História Passe o tempo que passar - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias A Feia Mais Bela
Visualizações 88
Palavras 1.947
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Mistério, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá! mais um capitulo! fico feliz que estejam gostando!
amanha postarei o penúltimo capitulo de Caer em Tentacion e mais um de Alguem em meu Lugar!
espero que goste do capitulo de hoje!
fique a vontade para deixar a opinião e sugestão de vocês!
beijos!

Capítulo 3 - Uma ligaçao pode mudar tudo!


- Oiiii! Rafaela e Leticia disseram juntas quando Carolina abriu a porta.

- Meus Deus! Ela levou as mãos até a boca. – Rafa! Carolina se agachou e abraçou a pequena que se atirou nela.

- Tia! A abraçou forte.

- como cresceu! Está linda! Se afastou um pouco para analisar a garotinha.

- a senhora também está muito linda! Disse contente.

- oi amiga. Carolina se levantou e abraçou Leticia. – como vai?

- estou bem.

- entre! Estava preparando o almoço.

- amor, o Joao ... escutaram a voz masculina surgir na sala.

- tio! Rafaela correu em direção ao homem.

- Rafa! Omar a pegou e levantou. – como esta grande! Disse impressionado.

- eu disse a mesma coisa, meu amor. Carolina disse também impressionada com o tamanho da pequena.

- oi Lety. Ele disse olhando pra a mulher ao lado de sua esposa.

- oi Omar. Sorriu sem jeito.

- Papai! Mamãe! Joao desceu as escadas chamando pelos pais.

- aqui filhão! Omar o respondeu. – olhe quem está aqui? disse quando Joao chegou na sala.

- Rafa! Gritou animado.

A pequena desceu do colo de Omar e abraçou o amiguinho.

- o que iria me dizer? Carolina perguntou ao marido.

- Joao pediu aquele sorvete que tomamos semana passada.

- tudo bem, vou pegar o dinheiro. Carolina correi em direção ao segundo andar.

- papai, podemos ir com o senhor? Joao questionou.

- por mim tudo bem, mas tem que ver com sua tia.

- deixa mamãe! Rafaela implorou para Leticia.

- vai titia! Deixa! Joao implorou também.

Leticia sorriu pela cena.

- claro que pode, mas deve tomar muito cuidado.

- aqui está. Carolina surgiu com o dinheiro em mãos.

- vou comprar para todos. Omar disse ao receber o dinheiro.

- vamos Rafa! Precisa ver o novo carro do papai! Joao a chamou saindo.

Omar sorriu sem jeito para Leticia e saiu.

- ainda desconfia dele? Carolina perguntou quando ficaram apenas elas duas.

- me desculpa. Suspirou . – é que ele é melhor amigo do ... não quis completar.

- não se preocupe, Lety. Carolina tentou tranquilizar a amiga. – Omar me prometeu que não contaria nada a ninguém e isso inclui o melhor amigo.

- obrigada, Carol.

- não precisa agradecer, eu e Omar vimos o quanto sofreu e sofre por tudo que aconteceu.

- melhor mudar de assunto, não? Leticia enxugou algumas lagrimais que teimava.

- vamos. Carolina segurou as mãos da amiga. – pode me ajudar na cozinha?

- já vou logo avisando que não sou muito boa na cozinha. Leticia brincou.

- aqui entre a gente, eu não sou lá essas coisas não. As duas não evitaram em soltar uma gargalhada.

= = =

Omar estacionou o carro em frente a pracinha que ficava perto da sorveteria.

- espere eu abri a porta crianças. Ele disse descendo do carro e dando a volta. – pronto.

- obrigada tio. Rafaela desceu primeiro e aguardou.

- segurem a minha mão e vamos. Ele cruzou a rua com os dois e entrou na sorveteria.

- tem um monte de sorvete tio! Rafaela disse encantada.

- qual vocês dois querem?

- quero de chocolate! Joao disse.

Rafaela olhou bem e procurou o sabor que tanto gostava.

- nenhum? Omar questionou pela demora.

- tem de flocos tio? Ela questionou.

- tem sim, olha aqui. Omar mostrou.

- eu quero esse.

- porque demorou?

- é que é o sorvete preferido do tio. Rafaela contou ao amigo.

- do meu pai?

- não! Do tio Nando!

- ah! o tio que mora lá na sua escola?

- sim, ele mesmo.

- eu também tenho um tio que se chama assim.

- sério?

- sim! Só que ele não mora aqui, mora bem longe!

- vamos crianças? Omar os chamou.

Elas correram para o caixa, onde Omar os chamava.

- Joao segure bem a mão de Rafa, porque vou estar com minha outra mão ocupada.

- tá bom papai. O menino disse sorrindo.

O celular de Omar começou a tocar e ocupado ele ignorou o toque.

- atende papai! Joao disse quando estavam próximos ao carro.

- vão entrando que eu vou ver quem é. ele destrancou o carro e observando as crianças entrarem atendeu sem mesmo ver quem era. – Alô? 

- Mano?!

Omar reconheceu imediatamente aquela voz e não evitou em arregalar os olhos?

- Fe....fe...

- sou eu Carvajal! Disse sorrindo. – Não acredito que nem reconhece mais a minha voz!

- não! É que estou na rua e o som atrapalhou um pouco.

- vamos papai! Joao o chamou de dentro do carro.

- só um minuto filho!

- é o pequeno Joao? O homem questionou.

- é sim. 

- mande um abraço para ele.

- pode deixar. O que devo a sua ligação?

- bom, sei que sumi e ...

- sumiu é leve! Você simplesmente desapareceu!

- conversarmos por vídeo chamadas!

- as vezes! Corrigiu.

- ok, quando eu podia.

- sim, até porque você parece viver em um lugar que desconfio até que tenha energia.

- sem piadas Omar! Reclamou.

- pois continue.

- estou voltando. Foi direto.

Omar fitou a menina que estava com seu filho dentro do carro.

- voltando?

- sim! E por isso te liguei, preciso de sua ajuda! Não sei como as coisas vão ser e preciso de um lugar para ficar.

- na minha casa?

- isso, não quer me receber? Ok, a Carolina não me odeia? Tudo bem.

- não! Não! Ninguém te odeia Fernando!

- tem alguém sim, Omar. Bom ... mas só queria saber se posso ficar um tempo em sua casa, é só alguns das até eu procurar um lugar para ficar.

- e quando você volta?

- estou embarcando daqui duas horas.

- então até amanhã você chega?

- isso! Eu te falo quando desembarcar.

- não irá me dizer onde está?

- me desculpa, mas não.

- ok, não vou exigir que me fale, quando chegar em casa vou conversar com Carol. Acho que antes de embarcar eu digo o que ela pensa e se tiver algum problema eu te empresto o meu apartamento de solteiro, lembra dele?

Como não lembrar? Pensou Fernando nos momentos que viveu.

- Obrigado Omar.

- preciso desligar, tem um garotão aqui muito apressado como a mãe.

Fernando gargalhou. – até mais.

- até.

- quem era papai? Joao questionou curioso.

- um velho amigo. Sorriu disfarçadamente torcendo para que o filho não perguntasse mais nada.

E para a sorte de Omar, as crianças estavam tão entretidas que nem Joao não perguntou por mais nada.

- não corre crianças! Ele alertou quando chegaram em casa.

- podemos jogar vídeo game no meu quarto?

- pode sim, mas não baguncem nada. Quando o almoço estiver pronto chamo vocês.

- valeu papai! As crianças subiram apressadamente as escadas.

Omar suspirou tomando coragem e seguiu em direção a cozinha.

- oi meu amor! Foi bem rápido! Carolina disse o vendo se aproximar.

- as crianças? Leticia questionou.

- no quarto do Joao, foram jogar vídeo game.

- o que foi? Carolina notou o marido estranho.

- é que ... ele olhou para cada uma e depois para trás, na certeza que não tinha mais ninguém ali. – podemos conversar a sós?

Carolina o olhou. – tudo bem, não demoro Lety.

- pode ir. Leticia sorriu, eu vou ver como está as crianças.

Leticia deixou o que fazia e seguiu em direção ao quarto.

- pode dizer Omar. Carolina cruzou os braços.

- Fernando está voltando. Foi direto ao ponto.

- COMO?!

- não grite! A Lety!

- aí meu Deus! Não agora Omar!

- eu sei! O que queria que dissesse?

Carolina suspirou impaciente.

- o que ele disse?

- apenas que estava voltando e que queria saber se podia ficar aqui em casa.

- aqui em casa?

- sim. Carolina começou a andar de um lado para o outro. – Mas eu disse que iria conversar com você e caso não quisesse emprestaria meu apartamento.

- e quando ele volta?

- ele pega o avião ainda hoje.

- o que vamos fazer Omar?

- em relação a Lety?

- isso! Contar ou não?

- sinceramente deixaria acontecer! Já esta na hora de esses dois pelo menos se resolverem! Quem sabe Fernando não a ajuda a se livrar daquele velho!

- não seria bem assim Omar, se Fernando descobriria que Lety escondeu que eles tem uma filha séria um escândalo!

- sem contar o velho Padilha e Humberto se pegarem no tapa por causa da neta.

- e a minha amiga sofrendo.

- e a Rafa perdida em meio a esse caos.

- é por isso que ele não pode saber.

- e quando será Carol?

- Leticia me disse que assim que ela estiver maior vai contar tudo.

- contamos ou não para Leticia?

- não! Espere o Fernando chegar e vamos ver o que ele tanto veio fazer aqui E só depois contamos a Lety.

- e ele vai ficar aqui?

- não! Diga que eu estou ainda com raiva dele.

- ok, então o deixo em meu apartamento.

- certo.

- amor? Omar se aproximou dela e segurou o rosto de sua amada.

- sim?

- promete que vamos fazer um encontro deles dois?

Carolina o olhou espantada.

- Omar ...

- anos já se passaram! Quem sabe essa ...

- eu vou ver o que a Lety pensa sobre reencontrar o Fernando e depois vemos isso.

- já disse que você é melhor mulher do mundo?

- sempre. O beijou.

- posso entrar? Leticia perguntou batendo na porta.

- desculpa Lety. Ela viu a amiga entrar acompanhada.

- uau! O casalzinho aproveitando os momentos bem picantes na cozinha.

- muito engraçadinha Marcia. Omar disse revirando os olhos.

- também amo você Carvajal! Ela disse sorrindo.

- quando chegou? Nem escutei a campainha.

- quando estava indo para o quarto Marcia apareceu.

- bom, o almoço está pronto. Carolina desconversou.

- vou chamar as crianças. Omar saiu.

- não se preocupe, eu e Marcia não escutamos nada! Leticia se defendeu.

- por que disse isso?

- não sei, vocês estavam se agarrando aqui! Leticia disse sorrindo.

- esquece Lety, Carolina demora as vezes para racionar algo.

- idiota! Carolina deu um leve tapa em Marcia.

- que bruta! Acariciou o local.

- tiaaa! Rafaela apareceu.

- Rafa! Marcia gritou ao ver a pequena. – Meu Deus! Está enorme! A pegou no colo.

- eu já tenho sete anos tia! Disse arrancando sorriso de todos.

- está linda! Muito parecida com ... ela olhou para Leticia e sorriu. – com sua mamãe.

- sério?! A minha mamãe é muito linda!

- bom, vamos lavar as mãos que nós vamos arrumar a mesa.

- tá bom! Rafaela saiu.

- desculpa Lety. Marcia disse receosa.

- tudo bem.

- por que? Carolina não entendeu.

- eu iria dizer que ela está parecendo o Fernando. Marcia confessou.

- ela é filha dele, não? Leticia tentou rir.

- eu sei, mas é que ... me desculpa! Eu sei que o meu Irmão foi um idiota contigo, mas ... obrigada por não me afastar da Rafaela.

- e nem poderia Marcia, vocês duas me ajudaram muito nisso.

- e ... Lety? E se o Fernando voltasse? Carolina questionou.

- ele não vai voltar. Leticia disse confiante. – Fernando deixou claro que jamais voltaria. Ela sorriu sem jeito demonstrando força. – vou ver se Rafaela lavou bem as mãos.

- você sabe de algo, não sabe? Marcia questionou a Carolina quando Leticia saiu.

- ele ligou para Omar.

- o que vamos fazer Carol?

- não sei Marcia.

- só peço a Deus que nada afete a minha sobrinha.

- eu também.  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...