1. Spirit Fanfics >
  2. Passos Para o Amor >
  3. Chapter Fourteen - Passo 14

História Passos Para o Amor - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, oi, meus anjos!!

Tudo bem com vocês? Estão se cuidando corretamente e ficando em casa se puderem? Espero que a resposta para todas as perguntas sejam sim akakka.

Quero avisá-los que vou tentar ser mais presente nessa quarentena para que vocês possam ter algo para ler durante esse tempo, mas não prometo nada porque eu sou muito enrolada com as coisas kakak, mas tentarei postar dois capítulos ou mais na semana.

Obrigada a todos os comentários do capítulo passado e espero que gostem do capítulo de hoje.

Boa Leitura 😘

Capítulo 15 - Chapter Fourteen - Passo 14


Bem... Talvez eu não tenha resistido muito quando Erza me ofereceu alguns copos de bebida durante a festa e talvez só talvez eu tenha bebido um pouco, mas tipo assim do um pouco mesmo sabe não o suficiente para fazer alguma besteira porque sejamos sinceros eu ainda tinha total controle sobre a minha pessoa e qualquer um podia ver isso.

- Nós deveríamos ir dançar! - Eu falei dando uma leve risada e olhando para a ruiva que havia se colocado ao meu lado. - Sabe divertir um pouco.

- Pra mim essa ideia é prefeita. - Erza falou sorrindo e levantando o copo em sua mão.

Puxei ela para o meio das pessoas que dançavam ou até mesmo se pegavam sem o menor pudor e começamos a rebolar.

Até onde eu me lembro daquela noite, eu, Gray e Juvia que já haviam sumido tínhamos ido até a fraternidade do Biscklow um dos garotos que estudava música em Juliard e que vivia atrás da minha amiga baixinha, as memórias parecem meios vagas na minha memória e talvez seja por causa da bebida, mas eu ainda estou sóbria e sei muito bem o que estou fazendo.

Enquanto a música tocava pelas caixas de som, movia o meu corpo ao som dela e rebolava de maneira sensual que provavelmente chamava a atenção de todos naquela festa, sejamos sinceros eu não sou de jogar fora e se eu não estivesse comprometida já teria pegado metade daqueles universitários gostosos.

- Veja o que temos aqui. - Uma voz sussurrou no meu ouvido, enquanto uma mão segurava a minha cintura. - Uma bailarina rebolando até o chão, se eu já não tivesse me encarando com você a um ano e meio atrás provavelmente teria me encantado agora.

Olhei para trás e encontrei o rapaz de cabelos rodados que vinha me perturbando em alguns sonhos nenhum um pouco descentes diga-se de passagem, ele possuía nos lábios o sorriso mais sedutor e sexy que eu já vi e talvez aquilo tenha me deixado excitada, passei os braços pelo pescoço dele e fiquei bem próxima de seu rosto.

- Você está apenas me bajulando para transar comigo. - Eu falei e ele deu risada e eu pude sentir o cheiro de álcool que saia da sua boca.

- E eu estou conseguindo? - Ele perguntou se aproximando um pouco mais, querendo acabar com a distância entre nós.

- Talvez. - Murmurei fitando seus olhos verdes. - Mas a gente só vai descobrir se você tentar.

- Isso parece tentador. - Ele mordeu o meu lábio interior de maneira provocativa. - Acha que eu deveria?

- Eu tenho certeza que deveria.

Ele selou nossos lábios em um beijo cheio de luxúria e prazer, nossas línguas disputavam o comando naquele beijo, enquanto as mãos deles desciam até a barra do meu shorts e brincando com o meu zíper, eu só queria que ele fizesse logo aquilo, minhas mãos passaram por seus fios rosas e os puxaram fazendo com que ele abrisse mais os lábios para que eu explorasse cada canto daquela boca, quando senti seus dedos entrarem no meu shorts e passearem de forma provocativa pela minha calcinha não consegui conter e soltei um gemido entre o beijo.

- Você parece bem molhada, Luce. - Ele disse separando nossos lábios. - Quer que eu resolva isso para você?

- Você sequer deveria perguntar isso. - Falei e o puxei para outro beijo quente.

Minhas mãos foram descendo de maneira lenta e calma até sua calça que já possuía um volume e apertei escutando ele gemer entre os beijo.

- Acho melhor nós irmos a um lugar privado. - Ele sussurrou no meu ouvido. - Quero ter você da maneira certa.

Me afastei dele que pegou a minha mão e me puxou para o andar de cima, não sem antes de passar na cozinha e pegar uma garrafa de vodka já pela metade e beber o que tinha ali direto do gargalo e me oferecendo e eu rapidamente aceitei.

Subimos as escadas e encontramos a porta de um quarto aberto e entramos, o Natsu trancou a porta e eu simplesmente tirei a minha roupa ficando apenas de ligerrie, minha respiração estava ofegante e a única coisa na minha mente era que seria muito bom fazer um sexo gostoso com esse rosado, ele me olhou e sorriu de canto e tirou a blusa e a calça ficando apenas com uma cueca preta.

- Antes de qualquer coisa, você tem certeza? - Ele perguntou se aproximando devagar, como uma predador vindo até a sua presa.

- Eu nunca tive tanta certeza de algo. - Eu falei e quando ele estava apenas centímetros de mim eu sussurrei. - Me fode com vontade, Natsu.

- Seu pedido é uma ordem, minha Princesa.

Ele agarrou a minha bunda e me puxou para cima fazendo que eu entrelaçasse minhas pernas na minha cintura e o beijasse como se aquilo fosse a última coisa que eu faria na minha vida e sinceramente eu pouco me importava se fosse, eu só queria sentir o prazer que era ter aquele Dragneel dentro de mim.

Natsu me deitou na cama e continuou me beijando, enquanto seus dedos entravam por dentro da minha calcinha e massageavam de forma tentadora a minha intimidade, até que senti dois dedos entrarem e um gemido escapou dos meus lábios com os movimentos rápidos e precisos do rapaz.

Quando seus lábios se separaram dos meus e desceram até o meus seios cobertos pelo sutiã de renda que foi para o chão segundos depois, dando espaço para o Natsu atacar os meus seios e chupa-los enquanto massageva o outro com a mão livre.

Meus gemidos era o único som possível de escutar naquele quarto, aos poucos os lábios dele iam descendo dos meus seios até a minha intimidade e quando senti a língua dele entrar ali, não consegui segurar o gemido alto que saiu dos meus lábios.

Quando ele voltou a me beijar, inverti a posição e fiquei por cima dele, até parece que eu ia deixa-lo brincar comigo, lambi sua barriga definida até chegar no cós da cueca e rapidamente tira ela e chupar o membro já duro do Natsu, que gemeu de prazer.

As preliminares não demoraram para acabar e o Nastu me colocou por baixo dele novamente e colocou seu membro dentro de mim e começou a dar estocadas rápidas e precisas que faziam ambos gemerem de prazer e satisfação.

Aí meu Deus eu não me lembrava de ter tido uma noite de sexo tão gostosa como essa, aquele momento era melhor do que todos os sonhos eróticos que eu já havia tido com Natsu Dragneel no último ano e meio.

•••

Minha cabeça parecia que ia explodir e porque raios o meu quarto estava tão iluminado? E que barulho irritante era aquele tocando na minha orelha como se fosse um despertador... Calma aí não é um despertador é o meu celular, acordei assustada e não consegui me mexer ao sentir um braço envolta da minha cintura e um corpo quente as minhas costas nuas... Perai, por favor não me diga que eu eu...

Olhei para trás e encontrei o Natsu dormindo e ele estava pelado e eu também. Aí meu Deus! Aí meu Deus! Eu transei com ele!

As lembranças da noite passada estavam meio confusas, mas eu conseguia me lembrar de quase tudo durante o sexo.

- Que porra. - Ele resmungou. - Desliga esse telefone.

Ah é o meu telefone estava tocando, sai da cama de fininho e peguei o celular jogado no chão e vi que era o Sting me ligando. Eu estava definitivamente fudida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...