História Passione Heart (Alisson Becker) - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Alisson Becker, Gabriel Jesus, Marcelo Vieira, Neymar, Paulinho, Philippe Coutinho, Roberto Firmino, Thiago Silva
Personagens Gabriel Jesus, Marcelo Vieira, Neymar, Paulinho, Personagens Originais, Philippe Coutinho, Roberto Firmino, Thiago Silva
Tags Alisson Becker, Copa Do Mundo, Coutinho, Fifa, Firmino, Goleiro, Neymar, Romance, Seleção Brasileira, Thiago Silva, World Cup
Visualizações 968
Palavras 2.297
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


hey amores, aqui tá saindo mais um capítulo direto do forno, e com muita putaria porque eu sei que vcs gostam rsrsrsrs
brincadeiras a parte pessoal, leiam, abusem 💜💜💜💜💜

músicas do capítulo:

➝ beyoncé - drunk in love (feat. jay-z)
➝ arctic monkeys - do i wanna know?

boa leitura!

Capítulo 9 - Sex in Love


Fanfic / Fanfiction Passione Heart (Alisson Becker) - Capítulo 9 - Sex in Love

❝No homem, o desejo gera o amor. Na mulher, o amor gera o desejo.❞

— Jonathan Swift

✿ ✿ ✿

MADSON D'ÁVILA

Coração na caixa, coração na caixa, coração na caixa.

Parecia que literalmente meu coração estava em uma caixa, batendo sozinho e exposto para milhares de pessoas que estivessem o vendo. Meu coração acelerava e não era eu que estava o controlando, não mais. Meu corpo soava de uma forma tão rápida, minhas mãos ainda estavam postas em meu rosto, eu as sentia úmida pelo fato das lágrimas que escorrerem em meus olhos estarem inundando meu rosto. Eu não acreditava que ele estava fazendo aquilo, nunca imaginei que alguém poderia me considerar de uma forma igual daquele jeito. Fechei meus olhos procurando respirar e alguém tocou em meu ombro.

— Moça, você é a Madson? — questionou um homem alto. Visivelmente  o segurança do local e eu passei as mãos nos cabelos recuperando a minha respiração.

— Sou sim. — respondi forçando um sorriso.

— Entrada liberada para o palco. — disse ele. 

Olhei para ele e para Alisson que estava com o violão no colo, os olhos verdes do goleiro passeavam pelo lugar me esperando para aceitar seu pedido. Desci na área de baixo que era a mais próxima do palco e comecei a andar no meio da multidão, as pessoas me analisavam com sorriso na face outras, visível a expressão de confusão. Com a ajuda dos seguranças eu subi no palco ficando em uma distância de frente para o Alisson que já estava de pé. Não contive a emoção e de longe pude ver seus braços já abertos, assim pegando impulso e eu pular em seu colo entrelaçando minhas pernas ao redor da sua cintura e meus braços ao redor de seu pescoço, suas mãos abraçaram minha cintura e nós nos beijamos. Meus cabelos tamparam o rosto do lado direito, e nossos lábios se tocaram, não foi um beijo ardente, foi um beijo apaixonado e diferente. No final o goleiro mordeu minha boca e lentamente eu fui descendo de seu colo e ele me abraçou de lado.

— Sim, sim! — falei.

A plateia gritou comemorando, e Jadson assumiu o microfone.

— Esse é novo casal do ano, uma salva de palmas para Alisson e Madson! — a plateia então começou a bater palmas comemorando. Parecia até nome de dupla sertaneja. — Parabéns ao casal!

Alisson olhou para baixo pois eu era menor que ele e abriu um sorriso beijando o meu cabelo.

Nós então nos retiramos do palco esperando a dupla cantar a última música e em seguida fomos para casa. Durante o caminho, liguei a luz do carro para melhorar a iluminação do veículo. Meus olhos estavam pesados demais para manterem-se abertos, tanto que eu olhei no espelho do carro e percebi que a minha maquiagem estava borrada. Olha que beleza. Peguei um papel da minha bolsa e limpei a maquiagem ali mesmo 

— Quer comer alguma coisa? — questionou.

— Passa no drive do BK, tô com vontade de comer um balde de batata-frita. — pedi.

— Também. Apesar de que eu não sei se vai ter aberto por causa do horário. — olhou rapidamente no relógio do rádio.

— Tá sim. Tenho certeza. 

O mesmo passou no drive do fast-food e depois de alguns minutos nosso pedido havia chegado e eu devorei feito uma mulher das cavernas.

— Eu nunca aproveitei tanto o meu dia desse jeito. Obrigada. — segurei em sua mão que estava encima do volante e ele sorriu.

— Não tem o que agradecer Maddie. Eu fico feliz que tenha aceitado o meu pedido, eu não aguentava mais imaginar o fato de que eu teria que voltar para Roma sem tu. — comentou tirando a mão do volante e colocando em minha perna. — Tu sabe que eu moro na Itália, não é?

— Em partes. — e pior que era verdade, eu não sabia, quando a enfermeira me disse que ele trabalhava no Roma eu pensei que era apenas pra aumentar um pouco a fama dele. — E durante esse tempo que veio pra treinar no Brasil, onde você estava hospedado?

— Na minha casa antiga. — voltou a atenção na estrada. 

— Você tem duas casas. — falei em um tom um pouco mais baixo. — Uau, o que eu não daria pra ter um salário desses.

— Deixa disso. Vou levar tu pra conhecer minha casa aqui e em Roma. Aliás, meus pais e meu irmão irão adorar conhecer ti. — arregalei de leve meus olhos.

— Um passo de cada vez Muralisson. Está preparado pra conhecer meu pai? — perguntei arqueando a sobrancelha direita bem desafiadora.

— Estou sempre preparados para novos desafios. — me olhou da mesma forma e em seguida rimos.

NARRADORA

O recém-casal chegaram em casa. A primeira entrar foi Madson que avisou que iria tomar um banho pois estava cansada, ele concordou e resolveu esperá-la. A loira adentrou dentro do banheiro e tomou o seu banho, lavou os cabelos novamente e ficou apenas enrolada na toalha olhando-se no espelho procurando algum vestígio de maquiagem, não encontrou, o bom é que seus cabelos molhados estavam refrescando seu corpo pois pela facilidade do verão no Brasil, ela em poucos segundos estava quente. Escovou os dentes e lavou a escova. A porta do banheiro se abriu e ela olhou para a mesma assustada, mas era apenas Alisson apenas com uma toalha envolvida ao redor da cintura.

— Perdão, demorei demais? — perguntou a veterinária guardando a escova de dentes.

— Não, eu que invadi teu banheiro mesmo. — riu ele e ela retribuiu. — Achei que não se importaria.

— De jeito, algum. — abraçou a própria cintura sorrindo. Ele então bufou.

Ela entendeu o que ele quis insinuar, pois quando percebeu, os lábios de ambos já estavam novamente colados.

Alisson com a perna, fechou a porta enquanto as suas mãos estavam nas cinturas de Maddie, o gaúcho foi induzindo o corpo dela á entrar dentro do box e assim então ligando o chuveiro e fechando o box. As costas dela se encostaram na parede e as mãos dele agarraram as pernas dela ficando ao redor da sua cintura, os lábios do goleiro desceram para o pescoço mordiscando cada parte por ali até chegar em seu ombro, suas mãos foram para os seios da D'Ávila e ali os apertou com vontade, dentre chupadas e mordiscadas que fizeram gemidos escaparem da boca dela. Os seios enrijecidos eram deliciosos na visão do mesmo, pois os apertava e fazia questão de deixar suas marcas ali que mais tarde ficariam roxas. As mãos de Madson foram em direção aos cabelos do goleiro molhados pelo chuveiro, puxara-os trazendo uma arfada da parte dele. Alisson estava com sede de tê-la sobre ele ali, invadir o seu corpo como nunca. Aquela paixão que ele sentia por ela estava o consumindo a cada segundo como um animal selvagem. 

O vapor já estava dentro do box, esquentando mais ainda o clima que já estava ali. O corpo de ambos era como um inferno, pegavam fogo a cada instante. O goleiro explorou cada parte que podia por dentro e por fora, desde suas mãos apalparam o bumbum dela os apertando com vontade e desse distribuindo marcas que ficariam por uma semana. Com ela também não foi diferente, suas unhas arranharam as costas dele, e naquele pescoço ela pregou seus dentes mordiscando com vontade. O membro do gaúcho estava pulsando e este que encaixou dentro da vagina dela que arfou quando sentiu. Sentiu dor por segundos pois o tamanho a rasgou praticamente, deitou a sua cabeça no pescoço dele e sua mão apoiou-se no vidro do box. Os movimentos de vai e vem fazia ela ir a loucura, ambos gemiam loucamente dentro daquele banheiro sem se importar com nada, era somente os dois no mundo. 

 Alisson…

Ela mal conseguia falar, sua garganta estava ardendo de tanto que gemia sentindo o membro dele dentro dela, sentia latejar. 

— Madson, amor...

Ele afundou sua boca no pescoço dela gemendo contra ali. A sensação de estar dentro dela, fazer amor era maravilhoso, com era diferente. Delirava quando ela gemia seu nome, aquilo aumentou o ritmo das investidas a fazendo praticamente gritar. Suas unhas estavam afundadas nas costas do goleiro. Encostaram as suas testas e olharam dentro dos olhos do dois, ambos escuros, ele estava tão excitado com ela ali que podia ficar horas e horas daquele jeito. Até que depois de tantos minutos, ambos chegaram ao seu clímax e Alisson gozou líquido dentro dela soltando um gemido longo.

— Cazzo!

 O corpo de Madson foi escorregando até sentir seus pés novamente no solo ainda assim abraçada com ele. Os dois estavam com o coração acelerados, as respirações ofegantes, a cabeça dela afundada em seu peito de olhos fechados. Aquilo havia sido incrível, pensou ambos. Ela olhou para cima vendo os olhos verdes do goleiro que estava a olhando e abriu um sorriso, ambos selaram os lábios e ficaram abraçados por um bom tempo. A sorte é que usava implante anticoncepcional, não se preocupou com gravidez.

— Madson, eu te amo. — disse Alisson mexendo no cabelo de sua namorada e afastando os fios que estavam no rosto dela.

 Alisson, eu te amo. — sorriu deixando uma lágrima escorrer de seu olho que havia passado despercebida por ele, pois esta se camuflou com a água do chuveiro. 

— Nossa, que horas são? — perguntou ele.

— Deve ser mais de uma hora ou duas da manhã. — ela comentou, os dois e desfizeram do abraço e ela saiu do box pegando a toalha do chão. — Vou buscar a Helena.

— Sim, vai lá. Vou tomar banho aqui. — ele sorriu fechando o box e ela soltou um riso pelo nariz.

Trocou-se rápido de pijama mesmo, vestiu as pantufas de coelhinho e fez um coque no cabelo andando até o apartamento da sua amiga e batendo na porta, quer dizer, ela já foi entrando. Quando entrou viu Charlotte dormindo no sofá com a televisão ligada e Helena dormindo no colo com o pijaminha. Pegou-a delicadamente do colo da melhor amiga e a colocou com a  cabeça deitada no ombro. Desligou a televisão e pegou a bolsa da afilhada, Char se remexeu e suspirou com os olhos fechados mas quando Maddie desligou a televisão, a ruiva deu um pulo no sofá assustando a loira que deu um pulo pra trás.

— Meu Deus! Madson, a Helena super se comportou eu dei papinha pra ela, dei banho, ela assistiu desenho, eu só peguei no sono por minutinhos….— a interrompeu.

— Está tudo bem Char, muito obrigada por cuidar da Helena. Eu prometo que vou te recompensar depois. — balançou a bebê no colo. — Ela é filha do Alisson, mas ela tá sendo mais minha do que dele.

— Isso é verdade, mas enfim. — passou as mãos pelos cabelos ruivos. — Que horas são?

— Duas e meia. — olhou no relógio de parede. 

— Jesus! Você voltando pra casa no horário desses é pra glorificar de pé. Mas….Madson, isso é um chupão no seu pescoço? — a olhou com um sorriso desgramadamente malicioso. — Oh, não, são vários chupões. Sua vaquinha! Você transou com o Alisson?

— Pelo amor de Deus, não diga isso na frente da Helena, depois a menina vai crescer traumatizada. — deu risada. — Aconteceu tanta coisa de hoje pra ontem Char, mas eu te falo amanhã de verdade, bom, mais tarde quer dizer.

— Ah, não, não, não. Vai me contar agora porque eu tô bem acordada e quero saber. — sentou no sofá. — Anda, eu fiquei com a Helena por você!

— Aí, tá bom. — sentou junto com ela. — Bom, na última música o Alisson saiu e me deixou plantada lá. O que eu não imaginava é que ele ia entrar no show pra cantar uma música e dentro dessa música ele….bom, me pediu em namoro.

Charlotte Tavares ficou chocada com o comentário da amiga e quase deu um surto, se não fosse pelo pequeno anjo que estava dormindo no colo da causadora desse surto. 

— Madson, eu tô muito feliz por você. Merece ser feliz, você literalmente merece. Passou por tanta coisa na sua vida, e agora está tendo a oportunidade de ter um homem de verdade. — segurou na mão da amiga. — Acho que ele é um homem certo pra você.

— Eu prometo, que farei de tudo pra você também encontrar o seu. Vou bancar o cúpido, mas vou encontrar pois você minha amiga, vai ser feliz. E pode deixar que quando eu encontrar o Raphael na rua eu vou dar uns golpes nele, por exemplo, como quebrar seu quadril….

— Ele já sumiu da minha vida. Agora, eu quero que você vá ser feliz. Aproveita. — sorriu Madson contendo as suas lágrimas.

Ambas conversaram por minutos, até o sono vencer Charlotte. Madson voltou para casa e já encontrou Alisson deitado na cama apenas usando uma bermuda. Ele pegou Helena no colo e beijou-a na testa, nanando a pequena um pouco que dormia serenamente no conforto do colo do seu pai. A D'Ávila estava sentada ao lado dele com a cabeça encostada em seu ombro forçando para manter seus olhos abertos, então, o Becker depositou Helena no berço e a cobriu com uma manta. 

— Madson, dorme aqui hoje. — pediu ele quando viu que ela estava observando Helena dormir. Ela levantou sua cabeça e o olhou surpresa pelo pedido que aquele fizera.

— Só hoje? — perguntou ela sorrindo e ele retribuiu. Foi para o lado direito da cama e levantou o edredom, se acomodaram na cama e ele a abraçou por trás dando um beijo no seu pescoço e cheirando. Encostou a cabeça nela e ficou alisando sua mão.

— Tu gostou? — ele a questionou.

— Se você não fosse tão bom pra mim eu lhe daria um soco pela pergunta idiota. — gargalhou. — Só não te deixar sem resposta. Eu adorei, foi a melhor noite da minha vida.

— Vamos ainda repetir muitas doses, senhorita. — ela olhando para a janela sorriu.

— Dependendo de você. — fechou os olhos. — Boa noite.

Boa noite. — também fechou os olhos.

Praticamente, apagaram depois das últimas palavras assim então dormindo no aconchego do amor de um e do outro.



 


Notas Finais


*Cazzo = caralho

tá vendo, fic aqui é cultura kkkkkkkk, aprende uns bons palavrões em italiano

gif de como a Madson pulou no Alisson: https://78.media.tumblr.com/0c5d0ce0fd4bcab09427d4566f9f02bd/tumblr_p5p5b1pzF71qhp0nlo1_400.gif

ei gente, espero que tenham gostado! amo vocês e obrigada por acompanharem até aqui.
beijão e até o próximo, fuiii 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...