, o que é mais estranho, porque os dois meninos chegaram a pouco tempo. Impossível ele ter feito algo muito ruim em pouco tempo. Pousei no braço dele, mas sai rápido quando ele tentou me dar um tapa.


    Me destransformei, voltando a ser o Neil humano. Uh, sentir o peso de ser humano de novo me deixava com calafrios. O meu corpo era pesado se eu fosse comparar com o pequeno corpo do passarinho.


ー Vai me bater de novo se eu me aproximar assim? ー Ele não se impressionou com a transformação. De qualquer modo, não era difícil prever que um passarinho rosa, com olhos azuis ao extremo fosse lá muito normal.


ー Se você chegar muito perto eu vou, te bater com muita força. ー Eu lutei muito para segurar a risada. Por mais séria que fosse seu rosto, a fala ainda era infantil e engraçada.


    Dei dois passos pequenos para o lado.


ー Assim está bom?


    Ele assentiu e ficamos calados conhecendo a presença alheia. Não foi surpresa quando percebi que o garoto loiro, ele me contou que seu nome era Andrew, falava menos do que eu.


    Demorou um pouco para quebrar aquela barreira, o silêncio, mas consegui até me aproximar um pouco enquanto conversavamos sobre Espaço, um desenho animado que eu conhecia e ele parecia gostar.


ー Por que um passarinho cor de rosa? ー Ele se virou para pela a primeiro vez e me analisou de cima a baixo. ー Você não tem nada com rosa.


ー Posso não ter, mas sou todas as cores.


ー Por que não mudou a cor dos seus olhos? Talvez ficasse mais realista.


ー É impossível mudar eles quando eu viro outra coisa. ー Me virei também, sorrindo para ele.


ー Não é muito útil… Pode virar aquele bichinho de novo?


    Me levantei em um pulo, dei algumas batidinhas na calça e me concentrei em virar a ave rosa de novo. Leve outra vez, voei para perto, mas sem tocar nele. As mãos quentes me alcançaram e me colocaram em seus cabelos loiros. Foi a primeira vez que me senti nas nuvens sem estar no céu.


    Ele veio todos os dias para me colocar nos cabelos e passear por vezes em silêncio, as vezes na companhia de música que ele gostava de cantarolar e muitas poucas foram as vezes que me arrisquei a cantar também, ou seria piar?


Notas Finais


eu pretendo fazer vários one-shots nesse estilo, mas com os outros personagens. Espero que gostem

twitter: samisgrim


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...