1. Spirit Fanfics >
  2. Past - Zayn Malik. >
  3. Turbinas.

História Past - Zayn Malik. - Capítulo 63


Escrita por:


Notas do Autor


Boa Leitura, xoxo

Capítulo 63 - Turbinas.


Z A Y N

  Chego no aeroporto e me despeço do motorista, chegando exatamente no minuto do embarque. Entrego meu passaporte e passagem tão feliz que quase pulo ali mesmo quando finalmente chego no avião. 

  Eu poderia achar a primeira classe exagerada as vezes, mas sempre que eu lembrava que estava indo sozinho, sem ninguém do meu lado, era o que compensava. Além de que, andar de voo comercial só causava problema. 

 Estava tão ansioso, que eu queria que a aeromoça viesse logo falar as chatices de sempre e me entregar a bolsinha, que viria com a máscara pra eu poder dormir a viagem inteira. Pego meu celular, notando que o resto das minhas fotos com a Gigi saíram. Estava muito bonitas, confesso. 

 Penso em mandar uma mensagem pra Aria, mas o celular desliga. Legal, esqueci de colocar o carregador na minha bagagem de mão. Isso é que dá não usar o celular. Suspiro e olho pra cima, achando estranho os minutos passarem e nada. 

 Os passageiros começam a ficar tão agitados quanto eu, afinal, tínhamos subido no avião a quase uma hora. Por que ainda não tinha decolado? 

 - Senhoras e senhores passageiros, nós pedimos as mais sinceras desculpas, mas o avião está apresentando problema nas turbinas. Para a sua segurança, iremos fazer os devidos reparos antes do início da viagem. Não sabemos quanto tempo isso pode demorar, qualquer duvida, nossos comissários de bordo estarão mais do que felizes em ajudar. 

 Os xingamentos em volta era imensuráveis. 

 Eu estava muito em choque pra responder alguma coisa. Esse já era o segundo voo, eu tinha reservado dois, um mais cedo que eu tinha perdido por causa da entrevista no evento e esse, que era a segunda opção. No outro, eu teria chegado com tempo de sobra, esse era travado. 

 Eu não poderia perder um minuto aqui no chão. 

 Dependo da hora que chegasse, eu poderia ainda tentar ir, mas sem tempo de trocar de roupa ou qualquer coisa assim. 

 Assim que uma aeromoça sai em vem em nossa direção, eu pergunto: 

 - Não tem outro voo? - Ela nega, mas aparenta me conhecer. 

 - Desculpe, senhor, de escala direta só tem esse. - Com escala eu demoraria ainda mais pra chegar. 

 Eu tinha pensando em tudo, em tudo! Entrevista do caralho. 

 Eu ia perder a apresentação do meu filho. 

 Eu tinha prometido que estaria lá e iria perder. 

 A primeira apresentação. Aria, Matt, meus pais, estariam todos esperando por mim. E eu não chegaria a tempo. 

 Olho pra fora da janela, sem realmente ver. Como eu poderia concertar isso? Matt me perdoaria? Eu não perdi por mal, foi a droga do avião. Mas até eu conseguir chegar e explicar que foi isso, ele vai estar pensando que eu não quis. Que eu não pude ir. Que eu escolhi a droga de um evento no lugar da sua apresentação, quando na verdade não foi isso.

 Atraso no avião era algo compreensível, certo? Mas que caralho, eu não estava sendo compreensivo comigo mesmo, imagine eles! E a desgraça do carregador? Se tivesse, pelo menos eu poderia ligar e tentar avisar, mas nem isso. Nem isso. 

 Que belo pai eu era. 

 Talvez Aria realmente estivesse certa no início. De não me querer por perto. A primeira chance de eu provar que ela poderia ter errada, eu faço o que? Exatamente ao contrário. Iriam me perdoar? Enquanto as horas passam, essa pergunta circula a minha cabeça no mesmo ritmo que a esperança morre. Não daria mais tempo nem se eu alugasse um jato, que foi o que eu estava pensando. Mas alugar jatos de última hora não era algo realmente fácil. Principalmente para viagens internacionais. 

 - Senhoras e senhores passageiros, nós pedimos desculpas novamente pelo atraso, porém temos a alegria de falar que em poucos minutos acontecerá a decolagem. Todos os problemas foram resolvidos, vocês estarão em segurança. Tenham um bom voo. - As voz eletrônica desliga e eu bufo. 

 Acho que até chorado nas últimas duas horas eu tinha. Era como se cada minuto que passasse, eu tivesse a certeza que perderia meu filho. Aria me trancaria pra sempre para fora da sua vida e do seu coração. Se me dar uma segunda chance foi difícil, imagine uma terceira. 

 Por um momento, passa na minha cabeça que se o avião caísse seria uma desculpa melhor para acontecer. Mas logo peço desculpas para seja lá qual fosse a identidade divina responsável por isso. Só que me faltava era morrer também. 

 Não escuto a instruções da aeromoça. Tinha escutado tanto aquilo nos últimos anos, que eu mesmo poderia ser comissário de bordo se eu quisesse. Pela primeira vez, não sinto nada na decolagem. Geralmente sentia um leve medo, agora estava entorpecido demais pra isso. 

 Qual era o ponto dessa viagem agora? Chegar e ver o quanto eu tinha decepcionado Matt? Aria? Tudo mundo? Por mim eu sumia. Estava me sentindo tão mal, mas tão mal, que eu acho que a aeromoça reparou, já que ela não veio fazer o procedimento de sempre de perguntar se eu queria alguma coisa. Agradeço por isso. 

 Não queria nada além de sumir. 

 O que mais me frustrava foi que eu planejei tudo! Ainda poderia ser minha culpa quando o que me fez não conseguir chegar estava fora do meu controle? Eu sei que não, mas não apaga o que eles vão ter sentido. 

 Espero ter o mínimo de compreensão. E se tivesse a graça deles me desculparem, conseguir finalmente convencer eles a se mudarem. Poderia ser egoísta de certo modo, mas minha vida estava em Los Angeles, até o contrato terminar, minha gravadora era lá. Eu teria que está lá. Coisas como essas iriam acontecer de novo.

 Ou então era chutar o balde, quebrar o contrato e perder todas as minhas músicas. 

 Sabia o quanto isso me doeria, mas se Aria não quisesse vir morar em Los Angeles, eu não teria outra opção. Perderia todas as músicas que ainda nem tive chance de dar o reconhecimento merecido. Meus sentimentos, todos perdidos e não pertencentes a mim mais. 

 Mas se esse era o preço a ser pago para nunca mais decepcionar Aria e Matt, era um preço justo a ser pago.

 E, mesmo sabendo que era praticamente impossível, eu ainda chegaria lá com um pouquinho de tempo. Só esperava que fosse tempo o suficiente.  
 

 


Notas Finais


Será que ele vai chegar a tempo? ksksks

Nos vemos amanhã ou ai embaixo, xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...