1. Spirit Fanfics >
  2. Patience - Justin Bieber >
  3. Outra Guerra

História Patience - Justin Bieber - Capítulo 36


Escrita por:


Notas do Autor


Tive que dividir esse capítulo em dois, e essa primeira parte não é taoo importante. Porém, hoje veremos um pouco do ponto de vista do Justin nessa situação toda, e como a cabeça dele evoluiu ultimamente.

Esoero que gostem😍

Capítulo 36 - Outra Guerra


Junho de 2018 

P.O.V Bárbara Palvin 

— Amalia, peço que não comente com ninguém da casa sobre nossa conversa nem sobre os Galaretto, por enquanto. Depois, tudo vai se esclarecer, mas não quero ninguém além de mim envolvido nessa história. — Lhe digo quando estamos próximas de casa.

— Pode deixar, senhora. Prometo que ficarei calada. 

— Só relaxe, aqui você estará segura, e as crianças vão te adorar, garanto. — Sorrio, na tentativa de tranquiliza-la. Depois de tudo, voltar à uma casa de família não deve estar sendo fácil. 

Peço que os seguranças fiquem apenas do lado de fora e não nos acompanhem quando adentrarmos a porta de entrada, para deixar um ambiente mais tranquilo para Amalia. 

Assim que nos aproximamos da cozinha americana e a sala de jantar, vemos que Travis e Kylie estão preparando o jantar. Jaxon, Gigi e Jazzy conversam sobre alguma coisa e brincam com Bay, e os outros devem estar espalhados pela mansão. 

Quando notam nossa presença, apenas nos olham sem entender muita coisa. Não tínhamos quase nada de funcionários, apenas duas faxineiras que vinham à cada quinze dias. Provavelmente não estavam entendendo nada, e ela se coloca atrás de mim. A encorajo com o olhar e ponho a mão em seus ombros. 

— Boa noite, gente. Esta é a Amalia, uma moça contratada por mim para ajudar nas tarefas gerais da mansão e cuidar das bebês, principalmente. 

Vejo que devido à meu afastamento nesses últimos tempos, ficam perdidos em relação ao que dizer. Mas como sempre, Kylie vem com o olhar simpático e se aproxima de nós duas. 

— Muito prazer em conhecê-la, eu sou a Kylie. Esse é meu namorado, Travis e minha filha está ali no carrinho dormindo. — Aponta, sorridente. 

— Ela é a patroa da casa, cuida das refeições, rotinas domésticas e das crianças. Garanto que verá muito mais ela do que eu. — Falo, descontraída, e fico feliz por Kylie não parecer ressentida comigo. — Essa é a Gigi. — A loira acena delicada. — Seu namorado, Zayn. — Apenas da um aceno singelo. — Tem Jaxon e Jazzy, as crianças mais velhas, irmãos do Justin, e Bay, sua irmãzinha mais nova... Moram aqui também Pattie, e minha filha você logo conhecerá... E Bella e Jaden, quase nunca estão. Falando neles, faz tempo que não os vejo... 

— Estão em Ibiza enchendo a cara com Diego, Will e o namorado. — Gigi me atualiza. 

— Esses você quase não vai ver mesmo. — Lhe falo. — Bom, pode jantar com eles, vou te mostrar seu dormitório, fique à vontade, pode deixar que amanhã eu e Kylie designamos suas funções. Agora, preciso ver minha bebê. 

Kylie se oferece para mostrar as novas coisas de Amalia, roupas e seu quarto, e parece já simpatizar com ela. Agradeço por isso. Kylie sempre fora muito sensível, saberia bem como lidar com todos. 

Exausta, subo as escadas e logo já estou em minha suíte. Assim que ponho os pés lá, me surpreendo com Pattie e Justin conversando descontraídos e em tom baixo, já que Alycia dorme bem perto deles. 

— Barb! — Ela exclama assim que me vê, e Justin coça a nuca, não sabendo se deveria vir até mim como a mãe. — Como foi de viagem? 

— Muito trabalho. Mas agora estou bem... Trouxe também uma nova moça para ajudar melhor você e Kylie com as coisas da casa, já que todo mundo está fora a maior parte do tempo. Ela já está lá em baixo, conversando com Kylie e Gigi. 

— Jura? Bom, que legal, logo vou vê-la... Mas então queridos, já vou indo dormir... E deixá-los à sós. 

— Até depois, Pattie. — Digo quando ela deixa o dormitório. 

Na mesma hora tiro os saltos e me jogo com cuidado ao lado de minha filha, na enorme cama king size... A observo, e me recordo do quanto sinto sua falta... Ela já está com oito meses, crescendo tão rápido... As vezes acho que não estou aproveitando tão bem essa fase, decido à quantidade de trabalhos. Ela é tão linda, poderia ficar à observando por horas. 

Porém, mesmo que não esteja falando direito com Justin, tenho muita curiosidade sobre algo, e não posso deixar de perguntar. Porque percebi ele e Pattie numa conversa tão tranquila, soa como uma evolução enorme para mim. Ainda estou magoada, mas não consigo deixar de vibrar ao vê-lo conquistar esse contato com a mãe. 

— Se resolveu com Pattie? 

— Andamos conversando... E no geral, acho que ver o cuidado que ela tem com Alycia nos fez começar conversas sobre ela... E nesses dias que você não esteve, as vezes cuidamos dela juntos. Mas é claro que também tenho milhares de viagens, acho que consegui estruturar os negócios e está tranquilo trabalhar de casa. 

— Você está sendo bem eficiente, tanto no trabalho quanto no papel de pai. Preciso aprender à trabalhar de casa também, antes que ela diga papai antes de mamãe. 

— Com certeza ela vai, e é ótimo saber disso. 

— Convencido. — Reviro os olhos. — Reparei que o povo lá de baixo está mais tranquilo. Está acontecendo algo que não sei?

— Vamos viajar. — É aí que fico mais sem entender. Sei que tenho estado distante, mas porra, nem me avisaram? — Presumi que você não ia querer ir à Ibiza, agora que só viaja para planos misteriosos com Kendall e a psicopata da namorada dela. — Fala, e penso no quando soa infantil. 

— Vão quando? 

— Daqui à três horas. O convive está aí, quer vir? 

— Não, estou exausta. 

— Já tinha previsto isso. As crianças vão ficar com Pattie e duas babás que contratamos... 

Meu orgulho nunca admitiria, mas me custava acreditar que Justin tinha suas malas arrumadas e iria mesmo sem mim. Tá que não falo mais quase nada com ele, mas custava... Ficar aqui comigo? Quer saber, esquece isso, não íamos dormir juntos. 

— Tá bom então. Curta suas bebedeiras em Ibiza. — Me viro do outro lado da cama. 

— Sabe se Kendall aceitaria ir? 

— Pergunte à ela. 

P.O.V Justin Bieber 

Enquanto desço as escadas, já percebo os olhares curiosos de Travis e Zayn. Até eles tinham esperanças que Bárbara aceitaria vir, e poderíamos resolver todos os nossos problemas numa hidromassagem com uma boa dose de Tequila num hotel em Ibiza. 

— Não quis vir, né? — Travis já bate em meu ombro. 

— Nem adiantava insistir. Mas sim, me expressei mal. Parece que eu não consigo mais... Manter uma comunicação com ela, eu tô bem perdido. Preferia matar a porra de uma dúzia de seguranças de algum inimigo meu, muito mais fácil do que tentar me resolver com mulher. 

— Calma, Bieber, puta que pariu. — Zayn fala, quando suspiro e apoio minha testa na mão direita, cansado. 

— Depois você me explica como lida com Gigi, porque eu desaprendi com a minha... Pelo menos ela é tranquila, tá louco... 

— Nós pensávamos que Bárbara também era! — Travis exclama, e tenho que concordar. 

— É só uma fase. — Gigi se aproxima, com postura serena. — Vai passar, e você precisa entendê-la, Justin... Sua realidade mudou de forma drástica e traumática, ela acabou de perder o pai e a irmã, já lidou com muitas mortes, é mãe nova... Sem contar que tem a pressão do trabalho e o medo de à qualquer momento a polícia pegar vocês. É uma barra do caralho! O problema de vocês homens é não entender essas coisas, dêem o tempo dela. 

— Odeio admitir, mas é verdade essa porra. — Digo, e Travis ri. 

— Quem diria, o fodão Bieber sendo domado por fêmea... — Zayn comenta, e apenas ergo meu dedo do meio em resposta. 

— Para se ser babaca. — Gigi fala, e ele se situa na hora. 

— Não é só o Bieber que é domado, todos nós somos por esses mulheres maravilhosas! — Travis fala quando Kylie se aproxima, já colocando apoiando seus braços no ombro da namorada. 

— Gigi tem razão. — Digo. — Bárbara parece guardar muita coisa pra ela mesma, principalmente agora que está metida em alguma loucura com Kamala e Kendall. 

— Ela foi escolher justo o casal mais desequilibrado, vão ensinar sua mulher à ser uma psicopata, eu tomaria cuidado. — Zayn dispara. 

— Enfim. — Ignoro os comentários de Zayn, e percebo os outros com vontade de rir. — Ela não vai me falar até as coisas saírem exatamente como ela quer. É justo, já que à escondi algumas coisas... 

— Acha que ela trazer essa garota para trabalhar aqui tem algo à ver, Kylie? — Travis fala, e redobro a atenção em suas palavras. — Porque você foi a única que falou de fato com ela, e ela parecia bem abatida. 

— Não tenho dúvidas que passou por algum trauma antes de vir pra cá. — Kylie confessa. — Sem contar que Bárbara foi buscá-la em algum lugar com o jatinho, a coisa é seria. Agora, se tem à ver com o lance de Bárbara com Kendall e Kamala, eu não faço ideia. 

— Kendall nunca te falou nada sobre? — Pergunto. — Deu pelo menos uma pista, não sei... 

— Kendall, nunca... Ela não me conta absolutamente nada, só fala com Bárbara, Kamala e no máximo Jaden. 

— Também não anda falando comigo. — Falo. — Sei que essas três podem se virar sozinhas, mas confesso que tenho medo. A mais sã dali é Bárbara, e justo nesse momento ela está longe disso. Mas sinto que estão fazendo algo bom, por mais que provavelmente possa causar uma guerra no mundo da mafia. 

— Acha que é pra tanto? — Gigi se assusta. 

— Reconheço a sede de justiça nos olhos dela. Vai ter sangue, mas enfim... Espero que saibam o que estão fazendo. E então, falando na Kendall, acham que ela vem, pra viagem?

— Nem fodendo. — Gigi garante. — Ainda mais agora que está com Kamala, não ia deixá-la sozinha em Medina. E Bella já está lá com Diego, imagina a confusão! 

— Kendall não vai querer se encontrar com sua irmã nem o outro ex dela. — Kylie garante. — É Bieber, parece que terá que ficar de vela em Ibiza. 

— Tem o Jaden. — Falo. — Agora vamos logo, já passou da hora.

Em Ibiza. 

Era noite de sábado. A música era tão alta que mesmo dentro do quarto de hotel, podia-se ouvi-la perfeitamente. Após arrumar a camiseta de estampa veranil aberta com apenas uma regata branca por baixo, prendo o cabelo em um pequeno coque pra trás, pois essa merda já estava grande. Por fim, escolho uma bermuda escura com tênis brancos, óculos escuros e uma gargantilha de ouro.

Após esses dias estressantes, vou finamente esquecer da merda dos problemas durante essa noite. Me dava raiva saber do quanto eu sentia falta de Bárbara ali ao meu lado, e como podia ser tão mais divertido se fosse ela bebendo tequila e dançando na pista comigo à beira da piscina. Ela gargalhando após alguns shots ou reclamando da falta que sentia de Alycia. 

Pego o elevador e já estou no andar de baixo do hotel em que estávamos. Só esperava que eles não estivessem enfurnados no cassino, não ia me dar o trabalho de procurá-los. 

— Justin! — É então que ouço a voz de Jaden, e me viro. 

Lá está ele, com a camisa florida e o copo de bebida na mão, sorridente. Acompanhado de Bella, Diego, William e Valério. 

— Finalmente chegou! — Nos cumprimentamos. — E aonde está Bárbara? 

— Ela preferiu não vir. Mas apenas por que estava cansada, tem trabalhado muito. 

Após Zayn, Gigi, Kylie e Travis descerem de seus quartos, resolvemos ir até a zona externa do hotel. Com uma enorme piscina que dava a volta nas redondezas, coqueiros, luzes, grandes bares, e uma pista de dança bem no centro, aonde o Dj já abusa de suas batidas eletrônicas. E é claro, muitas pessoas dançando. 

Nos sentamos num sofá em L próximo ao bar. Duas garçonetes nos servem bebidas tropicais, uma mistura de Gin com frutas e mais cachaça. É então, que em meio à conversas jogadas fora, Diego comenta sobre o boato de Bárbara estar aprontando algo com Kamala e Kendall. 

— Já disse que não estamos conversando direito. — Lhe asseguro. — Bárbara não me contou, e a única coisa que sei é o mesmo que vocês. E pela minha influência muitos mafiosos estão vindo comentar comigo à espera de que eu faça algo, mas já disse, não vou interferir nesse plano delas, pois com certeza elas têm motivos pra isso. 

— Vai deixar ela matar aliados seus do nada, por seus motivos? — Diego pergunta. 

— Não vão me fazer falta. — Digo, e ele se indigna. — Ela sabe o que está fazendo. 

— Espero que eu não esteja em sua lista por algum motivo. — Valério comenta. 

— Você é gay, com certeza não está. — Bella comenta, e a atenção de todos se vira para ela. — O que foi, nunca me viram?

— Por que ele não estaria na lista se não se relaciona com mulheres? — Zayn pergunta, tirando as palavras de minha boca. 

— É só ligar os pontos. Conhecem Alonzo Hanbal? 

— O homem que matou a mãe de Jaxon e Jazzy e trabalha pra Kamala... — Kylie comenta, em seguida revirando os olhos. — Como a louca da minha irmã consegue... 

— Penso o mesmo, acredite. — Bella concorda, ciumenta. — Esse filho da puta que é servo fiel de outra filha da puta tem estado bem ocupado ultimamente, agora não mais no Oriente. Matando alguns chefes da mafia... Alguns não tão influentes, mas se eu der nomes com certeza você conhecerá, Bieber. Sabe o que todos esses homens tem em comum? Histórico de abuso sexual, denunciados por várias mulheres, mas como são ricos e influentes nada lhes acontece... Por enquanto. 

— As viagens de Bárbara, as ligações com Kendall... — Começo à ligar os fatos. — É exatamente isso, Bella. Ela está com Kamala e Kendall na missão de conseguir justiça por essas mulheres. 

— Isso é maravilhoso! — Jaden exclama, orgulhoso. 

— Por enquanto, é tudo lindo mesmo... Mas deixa elas irem atrás de homens com o poder quase igual ao seu Bieber. — Diego comenta. — O que faria se mulheres vivessem tentar matar você e seu amigo? Revidaria, começaria uma guerra! 

— Eu não abusei de mulher nenhuma. 

— Isso é óbvio, eu também não. Mas que eles vão se vingar, isso é fato. Se era sangue que Bárbara e Kamala queriam elas vão ter... E de inocentes, por conta dessa guerra que poderia muito bem ser evitada. 

— Você é homem, realmente não entende. — Gigi balança a cabeça. — O que elas estão fazendo é completamente necessário. 

— Concordo plenamente. — Jaden fala. — Mas Kylie, você não poderia tentar tirar nenhuma informação da sua irmã? 

— Acha que eu sou uma fofoqueira? — Ela exclama. — Eu sou sim, é verdade. Mas não adianta, Kendall não fala comigo nem para saber se estou viva! E agora que é segredo com as duas pessoas mais importantes do mundo pra ela, Bárbara e Kamala, não abre o bico por nada. 


O restante da noite é marcado por mais bebidas e a enorme pista de dança. Eu queria descontrair, voltar à época em que rodávamos o mundo em boates e lugares como esses. Mas tudo mudou, e ainda a porra da bebida me faz ficar pensando nessas coisas com o maldito ar melancólico. Por isso que não gosto de perder o controle de nada, a merda do álcool me faz uma pessoa emotiva, e isso eu não sou mesmo quando sóbrio. Mas com Bárbara e Alycia não contam, pra deixar claro. 

Resolvi me sentar na mesa de bar e pedir um pouco de vodka, enquanto tentava desviar os pensamentos à respeito de Bárbara e os últimos acontecimentos. 

— Com licença, senhor. — Uma mulher de cabelos loiros e roupas brilhantes se aproxima, e não lhe dou liberdade. — Posso me sentar aqui? — Aponta para a banqueta à minha esquerda, e assinto sem dizer nada, desconfiado. — As bebidas daqui são caras, não? — Continuo sem olhar pra ela. — Você não fala? 

— Do que precisa? — Franzo a testa. 

— Nada, senhor Bieber... — Sorri. 

— Como sabe meu nome? — Fecho a cara. 

— Calma, não vim tentar te matar. — Que patético, como se ela pudesse me matar. — Sei que não conseguiria, você é o fucking Justin Bieber... Todos conhecem você, prazer Verônica Galaretto. 

— Galaretto, é? 

— Sim, sou prima de Henry e Giuseppe. Deve conhecer eles, você está num acordo com minha família. Não precisa fazer essa cara pra mim, vai! 

— Já disse e repito. Do que você precisa? 

— Nossa, ninguém pode vir falar com você? Calma. — Continua sorrindo, o que me irrita. — Te vi sozinho aqui no bar e me perguntei se não queria uma... Companhia. Seus amigos já estão espalhados no hotel, você parece bem solitário. 

— Eu não ligo de ficar sozinho, até prefiro. E não, não preciso de companhia. 

— Qual é, nem uma partida de poker? Ouvi dizer que você arrasa num cassino. 

Juro que esse seu ar convencido me irrita. Principalmente por saber que ela é uma deles tentando me desestabilizar. Se quando solteiro eu já não cedia à encantos de mulheres desconhecidas, imagina agora. 

— Escuta bem o que eu vou lhe dizer, filha da puta. — Falo firme em seu ouvido. — Se sua família te mandou pra tentar transar comigo, me embebedar pra conseguir qualquer informação, arruma um jeito de sair agora da minha frente antes que eu dê um tiro na sua cabeça de vento. 

— Calma senhor... — Ela se esquiva. 

— Vá embora agora mesmo e diga pra seu tio que se foda. Vaza. 

Eu conhecia esses velhos truques envolvendo mulheres. Quanto mais tempo ela estivesse falando comigo, mas fácil seria de me distrair ou tirar qualquer informação. Por isso, fiz questão que se afastasse rápido. 

Vendo que não tinha mais nada para eu fazer aqui, resolvo subir até meu quarto e dormir. 

— Justin! — Ouço a voz de Kendall acompanhada de fortes batidas na porta. — Acorda e me deixa entrar, tenho que falar com você! 

O que Kendall estaria fazendo uma hora dessas na porta de meu quarto? Ela não sabe respeitar o sono dos outros? Maluca. 

— O que você quer? — Com voz de sono, abro a porta. 

— Caralho, seu cabelo está enorme hein! E estava dormindo até agora, meu Deus... — Vai adentrando o quarto. — Não transou com ninguém, né?

— Claro que não, caralho. 

— Bárbara também não, estão os dois na seca. — Se senta na ponta da cama. — Enfim, vim porque precisamos conversar.

— Como sabia que estávamos em Ibiza? 

— Conversei com Kylie ontem à noite. E inclusive, ela comentou que vocês desconfiam sobre o plano de mim, Bárbara e Kamala. Pediu que eu contasse algo, mas eu não contei, e também não contarei nada à você. 

— Já sei, Kendall. 

— Então, peço que não interfira. Por favor Justin, isso vai ser muito bom, mas com certeza pode instaurar uma guerra. — Assenti. — Obrigada... Mas não foi para falar sobre isso que eu vim. É claro que quero curtir Ibiza hoje, mas vim porque não estava me aguentando. 

Percebo na hora sua aflição, ela parecia não querer contar isso, mas sentia que precisava. 

— Bárbara não pode saber de jeito nenhum que estou te contando. Prometa que vai lá e não vai lhe dizer o motivo de estar lá... Só preciso, que esteja com ela...

— O que vai acontecer, Kendall? 

— É amanhã. — Ela suspira. — Amanhã Bárbara e eu vamos viajar para a Itália. Está combinado o ataque aos Galaretto, pois descobrimos muitos podres deles. Bárbara vai matá-los em justiça as vítimas deles. E o mundo da mafia inteiro vai ficar sabendo, temo que venham atrás dela, pois os Galaretto tem muita influência. Vai ser uma guerra, e com Bárbara sendo a maior rival deles, pois Antonio provavelmente vai sobreviver, tenho medo que à matem. Preciso que esteja lá com muitos homens, só para o pior dos casos, pois é muito arriscado e não quero que nada de mal aconteça. Não deixe que ela te veja, mas por favor esteja lá... 

— Bárbara enlouqueceu. — Falo, receoso. — É óbvio que estarei lá com uma guarda enorme, o difícil vai ser ela não me ver. E fez bem por contar Kendall, parece estar sendo a única sã. Sabe que pode estar salvando a vida dela.... 

— Pensei muito se viria ou não. Minha amiga pode ficar brava comigo, mas não posso deixar de fazer meu máximo para diminuir as chances de algo acontecer à ela. 

— Você tem razão. Hoje mesmo retorno à Espanha, vou tentar me resolver com ela. 

— Faça isso. — Passa a mão em meu ombro. — Ela quer mais que tudo que vocês voltem ao normal, mas depois da morte do pai e da irmã... Está orgulhosa, fria... É o jeito dela de lidar com isso. 

— Parte é culpa minha. Preciso que nos resolvamos, nessa guerra eu preciso lutar com ela. 

— Por favor, Justin. O relacionamento de vocês faz muito bem à ela, já passou da hora de se resolverem. 

— Disse que não ia contar nada do plano pra mim. 

— Paguei com a porra da minha língua.


P.O.V Bárbara Palvin 

Estava assistindo uma série na televisão, após Alycia dormir com muito custo. Não sei o porquê, hoje ela esteve tão irritada... 

De repente, vejo minha porta se abrir. Nem dá tempo de me assustar, já que logo vejo Justin vindo esbaforido em minha direção. 

— Aconteceu alguma coisa? — Me assusto.

— Não... — ele suspira, parecendo cansado. — Só queria chegar logo aqui. 

— A viagem acabou rápido, não? 

— Acho que precisamos conversar. — Ele chega mais perto. Está claro em seus olhos o quanto anseia para que eu finalmente diga "eu te perdoei".

— Pode falar. 

— Vem comigo na varanda, anda. — Me puxa da cama, à medida que me segure pela cintura e esteja com o rosto perto do meu.

Abre o vidro da sacada, e continua segurando minha mão. Apoiamos os cotovelos na mureta de alvenaria, observando o pôr do sol. Ele suspira pesadamente, e olha para mim sem nem piscar. 

— Você está me assustando, Justin. 

— Eu só quero que... Me perdoe, Bárbara. Que esqueçamos toda essa confusão e sigamos em frente, de verdade não consigo mais estar tão distante de você. Eu não estou acostumado, eu não... Sou feliz assim. Você e a Alycia me fizeram sorrir de novo, despertaram meu lado bom depois de tanto tempo. Eu não sei mais o que fazer... — Continua esperando uma resposta minha. — Você quer mesmo apagar o que temos, jura que esqueceu tudo?

— Calma, não é bem assim... 

— Então diz logo que ainda me ama, que quer nosso relacionamento de volta. Me dê a porra de um beijo, faça alguma coisa que mostre que o nosso amor não morreu em você. — Entrelaça nossos dedos. 

— Justin, eu não quero que acabemos. — Tento ser o mais transparente o possível. — Mas tenho muito medo de nos magoarmos de novo, e nesse momento não posso tirar meu foco da minha missão. Amanhã, tenho o compromisso mais importante da minha vida, é serio. Não posso desfocar, não posso lidar com muitas emoções agora. 

— Se está nervosa e insegura não deveria ir.

— Eu quero e preciso ir. — Me afasto. 

— Então é isso? Vou esperar e esperar até você se sentir pronta para retomarmos tudo de onde paramos? — Se irrita. 

— Não me pressione. 

— Estou tendo muita paciência contigo. Eu só queria o seu perdão, Bárbara. 

— Eu não tenho mais ódio de você por ter mentido sobre a morte de meu pai e minha irmã, porra! Isso já se resolveu, se quer saber. Só peço um tempo para eu pensar, você não entende mas... Minha cabeça está uma confusão. Me desculpe. 

Ao ver minha expressão cada vez mais confusa, suspira e me olha com calma. 

— Não queria te pressionar em nada, Bárbara. Não quero que volte comigo sem estar confortável com isso. Me desculpe, você merece seu tempo, eu só... 

— Não vê a hora de tudo voltar ao normal, né... Acredite, eu também. Só espero que não deixe de gostar de mim ao longo do tempo. 

— Para com isso. Se for necessário, eu me apaixono de novo por essa sua nova versão. Sei que isso vai passar, e a Bárbara que eu conheci nunca deixou de estar presente. 

No dia seguinte 

Com um único erro, poderíamos colocar tudo em risco. O plano inteiro dependia de mim e da execução perfeita. Eu estava prestes à matar dois homens mega poderosos, com certeza me dava um frio na barriga. Os pegaria desprevenidos, e não seria dessa vez que Antônio seria pego. Ou seja, ele ia começar uma guerra para vingar a morte dos filhos. O mundo da mafia iria ficar sabendo, e quem estivesse do meu lado só teria paz quando eu vencesse a guerra. 

Eu sei, é uma enorme responsabilidade. E nesse momento, a possibilidade de eles serem mais rápidos do que eu me assustava mais que a morte. Primeiro, sei que eles iriam atrás dos meus.


Notas Finais


Vish, o clima tá bem tenso😧

No próximo capítulo teremos finalmente a Bárbara se vingando dos Gallaretto, e a parte final para entendermos um pouco do que a fez mudar, e ela e o Justin se afastarem. Mas na questão de perdão acho que já está bem encaminhado... É, teremos q ter paciência hahaha. 👀


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...