História Pastel Stars - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias A Seleção
Personagens America Singer, Maxon Calix Schreave
Tags A Seleção, America Singer, Maxon Schreave
Visualizações 73
Palavras 907
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


☆Boa Leitura☆

Capítulo 22 - Shopping


Fanfic / Fanfiction Pastel Stars - Capítulo 22 - Shopping

Naquele momento,algo me dizia para seguir em frente,para não me prender a um passado que nem sequer lembro.

- Aspen? - chamei,olhando para o calçamento.

- Hum?

- Você ia me dizer algo antes de me beijar?

- Sim,eu ia... - suspirei. - Deixa pra lá,Meri,e esqueça o que aconteceu essa noite.

- Mas,por quê?

- Meri. - paramos de caminhar. - Há tempos,eu sinto que tem alguém. Alguém que você ama. Eu não quero que seja assim,até porque você não gosta de mim.

- Aspen...

- Mesmo que eu te ame,America...

Meus olhos marejaram.

- Eu... - minha voz falhou. - Mal me lembro quem é,mas... O pouco que conheci depois dessa amnésia me fez com que me apaixonasse por ele.

- Eu percebi que queria... Esquecê-lo.

- Sim. Dizem que Maxon foi meu namorado há muito tempo,e que tivemos uma história muito bonita.

- Maxon,é? - Aspen continuou caminhando e eu o segui.

- Maxon Schreave. Ele se formou em Medicina e se mudou para San Francisco há 3 anos.

- Por isso,me beijou?

- Em outras palavras,sim. - corei.

- Deve esperá-lo!

- O quê?

- Se o que seus irmãos dizem é verdade,Maxon deve amá-la demais. Ele,certamente,voltaria,por você...

- Você acha?

- Vai ver. - sorriu.

Paramos em frente a minha casa.

- Sabe... Há alguns dias,a Kriss,minha melhor amiga,ela me chamou de "querida" e eu... Tive alguns djavús,eu acho. Na verdade,me senti desconfortável,de alguma forma. Me lembrei dele.

- Deve ser algum apelido. - ele deu de ombros.

- Pode ser. E naquela noite... - corei. - Eu sonhei que Maxon me chamava de "querida"...

- Acho que a pergunta certa é "Em que situação?" - ele gargalhou.

Corei mais ainda e apertei os olhos.

- Acho que era um carro!

- Mas que ousadia! - ele riu.

- Tchau,Aspen! - fui entrar,mas fui surpreendida por um abraço do mesmo.

- Espero,um dia,tem um amor como o de vocês. - Deu um beijo em minha testa.

Sorri com isso.

Amor,é?

Entrei em casa,sorrindo feito boba.

Pov Narradora

Assim que America entrou em casa,Aspen escorou-se em um poste e suspirou,tirando uma pequena caixinha vermelha de dentro do bolso e a abrindo,revelando o anel.

- E o que eu faço com você? - falou,olhando para o anel.

No outro dia...

- AMERICA,ACORDA!

- Ah,mãe,só mais cinco minutinhos... - America resmungou,de olhos fechados.

- "MÃE"? Sou sua melhor amiga,SUA DOIDA!

- Marlee? O que está fazendo aqui?

- Esqueceu que vamos ao shopping,bonitona? Ah,May vai com a gente.

- Ah,é... São que horas?

- 8:45,você tem 15 minutos! - bateu a porta.

America suspirou e dirigiu-se ao banheiro. Tomou um rápido banho e vestiu um vestidinho florido e leve,calçou suas sapatilhas pretas e desceu.

- Vamos? - perguntou Marlee.

A ruiva assentiu e pegou uma maçã,saindo com Marlee e May.

- Carter está estranho...

Eu e May e rimos com o surgimento repentino de assunto.

- Por favor,compartilhe conosco.

- Ele vive falando ao telefone aos risinhos e sussurros e quando eu pergunto algo a respeito,ele desconversa e que nos próximos dias,eu não posso ir pra lá,porque a casa vai estar "cheia".

- Isso se chama hospedagem,Marlee! - America respondeu,rindo.

- Mudando de assunto,como foi seu encontro com Aspen? - Marlee sorriu maliciosa.

- Legal. - falou simplesmente.

- Fala sério,America! - Marlee revirou os olhos.

- Na verdade,fomos para a casa dele.

- Oi? - May me olhou,furiosa.

- Vou explicar...

.

.

.

.

- O QUÊ? - Marlee gritou,enquanto May cuspiu todo o refrigerante.

- Pera aí,pera aí,pera aí... - May segurou America pelos ombros. - Você disse que era um carro?

- Sim. - America corou.

- Lembra mais de algo? - sorriu travessa.

- Algo como...?

- "Não se preocupe,não vou contar..." - estendeu a mão,sorrindo sapeca.

- Éér... - America gaguejou. - Desculpa?

- Cá entre nós,no outro dia,eu perguntei se você tinha gozado. - sussurrou.

- May! - corando.

- E sua reação foi a mesma! - riu.

- Com licença,vou ao banheiro. - America saiu apressadamente.

- Acha que ela vai se lembrar? - May sorriu triste.

- Quem sabe,Lee... - May suspirou.

.

America saiu da cabine e foi lavar as mãos. Alguns meros borrões em forma de lembranças atormentavam sua mente,jogou uma água no rosto e encarou seu reflexo no espelho.

Por que tudo parecia tão familiar para ela?

Pov Flashback On

- Vocês transaram? - America assentiu,vermelha. - Você gozou?

- May! - repreendendo-a.

- Brincadeira... - falou,rindo.

Pov Flashback Off

Tudo era um mero borrão para America,ela não se lembrava...

.

Ao voltar para a praça de alimentação,America sentiu-se mal ao ver May e Marlee conversando,aos risos.

Será que era assim antes de tudo acontecer?

- Vamos? - America sorriu sem graça.

- Antes,vamos no cinema,está passando Os Incríveis 2! - May falou animada,com os olhos brilhando,e foi naqueles olhos brilhantes e naquele sorriso contagiante que America jurava ter visto uma menininha.

- O-ok!

Segunda-feira,5:45 da manhã

Pov America Singer

Estava nervosa.

Nervosa com esse conserto.

Fui até a cozinha e preparando um leite bem quente para mim,colocando em uma caneca. Encostei-me no balcão e o beberiquei.

- Caiu da cama?

- Nervosismo...

- Entendo. - Deu um risinho. - Você já deveria ter se acostumado,gatinha.

- Eu já me apresentei em público,papai?

- Sim,muitas vezes. Lembro que no aniversário de 18 anos de May,vocês resolveram fazer uma dupla. Vocês cantam maravilhosamente bem! - sorriu.

- Fazíamos aulas de canto?

- Você fazia,na época do Ensino Médio. E também,fui roubado da minha própria filha. - riu,com gosto. - Um cômodo da casa. Seria destruído,mas você não deixou e fez a sala de música.

- A sala... De música?

- Vocês ficava horas e horas lá dentro,tocando piano ou violino,May tocava violão. Vocês faziam uma bela dupla... - sorriu,nostálgico. - Entretanto... - Seu sorriso morreu. - Você nunca mais foi lá,depois do câncer. - fez uma pausa. - May deve estar lá,ela costuma ir lá por essas horas.

Deixei a caneca sobre o balcão e saí correndo.

A sala de música...


Notas Finais


Até o próximo chapie.😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...