1. Spirit Fanfics >
  2. Paz Efêmera >
  3. A Garota do Norte

História Paz Efêmera - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Agora vamos focar um pouco em "explorar" o mundo antes de dar continuidade a linha, claro que isso era inevitável, ja que um "time skip" foi dado, mas acho sem graça escrever algo do tipo "10 anos depois...", mas enfim, espero que gostem, mesmo esse capitulo sendo mais curto

Capítulo 5 - A Garota do Norte


Fanfic / Fanfiction Paz Efêmera - Capítulo 5 - A Garota do Norte

 Mary
    
A cada passo que Mary dava na neve ela repensava mais sua decisão, com toda aquela nevasca era difícil ver alguma coisa, mas pelo menos sabia que estava no caminho certo, aquela área era enorme e coberta de neve, mas ela sabia o caminho de cabeça usando os poucos pinheiros robustos que tinham pela área como referência, eram poucos seres vivos que sobreviviam nessa parte do continente, e Mary sabia muito bem disso, tinha que ser cuidadosa.
      Mesmo a vida por essa terra ser teoricamente complicada, escassa e difícil, ela mesma nunca teve problemas, afinal ela era da realeza, sendo  filha direta do Rei de Ernias de Tyrondir (A capital atual do Reino Norte), sua vida sempre foi fácil, embora fosse entediante, ela não tinha do que reclamar, pelo menos até alguns dias atrás, quando acabou fugindo de seu reino sozinha, que ideia imatura.
      -Que ótimo, uma nevasca bem no único dia que resolvo sair, que azar foi esse? -Ela parecia brigar com ela mesma por ter tomado aquela decisão.
      Após andar por algumas horas, ela começava a se perguntar se realmente lembrava o caminho tão bem quanto pensava, mas antes que pudesse ter a chance de pensar mais sobre isso, ela avistava um brilho, só podia ser um "Lumious" (são objetos que se assemelham com lâmpadas, mas funcionam com a ajuda de Magia, são bem duráveis e úteis, é a principal forma de iluminação atualmente).
      -Ótimo! deve ter alguma vila ali! -Exclamava ela animada, correndo até a luz e notando que realmente vinha de um Lumious, mas ao chegar mais perto notava que era de alguém, uma pessoa estava segurando ele enquanto andava calmamente, parece que ela não era a única louca que estava andando pela nevasca afinal.
      Mary até cogitou a ideia de chamar a atenção dele, mas é perigoso falar com desconhecidos, pelo menos era o que seus empregados diziam, mas devia ser verdade, ela apenas voltava a andar na direção oposta dele, encarando ele pra ter certeza que ele não a viu, nesse momento, ela notava um enorme símbolo nas roupas dele, era uma estrela de 6 pontas, era bonito, mesmo ela não sabendo o que significava.
      -Bem, ele veio daquela direção se não me engano, é ali onde fica a vila de...Thork? sim, acho que era isso! -Ela dizia novamente pra ela mesma, correndo na direção de onde o homem havia vindo, se apressando, pois as pegadas dele sumiam rapidamente com a nevasca.
     Após  alguns minutos ela via vários Lumious espalhados, grudados em grandes toras de madeira, iluminando algo que parecia uma rua, notando isso ela se aproximava dali, vendo casas de pedra, que estavam cobertas de neve devido a nevasca.
    -"não tem ninguém nas ruas, faz sentido, não tem porque sair de casa nessa situação!"-Ela pensava procurando algum hotel ou algo onde ela pudesse ficar até a nevasca passar.
    Ela andava pela vila notando um tipo de pousada que parecia estar aberta ainda, era uma pequena construção de pedra, com um placa escrita "Pousada Céu Noturno", fazendo ela achar irônico aquele nome, já que realmente no extremo norte os dias e noites duram meses, então como anoiteceu a apenas alguns dias, só iria amanhecer depois de alguns meses.
   Mary entrava na pousada, suas roupas eram inteiras de pele e pelo, pra proteger do frio e  tinha vários detalhes rosa, ela gostava muito desse sobretudo, mas tirava esse sobretudo quando entrava na pousada que estava bem quente, pendurando junto com algumas outras blusas num suporte na parede, agora dava pra ver sua calça preta, suas botas rosas e sua blusa, que era uma blusa roxa pra variar um pouco de todo aquele rosa, embora não combinasse com seu cabelo, que era de um tom escuro mas bem brilhante de Azul, assim como seus olhos, talvez isso fosse da sua família por parte de mãe, pelo menos diziam muito isso pra ela.
     -Oi? alguém aqui? -Ela perguntava vendo alguns sofás velhos de couro e alguns enfeites de caça, incluindo alguns bichos bem bizarros, como um crânio de algo parecido com um dragão, e bem no canto tinha um balcão de madeira, mas não tinha ninguém ali.
       -Ah sim, foi mal! estava fazendo um chocolate quente! -Dizia uma pessoa simpática, que saia de um outro cômodo com uma xícara  na mão -Eu sou o dono dessa Pousada! me chamo Trevark! -Ele dizia sorrindo, ele parecia diferente das pessoas dessa região, era bem branco, com cabelos negros, seus olhos eram ainda mais pretos que seu cabelo, o que era um contraste estranho pra alguém quase pálido, ele tbm tinha uma marca, um tipo de símbolo no rosto, parecia 5 "T', um em cima do outro, parecendo o desenho de uma cicatriz, ou talvez realmente fosse uma, ela não sabia dizer.
        -Ah, é estranho né? -Ele ria meio sem graça notando que ela estava olhando bastante a marca dele, o que fazia ela notar que isso era meio rude.
       -Desculpe, não foi minha intenção, eu só achei curioso, enfim me chamo Ma- ...Joana! me chamo Joana! -Ela dizia quase esquecendo que estava fugindo do seu reino, seu nome provavelmente ia ficar conhecido quando começasse as buscas por ela, era melhor não falar ele. 
      -Ah sim, é um prazer! -Ele dizia mudando bem rápido sua expressão enquanto pegava uma prancheta, entregando pra ela -Coloca seu nome aqui, vou pegar a chave de um dos quartos, foi pra isso que veio né? tá nevando tanto lá fora! -Ele dizia deixando com ela e mexendo em algumas chaves de ferro numeradas, pegando uma e estendendo sua mão pra que ela pegasse.
     Ela preenchia a prancheta e deixava de novo com ele, pegando a chave e agradecendo, olhando uma escada no canto do lugar, onde tinha uma seta escrito "Quartos 9-18", como sua chave era a 9, ela subia as escadas, seguindo por um corredor bem grande, indo até o quarto que ela passaria a noite.
     Era estranho, por algum motivo ela se perguntava sobre o símbolo que havia visto no homem mais cedo, talvez fosse importante, pois ela já viu aquilo antes, mas não lembrava se era de algum livro ou se era realmente por alguém ter falado pra ela sobre aquilo.
       -"Dark of Slayers...se não me engano era o símbolo deles..."' -Ela pensava já dentro do quarto, deitada na cama que ficava próximo a janela do quarto, olhando a neve do lado de fora.
                  ????
        
Era estranho, ele não havia visto ninguém pela neve nas últimas horas, o que só fazia ele se perguntar por quê  aquela garota estava andando sozinha pela neve, não que ele pudesse julgar, afinal ele também estava andando a horas pela nevasca, e pra evitar que ela se assustasse, ele fingiu que nem havia visto ela.
        -Quem está ai? -Ele perguntava alto, notando que tinha algumas pessoas por perto que estavam próximas dele.
       -Calma viajante...somos soldados desse reino, estamos procurando pela Segunda Princesa, Lady Mary Icelariaki, filha do Imperador Ernias Icelariaki! como o senhor esta andando por aqui, pensamos que teria vist... -O soldado notava que o homem tinha ignorado o que estava dizendo, e tinha continuado a andar -Maldito! isso é desrespeito ao re- Ele era nocauteado pelo homem com um murro direto no rosto dele antes dele terminar de falar.
       -Vocês desse reino não sabem falar com as pessoas! não fui com a cara de vocês! -O homem dizia encarando as armaduras prateadas dos soldados, com capas de pele que os protegiam do frio.
        Os soldados apontavam suas lanças pra ele, e ele, apontava sua espada pro soldado no chão- Já que ele falou primeiro, deve ser o com a maior patente aqui não é,? Acho bom ficarem paradinhos enquanto ele ainda está vivo!-O homem dizia -Eu posso realmente ter informações pra vocês, mas não sou tolo a ponto de dar essas informações de graça, vamos...negociar! -Ele dizia se sentando em cima do corpo caído do soldado, mantendo sua espada próxima do pescoço dele.
       Os soldados pareciam meio incertos no começo, mas abaixavam suas lanças -O que quer saber? -Um deles perguntava.
       -Já ouviu falar no "Templo do deus Dragão"? -O homem completava abrindo um sorriso.
     


      
   
     

      
    


Notas Finais


bem, esse capitulo é pequeno perto dos outros, mas é por ser uma "troca de arco", e como o arco é longo de qualquer forma, não tem problema os capítulos serem menores, até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...