1. Spirit Fanfics >
  2. Peça, Marinette! >
  3. Peça!

História Peça, Marinette! - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Estou lotada de ideias para one shot hehe, espero que gostem do nosso gatinho <3


Boa leitura

Capítulo 1 - Peça!


 

Marinette não aguentava mais ter que olhar para a tela do computador, aulas presenciais lhe faziam falta, ninguém merece estar trancada em casa. O único ponto positivo era a solidão que tanto lhe agradava em uma sexta à noite, nada como ter seu próprio apartamento.

Alcançou a caneca com chá e soprou de leve, estava com um cheiro ótimo, era exatamente como  sua mãe preparava.

 

-Você não está prestando atenção na aula, Mari. -Tikki falava da cama.

-Estou no intervalo, posso me distrair um pouco. - Se levantou. - Vou te trazer mais alguns biscoitos. - Passou pela porta do quarto em direção a cozinha.

 

Acendeu a luz e reparou o vento frio que entrava pela janela, não lembrava de ter deixado aberta. Foi até o vidro e olhou de relance para fora, para em seguida fechar.

 

-O tempo está agradável, não está? - Ouviu a voz familiar de Chat Noir.

 

Levou a mão ao peito, ele não costumava aparecer, pelo menos, não mais. Virou-se e parou no lugar, vendo a mudança no homem, até seus olhos tinham mudado.

 

-Chat… - Soltou baixo, não sabia o porquê dele estar ali, mas sabia que era o trabalho de um akuma.

-Senti sua falta. - Se esgueirou até ela, envolvendo seu corpo, terminando por rodear uma das pernas dela com sua cauda.

-Minha falta?  - Ficou imóvel pelo contato inesperado. - O que aconteceu com você? 

-Nada aconteceu. - Afrouxou o abraço para olhar nos olhos dela. - Não parece feliz.

-Feliz? - Pensava nas coisas certas a se falar. - Chat Noir…

-Chat Blanc é o meu nome. - A olhava sério.

-Claro. - Concordou com ele, não sabia seu objetivo.

 

Marinette piscou várias vezes, não iria se transformar com ele ali, porém, sabia exatamente onde o akumatizado estava, então só precisaria de tempo para saber sobre o akuma.

 

-Podemos ficar juntos agora. - Falou pegando o rosto dela com as mãos.

-Juntos? Sempre fomos amigos. - Sorriu de volta. - Nada nunca te atrapalhou a vir aqui.


 

Chat vagava os olhos pelo rosto dela, vendo o quão linda ela conseguia ser, adorava ver seus traços.


 

-Você sempre parece mais à vontade quando venho te ver de noite do que de dia. - Tentou beijá-la.

-Espera. - Tentou ir para trás. - Você nunca vem de dia. - Iria conversar o máximo possível para deixá-lo entretido.

-Na faculdade você sempre parece tensa perto de mim. - Tombou a cabeça.

-O que? - Eles eram do mesmo campus, não podia saber disso. - Você não pode me contar sobre você, lembra?

-Não me importo, você não me dá atenção quando estamos em aula, então me dê aqui. - Apertou a cintura dela.

-Atenção? - Tentava se manter firme para não se render aos braços dele. - Sempre fomos amigos, você sempre tentou ter a Ladybug.

-Somos apenas amigos, ela sempre deixou isso bem claro. - Ainda ataca o pescoço alvo. - Eu quero você tem tempo. - Suspirou contra ela. - Muito tempo. - Falou baixo em seu ouvido, fazendo a garota fechar os olhos, ele sabia como tenta-la.

-Não faça algo que possa se arrepender. - Engoliu com dificuldade, estava para ceder.

-Você sabe que quer tanto quanto eu. - Ainda falava em seu ouvido. - Desde quando eu te visitava em sua antiga casa.

-Nunca disse isso. - Teve o corpo colocado contra a parede, ele parecia não ter gostado de ouvir.

-Não minta para si mesma.- Levantou o queixo dela. -Sei que quer.  - Deslizou a mão livre pela lateral de seu short. 

 

Marinette sentia seu interior pedir aquilo, queria tê-lo.

 

-Diga. - Subiu a mão pela barriga, vendo a boca dela se abrir com o contato. - Peça…- Fitou seu rosto com um sorriso, estava gostando de ver sua feição tão prazerosa. - Peça. - Falou de novo, queria ouvir.

-Chat! - Suspirou seu nome ao ter sua intimidade tocada.

-Mal começamos e você já está tão molhada. - Sorriu ladino para ela. - Sei que pode ficar mais…- Cochichou em seu ouvido. - Muito mais. - Circulou seu clitóris.

 

Tirou a mão de dentro do short e a ergueu sobre o balcão central, acabando por capturar seus lábios, sendo correspondido imediatamente.

Marinette não queria mais pensar se aquilo era errado, Chat não estava causando mal nenhum daquela maneira. Não aguentava não corresponder, tinha tempos que sentia algo pelo parceiro, mas não podia dizer sim sendo Ladybug.

Enlaçou a cintura dele com as pernas e o segurou pela nuca, beijando sua boca com toda vontade que tinha, sentindo ele a tirar do lugar, os levando para o quarto.

Chat a jogou sobre a cama não demorando a subir sobre a garota, queria tirar  toda a roupa dela.

 

-Ainda não ouvi. - Ergueu o pano, passeando pela barriga, subindo até os seios.

 

Brincou com ela, vendo seu rosto pedir por mais, enquanto suas mãos puxavam o lençol. 

 

-Oh! - Soltou baixo, sua sanidade estava se esvaindo.

-Peça! - Falou grave, puxando o short verde. - É só pedir… - Se debruçou sobre ela, dando leves mordiscadas em sua barriga, deixando pequenas marcas vermelhas.

 

Desceu os dedos mais uma vez até o sexo dela, fazendo pequenos círculos, atiçando seu interior, queria vê-la totalmente à mercê. Chegou mais perto de seu rosto, vendo como ela se comportava ao seu toque, assim, introduzindo um dedo.

Viu os olhos azuis se revirarem e a beijou, abafando os gemidos altos, estava adorando, conseguia sentir seu membro se apertar dentro da roupa.

 

-Chat…- Disse manhosa. - Por favor…- Sentiu o segundo dedo penetra-la, soltando um arfar longo.

 

Marinette fechou os olhos com a estocada funda, seu corpo conseguia corresponder muito bem, como se eletricidade passasse por ele.

Chat Blanc tirou seus dedos em busca de espaço, tendo a ajuda da garota para tirar seu uniforme, estavam com pressa. A tomou para mais um beijo, a puxando para perto, deixando-a sobre seu colo, queria vê-la se movimentar sobre ele.


 

-Peça! - Pediu grave, estimulando o cavalgar sobre ele. - Quero ouvir meu nome. - A pegou pela nuca, tendo a respiração acelerada.

-Chat... - Disse com dificuldade pelo toque. - Me fode, agora! - Falou contra o rosto dele.

 

A penetrou sem esperar que ela pensasse de novo, ouvindo os chiados  pela primeira estocada. Segurou firme a cintura fina e a apertou com luxúria, soltando alferes altos e longos com o cavalgar dela sobre si.

Os olhos azuis o fitavam da mesma maneira que os dele, esperando o prazer aumentar, esperando o toque apertar, esperando a volúpia aumentar. 

Travou o maxilar contra a mulher ao ver seus olhos se fecharem e sua boca chamá-lo, queria mais, queria muito mais dela.  Apertou sua bunda com força e usou a mão livre para deixar sua coluna ereta, afundando seu rosto contra o pescoço dela, a mordendo de leve, passando por seu torso, terminando por chupar seus seios sem pudor.

 

-Mari… - A chamou baixo, querendo estocá-la mais fundo.-  Diga que é minha. - Pediu sem fôlego, soltando a frase levemente rouca. 

-Eu, Ah! - Segurou em um dos ombros dele, estava quase em seu fim.


 

Chat não esperou que ela dissesse, apenas se inclinou para frente ficando sobre ela, intensificando as estocadas até sentir seu corpo pedir o ápice. Apertou a coxa marcada por suas mãos e a encarou de perto, soltando um gemido alto junto dela.

Continuou sobre a garota e arrumou alguns fios em seu rosto suado, vendo a respiração dela se estabilizar aos poucos junto a dele.

 

[...]

 

Marinette acordou parcialmente dolorida e olhou para o lado, vendo a cama vazia. Levantou de supetão por lembrar do parceiro akumatizado, mas parou ao ver que estava vestida, e reparou que não estava suada ou com os lençóis úmidos. Tinha sido um sonho?

Ouviu Tikki resmungar ao lado do travesseiro, teria dormido no meio da aula? Não sabia, então resolveu tirar a prova, ligando para o gatinho. 

 

-Chat? - Ouviu a voz baixa dele.

-Você me ligando em um sábado de manhã? Tinho dito que essa linha era só pra emergências. - Falou sonolento.

-Desculpa te acordar, só tive...um sonho ruim e fiquei preocupada.

-Ruim como? - Bocejou. - Ficou preocupada comigo, então? - Entendeu a malícia em sua voz.

-Não me faça desligar. - Respondeu nervosa.

-Tudo bem, mas então, já que você me acordou, não quer tomar o café da manhã comigo? - Pediu como sempre, mas esperava um “não”

-Aceito, seria bom fazer algo diferente. - Levantou da cama animada.

-Sério, My Lady? - Perguntou espantado. 

-Anda logo, posso mudar de ideia. - Deu um cookie para Tikki.

-Torre Eiffel daqui dez minutos. - Respondeu com um sorriso.

-Combinado, gatinho. - Desligou e ouviu Tikki.

-Você não costuma aceitar os convites dele.

-Ah, quem sabe eu não me surpreendo!? - Piscou para ela. - Transformar! 

 

Era fim de semana e Hawk Moth teria que esperar, queria ter a certeza de que seu gatinho era realmente bom em tenta-la.







 


Notas Finais


Obg por ler até aqui, espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...