História Patch Cipriano - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


oii meus anjos! esta ai mais um cap espero muito que gostem, por favor comente isso é motivador, compartilhem com seus amigos tbm e favoritem. já vou dizendo que esse cap é intenso quando estava o escrevendo quase chorei e não estou dizendo porque fui eu quem escrevi não é porque eu amo os personagens mesmo.
beijos.
BOA LITURA!

Capítulo 19 - Impossible


Fanfic / Fanfiction Patch Cipriano - Capítulo 19 - Impossible

O anjo entrou naquele galpão com expressão fria nos olhos, sua forma era dura, implacável, Dabria se encolheu ao vê-lo seus lábios se abrindo em um perfeito O. Patch pairou soba cabeça de Dabria a observando, uma luz dourada emanava dele o deixando incrivelmente lindo, suas asas negras se estendiam atrás das costas reluzindo com os feixes de luz que entrava pelo galpão, os olhos de patch estavam completamente negos.

—O que você é? —Dabria perguntou amedrontada.

—Eu sou um anticristo, o filho do diabo. —Patch diz travando o maxilar e com um movimento de a mão fazendo Dabria flutuar sem ao menos toca nela.

Patch trouxe Dabria para perto de si.

—Porque me maltrata Jev? Eu amei você, eu amo você. —Dabria diz com a voz ferida.

—Você não se cansa Dabria? Eu não te amo, o que tivemos foi passageiro e agora você vai pagar porque você meche com a minha família, com quem eu amo—patch diz serrando o punho fazendo mãos imaginarias apertarem o pescoço de Dabria a deixando sem ar.

—Por favor Jev, me perdoe eu peço clemencia a você. —Dabria implora.

Patch atira Dabria longe a deixando desacordada, lucífer e Amithyel aparecem no galpão segurando Braukiel ensanguentado.

—Levem-na para a casa de Gad e deixem Braukiel no delphic. —Patch ordena saindo do balcão.

O anjo caminhava pela floresta seus olhos varrendo cada canto do local, seu olhar era gélido e suas feições eram duras, mas elas logo se amoleceram quando ele a viu, seus cabelos ruivos estavam caídos sobre seus rosto, ela estava encolhida protegendo algo com seus braços, nora usava somente roupas intimas, suas mão estavam sujas de sangue e sua barriga com um grave ferimento, patch se ajoelhou ao lado de nora, seus olhos marejando e quando viu o que nora protegia com seus corpo seus olhos se encheram de lagrimas, patch os pegou em seus braços, seus filhos os dois meninos sorrindo para patch o fazendo chorar ainda mais, eles tinham pele dourada, um tinha olhos cinzas e outro olhos pretos e seus cabelinhos era negros como os de patch.

—Anjo? —patch chamou com voz rouca, o medo tomando conta de si.

Nora se remexeu e abriu os olhos vendo patch, um leve sorriso surgiu em seus lábios.

*Patch! *

Nora diz em sua cabeça.

—Nora meu amor você consegue segurar nossos filhos? Vou levar você para casa—patch diz com voz embargada de vê-la naquele estado.

Nora estende os braços lentamente na direção de patch que coloca os meninos em seus braços, ela os segura forte deixando patch admirado com tamanha força, nora estava gravemente feria não era nem para conseguir ficar acordada, mas lá estava ela segurando com firmeza seus filhos nos braços.

Patch pegou nora no colo abrindo suas asas e voando para longe dali patch chorava de emoção e chorava de alivio por ter encontrado nora e seus filhos. Patch entrou na casa de Gad com nora em seus braços todos se levantaram do sofá em um pulo quando os viram. Hasdiel pegou os bebes.

—Vou leva-los para tomar um banho—ela diz.

—Lucífer, você pode cura-la? —patch perguntou com a voz tremula não suportando ver nora quase sem vida nos seus braços.

—Mais é claro—lucífer diz se levantando e indo até eles.

Lúcifer estendeu as mãos sobre nora, seus olhos ficaram vermelhos e uma luz dourada se acendeu envolvendo o corpo de nora milagrosamente curando todos os seus ferimentos, patch agradeceu e subiu as escadas indo direto para o banheiro colocando nora na banheira que estava cheia de agua que com certeza alguém preparou, nora ainda estava desacordada, ela perdeu muito sangue e os olhos de patch a olhavam sofridos e com dor, ele não podia suportar a ver assim, depois que patch terminou de dar um banho em nora ele foi até o armário onde suas coisas estavam ele sorriu para si mesmo quando viu suas camisas, nora havias as trazido ela amava vestir as camisas de patch, ele a vestiu beijou sua testa então saiu do quarto procurando por Hasdiel, ele a encontrou no quarto logo a frente, uma banheira estava sobre a cama e ela dava banho em uma de seus filhos o outro já estava vestido com um macacão azul, o outro estava na banheira sorrindo batendo suas mãozinhas na agua fazendo uma bagunça.

—Esse aqui é a sua cara patch. —Hasdiel diz. —Ele tem seus olhos e seus cabelos.

—Eles são a minha riqueza. —Patch diz pegando-o em seus braços.

—Como nora está? —ela pergunta preocupada.

—Ela está bem lucífer a curou. —Patch diz ainda com semblante preocupado.

Patch voltou para a sala observando todos, o silencio mortal pairava sobre eles, todos atônitos com o corrido.

(coloquem a música link nas notas finais. Obs. faz toda a diferença.)

O corpo de patch tremeu ao sentir sua energia, ele podia senti-la a quilômetros de distância seu coração batia mais rápido no peito, suas asas estavam inquietas e patch teve de se controlar para que elas não saltassem de suas costas com a emoção que corria livremente por seu corpo.

—Patch. —Nora chamou.

Patch tremeu ao ouvir sua voz e seus corpo se arrepiou ao ouvi-la falar seus nome, ele arfou, então se virou a vendo no auto da escada, patch sorriu vendo o rosto de nora se iluminar, uma descarga elétrica percorreu o copo de patch fazendo seu coração dar um pulo deixando sua respiração descontrolada. Ela desceu as escadas correndo pulando nos braços de patch entrelaçando suas pernas em seu quadril, patch a abraçou forte a beijando e a girando no ar, nora o agarrou com medo de pede-lo, com medo de que tivesse morrido e esse lugar fosse o paraíso onde patch esperava por ela.

—Eu te amo patch, eu te amo. —Nora diz sorrindo e o beijando novamente.

—Você é minha anjo, eu amo você. —Patch diz a girando.

Nora chorava de alegria nos braços de patch o apertando forte sentindo a sua falta, o amor emanava do corpo deles, eles estavam trêmulos pela emoção, parecia que faziam anos que eles nãos se viam. Eles se beijavam intensamente como se o mundo estivesse parado no momento em que se abraçaram, nora sentia seu corpo quente e o formigamento familiar corria por ela, o amor e a saudade quase fazendo seu peito explodir. Patch passava suas mão tremulas em seus cabelos se sentindo aliviado, pois quando ela sumiu ele teve medo de nunca  mais poder toca-la novamente, eles eram ligados, onde quer que um fosse o outro iria também, se um se perdesse na escuridão o outro encontraria se tornando a luz, juntos eternamente assim era o lema de patch e nora.

—Aaah! Anjo eu senti tanto medo, tanto medo. —Patch diz com voz tremula.

—Estou aqui agora patch—nora diz colando sua testa na dele.

Os olhos de patch estavam vermelhos, as lagrimas iridescentes brotavam de seus olhos descontroladamente.

—Você é minha anjo e nunca vou perde-la, se perder você! Eu perco tudo! —patch diz fechando os olhos com força colando seus lábios nos dela não querendo a soltar nunca mais.

 

(desliguem a música!)

Quando patch a solta, vee quase sufoca nora com um abraço apertado.

—Haaa! nora me desculpe eu não consegui impedir Dabria. —Vee diz chorando.

—Vee não se culpe. —Nora diz sorrindo.

Gad vai até nora a abraçando e logo depois Scott.

—Você deu um susto na gente Grey—ele diz beijando a testa de nora.

Lúcifer e Amithyel também a abraçam e então nora vê sua mãe que a abraça apertado chorando.

—Você não sabe como eu fiquei com medo de perder você meu amor. —Hasdiel diz chorando.

—Onde eles estão? —nora pergunta olhando para patch.

—Vem anjo vou te levar até eles. —Patch diz puxando nora pela mão.

Quando nora chega no quarto vê seus dois bebes dormindo na cama, nora olhou para eles com os olhos marejando ela pegou um deles em seus braços e beijou sua bochechinha.

—Patch eles são tão lindos. —Nora diz sorrindo.

—Sim anjo.

—Esse vai se chamar Jev—nora diz olhando para o menininho de olhos negros que a encaravam.

—E esse ira se chamar Castiel. —Patch diz o pegando.

Nora colocou Jev na cama então encarou seria patch.

—O que foi anjo? —patch perguntou arqueando as sobrancelhas.

—Onde ela está? Onde Dabria esta? —nora pergunta cerrando os punhos.

—Nora espere um pouco você acabou de se recuperar. —Patch diz a beijando.

—Não patch! eu quero que isso acabe de uma vez por todas e eu quero fazer—nora diz se levantando.

—Tudo bem.

Patch coloca Castiel na cama junto de Jev e vai para a sala onde todos se encontram.

—Gadreel, onde você colocou Dabria? —patch pergunta sério.

—No porão —Gadreel diz se levantando.

 

Nora Grey

Todos caminhamos em silencio para o porão, ainda não tive tempo de conversar direito com patch, mas eu sei que isso pode esperar, sentia o meu sangue ferver dentro de mim junto da raiva lancinante. As luzes do porão eram fracas e marteladas, Dabria estava amarrada na cadeira e diferente das outras vezes em que eu a vi que sempre era linda e loira, roupas elegantes, batom vermelho e salto alto. Agora ela estava com os cabelos desgranados, olheiras profundas, as marcas de mão negra reluziam em sua pele, ela me olhou então deu um sorrisinho.

—Olha só, quem é vivo sempre aparece—Dabria diz sorrindo.

—Acho que você não está em posição de fazer piadinhas. —Digo seria.

—Me poupe nora, o que veio fazer aqui? Sei que não tem coragem de me matar.

—Não me subestime Dabria, eu matei meu próprio pai e não vai ser nenhum esforço matar você. —Digo trincando os dentes.

—Patch por favor, você é um anjo e eu pedi por clemencia e quando um pecador pede por clemencia a um anjo ele tem de aceitar. —Dabria diz a patch implorando.

—Você não tem que pedir clemencia a mim Dabria e sim para nora. —Patch diz frio.

Dabria lança um olhar ferido para Patch.

—Eu não irei pedir clemencia para a vadia que roubou você de mim. —Dabria rosna

Senti a iria subir por minha cabeça e minha mão saltar acertando o rosto de Dabria.

*qual é nora pare com esse seu joguinho eu sei que não vai me matar. Ah!! e patch o querido patch, você já pensou no que acontecerá quando ele morrer? Quando Rixon o matar? *

Dabria pergunta em minha mente, olho para patch e vejo alguém descendo as escadas do porão Rixon, ele sorri para mim cravando uma estaca nas costas de patch onde suas asas estão, solto um grito agudo tentando ir até ele mais a dor é de mais, Rixon decapita patch com uma adaga dourada sorrindo com o rosto salpicado de sangue. Caio de joelhos no chão ofegante vendo patch correr até mim alarmado.

—Anjo o que foi? —ele pergunta preocupado.

Então ouço a risada de Dabria ecoar pelo local, me levanto sentindo minhas mãos tremerem com a raiva então arranco um punhal da bota de patch cravando na perna de Dabria a fazendo gritar.

—Você vai ardei no inferno, você mexeu com a garota errada Dabria, você mexeu com o amor da minha vida, com meus filhos e agora voce vai pagar, você vai queimar no inferno. —Rosno para Dabria.

Ela sorri mais logo paralisa em agonia quando esfio o punho em seus peito arrancando o seu coração em minha mão, vejo a vida esvair de seus olhos então seus corpo se amolece na cadeira, todos me olham espetados, mas de nada me assusta eu já vivi coisa de mais, coisa que deixaram forte demais. Joguei o coração de Dabria no chão.

—Queimem o corpo dela—digo saindo do local e indo até o banheiro lavando o sangue de minhas mãos, vou para meu quarto vendo meus bebes dormindo em minha cama, patch aparece me abraçando.

—Eu podia ter feito anjo. —Patch diz em meu ouvido.

—Eu sei patch, mas eu precisava, ela quis arruinar a minha felicidade tentou tirar nossos filhos de mim patch. —Digo nervosa.

—O que aconteceu lá? Como eles nasceram? —patch pergunta.

Nos sentamos na cama então olho para ele me lembrado das coisas horríveis que eu passei.

—Braukiel cortou minha barriga a mando de Dabria, ele tentou fazer o parto dos bebes, mas quando ele enfiou a mão em minha barriga ouve uma explosão de luz branca  então eu tive de enfiar a mão dentro da minha barriga lutando contra a dor lancinante e tirar nossos filhos, eles me protegeram de Dabria eles soltaram uma explosão de luz branca desmaiando Dabria me ajudando a sair dali.—termino de dizer olhando para patch.

Patch mordeu o lábio inferior então chorou, as lagrimas caíram de seus olhos então ele me abraçou soltando um soluço.

—Me perdoe anjo eu devia ter protegido voce, só de imaginar a dor que voce passou sinto minha alma doer. —Patch diz com voz tremula.

—Não diga isso patch, voce não falhou, voce sempre me protege. —Digo o beijando.

 Nos deitamos e só então vi o quanto patch estava cansado ele quase nunca dormia, mas agora ele parecia um anjo o que realmente ele era, sorri,  deixei-o dormindo junto com os meninos e fiquei na varanda observando a paisagem que era um linda floresta e ao fundo um lindo lago, uma luz pairou sobre mim tomando forma de um homem, Basso.

—Olá criança—ele diz ficando ao meu lado.

—A quanto tempo. —Digo sorrindo.

—Como estão os bebes? —ele pergunta olhando para eles.

—Estão bem, Basso eu tenho que te dizer, muito obrigada. —Digo mordendo o lábio.

—Pelo que criança?

—O presente que me deu por fazer patch sentir.

—Não foi nada, nora eu tenho que dizer os portões do céu e do inferno vão se fechar tive uma conversa séria com o trono e chegamos a uma conclusão sobre a raça que voce patch criaram.

—E em qual conclusão chegaram? —perguntei com medo da resposta.

—Vamos deixá-los com voce, mas voce e patch tem que cuidar deles para que eles não se corrompam para o caminho do mal.

Olhei para ele não contendo a felicidade.

—Obrigada.

—Mais uma coisa, tomem cuidado com lúcifer, eu sei que ele é o pai de patch, mas ele também é o diabo—Basso diz sério.

—Teremos cuidado.

 

(coloquem a segunda música!)

—Tenho um presente para voce lá no lago seja breve e diga para vee e Scott irem lá para fora—Basso diz desaparecendo.

Passo por patch o deixando dormir, vou até a sala então digo o que Basso me disse para vee e Scott.

Vou até o lago e quando vejo aquele homem de costas para mim sinto meu corpo tremer e minhas pernas fraquejarem dou um passo em sua direção deixando que as lágrimas caiam.

—Pai? —eu o chamo com voz embargada.

Ele se vira para mim então me dá um sorriso ele está do mesmo jeito que eu me lembrava mesmo cabelo, mesmo sorriso.

—Nora minha filha. —Ele diz me abraçando forte.

Choro descontroladamente, o apertando contra mim, como senti falta desse abraço que eu sempre amei, que sempre fez sentir protegia.

—Eu te amo pai, me perdoe por tudo. —Digo chorando afundando meu rosto em seu pescoço e inalando seu perfume que continuava o mesmo.

—Eu te amo minha filha, não se desculpe, eu tenho muito orgulho de voce e estarei olhando por voce e sua família lá de cima. —Ele diz sorrindo emocionado.

Fecho os olhos tremendo ao ouvir sua voz que tanto senti falta, aquela voz doce e suave que ele sempre teve.

Sorrindo ele beija minha testa me fazendo estremecer com o contado, fecho os olhos com força os sentindo arderem então uma linda luz se forma em volta de seu corpo e logo a sua forma humana some deixando somente uma linda luz branca que sobe para os céus.

—Eu te amo pai—digo aos prantos agradecendo Basso pelo presente.

(desliguem a música!)

 

Vee Sky

 

(liguem a terceira música!)

Scott e eu estamos do lado de fora da casa sinto meu coração bater forte no peito pois eu já sei o que vai acontecer, minhas mãos estão suadas e tremulas, Scott me abraça forte, não consigo controlar meus soluços e as lagrimas descontroladas que saem de meus olhos.

—Vee eu te amo e sempre vou te amar, eu espero muito que voce seja feliz. —Ele diz sorrindo.

—Eu não serei feliz sem voce. —Digo com voz embargada.

—Sim voce será, pois o seu destino já está traçado com outra pessoa dês de que voce nasceu ele é o amor de sua vida e está destinado para voce então o ame. —Scott diz.

—Quem?

—No momento certo voce saberá—Scott diz.

Eu o beijo sentindo seus braços envolverem minha cintura me apertando contra ele, as lágrimas não para de cair, Scott acaricia meus cabelos, afundo meu rosto em seu perito inalando seu perfume para nunca mais esquece-lo, minhas mãos tremem e sinto que meu coração vai aparar.

—Eu te amo Scott, eu te amo.

—Eu também te amo vee, adeus. —Ele diz, chorando soltando um soluço sofrido

Seu corpo sendo tomado por uma luz branca ofuscante sua forma vai se modificando até que Scott se transforme em uma linda luz brilhante subindo para os céus.

—SCOTT—Grito sentindo minhas penar fraquejarem.

Quase cai mais Gad me segura não permitindo, olho para ele desesperada meus olhos buscando por conforto, mas ele não vem

—Xhiii vai ficar tudo bem, vai passar vee—ele diz me abraçando tentando me acalmar, mais nada tira de mim essa dor.

 Me debati em seus braços tentando tirar de mim essa dor eu não acredito que eu o perdi novamente, não consigo respirar o ar não chega em meus pulmões, sinto como se lâminas afiadas cortassem meu coração o desfazendo em pedaços, minha pele queima como se ácido corroessem minhas veias.

—FAZ PARAR! POR FAVOR! FAZ PARAR! —gritei descontrolada.

Gad não disse nada apenas me apertou mais, não me soltando de jeito nenhum. Senti meu coração murchar, eu nunca mais vou conseguir amar novamente ele sempre foi a minha ilusão. O meu amor por Scott sempre foi impossível, impossível.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...