História Patient Zero - Capítulo 56


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Aaron, Abraham Ford, Beth Greene, Carl Grimes, Carol Peletier, Daryl Dixon, Enid, Eugene Porter, Glenn Rhee, Hershel Greene, Jessie Anderson, Lori Grimes, Maggie Greene, Merle Dixon, Michonne, Morgan Jones, Negan, O Governador, Paul "Jesus" Monroe, Personagens Originais, Rick Grimes, Sasha
Tags Ação, Aventura, Daryl Dixon, Rick Grimes, Twd, Violencia
Visualizações 324
Palavras 3.046
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem!
NECESSITO DE MUITOS COMENTÁRIOS! PELO AMOR DE INÊS BRASIL!!!!

Capítulo 56 - A Fagulha


Fanfic / Fanfiction Patient Zero - Capítulo 56 - A Fagulha

Zona Segura de Alexandria, Virgínia — 2016.

 

O pessoal do Santuário havia chegado a Alexandria na surdina, sem levantar a suspeita ou o medo na maioria dos moradores da comunidade. Negan, Pandora e Carl apenas seguiram até a casa que um dia ela morara com Rick o garoto e Judith, procurando pelo líder do grupo.

 Por esse motivo o homem bateu várias vezes com Lucille contra a madeira pintada de amarelo da porta de entrada, porém a única pessoa a atender fora Olivia que estremecera ao ver Negan entrando dentro da casa.

— Ótimo, ótimo, ótimo! — Negan exclamou, animadamente olhando ao redor da casa, enquanto Olivia, Carl e Pandora paravam lado a lado o encarando. — Cadê o Rick?

Finalmente uma pergunta que era considerada de interesse geral da nação, Pandora olhou para Olivia, interessadíssima em saber aonde o homem se metera dessa vez. Estava mais do que preocupada, tanto com Rick quando com Michonne, que da última vez que estivera em Alexandria, espumara de raiva ao ver a comunidade sendo revirada pelos salvadores.

Olivia tentou gaguejar algo coerente, respondendo à pergunta feita por Negan, denunciando claramente que aonde quer que Rick estivesse, ele não estava ali, definitivamente. Negan apenas a dispensou com um sinal de mão.

— Não importa... — ele interrompeu os gaguejos da mulher. — Cadê o Rick? — ele perguntou mais insistentemente.

Olivia suspirou.

— Saiu, foi procurar mais coisas para vocês. — ela respondeu.

Negan sorriu abertamente, dando aqueles mini impulsos para trás como sempre fazia. Era um dos muitos tique que aquele homem tinha que Pandora não conseguia entender, assim como a mania de carregar o taco para todo lado. Porém, após pensar um pouco, não pôde culpa-lo, afinal, quando ela ainda podia, carregava seu chicote para todos os lugares.

— Legal. Vou esperar. — Negan disse, ainda sorrindo para Olivia.

Olivia estremeceu, e Pandora se sentiu triste pela mulher. Sabia muito bem que quando houvera aqueles incidentes com as armas que Spencer havia escondido, a mulher havia ficado o dia todo nas mãos de Negan, apenas aguardando para ver se seria morta ou não. Não podia culpa-la por morrer de medo daquele homem.

— Ele foi muito longe, talvez não volte hoje. — Olivia explicou, hesitantemente. — Não temos quase nada. Estamos praticamente passando fome.

Negan ergueu as sobrancelhas e arregalou os olhos sarcasticamente, arqueando as costas.

— Passando fome? Você? — ele disse, apontando sugestivamente para Olivia que era realmente um pouco acima do peso. — Com “praticamente” quer dizer “não de verdade”.

Olivia o encarou durante alguns segundos, tapando o rosto com as mãos logo em seguida e soltando o choro, deixando claro que se sentia ofendida pela fala e posição irônica de Negan em relação ao seu peso. O homem, percebendo isso, apenas suspirou. Olhou para Pandora e Carl e sorriu, impressionado, como se ofender alguém fosse completamente normal em seu mundo.

— Sério? — ele sussurrou. — Vocês não têm senso de humor?

Pandora fez uma careta, revirando os olhos logo em seguida. Negan apenas suspirou, passando a mãos sobre o rosto e se virando para Olivia, que de costas para os demais, ainda soluçava periodicamente entre o choro.

— Com licença. — Negan disse.  — Qual é mesmo seu nome?

— Olivia. — ela disse, com a voz mostrando profunda mágoa.

Negan assentiu, levemente.

— Certo. — ele disse. — Sinto muito por ter sido grosseiro com você. E parece que vou demorar aqui esperando seu destemido líder retornar. E se quiser, eu acho que seria divertido trepar com você. — ele disse tão suavemente que chocou até mesmo a Pandora que já conhecia seu senso de humor para lá de negro. — Claro, se você concordar.

Olivia agiu por impulso, dando um forte tapa na cara do homem que virou seu rosto com o impacto. Negan balançou a cabeça, um pouco chocado e ouviu uma gargalhada alta e exagerada vinda de suas costas, olhou para trás e viu Pandora com a mão na barriga, ainda se recuperando ofegante.

— Foi muito que bem merecido. — Pandora jogou na cara do homem.

Negan apenas sorriu, enquanto mandava que Olivia fosse preparar uma limonada para ele, e quando a mulher deixou o recinto o mais rápido que conseguia, apenas se virou para Pandora, indo em direção a ela.

— Não se preocupe, amor. — ele disse, passando a língua sobre os lábios que continham um sorriso implacável. — Sempre terá um pouco do bom e velho Negan reservado para você.

Pandora apenas revirou os olhos, fazendo uma cara de nojo. Mostrou o dedo do meio para Negan e se virou de costas, saindo pela porta de entrada. Era até melhor que não estivesse ali quando Rick chegasse, não poderia ficar com Carl, conversar com ele e muito menos Rick, então apenas resolveu andar por Alexandria.

***

Andando pela comunidade, Pandora pôde perceber que o que Olivia dissera sobre os mantimentos da cidade era verdade. Havia passado pela despensa, olhando os níveis desesperadamente baixos de comida ali. As prateleiras que antes continham as mais variadas armas de fogo, agora estavam melancolicamente vazias.

Após o que ocorrera com Olivia e Spencer e também o caso de Davey e Enid, Pandora poderia muito bem dizer que os olhares dos habitantes de Alexandria haviam mudado sobre ela. Era como se as olhasse com respeito e ao mesmo tempo um assombro gigante.

Havia descoberto por meio de Padre Gabriel que Rick havia saído com Aaron para garimpar atrás de comida. Aquilo não só a havia tranquilizado sobre a segurança do homem como também a causado um pouco de esperança em relação ao que Rick pretendia. Talvez ele estivesse com algum plano de como derrotar Negan. Conhecia Rick, sabia que ele não se renderia totalmente.

Como o padre havia se mostrado uma fonte quase inesgotável de informações alexandrinas, ele a havia contado de tudo, sobre tudo e todos. Rick, Carl, Michonne, Maggie que ainda estava em Hilltop acompanhada por Sasha, Rosita, Spencer que havia levado uma grande bronca depois daquele dia.

Todas essas informações recém recebidas giravam em espirais extremamente incomodas na mente de Pandora. A mulher se afastou de Gabriel após, a pedido do homem, rezar com ele. Não havia se importado, na verdade se lembrara de quando havia feito isso junto a Hershel, Maggie e Beth na prisão.

Andou pelas ruas de Alexandria a procura de um lugar minimamente pacato e com privacidade para que pudesse se sentar e refletir sobre todas as informações tristes com que o padre a havia noticiado.

Permaneceu alguns minutos assim, apenas sentada em um dos bancos de madeira que margeavam o lago de Alexandria, de olhos fechados e respirando profundamente, tentando realmente se confortar que estava ali. Sentia tanta falta daquele lugar que chegava a doer.

Sentiu algo bloquear seu sol e abriu os olhos irritada apenas para enxergar quem menos gostava no mundo inteiro. Oliver Mitchell a olhava de cima a baixo silenciosamente, parado de frente para ela.

Pandora o encarou furiosamente. Odiava o fato de que Negan insistia em leva-lo para todo e qualquer lugar em que ela fosse também. Era como um carma que a perseguia desde o início dos tempos, seu fardo pessoal que nunca a deixaria em paz.

— Eu vim em paz. — Oliver disse ao perceber o olhar da mulher sobre ele. Se sentou ao lado dela no banco, mesmo sem ser convidado. — Juro, quero apenas conversar com você.

Pandora o encarou com nojo, soltando uma risada de escárnio logo em seguida.

— Você? Em paz? — ela disse, ironicamente. — Engraçado, pois se não me falha a memória, foi você mesmo que me estuprou, me deixou para morrer no CDC de Nova Iorque e ainda me entregou para Negan. Tudo isso de uma pessoa que alega querer paz. — ela disse. — Perdoe o meu linguajar, mas eu estou pouco me fudendo para o que você quer conversar.

Oliver suspirou, passando a mão pelos cabelos castanhos e encarando o chão de grama sob seus pés durante alguns segundos, como se avaliasse, tentasse escolher as palavras que provavelmente sairiam de suas palavras em seguida. Pandora estreitou os olhos, olhando ao redor e vendo uma movimentação suspeita perto de uma das casas ali, porém se manteve quieta.

— Olha, eu não tive muita escolha. — ele disse. — Simon apenas me achou, e o meu modo de barganhar pela minha vida foi em troca de informações. As informações valiosas que eu possuía eram sobre você. Não foi nada pessoal.

Pandora assentiu levemente, erguendo uma sobrancelha.

— E claro, isso também justifica o estupro. — ela disse, sarcasticamente. — Óbvio, como eu sou burrinha!

Oliver revirou os olhos.

— Eu não estuprei você! — ele se controlou para não gritar. — Quantas vezes vou ter que dizer que você me lembrou minha esposa e me atraiu? Eu sou um homem, você é uma bela mulher, qual é o problema nisso?

Pandora se controlou para não voar no pescoço do homem e os esganar até a morte. Se fizesse isso sabia que haveria consequências, e o pior, essas tais consequências poderiam vir em forma de punições a sua família. Se manteve quieta, afundando as unhas nas palmas das mãos para não afunda-las no rosto de Oliver, enquanto ainda observava a movimentação na tal casa.

Franziu a testa quando viu uma mecha de cabelo grisalho passando em frente à janela.

— Eu quero lhe fazer uma proposta. — Oliver recomeçou. Pandora o encarou, desinteressadamente. — Negan, podemos derrota-lo.

Pandora arregalou os olhos, encarando Oliver mais atentamente.

— Conheço comunidades que concordariam lutar contra ele juntas se for o caso. — Oliver disse. — Hilltop, O Reino, mais algumas. — ele disse, surpreendendo Pandora mais uma vez. A mulher nem ao menos imaginava que a pacata comunidade do Rei Ezekiel pudesse ser alvo dos salvadores.

Pandora ergueu uma sobrancelha.

— E fazer o que depois que Negan for atingido? — ela perguntou. — Quem acha que irá governar o Santuário? Eu e você? — perguntou, ironicamente.

Oliver apenas assentiu, fazendo com que Pandora revirasse os olhos com desgosto. Ela se assustou um pouco quando o homem tomou suas mãos nas dele e as apertou fortemente, fazendo com que ela o olhasse nos olhos.

— Me ouça, Elizabeth. — ele disse. — Pense em como nós ficaríamos juntos no trono da Nova Ordem Mundial. Negan é um lunático assassino que não pensa em nada mais do que fazer piadas e sexo. Você e eu seriamos perfeitos. Os dois seres humanos imunes em toda terra.

Pandora o encarou durante alguns segundos. Não retirou suas mãos da dele, fazendo com que Oliver interpretasse aquilo como um bom sinal e sorriu, convencido de que ela aceitaria a proposta. Sabia que a mulher não aguentava mais ficar ao lado de Negan.

Pandora cerrou o maxilar, exibindo um sorrisinho ao olhar de esguelha para o lado. Ergueu o queixo e passou a língua pelos lábios, sorrindo abertamente e se controlando para não gargalhar com o que havia acabado de presenciar.

— Simon. — Pandora disse alto.

Oliver a olhou sem compreender. Porém quando o homem alto, calvo e de bigode saiu de trás de uma casa com o sorriso sádico, entendeu imediatamente. Se levantou rapidamente, soltando as mãos de Pandora, enquanto Simon ia para cima dele e lhe dava um soco.

Simon, o braço direito do próprio Negan havia acabado de presenciar uma tentativa de traição por meio de Oliver Mitchell. O levaria até o chefe, que Pandora tinha certeza, não deixaria aquilo barato.

Pandora e Simon saíram andando lado a lado pelas ruas, enquanto iam em direção aonde Negan devia estar com Carl e Olivia. Simon empurrava Oliver a pontapés, o pegando pelo colarinho e o empurrando.

Quando chegaram na rua aonde a casa de Rick, viram uma aglomeração formada no meio da rua. Pandora passou por entre a multidão freneticamente para ver o que acontecia, deixando Simon e Oliver um pouco para trás.

Quando chegou ao lado de Tara viu que Negan estava ali, no meio da rua em frente a uma mesa de sinuca, enquanto arrancava as tripas de Spencer Monroe fora. O homem havia feito um corte tão fundo na barriga dele que os intestinos pulavam para fora enquanto alguns gritavam ao fundo e o próprio Spencer caia de joelhos no chão, morrendo lentamente.

Negan parecia furioso por causa de Lucille que havia levado um tiro por meio de Rosita. A bala, que fora feita por Eugene, havia chamado a atenção de Negan que queria o homem para si por o achar habilidoso e inteligente.

Pandora demorou alguns segundos para acordar daquela imagem aterrorizadora. Porém foi a voz de Negan, que a havia percebido ali que a trouxe a realidade. Pandora o encarou desnorteada, enquanto o homem sorria cheio de si.

— Aí está você minha querida! — Negan exclamou, estendendo a mão em direção a Pandora. — Sabia que matei esse garoto em defesa de seu namoradinho?

Pandora abriu e fechou a boca várias vezes, fechando os olhos por um milésimo de segundo, tentando decidir o que fazer, porém como tudo estava confuso em sua mente, não conseguia chegar a lugar algum. Apenas quando sentiu Simon alcançar o seu lado, se lembrou do que devia fazer.

— Já fez seu showzinho? — Pandora perguntou. — Posso fazer o meu?

Negan franziu a testa, confuso, porém logo após deu de ombros, concordando com a cabeça e fazendo um sinal com a mão para que ela prosseguisse a falar.  Pandora se desviou do corpo de Spencer cuidadosamente.

— Se lembra do seu protegido? — Pandora perguntou a Negan, suavemente. — Oliver Mitchell... — suspirou, ironicamente. — Você não tem mesmo a noção do que ele vem fazendo contra você?

Negan arregalou os olhos, olhando de Pandora para Simon que estava ao seu lado. Seu braço direito apenas assentiu, em confirmação.

— Oliver estava propondo a Elizabeth Baker que eles tomassem o Santuário, juntos. — Simon disse, sua voz um pouco bem humorada e irônica. — Eu ouvi tudo, vi tudo. Do momento em que ele chegou, até o que ele tentou colocar as mãos na sua esposa.

Negan levantou o taco em fúria e foi em direção a Simon e Pandora, que possuíam Oliver presos em seus braços. Fez um movimento de acertar a cabeça de Oliver com Lucille, porém foi interrompido por Pandora, que o parou no meio do caminho.

— O que você quer desta vez? — Negan vociferou. Não aturava traição, não quando o homem era bem próximo dele, assim como acontecia com Oliver.

Pandora mordeu os lábios, se virando para a multidão que os encarava atentamente, ainda chocados pela morte de Spencer, porém muito temerosos para irem embora dali sem a permissão de Negan. Pandora percebeu que Rosita estava branca como papel, olhando fixamente para o corpo do homem.

— Vocês veem isso? — ela perguntou a eles. — Esse homem traiu a causa de Negan, a comunicação entre eles não era a base de confiança ou de familiaridade, mas sim de ameaças. Ele o traiu e vai morrer por isso. Aqui em Alexandria nós não temos isso, somos todos uma família. — ela disse, se lembrando de que Negan dissera que Spencer tentara trair Rick. — Não somos o que Spencer disse.

As pessoas a encaravam de cima a baixo, atentos ao discurso da mulher. Nem mesmo Negan parecia capaz de interrompe-la naquele momento.

— Rick Grimes possuía uma família, forte e estável. Mas ele foi bom e trouxe vocês para essa família. Transformou cada um de vocês em guerreiros, lutadores. Capazes de derrotar toda e qualquer ameaça. — ela disse, já deixava com que as lágrimas escapassem de seu rosto. — Os salvadores podem ter poder de armamento, mas enquanto estivermos unidos, eles não poderão nos quebrar!

Pandora olhou para trás, para Negan, Simon, Oliver ou qualquer outro salvador que estivesse ali observando a mulher gritar. Mesmo que não demonstrassem diretamente, os habitantes de Alexandria estavam sendo afetados pelo discurso de esperança de Pandora. E essa era a última coisa que Negan queria. Uma fagulha de esperança poderia explodir tudo.

Pandora olhou para Oliver.

— Últimas palavras? — ela perguntou.

Oliver a encarou no fundo dos olhos, seu ódio irradiava ao seu redor.

— Vá para o inferno. — ele murmurou.

Pandora sorriu, arrancando o facão da cintura de Simon.

— Nos vemos lá. — ela disse. — Você, eu e Negan.

Oliver tentou se soltar e avançar sobre ela. Porém sem dar tempo para que ele pudesse fazer qualquer coisa, Pandora girou o corpo e o braço que estava com o facão, como um jogador de baseball, afundando o facão no pescoço de Oliver. A cabeça do homem se descolou de seu corpo e saiu voando, ensanguentando o asfalto e caindo as pés de Negan.

Pandora o encarou de queixo erguido, percebera que ele estava furioso.

— Podem nos sangrar! Nos torturar! Abusar de todos os jeitos possíveis! Nós vamos nos levantar! Nós somos uma família! Somos sobreviventes! — ela gritou. — NÓS SOMOS A NOVA ORDEM MUNDIAL!

Simon avançou sobre Pandora e a pegou nos braços sob a liderança de Negan, enquanto ela se contorcia e sorria ao ver os olhares encorajadores dos habitantes de Alexandria. A mulher reconheceu uma cabeça em particular no meio da multidão. Rick vinha ajudando Aaron que estava todo machucado.

— Rick — Pandora disse, quando via que o homem se aproximava de Negan rapidamente ao ver os estragos e mortes ali. — Quando a neve cai, e o vento branco sopra, o lobo solitário morre, mas a alcateia sobrevive.

Rick a encarou, a lançando um olhar cheio de significado por causa daquela frase que ela dissera. Uma frase de esperança. Uma frase que significava que eles deviam se manter juntos não importavam as circunstancias, e iriam.

Após isso, Pandora não se lembrava de muita coisa mais. Mas sabia que Simon a imobilizado e a enfiado dentro de um caminhão dos salvadores. Eugene havia sido capturado, e Olivia morta por causa de Pandora e Rosita. Negan havia ordenado que Arat matasse alguém, a escolhida havia sido Olivia, abatida bem ao lado de Carl Grimes.

Porém, Pandora soube, mesmo depois de chorar silenciosamente pela morte da mulher, que aquilo não havia volta. Negan estava ao seu lado, dirigindo o caminhão, com um rosto determinado, como se soubesse que aquela pequena fagulha de rebelião que brotara nos rostos dos moradores e até mesmo de Rick, haviam se apagado com a morte de Olivia.

Pandora sabia porém, que ele estava redondamente enganado. Pandora sorriu em meio as lágrimas e o encarou, gargalhando logo em seguida, fazendo com que ele cerrasse o maxilar.

— Me espanque, ou a Eugene quando estivermos no Santuário. — ela disse. — Não vai adiantar, é tarde demais. A fagulha está se transformando lentamente em uma fogueira. — Pandora sorriu, como não fazia em tempos. — Você está fodido.

 


Notas Finais


Em memória de Oliver Mitchell
Primeira aparição: Centro Universitário de Veterinária nos arredores de Atlanta - 2014, capítulo 25 - A culpa que nos consome.
Última aparição: Zona Segura de Alexandria - 2016, capítulo 56 - A Fagulha.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...